Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Apagado, Timão vacila e empata em casa

Ronaldo marca dois, mas defesa falha duas vezes e Palmeiras se distancia na liderança do Paulistão

Ronaldo comemora um dos golsRonaldo comemora um dos gols

Ronaldo marcou duas vezes, mas o empate por 2 a 2 contra a Ponte Preta impediu que a torcida fizesse festa na noite de quarta-feira, no Pacaembu. Discreto em campo, o Corinthians falhou duas vezes na defesa e permitiu a igualdade no placar, que deixa o Timão longe do líder Palmeiras.

Pouca torcida na noite fria de São Paulo, para ver o jogo também frio no começo. O Corinthians devagar se refletia na apatia de Douglas e dos alas Alessandro e Wellington Saci. Já Ronaldo estava bem marcado e pode fazer pouco no início.

O Timão levava perigo nos chutes de longa distância e cobranças de falta com Chicão e Cristian, mas foi aos 32 minutos que o jogo esquentou. O Corinthians fez mal linha de impedimento e deixou Leandrinho livre, que deu um belo toque de cobertura sobre Felipe, para abrir o placar.

A partir daí o time da casa pressionou e teve ajuda do árbitro, que marcou pênalti inexistente sobre Ronaldo. Ele mesmo bateu no meio do gol e empatou o jogo. Mais do que isso, deu vida nova ao time, que viu Dentinho quase virar instantes depois.

Só que a Ponte voltou melhor para a segunda etapa e Márcio Mixirica e Leandrinho tiveram condições de fazer, mas a defesa foi bem. O Corinthians voltou a dominar a partida com a expulsão de Edilson, que chutou Wellington Saci e levou o segundo cartão amarelo.

Se o primeiro gol foi polêmico, o segundo foi fenomenal. Ronaldo recebeu de costas, limpou o marcador, e, ao seu estilo, cortou e chutou para marcar seu segundo gol.

A partir daí o Timão passou a administrar o placar, mas era perigoso sempre que atacava. A Ponte, com um a menos, tinha pouca força para pressionar. Até que no jogo aéreo, O baixinho Boquita tentou marcar o alto zagueiro Gum, que ganhou de cabeça e empurrou para a rede.

O Corinthians tirou um zagueiro e foi com tudo para o ataque, mas não conseguiu evitar a igualdade no placar e quase levou a virada em contra-ataques.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 2 PONTE PRETA

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 24/03/2009, às 21h50
Árbitro: Robinsn José Andréa de Góes (SP)
Assistentes: Cláudio Roberto da Costa (SP) e Fábio Rogerio Baesteiro (SP)
Cartões amarelos: Cristian (Corinthians); Wiliam, Gum e Jean (Ponte Preta)
Cartões vermelhos: Edílson (Ponte Preta)
Gols: Leandrinho, 32’/1ºT (0-1), Ronaldo, 36’/1ºT (1-1), Ronaldo, 13’/2ºT (2-1), Gum, 31’/2ºT (2-2)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, Diego (Souza, 40’/2ºT) e Wellington Saci; Cristian, Elias, Boquita e Douglas (Otacílio Neto, 10’/2ºT); Dentinho (Lulinha, 22’/2ºT) e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes.

PONTE PRETA: Aranha, Edílson, Gum, Jean e Alessandro; Deda, Guilherme, Wiliam e Dener (Tinga, 11’/2ºT); Leandrinho (Bia, 37’/2ºT) e Marcio Mixirica (Gustavo Savóia, 47’/2ºT). Técnico: Marco Aurélio.

março 26, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco, no sufoco, bate Mesquita e segue 100%

Equipe cruzmaltina joga mal, mas vence e rival segue como lanterna

Vasco comemora: gol de Jeferson no fim dá vitória ao time em São JanuárioVasco comemora: gol de Jeferson no fim dá vitória ao time em São Januário (Crédito: Gilvan de Souza)

LANCEPRESS!

