Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

A comemoração é toda da torcida do Vascão!

Em mais um clássico recheado de cartões amarelos e vermelhor, equipe da Colina supera o arquirrival Flamengo, quebra jejum de dois anos e segue líder com 100% de aproveitamento

Com gols de Elton e Jéferson, time da Colina vence o rival e assume liderança do Grupo A. Árbitro expulsou cinco jogadores no clássico

O Vasco comprovou a sua boa fase no Campeonato Carioca na noite deste domingo e venceu o Flamengo, no Maracanã, por 2 a 0. Com duas expulsões para cada lado (Carlos Alberto, Ramon, Léo Moura e Willians), o time da Colina voltou a derrotar o arquirrival após dois anos ser um triunfo sobre a equipe da Gávea. Com gols de Elton (veja o vídeo ao lado)e Jéferson, o grupo comandado por Dorival Júnior chegou à liderança do Grupo A da Taça Rio, segundo turno do Estadual, com 12 pontos.

Alheio aos problemas políticos que ocorreram durante a semana, o time da Colina superou o rival. Por outro lado, mesmo com os salários de janeiro pagos pela diretoria na última sexta-feira, o Rubro-Negro até correu, mas sucumbiu diante do time cruzmaltino. Com o resultado, o Vasco superou o Fluminense no saldo de gols e assumiu novamente a ponta de sua chave. O Flamengo permaneceu em terceiro lugar no Grupo B, com sete pontos.

Na próxima rodada, o Vasco vai enfrentar o Mesquita, em São Januário. O Flamengo vai encarar o Madureira. Os dois jogos vão acontecer na quarta-feira.

Ampliar Foto André Durão /GLOBOESPORTE.COM André Durão /GLOBOESPORTE.COM

Vascaínos riram por último no Maraca

Carlos Alberto e Willians são expulsos na etapa inicial

Os primeiros dez minutos de jogo foram iguais. Enquanto o Vasco marcava forte e buscava os contra-ataques, o Flamengo tentava manter a poss de bola para chegar com perigo ao gol de Tiago. O time rubro-negro foi o primeiro a assustar. Aos 14, Léo Moura fez grande jogada e cruzou para área. Ibson tentou marcar de sem-pulo, mas a bola subiu e passou por cima do travessão cruzmaltino.

No lance seguinte, a história do jogo começou a mudar. Aos 15, Willians levou cartão amarelo após uma sequência de faltas em Carlos Alberto. No lance seguinte, um minuto depois, o volante foi expulso pelo árbitro Luiz Antônio da Silva Santos ao derrubar o capitão vascaíno na entrada da área.

Porém, mesmo com um jogador a menos, o Flamengo perdeu uma ótima chance de abrir o marcador. Na primeira, aos 19, Zé Roberto e Josiel avançaram contra apenas um defensor, mas por excesso de preciosismo não conseguiu chutar a tempo de balançar a rede cruzmaltina. Após sofrer uma pequena pressão rubro-negra, o Vasco colocou os ânimos no lugar e a bola no chão.

Aos 32 foi a vez do meia Carlos Alberto dar mole. O jogador já havia levado o cartão amarelo aos 11 minutos do primeiro por causa de um carrinho em Willians e acabou sendo expulso por ter chutado para o gol após o árbitro ter assinalado impedimento em um contra-ataque do Vasco. O capitão cruzmaltino deixou o campo revoltado, esbravejando com Luiz Antônio da Silva Santos.

O Vasco teve a melhor chance do jogo aos 41 minutos. Elton passou por dois adversários e entrou na área do Flamengo. O atacante ficou de frente para o goleiro Bruno e fez o mais difícil: chutou na rede pelo lado de fora, desperdiçando uma chance de ouro. No último minuto da etapa inicial, Ramon fez uma bela jogada e chutou à esquerda de Bruno.

