Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vasco vence e está na semifinal da Taça Rio

Após começo sonolento, equipe cruzmaltina deslancha na etapa final

O atacante Elton marcou um dos gols da vitória do Vasco sobre o Volta Redonda

O atacante Elton marcou um dos gols da vitória do Vasco sobre o Volta Redonda (Crédito: Cléber Mendes)

LANCEPRESS!

O Vasco, assim como ocorreu contra o Mesquita na rodada passada, entrou em campo em ritmo lento, saiu atrás no placar, mas de virada venceu. Desta vez, o Cruzmaltino fez mais que o suficiente e bateu o Volta Redonda por 5 a 3 em Volta Redonda (RJ) em jogo válido pela sexta rodada da Taça Rio e se classificou para a fase semifinal do turno.

Com o resultado, o Gigante da Colina foi a 18 pontos no Grupo A, manteve a liderança e não pode mais ser alcançado pelo terceiro colocado, o Madureira (nove pontos). Já o Voltaço permaneceu com sete pontos no Grupo A, está na sexta posição e tem chances reduzidíssimas de chegar à decisão do segundo turno.

O primeiro tempo foi marcado pela casualidade. Logo aos quatro minutos, um chute despretensioso de Robson Luiz desviou no meio do caminho e encontrou Fábio Bala livre na grande área: 1 a 0 para o Volta Redonda. Ao longo da etapa, o Vasco ficou mais tempo com a bola, mas não era incisivo.

Sem objetividade, o Cruzmaltino chegou ao empate aos 14 minutos, em um bonito chute de fora da área do volante Mateus. Em cima, mas sem pressionar, a equipe vascaína conseguiu a virada aos 37 minutos após novo “rebote”: depois de cruzamento da esquerda, Elton raspou de cabeça e a bola sobrou na marca do pênalti para Titi, de primeira, bater forte para o gol.

Ao contrário da inicial, a etapa final começou a todo vapor. Logo aos três minutos Elton se antecipou ao goleiro Edinho e completou cruzamento de Ramon para fazer o terceiro. Aos cinco minutos, porém, foi a vez de Robinho aproveitar cruzamento de Andrezinho e diminuir.

Contudo, Enrico, apagado durante o primeiro tempo, deu o ar da graça com dois gols. Aos seis minutos, ele finalizou boa trama que teve a participação de Ramon e Jeferson. Aos vinte minutos, ele recebeu passe de Elton e, com liberdade, bateu cruzado dentro da grande área.

O Gigante da Colina chegou ao 13º jogo invicto na temporada – perdeu apenas na estreia do Campeonato Carioca, para o Americano, por 2 a 0 – e à oitava vitória consecutiva, sete delas pelo Carioca.

Na próxima rodada do Campeonato Carioca, o Vasco enfrenta o Macaé, na terça-feira, às 21h50, no Maracanã. Já o Volta Redonda, fora de casa, encara a Cabofriense.

FICHA TÉCNICA:
VOLTA REDONDA 3 X 5 VASCO

Estádio: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data/hora: 28/3/2009 – 18h15 (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro (RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Flávio Manoel da Silva (RJ)
Renda/público: R$ 96.170,00 / 6.909 pagantes e 8.909 presentes

Cartões amarelos: Deivdson, Dedé, Bruno Barra, Andrezinho e Fabrício Carvalho (VOL); Jeferson e Amaral (VAS)

GOLS: Fábio Bala, 4’/1ºT (1-0); Mateus, 14’/1ºT (1-1); Titi, 37’/1ºT (1-2); Elton, 3’/2ºT (1-3); Robinho, 5’/2°T (2-3); Enrico, 6’/2ºT (2-4); Enrico, 20’/2ºT (2-5); Dedé, 41/2°T (3-5).

VOLTA REDONDA: Edinho, Deivdson (Bruno Barra, 23’/2ºT), Junior Baiano, Dedé e Andrezinho; Paulinho, Maicon (Leonardo, 20/1ºT), Fabrício Carvalho e Robson Luiz; Fábio Bala (Caio, 22’/2ºT) e Robinho. Técnico: Beltrano.