Em um jogo em que tinha tudo para passar sem problemas pela quinta rodada da Taça Rio, o Vasco teve uma atuação ruim, especialmente no primeiro tempo, mas se recuperou no segundo e, no final, manteve-se 100% no turno com uma vitória por 2 a 1 sobre o Mesquita, lanterna na classificação geral do Campeonato Carioca, com oito pontos.

Com o resultado, o Cruzmaltino foi 15 pontos no Grupo A e manteve-se líder, a frente do Fluminense pelo saldo de gols, e alcançou o 12º jogo de invencibilidade. Já o seu oponente segue sem pontuar no segundo turno e está em último lugar no Grupo B.

O primeiro tempo do Vasco foi preguiçoso. Sem Titi, Ramon e Carlos Alberto, suspensos, a equipe não teve saída de bola pelas laterais nem criatividade no meio-de-campo. Paulo Sérgio e Edu não chegaram ao ataque e Léo Lima, responsável por dar mobilidade ao time, teve atuação quase apagada.

No esquema 3-6-1, o Mesquita, seguro na defesa e se aproveitando da falta de combatividade vascaína, foi melhor, produziu oportunidades, especialmente com o meia Fabrício, e abriu o placar aos 37 minutos, com Éderson, livre na pequena área, completando de cabeça cruzamento de Alex.

Sem força ofensiva – a melhor chance foi um chute na trave de Jéferson -, o Cruzmaltino achou o empate. Após cobrança de falta pela esquerda, André puxou e rasgou a camisa do zagueiro Fernando na área. Aos 44 minutos, Léo Lima apareceu no jogo: ele cobrou e converteu o pênalti.

Para o segundo tempo, o Vasco voltou com Fagner e Enrico na equipe e com ímpeto. O time de São Januário fez uma blitz que deixou o oponente acuado, mas Rodrigo Pimpão desperdiçou boas chances de marcar. Aos 17 minutos, o meia Fabrício deu um carrinho por trás em Nilton e foi expulso.

Com um a mais em campo, o técnico Dorival Júnior foi para cima e colocou o atacante Alan Kardec em lugar do zagueiro Gian – e assim, os três atletas que substituiram os expulsos contra o Flamengo acabaram sacados -, recuando Amaral para a zaga. A melhor chance foi de Elton, que completou de voleio cruzamento de Jéferson e o goleiro Fernando espalmou.

Porém, aos 41 minutos, Rodrigo Pimpão faz bonita jogada pela esquerda do ataque, entra na área e, após bate-rebate, a bola sobra na meia-lua para Jeferson, que bate no ângulo. E aos 46 minutos, Elton, com paradinha e tudo, ainda perdeu pênalti.

Na próxima rodada do Campeonato Carioca, o Vasco enfrenta o Volta Redonda, no sábado, às 18h15, em Volta Redonda (RJ). Já o Mesquita, no mesmo dia, mas às 16h, recebe, na cidade de Mesquita (RJ), o Tigres do Brasil.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 2 X 1 MESQUITA

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 25/3/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (RJ)
Auxiliares: Wendel de Paiva Gouvêa (RJ) e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (RJ)
Renda/público: R$ 37.615,00 / 2.907 pagantes
Cartões amarelos: Fernando, Fagner e Nilton (VAS); André e Fernando (MES)
Cartões vermelhos: Fabrício, 17’/2ºT (MES)

GOLS: Éderson, 37’/1ºT (0-1); Léo Lima, 44’/1ºT (1-1); Jeferson, 41’/2ºT.

VASCO: Tiago, Paulo Sérgio, Fernando, Gian (Alan Kardec, 20’/2ºT) e Edu (Fagner, intervalo); Amaral, Nilton, Jeferson e Léo Lima (Enrico, intervalo); Rodrigo Pimpão e Elton. Técnico: Dorival Júnior.