Elton e Jéferson garantem a vitória cruzmaltina

Sem paciência com Josiel, o técnico Cuca voltou para a etapa final com Obina no comando do ataque. Logo aos quatro minutos, o baiano recebeu uma bola dentro da área, ajeitou o corpo e chutou de forma bisonha longe do gol de Tiago. Aos oito, Léo Moura deu um carrinho em Ramon e também foi expulso.

Três minutos depois, Nilton cobrou mal uma falta da intermediária e a bola sobrou para Elton, já dentro da área. O atacante acertou uma bomba sem chance para Bruno: 1 a 0 Vasco. Aos 13, Ramon, que já tinha levado cartão amarelo, fez uma falta em Everton Silva e foi expulso.

Com dois jogadores a menos para cada lado, o Vasco soube aproveitar um contra-ataque fulminante para ampliar o marcador. Aos 16, Pimpão, que acabara de entrar na vaga de Alex Teixeira, carregou pelo lado direito e rolou para Jéferson. De frente para Bruno, o meia tocou por cima do camisa 1 rubro-negro para fazer o segundo do time da Colina.

Mesmo perdendo por 2 a 0, o Flamengo foi em busca do empate e chegou perto de diminuir o marcador aos 20 minutos. Everton Silva aproveitou rebote da entrada da área e chutou. A bola passou à direita de Tiago. O time rubro-negro seguiu melhor, mas não conseguia marcar o seu gol.

O técnico Cuca também foi expulso pelo árbitro já no fim do confronto. Aos 45, Nilton recebeu de Pimpão, entrou na área e chutou para bela defesa de Bruno. Na arquibancada, a festa após o apito final foi vascaína.

Ficha técnica:

VASCO 2 X 0 FLAMENGO
Tiago, Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Edu Pina) e Carlos Alberto; Alex Teixeira (Rodrigo Pimpão) e Elton (Léo Lima). Bruno, Everton Silva, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton  (Everton), Willians, Ibson e Léo Moura; Zé Roberto (Kleberson) e Josiel (Obina).
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Cuca.
Gols: Elton, aos 11 minutos, e Jéferson, aos 16 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Carlos Alberto, Ramon, Titi, Nilton, Jéferson, Pimpão, Elton (Vasco); Willians, Aírton, Ronaldo Angelim, Fábio Luciano (Fla). Cartão vermelho: Carlos Alberto, Titi e Ramon (Vasco); Willians e Léo Moura (Fla).
Estádio: Maracanã. Data: 22/03/2008. Árbitro: Luís Antônio Silva dos Santos (RJ). Auxiliares: Jorge Luís Campos Roxo (RJ e Silbert Faria Sisquim (RJ). Renda: R$ 1.213.044,00. Público: 69.648 pagantes

março 19, 2009 Posted by | Flamengo, Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Alecsandro se inspira no pai, o ex-jogador Lela

Centroavante diz que imitará comemorações do pai, com careta e tudo, na hora certa

Ampliar Foto Lucas Uebel/VIPCOMM Lucas Uebel/VIPCOMM

Alecsandro está conquistando o seu lugar no ataque colorado a cada partida

Está em casa a inspiração do centroavante Alecsandro, a sensação do momento no Beira-Rio, autor de dois gols na goleada de 4 a 1 do Inter sobre o Novo Hamburgo, neste sábado. Ele é filho do ex-atacante Lela, campeão brasileiro com o Coritiba em 1985. Foi quase por uma ordem familiar que o atleta colorado decidiu jogar no ataque, perto do gol.

– Minha inspiração é meu pai, que também era atacante. Eu lembro dele jogando, sempre olhava algumas fitas, e dele sai minha inspiração. Ele sempre me dizia que eu tinha que jogar na frente, que ali, sim, era bom – comentou Alecsandro, que também apontou Ronaldo Nazário como um ídolo, por ser o “maior atacante de todos os tempos”.

Lela era conhecido pelas caretas que fazia ao comemorar os gols que marcava. Alecsandro (que também é irmão do são-paulino Richarlyson) já imitou o gesto nos tempos de Vitória e Cruzeiro. E pensa em repetir a dose agora.

