Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Botafogo vira e respira aliviado na Taça Rio

Alvinegro vence o Madureira e depende apenas de si na última rodada para conseguir classificação

Victor Simões teve atuação apenas discreta no Engenhão, mas deu um passe para gol

Victor Simões teve atuação apenas discreta no Engenhão, mas deu um passe para gol (Crédito: Gilvan de Souza)

LANCEPRESS!

Um segundo tempo digno de Botafogo. Nesta quinta-feira, o Alvinegro passou por cima do pequeno público presente no Engenhão e da desvantagem no placar para vencer o Madureira por 3 a 2, pela penúltima rodada da Taça Rio. Leandro Guerreiro, Reinaldo e Túlio Souza marcaram os gols da virada do Glorioso, enquanto Alex Alves e Jones fizeram a favor do Tricolor Suburbano.

Com o resultado, o Botafogo chega na última rodada com a necessidade de vencer o Resende, no Estádio Giulite Coutinho, sem se preocupar com os resultados de Bangu e Friburguense. Já o Madureira, sem chances de classificação no grupo A, apenas cumpre tabela contra o time da Região Serrana.

Entre as perguntas a respeito dos motivos para o despreendimento da torcida e a queda de rendimento do time comandado por Ney Franco, uma certeza: a fase não é das mais tranquilas em General Severiano. No primeiro tempo, o Botafogo se mostrou sem força força ofensiva. Bom para o goleiro Renan, do Madureira, que praticamente não trabalhou.

O xará adversário, por sua vez, também não foi muito exigido. A primeira etapa foi disputada em ritmo lento, o que só favoreceu o sono dos poucos torcedores que tiveram coragem de ir ao Engenhão. O cochilo só foi interrompido aos 22 minutos, quando Alex Alves, ex-Botafogo, abriu o placar, num belo chute que encobriu o goleiro alvinegro: 1 a 0 Madureira sem direito à comemoração, já que o atacante do Tricolor Suburbano optou por homenagear o ex-clube.

No segundo tempo, uma injeção de ânimo nos botafoguenses dentro e fora do gramado. O time de Ney Franco voltou para o jogo com duas alterações e uma nova postura. A torcida foi no embalo e passou a fazer um pouco mais de barulho no Engenhão. O problema é que reação do Alvinegro teve muita transpiração e pouca inspiração. A virada só seria possível na base da garra.

Aos 20 minutos, o time da casa se beneficiou de uma falha do goleiro Renan, que vinha tendo grande atuação, para empatar o jogo. Após cobrança de escanteio da direita, o camisa 1 do Madureira errou na saída e Leandro Guerreiro, de cabeça, deixou tudo igual: 1 a 1.

Entretanto, as falhas do Madureira não se repetiram. O Botafogo seguiu errando muitos passes, perdendo bons contra-ataques. Aos 36 minutos, houve o acerto. Victor Simões descolou ótimo passe para Reinaldo, que finalizou melhor ainda: 2 a 1 Botafogo, com direito a golaço.

Se alguém pensou que o jogo havia acabado, se enganou. Renan, do Botafogo, decidiu retribuir a falha do xará. Aos 39 minutos, Jones cobrou falta da intermediária e o goleiro alvinegro aceitou o tiro no canto defendido por ele: 2 a 2. O Botafogo ainda pressionou e a sorte decidiu sorrir a favor. Aos 49 minutos, Túlio Souza recebeu passe na direita e chutou cruzado, sem chances para o goleiro: 3 a 2 Botafogo, numa virada carregada de emoção.
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 3 X 2 MADUREIRA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 2/4/2009 – 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Jorge Luís Campos Roxo (RJ) Silbert Faria Sisquim (RJ)
Renda/público: R$ 21.396,00 / 1.380 pagantes
Cartões amarelos: Juninho, Batista, Gabriel e Léo Silva (BOT); Amarildo, Bruno e Marquinhos (MAD)
Gols: Alex Alves, 22’/1ºT (0-1); Leandro Guerreiro, 20’/2ºT (1-1); Reinaldo, 36’/2ºT (2-1); Jones, 39’/2ºT (2-2); Túlio Souza, 48’/2ºT (3-2)

BOTAFOGO: Renan, Emerson, Juninho (Léo Silva – Intervalo) e Leandro Guerreiro; Thiaguinho, Fahel, Batista (Lucas Silva – Intervalo), Maicosuel e Gabriel (Túlio Souza – 23’/2ºT); Reinaldo e Victor Simões – Técnico: Ney Franco

MADUREIRA: Renan, Marquinhos, Ricardo, Artur e Amarildo; André Paulino, Wagner, Bruno e Neto (Luiz Claudio – 12’/2ºT); Jones (Daniel – 44’/2ºT) e Alex Alves (Vitor Silva – 41’/2ºT) – Técnico: Róbson Gabriel

abril 2, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , | 1 Comentário

Mistão do Fluminense recebe o Boavista

Somente com três titulares, Parreira fará experiências nesta quinta-feira

LANCEPRESS!