VASCO: Tiago, Paulo Sérgio, Leonardo, Titi e Ramon; Amaral, Mateus, Enrico (Léo Lima, 23’/2ºT) e Jeferson; Rodrigo Pimpão (Faioli, 15’/2ºT) e Elton (Alan Kardec, 27’/2ºT). Técnico: Dorival Junior.

março 28, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Troco com juros: Flamengo 4 x 0 Resende

Josiel faz mais dois e chega a artilharia do Carioca, com 11 gols. Zé Roberto e Kleberson completaram

Ibson não fez o dele mas teve boa atuação neste sábado

Ibson não fez o dele mas teve boa atuação neste sábado (Crédito: Paulo Sérgio)

No reencontro com o seu carrasco da semifinal da Taça Guanabara, o Flamengo não deu chance para o azar e bateu o Resende na tarde deste domingo, no Engenhão, por 4 a 0. O grande destaque da partida mais uma vez foi o atacante Josiel. O camisa 9 da Gávea anotou dois gols e chegou aos 11 gols, dividindo a artilharia do Campeonato Carioca com Bruno Meneghel, que passou a tarde em branco. Zé Roberto e Kleberson anotaram os outros gols rubro-negros na partida.

Pressão não é transformada em gols

Diferentemente da semifinal da Taça Guanabara, a equipe rubro-negra começou a partida com maior ímpeto ofensivo. Com um volante de ofício apenas em campo, o time comandado pelo técnico Cuca partiu logo para cima. Logo com dois minutos, Ibson cabeceou para uma defesa de Cléber no susto.

O Resende equilbirou a partida, mas o Flamengo continuou tendo as melhores chances. Como aos 18, com Erick Flores, que livre na grande área, chutou para fora.

Mas, ao contrário da semifinal, quem teve um jogador expulso ainda no primeiro tempo foi o Resende. Aos 28, após Erick Flores fazer fila na defesa – com direito até o jogar a bola por baixo das pernas de Bruno Leite -, Márcio Gomes deu uma entrada violenta no apoiador e foi expulso.

Com um jogador a mais, o Rubro-Negro continuou com maior posse de bola, mas sem conseguir concluir a gol. Em vez de chutar, os jogadores do Fla tentavam tabelar até a cara do gol, mas acabavam pecando na hora do passe.

Conforme as jogadas não saíam, os rubro-negros partiam cada vez mais para o ataque, o que deixou a equipe exposta. O Resende assustou duas vezes, aos 40 e 41, em jogadas de velocidade.

O Flamengo, por sua vez, começou a ser mais objetivo. Tanto que, nos minutos finais, foram quatro chances claras de gol: Léo Moura, aos 42; Ibson, aos 43 – as duas com ótimas defesas do goleiro Cléber -; e duas com Juan, nos acréscimos.

Josiel abre a porteira

A objetividade rubro-negra apareceu logo com dois minutos da segunda etapa. Zé Roberto chutou cruzado e Josiel, com seu faro de artilheiro, apareceu na pequena área para concluir de carrinho: Flamengo 1 a 0.

Depois que saiu o primeiro, os jogadores do Flamengo ficaram mais tranquilos e o segundo não demorou para sair. Aos 10, após boa jogada de Everton Silva pela direita, Zé Roberto pegou o rebote do goleiro Cléber e estufou a rede adversária: Flamengo 2 a 0.

E para mostrar para todo mundo que ele não faz só gol de oportunismo, Josiel ampliou a contagem com um belíssimo chute de fora da área, sem chance para o goleiro Cléber: Flamengo 3 a 0, aos 20.

Com a porteira aberta, até Willians quis marcar o dele. Aos 27, o volante acertou, de canhota, uma bomba de fora da área na trave. Se não entrou com a esquerda, ele tentou de direita um minuto depois, mas a bola passou raspando à trave. Depois foi Maxi que teve duas chances e, assim como o camisa 8, ele acertou uma na trave e mandou outra para fora.

Mas foi Kleberson que acertou o pé e fechou o placar com um chute colocado de dentro da área, aos 43: Flamengo 4 a 0.

Com a vitória o Flamengo deu mais um passo para a classificação para a semifinal da Taça Rio. A equipe rubro-negra chegou aos 13 pontos no Grupo B, aumentando a chance de garantir a vaga. Já o Resende permaneceu com sete pontos no Grupo A e não tem mais chance de repetir o feito do primeiro turno, quando passou para a próxima fase.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 4 x 0 RESENDE

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/3/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: William de Souza Nery (RJ)
Renda/público: R$ 219.600,00 / 10.298 pag.
Cartões amarelos: Zé Roberto, Ibson (FLA); Souza e Viola (RES)
Cartões vermelhos: Márcio Gomes, aos 28’/1ºT (RES)

GOLS: Josiel, 2’/2ºT (1-0); Zé Roberto, 10’/2ºT (2-0); Josiel, 20’/2ºT (3-0); e Kleberson, 43’/2ºT (4-0).