– Lembro de ter feito em um Dia dos Pais. Vou esperar a hora certa. No melhor momento, vai sair o gol “Lela careta” – disse Alecsandro.

O jogador vem encantando a diretoria e a comissão técnica do Inter. Ele está em vias de virar titular da equipe colorada, possivelmente colocando Taison, artilheiro do Campeonato Gaúcho, no banco. Contra o Novo Hamburgo, Alecsandro foi o melhor em campo. Além dos dois gols, deu o passe para Taison marcar mais um e mandou uma bola no travessão.

março 19, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dentinho marca e dá fim à escrita em clássico

Placar é magro mesmo com times ofensivos. Equilíbrio rouba a cena e Ronaldo e Neymar passam em branco

Dentinho comemora seu gol no PacaembuDentinho comemora seu gol no Pacaembu (Crédito: Eduardo Viana)

Foi o equilíbrio que todos esperavam, mas o nome do jogo não foi nem Ronaldo e nem Neymar. Dentinho fez o gol da vitória corintiana por 1 a 0 sobre o Santos deste domingo, no Pacaembu, e acabou com uma longa série do Timão sem vencer clássicos. A última vitória foi pelo Campeonato Brasileiro de 2007, por 1 a 0, sobre o São Paulo.

Veja o gol da vitória do Corinthians

O jogo aberto favoreceu o Corinthians no início, que além da escalação ousada tinha também o apoio de grande parte do Pacaembu. Mas como em todo clássico, as chances de gol não foram muito claras para ambas as equipes.

Ronaldo já apareceu mais para o jogo, mas foi Dentinho o nome do primeiro tempo. Bem nos dois lados do campo, se posicionou bem em cruzamento de Douglas e escorou para a rede, abrindo o placar.

Douglas poderia ter aumentado a vantagem em má saída de bola de Fábio Costa, que se recuperou e fez a defesa, mas depois disso o primeiro tempo foi santista. O trio Neymar, Roni e Kléber Pereira começou a incomodar os corintianos, que atacaram pouco. Pereira ainda ficou na cara de Felipe nos acréscimos, mas o goleiro defendeu e a jogada já havia sido paralisada por impedimento.

O Peixe voltou com o mesmo ímpeto para a segunda etapa e Neymar quase empatou o jogo. Lançado na frente de Felipe, não conseguiu tirar do alcance do goleiro, que antes tropeçara na área em lance que quase foi fatal. O Timão respondeu com Ronaldo e Chicão, para reequilibrar o jogo.

O garoto Neymar fez boa partida, mas foi com a entrada de Madson que o Santos viveu seu melhor momento. Com mais posse de bola, o jogador deu a velocidade que faltava ao time, mas não conseguia furar a bem postada defesa corintiana, que apostava nos contra-ataques. No entanto, o placar do clássico ficou no 1 a 0.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 0 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/03/2009, às 16 horas
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Assistentes: Rogério Gomes (SP) e Luiz Antonio Corrêa (SP)
Renda/público: R$ 1.047. 750/ 33.356 pagantes
Cartões amarelos: André Santos e William (Corinthians) Rodrigo Souto, Germano, Fábio Costa e Luizinho (Santos)
Cartões vermelhos: não houve
Gols: Dentinho, 15’/1ºT (1-0)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, William, Chicão e André Santos; Cristian, Elias (Fabinho, 24’/2ºT), Boquita e Douglas; Dentinho (Morais, 43’/2ºT) e Ronaldo (Jorge Henrique, 36’/2ºT). Técnico: Mano Menezes.