O laboratório do professor Parreira estará a todo vapor nesta quinta-feira, às 15h45, no Maracanã. O técnico resolvou poupar a maioria dos titulares e um verdadeiro “mistão” estará em campo para enfrentar o Boavista, pela sétima rodada da Taça Rio.

Já classificado para as semifinais, o Tricolor terá nesta partida a oportunidade de observar jogadores que não vinham sendo utilizados. Somente o goleiro Fernando Henrique e os laterais Mariano e Leandro serão os titulares.

Em entrevista coletiva, Parreira deixou claro que quer dar uma “cara” ao time das Laranjeiras.

– Não foi o Parreira que montou esse elenco. Tenho que chegar e observar. Ninguém está sendo testado, estamos apenas observando – explicou.

O técnico do Boavista, Jorge Perreco, terá três reforços importantes para a partida contra o Fluminense: o volante Cocito, o lateral-esquerdo Hamilton e o atacante Tony retornam à equipe após cumprirem suspensão contra o Madureira. Em compensação, os volantes Thiaguinho e Mancuso e o zagueiro Bruno Costa seguem entregues ao departamento médico e não terão condições de jogo.

Fernando Bob, que pertence ao Tricolor mas está emprestado até o fim da competição, foi liberado para atuar. Em seu contrato havia uma cláusula alegando que ele não poderia enfrentar o time das Laranjeiras, mas os clubes entraram em um consenso.

Tony, atacante da equipe de Bacaxá, espera ter mais sorte contra um clube grande dessa vez.

– Tivemos boas atuações contra todos os grandes clubes que enfrentamos neste campeonato, mas infelizmente ainda não conseguimos uma vitória. Nossa última chance será contra o Fluminense e esperamos ter mais sorte desta vez. disse o jogador, que tem dois gols na competição.

FLUMINENSE X BOAVISTA

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 02/4/2009 – 15h45 (de Brasília)
Árbitro: João Carlos Batista de Arruda (Fifa-SP)
Auxiliares: José Antônio das Couves (SP) e Marco Antônio Abade (SP)
FLUMINENSE: Fernando Henrique, Mariano, Digão, Cássio e Leandro; Wellington Monteiro, Maurício, Marquinho e Tartá; Maicon e Roger. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

BOAVISTA: Vinícius, Rogério Rios, Pessanha, Santiago e Paulo Rodrigues; Cocito, Fernando Bob, Flávio Medina e Têti; Tony e Roberto Santos. Técnico: Jorge Perreco.

abril 2, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , | Deixe um comentário

Fogão recebe o Madureira para respirar na Taça Rio

Em 3º, time dirigido por Ney Franco precisa vencer para sonhar com título direto

LANCEPRESS!

Palco adotado com carinho pelo clube, o Engenhão abrigará o Botafogo mais uma vez nesta quinta-feira, contra o Madureira, às 21h45, ressentido pela recente falta de popularidade. A partida, no entanto, é decisiva para as pretensões de seu locatário, já que, em caso de tropeço, o time de Ney Franco deverá ter esperar por seu adversário na decisão do Estadual.

Ciente do perigo, o grupo ligou o sinal de alerta. As expressões para provar que a situação vai virar o jogo na Taça Rio são diversas. O próprio técnico utilizou-se de uma marcante.

– Não temos mais gordura para queimar. Mostrei para os atletas que a partida contra o Madureira é tão decisiva quanto algumas da Taça Guanabara – disse Ney Franco, que garantiu uma equipe ofensiva na noite de quinta, com Maicosuel se aproximando mais da dupla de ataque, e Gabriel atuando como um ponta na esquerda.

Apesar de tudo, o comandante do Fogão se defendeu a respeito do mau momento do time, ao alertar que, entre todos, o Alvinegro é o que está mais confortável na competição.

É claro que quero ir para as semifinas, mas não vejo motivos para desespero. Estamos na final do Carioca e até parece que estamos lutando pelo rebaixamento. Repito que temos condições de vencer qualquer time do futebol carioca – crava Ney, aplicando uma injeção de ânimo em seus atletas.

Em relação ao clássico do último sábado, contra o Fluminense, que acabou em derrota por 2 a 1, o time que vai a campo contra o Tricolor Suburbano tem duas mudanças. A natural volta de Victor Simões ao ataque e a escalação de Batista na vaga de Wellington, que foi vetado por dores musculares.

Sem possibilidade de avançar no turno e, consequentemente, fora da disputa do Campeonato Carioca, o Madureira luta apenas para manter-se em terceiro do Grupo A, o que lhe renderia a classificação para o Torneio dhddsj, além de buscar uma vaga na Série D do Brasileirão.