FLAMENGO: Bruno, Everton Silva, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Ibson (Kleberson, 29’/2ºT), Léo Moura e Erick Flores (Maxi, 26’/2ºT); Zé Roberto (Jônatas, 16’/2ºT) e Josiel. Técnico: Cuca.

RESENDE: Cléber, Bruno Leite (Hiroshi, 22’/2ºT), Breno, Naílton e Marquinhos; Márcio Gomes, Fred, Léo (Souza, 30’/2ºT)e Bruno Reis; Bruno Meneghel e Viola (Taércio, 11’/2ºT). Técnico: Antonio Carlos Roy.

março 28, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Invicto, Timão empata sem gols com Bugre

Felipe tem boa atuação, mas Timão perde a segunda colocação

Ronaldo tenta chute, mas não consegue repetir aproveitamento dos últimos jogos (Foto: Ari Ferreira)

Ronaldo tenta chute, mas não consegue repetir aproveitamento dos últimos jogos (Foto: Ari Ferreira)

LANCEPRESS!

A invencibilidade foi mantida, mas a segunda colocação escapou das mãos do Corinthians, que empatou sem gols no jogo contra o Guarani, em Campinas. O time alvinegro, que ficou na igualdade pelo segundo jogo seguido, sofreu com a forte marcação do Bugre, que pressionou durante os 90 minutos.

De bom? Para o Corinthians apenas a invencibilidade que se manteve e agora o Timãoé o único clube do Paulistão que se mantém sem derrotas na competição. Já para o Guarani, o empate sem gols deixou o time na lanterna da competição. Faltando dois jogos para o fim do Estadual, o time de Campinas deve voltar à Série A2 em 2010.

A proposta do Guarani foi clara logo na escalção do time: apenas um zagueiro e seis jogadores no meio-de-campo. Talvez por isso, o Corinthians tenha demorado tanto para conseguir encaixar suas primeiras jogadas no setor ofensivo.

O lance que gerou maior perigo foi aos 17 minutos da etapa inicial, quando Souza e Ronaldo trocaram passes no ataque. O camisa 50 por sinal, mostrou-se bastante empenhado em fazer uma dupla com o R9 e durante o primeiro tempo tentou diversas tabelas de perigo. Mas só empenho não adianta e o jogador não deixou saudades quando saiu de campo aos 30 minutos do segundo tempo para a entrada de Marcelinho.

Mesmo com a retranca armada, o Guarani conseguiu jogadas de perigo principalmente nos minutos iniciais do jogo. Chutes de fora foram as grandes armas do Bugre, que por falta de qualidade técnica não conseguiu concluir na meta corintiana.

O segundo tempo não contou com muitas mudanças, apesar das tentativas dos dois técnicos. O Corinthians não conseguia furar a marcação forte e cerrada do Guarani. Já o adversário de Campinas sufocou a defesa do Timão, que acabou ficando apenas com grandes ameaças no setor ofensivo.

No último lance do jogo, o Bugre ainda teve chance de marcar quando Diego atrasou mal e Felipe teve que dividir Cléverson para salvar o gol. A bola ainda sobrou para Fernando Gaúcho, que mesmo sem goleiro bateu na zaga corintiana.

Os dois times ainda reclamaram das atuações dos dois assistentes Carlos Alberto Funari e Mauricio Helder Luiz Alexandrino que marcaram impedimentos de Ronaldo, do Corinthians e Fernando Gaúcho, ambos mal assinalados.

Na próxima rodada, penúltima desta primeira fase de classificação do Campeonato Paulista, o Corinthians enfrentará o Ituano, em casa, na terça-feira, às 21h50. Já o Guarani, recebe no mesmo dia o Mirassol, às 19h30.
FICHA TÉCNICA:
GUARANI 0 X 0 CORINTHIANS

Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data/hora: 28/3/2009 – 21h10 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Roberto dos Santos Jr. (SP)
Auxiliares: Carlos Alberto Funari (SP) e Mauricio Helder Luiz Alexandrino (SP)
Renda/Público: 14.110 pagantes
Cartões amarelos: Andrezinho, Maurício (GUA); Alessandro, Fabinho e Saci (COR)
GOLS:

GUARANI: Douglas, Maurício, Cássio e Walter; Maranhão (Fabinho Romão 46′/2ºT) , Glauber, Rincón, Mário Cesar (Fabinho 44′/2ºT), Danilo Rios (Cleverson, 35′/2ºT) e Andrezinho; Fernando Gaúcho. Técnico: Cidinho.