MESQUITA: Fernando, João Filipe, Vinícius (Alan Kardec, 37’/2ºT) e Alemão; Cleiton, Haroldo, André, Yves (Maricá, 10’/2ºT), Fabrício e Alex Bráz; Ederson (João Moreno, 10’/2ºT). Técnico: Rubens Filho.

março 26, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo vence fora e se garante no G4

Em terceiro lugar, Tricolor abriu três pontos do quinto colocado, o Santos

São Paulo suou, mas, com gols de Washington e Jorge Wagner vencer. (Foto: Ari Ferreira)São Paulo suou, mas, com gols de Washington e Jorge Wagner vencer. (Foto: Ari Ferreira)

O São Paulo venceu o Noroeste fora de casa por 2 a 1, com gols de Washington e Jorge Wagner e se garantiu na terceira posição do Campeonato Paulista, com 33 pontos, três a mais que o quinto colocado Santos. Faltando três rodadas para o final da primeira fase, o Tricolor tem boas chances de se classificar. O Noroeste, em 18º, está muito perto de cair para a segundona.

São Paulo e Noroeste proporcionaram uma primeira etapa equilibrada. As duas equipes começaram ameaçando, mas aos poucos o ritmo da partida caiu. Borges, para o Tricolor, e Marinho, para o Norusca, quase marcaram de cabeça logo no começo, mas por pouco não tiveram sucesso.

O camisa 17 do São Paulo teve outra oportunidade, desta vez pelo chão. Ele entrou na área e bateu forte, obrigando Vizzotto a realizar uma ótima defesa com os pés. O goleiro do Noroeste ainda conseguiu defender um chute de fora da área de Hernanes e segurou o 0 a 0 no primeiro tempo.

As equipes voltaram sem mudanças para a segunda etapa. O são Paulo, contudo, conseguiu impor um ritmo mais forte e, logos aos cinco minutos abriu o placar. Jorge Wagner cruzou da direita. Arouca tentou matar no peito, mas a bola espirrou e passou por Marcelinho. Washington, em posição duvidosa, passou pelo goleiro e estufou a rede.

O Noroeste, atrás no placar, tentou sair para o jogo e acabou deixando espaços em sua defesa. Em um deles, Washington recebeu pela direita, passou pela marcação e rolou para Arouca. O camisa 11 tocou para Jorge Wagner, que dominou na grande área e bateu forte no canto direito de Vizzotto, sem chances para o goleiro.

Quando tudo parecia estar encaminhado para a vitória tranquila do São Paulo Marcelinho decidiu apimentar a partida. Após escanteio batido para a área tricolor, o camisa 4 do Norusca desviou de cabeça. Rogério Ceni realizou a defesa, mas a bola já havia ultrapassado a linha do gol. O assistente ficou indeciso, correu para o meio-de-campo e depois voltou, mas, junto com o árbitro acabou confirmando o gol.

O Noroeste se animou depois do gol, mas a experiente equipe do São Paulo soube se defender e garantiu a vitória fora de casa.

Agora, com 33 pontos a equipe do Morumbi vai para o clássico diante do Palmeiras, no sábado, na terceira colocação, com três pontos à frente do quinto colocado Santos. O Noroeste segue na zona do rebaixamento, em 18º, com 14 pontos.
FICHA TÉCNICA

NOROESTE 1 X 2 SÃO PAULO

Estádio: Alfredo de Castilho, em Bauru (SP)
Data/hora: 25/03/2009 – 21h45
Árbitro: Leonardo Ferreira Lima
Auxiliares: Alessandro Pitol Arantes e Fabio Luiz Freire
Cartões amarelos: Bilu e Gilsinho (NOR); André Dias, Washington e Rodrigo (SAO)
Gols: Washington, 5’/2ºT (0-1); Jorge Wagner, 18’/2ºT (0-2); Marcelinho, 21’/2ºT (1-2)