Para tais feitos, o técnico Róbson Gabriel conta com a experiência e o faro de gol de Alex Alves, ex-jogador do Botafogo. O hoje meia-atacante, aliás, se disse arrependido de ter deixado o clube, em 2005, rumo à Turquia. Mas o assunto principal para Alex foi uma declaração de Ney Franco, na qual falou em goleada sobre o Madureira.

– Eu vi essa entrevista, ela não caiu muito bem aqui. Até porque o Ney se esqueceu de onde veio. Ele saiu de clube pequeno como o Ipatinga e, agora, nos menosprezou. Até parece que vão jogar contra ninguém – disparou.

No mais, o Madura terá a entrada de Ricardo no lugar do zagueiro Paulão, expulso contra o Boavista. Com isso, ele será o parceiro de Eduardo Luiz no jogo. O restante da equipe deverá ser a mesma.
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X MADUREIRA

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 2/4/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Jorge Luís Campos Roxo (RJ) Silbert Faria Sisquim (RJ)

BOTAFOGO: Renan, Emerson, Juninho e Leandro Guerreiro; Thiaguinho, Fahel, Batista, Maicosuel e Gabriel; Reinaldo e Victor Simões – Técnico: Ney Franco

MADUREIRA: Renan, Claudemir, Ricardo, Eduardo Luiz e Amarildo; Wágner, Paulo Victor, Bruno e Alex Alves; Jones e Warley – Técnico: Róbson Gabriel

abril 2, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Tricolor pega o Guará para ser líder

Time de Muricy quer seis pontos em dois jogos para superar o Palmeiras

LANCEPRESS!

O São Paulo sequer confirmou sua passagem para a fase semifinal do Campeonato Paulista e já visa o primeiro lugar na tabela de classificação, ocupado atualmente pelo Palmeiras, com 41 pontos. Para atingir seu objetivo, o Tricolor precisa vencer seus dois jogos restantes, começando pelo Guaratinguetá, nesta quinta-feira, às 15h45 no Morumbi.

Alguns obstáculos podem atrapalhar o caminho do time, que em primeiro deve torcer para o tropeço do líder, com um jogo a mais, mas cinco pontos à frente do Tricolor. O Corinthians, segundo colocado, tem um jogo a mais e apenas dois pontos de vantagem.

Outro problema que o time irá enfrentar são as mudanças de horário e local, que prejudicam o planejamento do técnico Muricy Ramalho e aborrecem não somente a comissão técnica, mas também jogadores e dirigentes. O presidente do clube Juvenal Juvêncio cogitou até utilizar o time de juniores nesta etapa final da fase de classificação.

Para o compromisso desta semana, Muricy deve mesmo escalar o time com os jogadores que enfrentaram e derrotaram o Palmeiras na última rodada. Borges ainda não está confirmado, e segundo o Departamento Médico, só voltará a ser escalado quando estiver 100% recuperado.

No Guará, o treinador Marcio Araújo espera repetir a mesma apresentação que teve diante do Palmeiras, no empate por 1 a 1 no estádio Dario Rodrigues Leite. A mudança do esquema tático da equipe, que passou a atuar no 4-5-1, trouxe mais segurança à zaga, acostumada a levar goleadas nesse Paulistão.

A partida é considerada crucial para as pretensões da Garça na competição. Com 19 pontos, uma vitória coloca o time novamente na briga pelo Torneio do Interior, além de livrar definitivamente o risco do rebaixamento.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO X GUARATINGUETÁ

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 02/04/2009 15h45
Árbitro: Cleber Wellington Abade
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Junior e Nilson de Souza Monção
São Paulo: Rogério Ceni, Rodrigo, André Dias e Renato Silva; Zé Luis, Hernanes, Jean, Jorge Wagner e Junior Cesar; Washington e Dagoberto. Técnico: Muricy Ramalho.

Guaratinguetá: Fernando, Ivo, Edson Rocha, Nino e Saletti; Renato, Magal, Gil, Alê e Nenê; Wellington Amorim. Técnico: Márcio Araújo.

abril 2, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos x Portuguesa: decisão na Vila Belmiro

Equipes fazem confronto direto na luta pela última vaga nas semifinais

LANCEPRESS!

Clima de decisão. Assim estará tomada a Vila Belmiro nesta quinta-feira, às 15h45, para receber o duelo entre Santos e Portuguesa, válido pelo Campeonato Paulista. As duas equipes lutam pela vaga que resta para as semifinais do Campeonato Paulista.

A matemática para a equipe santista é clara: em caso de derrota para o concorrente direto, eliminação. Um empate combinado com um revés do Santo André no jogo contra o Barueri ainda mantém, embora que de forma remota, as chances do Peixe. Para a Lusa, uma vitória garante o time na próxima fase do estadual.