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, Diego e André Santos; Fabinho, Elias, Boquita (Tulio, 22/2ºT) e Douglas (Saci, intervalo); Souza (Marcelinho, 30′/2ºT) e Ronaldo. Técnico Mano Menezes.

março 28, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sampa acaba com invencibilidade do Verdão

Tricolor passa o Corinthians na tabela e se aproxima da classificação

Washington deixa o seu e supera Keirrison no clássico

Washington deixa o seu e supera Keirrison no clássico (Crédito: Lancepress!)

No ano passado, São Paulo e Palmeiras protagonizaram clássicos emocionantes. No entanto, toda esta euforia em torno do Choque-Rei parece ter ficado lá em 2008. Quem acompanhou a vitória são-paulina neste sábado à tarde por 1 a 0, no Morumbi, ficou com a sensação de que faltou algo.

E de fato faltou. Faltou torcida no Morumbi, apenas 18.289 pagantes. Faltou também ânimo ao Palmeiras, um time classificado e pensando na Libertadores, onde jogará a vida diante do Sport.

Do lado do São Paulo faltou futebol. Um pouco mais de ousadia para sufocar o rival. Quando fez isso por dois minutos, o Tricolor conseguiu seu único gol na partida. Logo aos dois minutos de jogo, Washigton completou de cabeça cruzamento de Hernanes e deixou sua marca.

O gol que poderia dar um gás à partida, não deu. Novamente faltou algo. Alternativas para os treinadores mudarem o panorama do clássico. Luxemburgo fez as três alterações que podia, Muricy apenas duas.

No fim da partida, Cleiton Xavier acertou a trave de Rogério Ceni e Keirrison não completou no rebote. O único lance que levantou ambas as torcidas em todo o segundo tempo.

De bom, para o São Paulo, uma posição acima na tabela. Agora o Sampa é o segundo colocado (O Corinthians ainda não jogou na rodada). De ruim, para o Palmeiras, a perda de uma invencibilidade de 19 partidas sem perder no Paulistão. Com isso, o Verdão não disputa mais a Taça dos Invictos. No momento, apenas o Timão poderá bater o próprio São Paulo. o Corinthians está há 16 jogos sem perder. O Tricolor ficou 20 na temporada 2006/2007.

O São Paulo volta a campo somente na quinta-feira diante do Guaratinguetá, no Morumbi. Já o Palmeiras pega o Oeste, na terça-feira, fora de casa.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), em São Paulo (SP)
Data/Hora: 28/03/09, às 16h10
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Everson Luiz Luquesi Soares
Renda/público: R$ 579.700,00 / 18.289 pagantes
Cartões amarelos: André Dias, Júnior César, Dagoberto, Jorge Wagner (SAO); Cleiton Xavier, Marquinhos (PAL)
GOLS: Washington, 2’/1ºT (1-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Zé Luis, André Dias, Rodrigo e Júnior César; Arouca (RenatoSilva, 25’/2T), Jean, Hernanes e Jorge Wagner; Dagoberto (Hugo, 25’/2T) e Washington – Técnico: Muricy Ramalho.

PALMEIRAS: Marcos; Sandro Silva, Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Jumar, Pierre, Cleiton Xavier e Marquinhos (Ortigoza, intervalo); Willians (Evandro, intervalo) e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

março 28, 2009 Posted by | Palmeiras, São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fluzão de Parreira bate o Fogão de virada no Maracanã

Tricolor faz 2 a 1, gols de Alan e Conca, segue 100% e, agora, classificado na Taça Rio

Edcarlos tenta roubar a bola de Maicosuel no disputado clássico no Maracanã

Edcarlos tenta roubar a bola de Maicosuel no disputado clássico no Maracanã (Crédito: Paulo Sérgio)

No duelo entre Parreira e Ney Franco, no fim quem levou a melhor foi o tetracampeão mundial. De virada e em dois tempos bem distintos, o Fluminense destruiu a sequência de seis jogos sem vencer o Fogão e saiu contente nos embalos deste sábado à noite, com os 2 a 1, no Maracanã. Os gols foram de Alan e Conca. Maicosuel, de pênalti, abriu o placar. De quebra, o Tricolor ainda garantiu a classificação para a semifinal.