NOROESTE: Fernando Vizzotto, Éder, Marcelinho, Anderson Marques e Cláudio (Joãozinho, 20’/2ºT); Júlio Bastos, Bilu, Gilsinho (Luciano Bebê, 10’/2ºT) e Bruno César; Careca (Léo Mineiro, 33’/2ºT) e Marinho.Técnico: Fahel Júnior.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Zé Luís, Rodrigo, André Dias e Júnior Cesar; Jean, Arouca, Hernanes e Jorge Wagner; Borges (Hugo, 27’/2ºT) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

março 26, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fogão erra no fim e cede empate ao Americano

Time de Ney Franco não faz bom jogo e ainda é beneficiado por erro do árbitro

O público reduzido no Engenhão parecia indicar que a noite não era alvinegra. Ou melhor, a julgar pelo bom empate conquistado pelo visitante, também vestido de preto e branco, até poderia ser, só que da zebra Americano. Com pouca sorte e alguns vacilos cruciais na defesa, o Botafogo permitiu que o time de Campos chegasse, no fim, aos 2 a 2. E é bom lembrar que contou com uma mãozinha do juiz…

Os gols foram marcados por Victor Simões, que acabou expulso, e Reinaldo, além de Hernani e Kiesa. Com o placar, porém, o Glorioso segue na liderança do Grupo B, agora com dez pontos. Já o adversário foi a seis e é o sexto na outra chave.

Disperso, o Botafogo começou sendo envolvido pelo Americano em algumas jogadas. A equipe de Campos marcava com todos os homens atrás da linha da bola e tinha certa liberdade para sair, sobretudo pelo lado direito. Com mais qualidade, porém, o time da casa levava perigo e o gol de abertura não demorou a sair.

Thiaguinho foi à linha de fundo, cruzou, Anderson falhou feio e Victor Simões emendou, de bico, no canto direito do goleiro Jefferson. A vantagem deu um pouco mais de tranquilidade ao Botafogo, que passou a trocar melhor os passes. O que os comandados de Ney Franco não esperavam era que o perigo, na verdade, vinha de longe.

Aos 23, o ala Ernani arriscou, de falta, da intermediária. A bola desviou no Pantera e atrapalhou Renan, que ainda assim poderia ter defendido, tanto que admitiu em seguida. Melhor em campo, o Alvinegro seguia com mais posse de bola e desperdiçava uma ou outra boa chance. Entretanto, as disputas no meio-de-campo eram vencidas em sua maioria pelo Americano.

No intervalo, Ney Franco promoveu a entrada de Gabriel na vaga de Léo Silva para forçar o lado esquerdo a aproveitar as subidas do lateral Paulo Henrique. A alternativa deu certo, até porque Thiaguinho, que já fizeram um bom primeiro tempo, passou a ter mais espaço para avançar no meio e criou bons momentos.

As chances, no entanto, eram desperdiçadas aos montes. Mais recuado, o Americano pedia que o Botafogo de aproximasse. O volante Fahel, outro que constantemente aparecia no ataque, dava azar nas conclusões. Atrás, o mesmo Fahel protagonizou um lance incrível. Kiesa driblou Renan e, com o gol vazio, ia marcar, se não fosse pelo camisa 8, que o puxou pela camisa.

Além de não expulsá-lo, o árbitro André Luis Paes Ramos não marcou pênalti e deu cartão amarelo para o atacante do rival, por simulação! Depois dessa, o Americano demorou a se encaixar de novo. Somente pelo fato de ter um amontado de jogadores dentro da área é que o Botafogo parecia não conseguir marcar.

Até que surgiu Reinaldo para desencantar e, até então, evitar mais um tropeço no Engenhão – além da derrota para o Volta Redonda, na Taça GB. Ao receber passe de Maicosuel, o camisa 7, pelo meio da defesa, bateu firme no cantinho direito. Houve tempo, ainda, em uma bobeira, para que Victor Simões fosse expulso, após mais um carrinho.