Desde que chegou ao Santos, Vagner Mancini sofreu apenas uma derrota (1 a 0, no clássico contra o Corinthians). Foram sete vitórias em 11 jogos disputados sob o comando do novo treinador. Aproveitamento que faz o técnico lamentar de forma antecipada caso não consiga levar o time para a próxima fase.

– Muita gente não esperava que o Santos chegasse com chances na reta final. Se analisarmos os últimos 10 jogos, o Santos somou cerca de 80% dos pontos possíveis. Lógico que ser eliminado é uma dor que não é assimilada de maneira fácil, por isso temos de focar na vitória. Se tiver de suar sangue, é para suar sangue. Se tiver de comer grama, vamos comer. Se não der, faz parte do futebol – analisa o técnico Vagner Mancini.

Consciente das dificuldades, o treinador santista reconhece que a Portuguesa entra em campo nesta quinta-feira com uma boa vantagem na disputa pela vaga:

– Lógicamente que eles têm uma vantagem boa. Não podemos achar que vamos enfrentar um time que vai entrar morno em campo. Vão entrar a 150 por hora. Embora o Santos jogue em casa, o fato de enfrentarmos uma equipe que está há frente faltando duas rodadas, dá um certo favoritismo a eles.

A escalação do Peixe deve ser a mesma que iniciou a partida contra o Barueri, no último sábado. Mancini diz ter dúvidas na lateral direita e no meio-de-campo, mas dificilmente fará uma mudança em cima da hora.

A Portuguesa evita falar em jogar com o regulamento, mas um empate diante do Santos seria bem-vindo para o clube do Canindé. No entanto, uma vitória sobre o rival seria melhor ainda. Além de eliminar o Peixe do Paulistão, a Lusa se classificaria para as semifinais do Estadual.

Caso não consiga nem o empate, nem a vitória, a Portuguesa levará para a última rodada a decisão pela última vaga na próxima fase. Para isso, teria de vencer o Santo André, em casa, e o Santos perder ou empatar com a Ponte, em Campinas.

Para esta decisão, o técnico Paulo Bonamigo terá força máxima. A única baixa é o volante Guigov. Lesionado, ele será substituído por Preto. O restante do time continua o mesmo. Edno será a esperança de gols.

O atacante já marcou 10 gols neste Campeonato Paulista e está apenas dois de Keirrison. Preparado para guerra, Edno avisda que a Lusa fará de tudo para sair de campo classificada.

– Vai ser um jogo de decisão. Posso garantir que só vão guerreiros para lá. Nosso respeito acabará dentro de campo, pois são onze contra onze.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS x PORTUGUESA

Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/hora: 1/4/2009 – 15h45h
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Auxiliares: Ednilson Corona e Anderson Jose de Moraes Coelho

SANTOS: Fábio Costa, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Madson, Paulo Henrique e Neymar; Kléber Pereira – Técnico: Vagner Mancini.

PORTUGUESA: Fábio, Erick, Bruno Rodrigo e Ediglê; César Prates, Preto, Marco Antônio, Fellype Gabriel e Athirson; Edno e Christian – Técnico: Paulo Bonamigo

abril 2, 2009 Posted by | Portuguesa, Santos | , , , , , , | Deixe um comentário

Inter enfrenta o Avenida com time reserva

Titulares serão poupados para as quartas-de-final do returno

Apesar de o Inter ser o mandante, a partida será realizada no Estádio Passo da Areia.

Apesar de o Inter ser o mandante, a partida será realizada no Estádio Passo da Areia. (Crédito: Arte: Luiz Claudio Dionysio)

LANCEPRESS!

O Internacional receberá o Avenida na noite desta quinta-feira, pelo Gauchão. Mas não em casa. Depois de ser marcado para o Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, na noite desta quarta-feira o jogo foi transferido para o Estádio Passo da Areia, do São José. A mudança se deve à partida da Seleção e, também, aos preparativos no Beira-Rio para a festa do Centenário, sábado. E o Colorado não usará os titulares. Eles serão preservados para a quarta-de-final, domingo, contra adversário a ser conhecido na rodada cheia desta quinta, a última da fase classificatória do returno.

Ainda assim, o time do técnico Tite entrará como franco favorito, pela qualidade dos reservas e pela ambição de vários deles de ganhar lugar entre os titulares.

São aos casos, por exemplo, do goleiro Michel Alves, do zagueiro Danny Morais, do lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro, do meia Rosinei e, principalmente, do centroavante Alecsandro.

– Atuando na minha posição, de meia, e não como volante, posso render mais e colocar um ponto de interrogação na cabeça do Tite – disse Rosinei.

– Pelo momento que Taison e Nilmar passam, até nem posso reclamar nada, mas quero mostrar que posso ser titular, sim – afirmou Alecsandro.

E a equipe reserva já provou sua força. Ao receber o bem armado Veranópolis, na primeira rodada do returno, venceu por 4 a 0. Aliás, com dois gols de Alecsandro, o melhor em campo.