O retrato de como deveria ser o clássico surgiu em uma espécie de cartão de visitas de Léo Silva, que trombou com violência em Maurício e foi premiado com o cartão amarelo. Em seguida, Thiago Neves, principal articular do Flu, levou vantagem sobre a marcação e arriscou de longe, para boa defesa de Renan.

O panorama, como esperado e descrito acima, era o mesmo da semifinal da Taça Guanabara, com o Tricolor em busca de uma pressão, e o Fogão defendendo-se com o ferrolho de três zagueiros e três volantes montado por Ney Franco. O detalhe diferencial era que o encaixe alvinegro não era o mesmo, e o time dirigido por Parreira trocava passes com mais facilidade.

Na frente, o Botafogo também não era efetivo, somente por meio de Maicosuel, em oportunidade clara, teve a única chance de marcar. No mais, o camisa 10 recebia as bolas sempre muito vigiado e, com a falta de outros armadores, o Alvinegro se via sem meio-de-campo para jogar. Por essa razão, até, o Fluminense era melhor.

Incomodado com o desempenho de sua, digamos, nova antiga formação, Ney tratou de agir. No intervalo, fez o que já poderia ter feito desde o início. Lançou o atacante Diego na vaga de Wellington, sem ritmo pelas três semanas parado, recuou Maicosuel, que imediatamente passou a ter mais a bola no pé, e, ainda, promoveu Gabriel no lugar do volante Léo Silva.

Muito mais solto, o Botafogo partiu para cima e assumiu o controle do jogo, invertendo a cena da primeira etapa, com o meio povoado por Thiaguinho e ambas as laterais com renovada vitalidade. A presença de Diego, embora desajeitado, serviu para dar liberdade a Maicosuel.

Então, foi a vez de Parreira tentar algo para trazer a partida para o lado tricolor outra vez, pois à essa altura a bola mal chegava a seu ataque. A alternativa escolhida foi chamar Maicon e Alan para as vagas de Everton Santos e Roger. Nem deu tempo, porém, de ambos pegarem na bola.

Esperto, Maicosuel dividiu com Leandro e sofreu pênalti. A cobrança, para lá de polêmica, teve direito a longa paradinha. Na sequência, empolgado com a vantagem, o Botafogo tentou encurralar o rival, que, assustado, teve Edcarlos corretamente expulso.

Quando acreditava-se que a história se repetiria e o resultado seria mais um 1 a 0 a favor do clube de General Severiano, Alan acertou ótimo chute no cantinho esquerdo de Renan e empatou, aos 34.

Mas se a igualdade, que animou os torcedores do Flu, maioria no Maracanã, parecia dar a confiança suficiente para que o jogo virasse, o que aconteceu foi justamente o contrário. Agora, sim, aproveitando-se da vantagem numérica em campo, o Alvinegro seguiu ciscando ao redor da área tricolor, sem, no entanto, criatividade para invadi-la.

Até que, depois de uma falta muito contestada pelos botafoguenses, em bola rebatida na área, Conca decidiu para o Fluminense, já aos 45, num chute de dentro da área, que desviou em Fahel. No fim, Alessandro ainda foi expulso por chutar Fabinho, caído.

Na próxima rodada, já certo na semifinal da Taça Rio, o Fluminense encara o Boavista, também no Maracanã, enquanto o Botafogo, lutando pela vaga, recebe o Madureira no Engenhão.
FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 2 X 1 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/3/2009 – 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Vinícius da Vitória Nascimento (RJ)
Renda/público: R$ 370.025,50 / 24.216 pagantes
Cartões amarelos: Ed Carlos, Jailton (FLU); Léo Silva, Emerson, Juninho, Maicosuel e Thiaguinho (BOT)
Cartões vermelhos: Ed Carlos, 30’/2ºT (FLU), Alessandro, 49’/2ºT (BOT)
GOLS: Maicosuel 26’/2ºT (0-1), Alan 34’/2ºT (1-1) e Conca, 45’/2ºT (2-1)

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Mariano, Edcarlos, Luiz Alberto e Leandro; Jaílton, Maurício (Fabinho, 19’/2ºT), Conca e Thiago Neves; Everton Santos (Maicon, 23/2ºT) e Roger (Alan, 23/2ºT) – Técnico: Carlos Alberto Parreira.