Se foi essa a causa ou não, ninguém vai saber. Porém, na sequência, em falta cobrada da lateral da área, o mesmo Kiesa que sofrera o pênalti subiu mais que a zaga para igualar a partida e deixar os cerca de 3 mil botafoguenses aborrecidos. Nos acréscimos, Kim desperdiçou oportunidade de virar. Definitivamente, uma noite para esquecer, Fogão!
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 2 AMERICANO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 25/3/2009 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: André Luis Paes Ramos (RJ)
Auxiliares: Raimundo Araújo dos Santos (RJ) e Ricardo Saldanha Batermarqui (RJ)
Renda/público: R$ 36.841,00 / 2.248 pagantes (2.818 presentes)
Cartões amarelos: Victor Simões (BOT); Anderson, Siller, Kiesa e Renan (AME)
Cartões vermelhos: Victor Simões, 37’/2ºT (BOT) e Gil, 43’/2ºT (AME)
GOLS: Victor Simões, 12’/1ºT (1-0); Ernani, 22’/1ºT (1-1); Reinaldo, 32’/2ºT (2-1); Kiesa, 42’/2ºT (2-2)

BOTAFOGO: Renan, Emerson (Jean Carioca, 16’/2ºT), Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel, Léo Silva (Gabriel, intervalo), Maicosuel e Thiaguinho; Reinaldo e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

AMERICANO: Jefferson; Elson, Anderson e Carlão; Paulo Henrique, Renan, Siller (Kim, 28’/2ºT), Diego Sales (Cafezinho, 39’/2ºT) e Ernani; Eberson (Gil, 20’/2ºT) e Kieza – Técnico: Toninho Andrade.

março 26, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Neymar garante vitória para o Santos

Vitória com rival direto mantém o Peixe na briga pela G4 do Paulistão

Santistas fazem a festa na vitória por 3 a 0 sobre o Santo André (Foto: Ivan Storti)Santistas fazem a festa na vitória por 3 a 0 sobre o Santo André (Foto: Ivan Storti)

Um Santos leve, solto e rápido, foi assim que a equipe alvinegra conseguiu sair com a vitória por 3 a 0 contra o Santo André, na Vila Belmiro. Causa e consequência? Neymar. O garoto de apenas 17 anos, novamente mostrou que pode se tornar um craque. E mesmo contando com uma marcação frágil, deixou o adversário perdido em campo. Bom para o Peixe, que venceu um adversário direto e agora fica mais perto do G4 do Campeonato Paulista.

Os primeiros 10 minutos não motivaram a torcida, que viu logo de ínicio o Marcelinho Carioca chutar bem perto do gol. Mas, foi só o início. A equipe do Santos se ajustou rápido e o garoto Neymar com total liberdade de marcação conseguiu deixar seus companheiros por várias vezes livres. Foi assim com Mádson, que na primeira chance chutou fraco, mas na segunda aos 18 minutos, arriscou uma bomba de fora da área, e marcou o seu terceiro gol pelo Peixe.

Depois disso, a torcida fez juz ao caldeirão da Vila Belmiro e aplaudiu a cada lance. Tanto assim, que aos 30 minutos, Fabão na lateral, tirou uma bola e vibrou como gol. Os santistas aplaudiram e os jogadores corresponderam: dez minutos após esse lance, mais um gol. E mais uma vez, um contra-ataque rápido e inteligente da equipe alvinegra. Dessa vez foi Triguinho, que chutou rasteiro para fazer o segundo tento do Santos.

Na segunda etapa do jogo nada mais justo com o nome do jogo. Neymar, tranquilo, recebe bola na grande área, limpa a jogada, escolhe o canto e chuta para o gol. Nada mais merecido ao jogador que em todo tempo procurou, com sua qualidade técnica, ajudar a equipe.