Para o Avenida, não há outra saída: ou vence, e entra no G-4 que disputará as quartas-de-finais, ou começa a planejar o segundo semestre.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL X AVENIDA

Local: Estádio do Vale (Novo Hamburgo, RS)
Data/hora: 02/03/2009 – 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Márcio Coruja
Auxiliares: Alexandre Kleiniche e Vilmar Burini

INTERNACIONAL: Michel Alves; Arilton, Danilo, Danny Morais e Marcelo Cordeiro; Glaydson, Paulinho (Maycon), Rosinei e Giuliano; Alecsandro e Walter. Técnico: Tite.

AVENIDA: Fabiano; Teda, Rudi e Rodrigo Dias; Alexandre Bindé, Cristiano, Carlos Eduardo, Sinval e Marciel; Magno e Alexandre. Técnico: Júlio César da Rosa

abril 2, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com reservas, Grêmio enfrenta Caxias

Celso Roth faz tester na equipe já classificada no Campeonato Gaúcho

LANCEPRESS!

O Grêmio tem jogo pela Libertadores na próxima terça-feira, contra o Aurora, no Olímpico. Por isso, no fim-de-semana, utilizará time reserva na quarta-de-final do returno do Gauchão, mesmo sendo essa partida eliminatória. O confronto com o Caxias, nesta quinta-feira, na última rodada da fase classificatória, servirá apenas para entrosar a equipe.

Ao sair da retórica para a prática, o Tricolor confirma que sua prioridade é mesmo a competição sul-americana. Ainda assim, e jogando como visitante no Centenário, em Caxias do Sul, consegue ser favorito. É que o Caxias tem um time muito fraco.

E, afinal, com exceção do volante Júlio César, recém promovido dos juniores, os demais jogadores escalados por Celso Roth já foram titulares ou estão sendo preparados para tal – caso dos atacantes Herrera e Maxi López.

A novidade será a estréia de Fábio Ferreira, ex-zagueiro do Corinthians, que se lesionou na pré-temporada e precisou passar por cirurgia no joelho esquerdo.

A dupla de argentinos atuou na equipe principal, segunda-feira, na vitória de 2 a 0 sobre o São Luiz, e não se destacou. Os dois entraram na onda de desperdiçar chances de gol. Mas foi mais uma etapa na busca da melhor forma física e técnica, disse Roth a respeito de Herrera e Maxi López.

Há expectativa em relação ao rendimento de Douglas Costa. Preterido em rodadas anteriores mesmo quando Roth utilizava reservas, o garoto-revelação de 2008 foi xingado publicamente pelo técnico no treino desta quarta-feira.

Para o Caxias, a situação é de vida ou morte. Colocado em sexto lugar, só ganhará lugar entre os quatro que vão para o mata-mata se derrotar o Tricolor. Por isso, o técnico Argel se sente propenso a uma formação mais ofensiva noFICHA TÉCNICA meio-campo, trocando um dos três volantes por outro meia-armador. Se isso se confirmar, Bruno perderá a posição para Crivellaro.

FICHA TÉCNICA

CAXIAS x GRÊMIO

Estádio: Centenário (Caxias do Sul, RS)
Data-hora: 02/04/2009 – 15,45h (horário de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco
Auxiliares: Paulo Conceição e Cristiano Henning

CAXIAS: Muriel; Daniel, Santin, Vágner Lima e Brida; Bruno (Crivellaro), Mika, Roberto e Guilherme; Júlio Madureira e Marcos Dener. Técnico: Argel.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Fábio Ferreira, Thiego e Héverton; Makelelê, Júlio César, Maylson, Douglas Costa e Jadílson; Herrera e Maxi López. Técnico: Celso Roth.

if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x10’);}
if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x11’);}

abril 2, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Novas críticas do Cruzeiro à FMF

Mudança na data do jogo contra Tupi gera insatisfação na diretoria

Eduardo Maluf quer definir as datas dos Estaduais com antecedência

Eduardo Maluf quer definir as datas dos Estaduais com antecedência (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

A remarcação do segundo jogo das quartas-de-final entre Cruzeiro e Tupi para o domingo, às 16h, em Juiz de Fora, provocou críticas à Federação Mineira de Futebol por parte do clube. A Raposa terá de cumprir o contrato assinado com a televisão detentora dos direitos de transmissão. A multa para a quebra de acordo é de R$ 1 milhão.

– Mesmo entendendo que os direitos de televisão pertencem à Rede Globo, que comprou o campeonato e pagou bem, acho que os clubes têm de participar da programação dos jogos porque, infelizmente, o pessoal da federação que faz essa programação muitas das vezes não sabe defender os clubes. A federação mostrou uma incompetência total. Não vamos polemizar, mas não confiamos mais. Vamos notificar a televisão para que a partir de agora possa pré-definir as datas com antecedência – disse Eduardo Maluf, diretor de futebol da Raposa.