SANTOS: Fábio Costa, Luizinho (Pará, 20’/2ºT), Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum, Rodrigo Souto e Lucio Flavio (Paulo Henrique, 28’/2ºT); Roni, Neymar (Madson, 14’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Vagner Mancini.

março 19, 2009 Posted by | Corinthians, Santos | , , , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

Sem emoção, São Paulo empata em Jundiaí

O Tricolor abriu o placar com Rodrigo, mas levou o empate de Zé Carlos

Arouca briga pela bola. Sobrou vontade, faltou emoção no jogo. (Foto: Reginaldo Castro)Arouca briga pela bola. Sobrou vontade, faltou emoção no jogo. (Foto: Reginaldo Castro)

As poucas pessoas que compareceram ao Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí, acompanharam um empate sem emoções entre São Paulo e Paulista. Em lances semelhantes, originados em cobranças de escanteio, Rodrigo e Zé Carlos marcaram os gols da partida.

Veja os gols de Paulista 1 x 1 São Paulo

O São Paulo dominou a posse de bola na primeira etapa e chegou a marcar com Washington, mas o árbitro Marcelo Rogério assinalou falta de Borges em Marcelo Xavier no lance anterior e anulou a jogada.

Jorge Wagner, com chutes de fora da área, e Borges, com jogadas individuais, levaram perigo ao gol de André Luís, mas foi Washington que teve a melhor chance da primeira etapa. Após tabela com seu companheiro de ataque, o camisa 9 ficou livre para chutar na entrada da pequena área, mas demorou demais e foi desarmado por Ramalho.

O Paulista se fechou e apostou nos contra-ataques. Marcelo Toscano teve boa chance com um chute de fora da área, mas Rogério Ceni fez boa defesa e evitou o gol.

A equipe de Jundiaí chegou a puxar alguns contra-ataques, mas Zé Carlos e Felipe Azevedo não estavam com o pé calibrado e desperdiçaram boas chances.

Na segunda etapa, o São Paulo começou com um ritmo intenso e, logo aos sete minutos, abriu o placar. Jorge Wagner bateu escanteio fechado para a área. Washington desviou de cabeça e Rodrigo, sozinho, tocou para o fundo do gol.

A equipe de Jundiaí não se abateu e empatou cinco minutos depois em jogada semelhante. Escanteio batido para a área tricolor. Marcelo Xavier desviou de cabeça e Zé Carlos complementou para a rede são-paulina.

Aos 23 minutos Muricy Ramalho promoveu a estreia de Eduardo Costa na equipe são-paulina. O volante chegou no início da temporada, mas teve problemas com lesões e ainda não havia entrado em campo.

O camisa 8, ainda sem ritmo de jogo, não fez jogadas brilhantes, mas foi decisivo na defesa. Aos 36 minutos, ele tirou em cima da linha um chute de Marcelo Toscano e garantiu o empate para o Tricolor.

Com o resultado, o São Paulo permanece na terceira posição, com 30 pontos. O Paulista segue ameaçado pelo rebaixamento, com 15 pontos, no 15° lugar.

FICHA TÉCNICA

PAULISTA 1 X 1 SÃO PAULO

Estádio: Dr. Jaime Pinheiro de Ulhoa Cintra, Jundiaí (SP)
Data: 22/03/2009 16h
Árbitro: Marcelo Rogério
Auxiliares: Reinaldo Rodrigues dos Santos e Alexandre Basilio Vasconcellos
Público e renda: 4.528 pessoas / R$ 149.707,00
Cartões amarelos: Ramalho, Marcelo Toscano e Enílton (PAU); Miranda e Renato Silva (SAO)
Gols: Rodrigo, 7’/2°T (0-1); Zé Carlos, 12’/2°T (1-1)

PAULISTA: André Luís; Freire, Eli Sabiá e Marcelo Xavier; Marcelo Toscano (Jaílson, 39’/2°T), Cléber Goiano, Ramalho, Alex Oliveira (Léo, 27’/2°T) e Eduardo; Felipe Azevedo (Enílton, 34’/2°T) e Zé Carlos. Técnico: Giba.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Renato Silva, Miranda e Rodrigo; Arouca (Richarlyson, 30’/2°T), Jean, Hernanes, Hugo (Eduardo Costa, 23’/2°T) e Jorge Wagner. Washington (André Lima, 38’/2°T) e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

março 19, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Timão fecha patrocínio até fim de 2009