Com a vitória Santos ultrapassa o Santo André, rival direto pela vaga no G4 do Paulistão, e chega em quarto lugar na tabela da competição. O próximo confronto – mais um jogo importante – santista será no sábado às 16h10, contra o Barueri, fora de casa. Já o Santo André, que caiu para sexto lugar, recebe o Oeste, também no sábado, às 19h10.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 3 X 0 SANTO ANDRÉ

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 25/03/2009 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Giovani Cesar Canzian
Renda/público: R$ 106.205,00 / 9.572 pagantes
Cartões amarelos: Moraes, Ricardo Conceição e Marcelinho Carioca (STA)
GOLS: Mádson, 18’/1ºT (1-0); Triguinho, 40’/1ºT; Neymar, 21’/2ºT

SANTOS: Fabio Costa, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho (Domingos 39’/2ºT); Roberto Brum, Rodrigo Souto e Mádson; Paulo Henrique Ganso (Roni aos 30’/2ºT), Kléber Pereira e Neymar (Pará aos 26’/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Cicinho (Ricardo Goulart aos 17’/2ºT), Cesinha, Marcel e Elvis; Fernando, Ricardo Conceição, Dirceu, Marcelinho Carioca e Junior Dutra (Moraes aos 42’/1ºT) e Antonio Flavio (Clodoaldo 28’/2ºT). Técnico: Sérgio Guedes

março 26, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com frango, Grêmio vence na Libertadores

Tricolor Gaúcho bateu o Aurora por 2 a 1, nesta quarta-feira, na Bolívia

LANCEPRESS!

O Grêmio derrotou o Aurora por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Cochabamba, na Bolívia, num jogo que, ao contrário do que se imaginava, foi dramático. O Tricolor criou e perdeu várias oportunidades. Fez seu gol, permitiu o empate, teve jogador expulso e só chegou à vitória no final, numa falha terrível do goleiro adversário.

Com a vitória, o Tricolor chegou à liderança do Grupo 7, com 7 pontos. O Boyacá Chicó tem 6, o Universidad de Chile, 4 e o Aurora continuou com zero. O próximo jogo do Tricolor será no dia 8 de abril, no Olímpico, contra o mesmo Aurora.

Bastou a bola começar a correr para se confirmar que a distância de categoria entre Grêmio e Aurora equivale àquela entre o nível do mar e os 2.500 metros de Cochabamba. O problema, assustador, foi de novo o desperdício de chances de gol.

Em 15 minutos, dos 6 aos 21, o Tricolor criou quatro situações para marcar – e perdeu todas. Aos 6, Jonas avançou, driblou e chutou forte, de fora da área. No travessão. Dois minutos depois, Fabio Santos entrou pela esquerda e chutou cruzado. No poste esquerdo. Na volta, Ruy ainda emendou, mas no corpo de um zagueiro.

Aos 19, Jonas achou Ruy entrando em diagonal, da direita para o meio e fez o passe perfeito. Livre, Ruy chutou alto. Aos 21, Souza lançou Jonas, que entrou e chutou certo, mas Dulcich abriu o braço direito e desviou.

Os gremistas pensavam nos doze gols perdidos no 0 a 0 com o Universidad de Chile e nos oito do 1 a 0 sobre o Boyacá Chicó. E Jonas, voltaria a ser chamado por algum site espanhol de “pior do mundo”, pela incapacidade de mandar a bola para a rede.

Bastava botar a bola no chão e lançar quem viesse de trás para envolver a ingênua defesa boliviana. Mas o Grêmio aderiu ao balão, o estilo do Aurora.

Quando voltou ao seu jogo, fez o gol. Aos 41,Alex Mineiro recebeu de costas, protegeu e lançou Jonas, que entrava pelo meio. Jonas bateu firme, no canto esquerdo. Grêmio 1 a 0.

O Grêmio voltou exigindo milagres do goleiro argentino Dulcich. A 1 minuto, ele defendeu chute de Alex Mineiro e, no rebote, do notório Jonas. Aos 6, de Souza.

Aos 8, o esboço do crime. Celso Roth tinha alertado: “Cuidem a reposição rápida do Dulcich”. Aconteceu. O paraguaio Paredes ganhou na corrida da zaga e, de pé esquerdo, bateu por cima de Victor: 1 a 1.