O Cruzeiro irá para Juiz de Fora no domingo de ônibus e retornará logo após o fim da partida com chegada prevista para a meia-noite. O clube não conseguiu fretar voo para a Zona da Mata. Na segunda-feira, a delegação cruzeirense seguirá para
La Plata, na Argentina.

abril 2, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , | Deixe um comentário

Élder Granja bem perto de acerto com o Galo Lateral-direito confirma ao LANCE! que negociações estão bem adiantadas Élder Granja atuou pelo Palmeiras em 2008 Élder Granja atuou pelo Palmeiras em 2008 (Crédito: Tom Dib) LANCEPRESS! A equipe de reportagem do LANCE! conversou na tarde desta quarta-feira com o lateral-direito Élder Granja e o jogador confirmou que as negociações com a diretoria do Atlético-MG estão bem adiantadas. – Estamos conversando sim, está bem adiantado. Agora é aguardar para concretizar. Quem está cuidando disso é Antônio Almeida, empresário. A negociação já vem de alguns dias, mas ainda não tem nada definido – afirmou Élder Granja, de 26 anos. Caso a negociação seja confirmada, Élder Granja será o décimo jogador contratado pelo Galo na temporada. Ele chegará com o aval de Emerson Leão. O treinador pediu a contratação do lateral em outra oportunidade. A pedida salarial, no entanto, foi além do que o Galo poderia pagar. Desta vez, Élder Granja afirmou que, da sua parte, não haverá problemas para acertar com o Galo financeiramente. – Quero jogar e trabalhar. Só estou pensando nisso. Muita gente acabou me colocando em vários clubes sem eu nem saber. Li em alguns lugares que eu pedi um tanto, mas nem cheguei a conversar com ninguém sobre salário. Agora que, realmente, estamos tendo essa conversa com o Atlético-MG e está sendo tudo encaminhado – revelou Élder Granja, que defendeu o Palmeiras na temporada passada. Perguntado sobre o seu condicionamento físico, o jogador garantiu estar bem preparado.

Lateral-direito confirma ao LANCE! que negociações estão bem adiantadas

Élder Granja atuou pelo Palmeiras em 2008

Élder Granja atuou pelo Palmeiras em 2008 (Crédito: Tom Dib)

LANCEPRESS!

A equipe de reportagem do LANCE! conversou na tarde desta quarta-feira com o lateral-direito Élder Granja e o jogador confirmou que as negociações com a diretoria do Atlético-MG estão bem adiantadas.

– Estamos conversando sim, está bem adiantado. Agora é aguardar para concretizar. Quem está cuidando disso é Antônio Almeida, empresário. A negociação já vem de alguns dias, mas ainda não tem nada definido – afirmou Élder Granja, de 26 anos.
Caso a negociação seja confirmada, Élder Granja será o décimo jogador contratado pelo Galo na temporada. Ele chegará com o aval de Emerson Leão. O treinador pediu a contratação do lateral em outra oportunidade. A pedida salarial, no entanto, foi além do que o Galo poderia pagar.

Desta vez, Élder Granja afirmou que, da sua parte, não haverá problemas para acertar com o Galo financeiramente.

– Quero jogar e trabalhar. Só estou pensando nisso. Muita gente acabou me colocando em vários clubes sem eu nem saber. Li em alguns lugares que eu pedi um tanto, mas nem cheguei a conversar com ninguém sobre salário. Agora que, realmente, estamos tendo essa conversa com o Atlético-MG e está sendo tudo encaminhado – revelou Élder Granja, que defendeu o Palmeiras na temporada passada.

Perguntado sobre o seu condicionamento físico, o jogador garantiu estar bem preparado.

abril 2, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , | Deixe um comentário

Sem resistência, Brasil passa fácil pelo Peru

Com dois gols de Luis Fabiano, equipe agora é vice-líder das Eliminatórias

Luis Fabiano comemora: jogador fez dois dois três gols da vitória brasileira sobre o Peru

Luis Fabiano comemora: jogador fez dois dois três gols da vitória brasileira sobre o Peru (Crédito: Efe)

E a Seleção Brasileira voltou a jogar no Brasil sem ser vaiada durante os 90 minutos e deixar o gramado cabisbaixa. Diante da equipe lanterna das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, o time canarinho não decepcionou. Impondo seu jogo, mesmo sem ser brilhante, e não enfrentado qualquer resistência, o time canarinho derrotou o Peru por 2 a 0 nesta quarta-feira, em Porto Alegre (RS) e assumiu a vice-liderança da competição.

Após três empates seguidos por 0 a 0 atuando em território nacional na luta por uma vaga na Copa, os comandados do técnico Dunga voltaram a marcar – o que não acontecia desde novembro de 2007 -, e o “culpado” foi o mesmo: Luis Fabiano, que fez os dois gols da vitória no Beira-Rio, marcou também duas vezes no triunfo por 2 a 1 sobre o Uruguai, no Morumbi, válido ainda pela quarta rodada.