BOTAFOGO: Renan, Emerson, Juninho e Wellington (Diego, intervalo); Alessandro, Leandro Guerreiro, Fahel, Léo Silva (Gabriel, intervalo) e Thiaguinho; Maicosuel e Reinaldo. Técnico: Ney Franco.

março 28, 2009 Posted by | Botafogo, Fluminense | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos empata e pode se complicar no Paulista

Em partida parelha, nem Neymar conseguiu furar a zaga do Barueri

Kléber Pereira tenta furar o bloqueio do Barueri no empate deste sábado (Foto: Eduardo Viana)

Kléber Pereira tenta furar o bloqueio do Barueri no empate deste sábado (Foto: Eduardo Viana)

LANCEPRESS!

Dessa vez nem Neymar conseguiu dar a vitória ao Santos que saiu apenas com um empate sem gols com o Barueri, na casa do adversário. A velocidade e rapidez dos jogadores ofensivos do Peixe não conseguiram embalar no gramado ruim e molhado da Arena Barueri.

Mesmo depois de perceber que a boa oportunidade seria através de chutes para surpreender o rival, a equipe santista não conseguiu o resultado positivo. E agora? O Peixe se mantém na briga pela quarta colocação do Campeonato Paulista e terá na penúltima rodada do Estadual a chance de passar de fase já que terá o confronto direto com a Portuguesa, atualmente na quinta colocação, empatada em número de pontos com o Santos, mas que ainda entra em campo neste domingo contra o Marília.

O ínicio do primeiro tempo contou com muita vontade do Barueri e mais movimentação do Santos, que se aproveitou da equipe leve e técnica para chegar com mais perigo ao gol do adversário. Foi dessa forma que Neymar conseguiu uma bela falta a favor do Peixe e saiu o gol santista, mas foi anulado pelo bandeirinha que assinalou Fabiano Eller impedido, mesmo não estando na saída da cobrança, já que quem originou o segundo lance foi o próprio jogador do Barueri.

O Barueri também teve um lance duvidoso, Fernandinho sofreu pênalti, mas o juiz Rodrigo Guarizo não marcou e ainda deu um cartão amarelo para o atleta, indicando que ele teria induzido a marcação da penalidade.

Nenhuma das equipes saíram satisfeitas. E os jogadores de ambos os times reclamaram do campo molhado e da dificuldade em chegar à meta adversária.

– O time está bem mais precisa chutar mais ao gol para surpreender o goleiro já que o campo está molhado – advertiu Madson após o término da primeira etapa de jogo.

Assim como já vem se tornando uma rotina nos jogos do Santos, o segundo tempo contou com a melhora do Santos que teve o domínio dos ataques na partida. Mesmo assim o técnico Vagner Mancini não gostou do elenco e tentou movimentar mais o time colocando primeiramente pará pela direita, já que Luizinho pouco subiu ao ataque. Depois foi a vez de sacar o Kléber Pereira, que muito bem marcado, não ajudou o setor ofensivo santista. Por último foi vez do comandante santista ouvir os pedidos da torcida: Molina, que substituiu o garoto Paulo Henrique.

A pressão adiantou mas o resultado não saiu e quem saiu perdendo foi o Santos que batalhou pela vitória para chegar ao G4 do Paulistão. Agora o Peixe torcerá por um tropeço da Portuguesa e tentará definir na próxima rodada contra a Lusa, a vaga para a fase seguinte da competição. O próximo encontro do Santos será na quinta-feira, na Vila Belmiro, às 15h45, contra a Portuguesa. Já o Barueri visita o Santo André, às 21h30, também na quinta-feira.
FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO BARUERI 0 X 0 SANTOS

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 28/03/2009 – 16h10 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral
Auxiliares: Rafael Luiz da Silva e David Botelho Barbosa
Renda/público: não divulgado
Cartões amarelos: Fernandinho, Esley, Leanderson e Everton (BAR) ; Roni (SAN)

GRÊMIO BARUERI
: Renê; Leanderson, Daniel Marques, Leandro Castan e Márcio Careca; Ralf, Esley (Basílio aos 15’/2ºT), Everton (Júnior aos 37’/2ºT) e Thiago Humberto; Fernandinho e Pedrão (Luís aos 14’/2ºT). Técnico: Estevam Soares.