O Grêmio jogou contra si aos 13: Jonas agrediu um adversário e foi expulso. Na seqüência, Roth substituiu Alex Mineiro por Herrera, um atacante mais agudo. Aos 24 o argentino escapou no contragolpe e exigiu difícil defesa de Dulcich. O jogo ficou parelho, muito pegado, mas sem infiltrações. Chamado de “hiperativo” por Roth, Ruy se projetava, enquanto o já cansado Tcheco cobria o lado direito da defesa. Num escanteio, aos 30, Réver perdeu o gol ao cabecear rente ao poste esquerdo.

A impressão que se tinha era que o gol só sairia por detalhe. Saiu. E que detalhe! Aos 41, Tcheco cobrou uma falta da intermediária, fraco, pelo lado da barreira. O goleiro Dulcich nem quis se abaixar para recolher a bola, e tomou um frangaço, pelo meio das pernas.

FICHA TÉCNICA:

AURORA 1 X 2 GRÊMIO

Estádio: Felix Capriles (Cochabamba, BOL)
Data – hora: 25/03/2009 – 21,50h (horário de Brasília)
Árbitro: Juan Soto (VEN)
Auxiliares: Plácido Chuello e Jorge Urrego (VEN)
Renda e público: não divulgados
Cartão amarelo: Paredes Edward Zenteno, Cardozo, Cristian López (A), Ruy, Adilson (G). Cartão vermelho: Jonas (G) 13 do segundo tempo
Gols: Jonas (G) 41 do primeiro tempo; Paredes (A) 8, Tcheco (G) 41 do segundo tempo.

AURORA: Dulcich; Leonforte, Méndez e Edward Zenteno; Castillon (Rodríguez 36/2T), Escobar, Fernández, Cardozo (Sassa 34/2T) e Edson Zenteno (Cristian Lopez, intervalo); Bongioani e Paredes . Técnico: Júlio César Baldivieso.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy (Makelelê 40/2T), Adilson (Thiego 44/2T), Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Alex Mineiro (Herrera 19/2T). Técnico: Celso Roth.

março 26, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro faz 7 a 0 no Democrata, mas termina fase de classificação em segundo

Raposa não toma conhecimento do adversário. Entretanto, perde a lidernça com um gol do Atlético no último minuto para cima do Ituiutaba

Se as cobranças por vitórias já incomodavam depois de três empates no Campeonato Mineiro, o Cruzeiro tratou de colocar tudo em ordem. Nesta quarta-feira, o time de Adilson Batista goleou o Democrata por 7 a 0, com direito a três gols de Kléber e do primeiro de Bernardo como profissional. Entretanto, como o Galo venceu o Ituiutaba, a Raposa terminou a fase de classificação em segundo.

Veja a classificação do Cameponato Mineiro

Confrontos das quartas-de-final

Grupo 1: Atlético (1º) x Uberaba (8º)

Grupo 4: Rio Branco (4º) x América (5º)

Grupo 2: Cruzeiro (2º) x Tupi (7º)

Grupo 3: Ituiutaba (3º) x Democrata (6º)

Nas quartas-de-final, o Cruzeiro vai enfrentar o Tupi, que terminou o turno na oitava colocação. Apesar da goleada histórica, o Democrata também se classificou e vai enfrentar o Ituiutaba.

Agência/Vip.com

Bernardo (à esq.) e Kléber (centro) são os destaques da goleada celeste

O fato de ter perdido a liderança para o Atlético parece ter mexido com o Cruzeiro. Os jogadores mostraram muito apetite desde o início do jogo, tendo nos pés de Ramires, aos nove, e Soares, aos 14, duas chances desperdiçadas.

E bastou o Democrata ameaçar o gol de Andrey pela primeira vez, com Patrick batendo cruzado para a defesa do goleiro, que a gana pela vitória aumentou mais ainda. Pois no ataque seguinte veio o primeiro gol, aos 21. Bernardo tocou para Gerson Magrão. O meia, que nesta quarta era lateral, bateu com violência e quase sem ângulo fez 1 a 0.