Agora, o Brasil, após 12 jogos nas Eliminatórias, foi a 21 pontos (cinco vitórias, seis empates e uma derrota), e subiu do quarto para o segundo lugar na tabela, podendo alcançar, na próxima jornada dupla, em junho, já que enfrentará o líder Paraguai – 24 pontos. O Chile está na terceira posição, com 20 pontos e a Argentina fica em quarto, com 19. O Peru segue com apenas sete pontos.

O JOGO

Com Kaká no lugar de Ronaldinho Gaúcho e Kleber substituindo o lesionado Marcelo, desfalque de última hora, a Seleção Brasileira iniciou o primeiro tempo tocando a bola com facilidade (bem diferente da postura na partida anterior, contra o Equador) diante a frágil formação adversária – duas linhas de quatro atuando em linha. Com Elano se movimentando bem e com os laterais dando opção, o jogo foi disputado nos 30 minutos iniciais praticamente todo no campo peruano.

E aos 16 minutos, em sua primeira participação efetiva, Kaká foi acionado na grande área e sofreu pênalti de Zambrano. Luis Fabiano fez a cobrança e abriu o placar. Na comemoração, foi para o banco comemorar com o barrado Ronaldinho. Com tranquilidade, os brasileiros mantinham o adversário acuado. Aos 26 minutos, Luis Fabiano recebeu, em posição irregular, lançamento de Felipe Melo. Ele dominou no peito e bateu rasteiro para ampliar a vantagem.

A partir do segundo gol, o Brasil passou a administrar o resultado. Diante falta de resistência do Peru, contudo, o time era atraído para o ataque. E foi isso que se viu no início da etapa final. Mas, sem muita inspiração, pouco se criou. Mais gols somente sairiam em um lampejo. Foi o que aconteceu aos 18 minutos: Felipe Melo ganhou duas divididas no meio-de-campo e deixou sua marca na saída do goleiro Butrón.

E os peruanos somente não saíram sem um jogada ofensiva devido a uma falha de Gilberto Silva, aos 20 minutos. O volante cochilou no círculo central e foi desarmado por Fano, que avançou e arrisco da intermediária, vendo Julio César adiantado. O goleiro, porém, conseguiu tocar na bola, que ainda bateu no travessão. No mais, a torcida se agitou apenas com as entradas dos “filhos” da terra: Alexandre Pato, ex-Internacional, e Ronaldinho Gaúcho, ex-Grêmio.

As Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010 somente voltam a ser disputadas em junho. O Brasil enfrentará, nos dias 7 e 10, respectivamente, o Uruguai (fora) e o Paraguai (em casa), podendo assumir a liderança da disputa. Já o Peru primeiro receberá o Equador e, depois, encara a Colômbia.

FICHA TÉCNICA:
BRASIL 3 X 0 PERU

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RJ)
Data/hora: 1/4/2009 – 22h10 (de Brasília)
Árbitro: Sérgio Pezzotta (ARG)
Auxiliares: Gustavo Esquivel (ARG) e Diego Romero (ARG)
Renda/público: não disponível
Cartões amarelos: Solano e Butrón (PER)

GOLS: Luis Fabiano, 17’/1ºT (1-0); Luis Fabiano, 26’/1°T (2-0); Felipe Melo, 18’/2°T (3-0)

BRASIL: Julio César, Daniel Alves, Lúcio, Luisão (Miranda, 12’/1ºT) e Kleber; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Ronaldinho Gaúcho, 32’/2°T) e Kaká; Robinho (Alexandre Pato, 25’/2°T) e Luis Fabiano. Técnico: Dunga.

PERU: Butrón, Prado, Zambrano, Alberto Rodríguez e Vílchez; Solano (Carlos Fernandez, 24’/2°T), La Rosa, Rainer Torres e Ramírez (Alva, 34’/2°T); García (Sanchez, 17’/2°T) e Fano. Técnico: José Del Solar.

if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x10’);}
if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x11’);}

abril 2, 2009 Posted by | Seleção brasileira. | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Argentina de Maradona paga vexame em La Paz

Hermanos são goleados por 6 a 1 pela Bolívia

Marcelo Moreno comemora o primeiro gol da Bolívia (Crédito: EFE)

Marcelo Moreno comemora o primeiro gol da Bolívia (Crédito: EFE)

LANCEPRESS!

Motivados por uma proposta de uma emissora de televisão boliviana, que ofereceu um prêmio de 11 mil dólares (cerca de R$ 25 mil) para cada gol marcado por sua seleção contra o time comandado por Maradona, a Bolívia não teve piedade e goleou a Argentina por 6 a 1, pela 12ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010.