SANTOS: Fabio Costa; Luizinho (Pará aos 19’/2ºT), Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Paulo Henrique (Molina aos 27’/2ºT) e Madson; Neymar e Kléber Pereira (Roni aos 24’/2ºT). Técnico: Vagner Mancini.

março 28, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence o Tupi com dificuldade

Raposa consegue furar o bloqueio do Galo Carijó debaixo de muita chuva

Kléber lutou muito, mas sofreu com a marcação do Tupi

Kléber lutou muito, mas sofreu com a marcação do Tupi (Crédito: VIPCOMM)

LANCEPRESS!

O Cruzeiro lutou e conseguiu furar a retranca do Tupi, na tarde deste sábado, no Mineirão e venceu a equipe de juiz de Fora por 1 a 0. A chuva não parou nem por um minuto e atrapalhou muito o toque de bola das equipes.

O Cruzeiro começou pressionando e o Tupi manteve a mesma postura da partida no primeiro turno e se manteve fechada, esperando a Raposa. O time de Juiz de Fora abusou das faltas, principalmente em Kléber.

Explorando as cobranças de falta, surgiu a primeira chance do Cruzeiro na partida. Bernardo soltou a bomba de muito longe e o goleiro Gonçalves não segurou, a bola sobrou para Kléber que driblou o goleiro, mas Reginaldo salvou em cima da linha.

Ramires ainda acertaria o travessão do Tupi, aos 21, no primeiro lance em que tocou na bola.

No segundo tempo o Cruzeiro voltou com Wellington Paulista na vaga de Soares e pouca coisa mudou. Mas aos 15 minutos da fase final Kléber colocou a bola na cabeça de Marquinhos Paraná, que mandou a bola para o fundo das redes.

O placar foi suficiente para que o Cruzeiro ficasse satisfeito e passasse a tocar a bola. O Tupi também preferiu não se arriscar e o resultado seguiu o mesmo até o fim.

Agora o Cruzeiro tem a vantagem de poder perder até por 1 a 0 na partida de volta, no estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 TUPI

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 28/03/2009 às 16h10min
Árbitro:A: Paulo César de Oliveira (SP)
Auxialiares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Maria Eliza Barbosa (SP)

Público e renda: 9.882 R$141.137
Gol: Marquinhos Paraná aos 15’/2ºT (1-0)
Cartões amarelos: Bruno Ramos, Daniel, Léo Salino e Marcelo (TUP) Gerson Magrão e Leonardo Silva (CRU)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Jancarlos, aos 28’/2ºT), Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gérson Magrão; Fabrício, Marquinhos Paraná, Ramires e Bernardo (Henrique, aos 38’/2ºT); Kléber e Soares (Wellington Paulista, no intervalo). Técnico: Adilson Batista.

TUPI: Gonçalves, Serginho, Reginaldo, Rodrigão e Michel; Bruno Ramos, Marcel, Léo Salino e Hugo; Daniel (Noel, aos 19’/2ºT) e Ademilson (Márcio Carioca, aos 40’/2ºT). Técnico: Leonardo Condé.

março 28, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Galo vence Uberaba e fica perto de avançar

Atlético-MG pode perder por um gol de diferença no Mineirão

Éder Luis marcou o gol que garantiu a vitória do Atlético-MG sobre o Uberaba

Éder Luis marcou o gol que garantiu a vitória do Atlético-MG sobre o Uberaba (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

Mesmo atuando no estádio Uberabão, no Triângulo Mineiro, o Atlético-MG não tomou conhecimento do Uberaba e venceu os anfitriões por 1 a 0, gol de Éder Luis. Foi a primeira partida do confronto pelas quartas-de-final do Mineiro. Agora, o Zebu precisa vencer o Galo por pelo menos dois gols de diferença no jogo da volta se quiser seguir na competição. A segunda partida acontecerá no dia 8 de abril, no Mineirão, em Belo Horizonte.

A partida no Triângulo não foi das melhores. No primeiro tempo as duas equipes pouco criaram, o que deixou o jogo monótono. Durante os primeiros 45 minutos, apenas duas oportunidades de gol, uma para cada lado. Aos 15 minutos, Renan Oliveira iniciou contragolpe e passou para Diego Tardelli. O artilheiro tocou e Lailson defendeu, dando rebote. Na sequência, Ivonaldo afastou o perigo. O Galo ainda perdeu Renan Oliveira cedo, aos 19 minutos, quando deixou o campo machucado, dando lugar à Lopes.