Abriu a porteira. O Cruzeiro começou a fazer um gol atrás do outro. Aos 37, pênalti de Geison no jovem Bernardo. Kléber foi para a cobrança e não deixou Santiago sair na foto, tirando o completamente do goleiro.

O terceiro saiu aos 43. Depois de um bate-rebate na área do Democrata, Kléber chutou, Santiago defendeu, e Ramires pegou o rebote para ampliar.

O intervalo não esfriou o ímpeto celeste. Principalmente o de Kléber. O atacante do Cruzeiro marcou aos dois e seis minutos da etapa final. No quarto gol do Cruzeiro, cruzamento de soares para chute de primeira do Gladiador. No quinto, o passe veio da direita, com Jancarlos. Desta vez Kléber usou a cabeça.

Com 12 minutos, Bernardo sofreu mais um pênalti. Desta vez Kléber deixou o garoto bater. Seria o primeiro gol do camisa 10 desta noite na carreira. E assim foi. Bola no ângulo direito de Santiago.

Wanderley entrou no lugar de Kléber e com pouco tempo em campo deixou a sua marca. Aos 23, Bernardo bateu escanteio da direita, o atacante ganhou disputa no alto e cabeceou para o gol. Não perca as contas, este foi o sétimo.

Com a vitória garantida, o técnico Adilson Batista utilizou todas as substituições a que tinha direito. O time tirou o pé do acelerador, e o placar ficou mesmo “só” nos 7 a 0.

Ficha técnica:

CRUZEIRO 7 x 0 DEMOCRATA
Andrey, Jonathan, Gustavo, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Fabrício (Henrique), Elicarlos, Ramires (Marquinhos Paraná) e Bernardo; Soares e Kléber (Wanderley). Santiago, Geison, Eliézio (Riso Surubim), Weldes e Fabiano (Róbson); Leandro, Sandro Manoel, Rodrigo e Ralen (Flávio); Allan e Patrick.
Técnico: Adilson Batista. Técnico: Moacir Júnior.
Gols: Gerson Magrão, aos 21 minutos, Kléber, aos 37, Ramires, aos 43 minutos do primeiro tempo; Kléber, aos dois e seis, Bernardo, aos 13 minutos, Wanderley, aos 23 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Wanderley (Cruzeiro); Geison, Leandro, Ralen, Riso Surubim e Rodrigo (Democrata).
Estádio: Mineirão. Data: 25/03/2009. Horário: 21h50m. Árbitro: Émerson de Almeida Ferreira. Auxiliares: Flamarion Sócrates da Silva e Marconi Helbert Vieira.

março 26, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , | Deixe um comentário

Com virada incrível, Galo se mantém no topo

Com dois gols nos últimos minutos de jogo, Atlético-MG vence o Ituiutaba

LANCEPRESS!

Estádio: Fazendinha, Ituiutaba (MG)
Data/hora: 25/03/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Andre Luiz Martins Dias Lopes
Auxiliares: Jair Albano Félix e Marcus Vinícius Gomes
Renda/público: R$40.482 / 4.855 pagantes
Cartões amarelos: Werley, Leandro Almeida (ATL); Geovani (ITU)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Pedalada 10`/1T (1-0); Júnior 46’/2T (1-1); Kléber 50’/2T (1-2)

ITUIUTABA: Jonatas, Mateus, Neilor, Bruno e Radar; Olivio, Kiko, Rafael Pulga (Machado, 20`/2T) e Pedalada (Lucio Flavio, 26`/2T); Rodrigo Hote (Washington, 39`/2T) e Geovani. Técnico: Nedo Xavier

ATLÉTICO-MG: Juninho, Werley, Marcos, Leandro Almeida e Junior; Renan, Marcio Araujo (Lopes, intervalo), Carlos Alberto e Renan Oliveira (Chiquinho, 32`/2T); Éder Luis e Trípodi (Kleber, intervalo). Técnico: Leão

março 26, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , | Deixe um comentário