Esta derrota, na altitude de 3.600m da capital boliviana La Paz, foi a maior goleada sofrida pela Argentina nas Eliminatórias e ainda acabou com a invencibilidade de Maradona no comando da seleção.

Os grandes carrascos do time de Maradona foram os atacantes Botero e Marcelo Moreno, principais artilheiros da competição, com, respectivamente, nove e sete gols. Contra a Argentina, o primeiro balançou a rede três vezes e o segundo, uma vez.

Antes da partida, as duas equipes respeitaram um minuto de silêncio no círculo central em homenagem às vítimas da tragédia na Costa do Marfim, onde 22 torcedores morreram antes de um jogo pelas Eliminatórias, e ao ex-presidente argentino Raúl Alfonsín, que morreu na noite de terça por um câncer no pulmão.

A seleção de Maradona foi pressionada desde o início. Apenas nos primeiros 15 minutos, foram oito finalizações da Bolívia, sendo uma delas no travessão, contra nenhuma da Argentina.

Logo aos 11 minutos, o atacante brasileiro naturalizado boliviano Marcelo Moreno (ex-Cruzeiro) recebeu na área de Botero e não perdoou a defesa argentina: 1 a 0 para a Bolívia.

O empate argentino só veio num vacilo monumental de Arias. Aos 24, Lucho González chutou mal de muito longe, mas o goleiro boliviano aceitou o frango após a bola quicar na sua frente.

Aproveitando o ar rarefeito de sua capital, a seleção boliviana chegava com perigo ao ataque em muitos chutes de fora da área. Aos 30, Alex da Rosa mandou uma bomba da esquerda e Carrizo espalmou com dificuldades.

Dois minutos depois, Zanetti fez o favor de retribuir a falha boliviana no gol argentino: o capitão adiantou demais uma bola dominada dentro da área e acabou cometendo pênalti em Alex da Rosa. Botero cobrou no meio do gol para recolocar os donos da casa em vantagem.

Aos 44 minutos, Arias se redimiu da falha iniciando a jogada do terceiro gol. O goleirom fez uma ótima reposição de bola na ponta direita para Botero, que cruzou para Alex da Rosa. O camisa 10, livre, chutou sem chances para Carrizo.

O domínio boliviano se seguiu no início do segundo tempo, com direito até a olé da torcida. Aos nove, Botero aproveitou de cabeça um cruzamento da direita e marcou o quarto.

Para complicar a vida de Maradona, Di María fez uma falta violenta no meio-de-campo e recebeu o cartão vermelho direto, aos 18. O jogador, que havia acabado de entrar, ficou apenas sete minutos em campo.

Com um jogador a mais em campo, a Bolívia seguiu em ritmo forte. Aos 20, Botero recebeu ótimo lançamento na área e tocou na saída de Carrizo para marcar o seu terceiro gol no jogo.

Ainda deu tempo para o sexto gol, aos 41 minutos. Torrico recebeu um belo passe de calcanhar de Botero e soltou uma bomba rasteira, sem chances para Carrizo.

Com esta derrota, a Argentina segue com 19 pontos e poderá ser ultrapassada pelo Brasil, caso pelo menos empate com o Peru. Já a Bolívia, apesar da vitória histórica, segue na nona colocação, com 12 pontos.

FICHA TÉCNICA:

BOLÍVIA 6 X 1 ARGENTINA

Estádio: Hernando Siles, La Paz (BOL)
Data/hora: 1º/4/2009 – 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Martín Vázquez (URU)
Auxiliares: Pablo Fandiño (URU) e Mauricio Espinoza (URU)

Cartões amarelos: Leonel Reyes, Alex da Rosa, Torrico, Ribeiro (BOL); Papa (ARG).

Cartões vermelhos: Di María, 18’/2ºT (ARG).

GOLS: Marcelo Moreno, 11’/1ºT (1-0); Lucho González, 24’/1ºT (1-1); Botero, 33’/1ºT (2-1); Alex da Rosa, 44’/1ºT (3-1); Botero, 9’/2ºT (4-1); Botero, 20’/2ºT (5-1); Torrico, 41’/2ºT (6-1).

BOLÍVIA: Arias, Ribeiro, Peña, Rivero e Abdón Reyes (Ignácio García, 8’/2ºT); Ronald García (Flores, 33’/2ºT), Leonel Reyes, Torrico e Alex da Rosa (Saucedo, 24’/2ºT); Marcelo Moreno e Botero. Técnico: Erwin Sánchez.

ARGENTINA: Carrizo, Zanetti, Demichelis, Heinze e Papa; Lucho González (Angeleri, 24’/2ºT), Mascherano, Gago e Maxi Rodríguez (Di María, 11’/2ºT); Messi e Tevez (Montenegro, 31’/2ºT). Técnico: Diego Maradona.

abril 2, 2009 Posted by | Futebol Sulamericano | , , , , , | Deixe um comentário