Pelo lado do Uberaba, o atacante Danilo foi quem levou mais perigo ao gol defendido por Juninho. A partir da metade da segunda etapa, o Zebu passou a gostar do jogo. Em menos de cinco minutos, Juninho fez duas boas defesas, em chutes de Danilo, e impediu que o time da casa abrisse o placar. Jà no fim do primeiro tempo, as equipes pouco produziram e foram para os vestiários com o zero no placar.

No entanto, na segunda etapa, o Galo voltou decidido a buscar a vitória. O técnico Emerson Leão mandou Trípodi à campo, no lugar do jovem Kléber, para fazer companhia a Tardelli e Éder Luís. O Uberaba, por sua vez, mesmo jogando em casa, apostava nos contra-ataques.

A mudança de Leão surtiu efeito, e o time atleticano voltou disposto a sair de Uberaba com os três pontos. O time alvinegro passou a tocar mais a bola, com rapidez, e as tabelas começaram a sair, envolvendo o time uberabense. Aos seis minutos, o resultado: 1 a 0 Galo. Éder Luis recebeu passe de Trípodi e bateu cruzado, sem chances para Laílson. A partir daí, o time comandado por Emerson Leão passou a cadenciar o jogo, explorando mais os contra-ataques.

Já a equipe do Uberaba, acusou o golpe. Em desvantagem, o técnico Pedrinho Rocha mexeu na equipe, na tentativa de buscar o empate. As mudanças quase deram resultado. Aos oito minutos, Ivonaldo assustou o Atlético quando chutou, com perigo, para fora. Contudo, o jogo ficou mais equilibrado e truncado. As duas equipes passaram a erras mais e as faltas se tornaram mais frequentes, o que interrompia em demasia a continuidade da partida. Esse foi o cenário do jogo até o pouco antes do fim, quando Diego Tardelli, em jogo individual, assustou o gol defendido por Laílson.

FICHA TÉCNICA:
UBERABA 0 X 1 ATLÉTICO-MG

Data/hora: 28/03/2009, às 16h10
Estádio: Uberabão, em Uberaba (MG)
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago e Jair Albano Félix
Renda/Público: Não divulgados
Cartões amarelos: Rogério (UBE); Marcos, Júnior e Éder Luis (ATL)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Éder Luis, aos 6’/2ºT

UBERABA: Lailson, Ivonaldo, Glauco, Rogério e Jackson (Michelzinho, 22’/2ºT); Balduíno, Gabriel, Maurício (Tiago Emílio, 14’/2ºT), Michel Curi e Biro Gomes (Neto, 38’/2ºT); Danilo. Técnico: Pedrinho Rocha.

ATLÉTICO-MG: Juninho, Werley, Marcos, Leandro Almeida e Júnior; Renan, Carlos Alberto e Renan Oliveira (Lopes, 19’/1ºT depois Rafael Miranda, 29’/2ºT); Éder Luis, Kléber (Trípodi, Intervalo) e Diego Tardelli. Técnico: Emerson Leão.

março 28, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , , | Deixe um comentário

Renan Oliveira quer evoluir mais no Galo

O jovem meia é uma das opções de Leão contra o Uberaba

Renan Oliveira disputou três partidas em 2009 pelo Galo

Renan Oliveira disputou três partidas em 2009 pelo Galo (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

Sem ainda conseguir repetir o bom futebol que apresentou na temporada passada, Renan Oliveira quer reencontrar o melhor momento o mais rapidamente possível. Titular nas duas últimas partidas do Atlético-MG, o garoto espera evoluir para alcançar os demais companheiros. Renan voltou contundido da Seleção Brasileira sub-20 e disputou apenas três partidas em 2009.

– Vou procurar a cada jogo evoluir para chegar ao nível dos outros jogadores, que já estão jogando há mais tempo. Então, vou me dedicar ao máximo para que o entrosamento possa vir rapidamente. Nos próximos jogos estarei em melhores condições do que nos últimos – afirmou.

Sobre a partida deste sábado, Renan garante que será um grande desafio para o Alvinegro.

– Vamos continuar nos preparando para partir para cima do Uberaba. Tentaremos um bom resultado, conquistar a vitória e dar um passo importante para a nossa classificação, mas não será fácil – disse.

março 28, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , | Deixe um comentário