Empresa do ramo de laticínios vai estampar frente e costas da camisa do Corinthians. Contrato teria sido assinado por R$ 18 milhões

O Corinthians anunciou na tarde desta quinta-feira o seu novo patrocinador. A Batavo, empresa do ramo de laticínios, vai estampar a frente e as costas da camisa do Timão até o fim desta temporada. O valor que será pago ao clube alvinegro ainda não foi divulgado, mas especula-se que seja R$ 18 milhões até dezembro.

Ampliar Foto Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM

Ronaldo recebe camisa com estampa da Medial

A expectativa da diretoria de marketing a partir de agora é conseguir fechar acordo para manga e calção. Desses contratos é que sairá parte do salário de Ronaldo. Tanto que a empresa do craque, a R9, está junto nas negociações. A expectativa de ambos, somando todos os acordos, é arrecadar aproximadamente R$ 30 milhões.

Coincidentemente, o novo patrocinador estampou o uniforme do Timão numa época inesquecível para o torcedor: de 1999 a 2000. Nesse período, o Corinthians conquistou o Campeonato Brasileiro e o Paulista, em 1999, e também a primeira edição do Mundial de Clubes da Fifa, em 2000.

A camisa alvinegra estava sem patrocínio desde 20 de dezembro do ano passado, quando acabou o acordo com a Medial. Pela boa relação, a empresa continuou no material de treino até o início desta semana. Nos quase três meses que ficou sem parceiro, o Corinthians apostou em contratos de ocasião para fazer caixa.

Ampliar Foto Reprodução/Site oficial Reprodução/Site oficial

Camisa do Timão com estampa da AACD

O plano B estreou no amistoso internacional contra o Estudiantes, da Argentina. Três empresas estamparam o uniforme. Nas duas primeiras rodadas do Paulistão, contra Barueri e Bragantino, um acordo foi fechado para as mangas.

Mais tarde, no clássico contra o Palmeiras, outras três empresas acertaram com o Timão. Antes, no jogo diante do São Paulo, houve ainda um patrocínio beneficente da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente).

O debute do novo patrocinar do Corinthians até dezembro também será num clássico. Neste domingo, contra o Santos, às 16h, no estádio do Pacaembu.

março 19, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em seus primeiros jogos pelo Peixe, Neymar supera números de Robinho

Em quatro jogos, novato foi titular em dois e já marcou dois gols. Rei das Pedaladas demorou para se firmar e só marcou em seu quinto jogo

Ampliar Foto Agência/Agencia Estado Agência/Agencia Estado

Neymar começa a brilhar com 17 anos. Robinho já tinha 18 quando apareceu

Considerado o sucessor de Robinho, o jovem atacante Neymar, de 17 anos, já consegue superar o Rei das Pedaladas pelo menos em seu início de trajetória no Santos. Em seus primeiros quatro jogos, foi titular em dois e já marcou duas vezes. Robinho só foi ganhar a primeira chance como titular santista em sua quarta partida, um amistoso contra o Roma de Apucarana-PR, no dia 23 de junho de 2002.
O primeiro gol santista do craque que hoje atua no Manchester City só saiu em seu quinto jogo, num amistoso contra o Comercial, de Ribeirão Preto. O Peixe venceu por 5 a 0 e Robinho, que entrou no segundo tempo, deixou sua marca. Neymar marcou logo em seu terceiro jogo, contra o Mogi Mirim, domingo passado, quando estreou como titular.
Outro ponto a favor de Neymar: ele é mais jovem do que Robinho quando este começou no time principal do Peixe. Quando fez sua primeira partida pelo Alvinegro, contra o Guarani, no dia 24 de março de 2002, pelo Torneio Rio-São Paulo, Robinho tinha 18 anos. Neymar só completa 18 em fevereiro de 2010.

Existe outra diferença no início dos dois principais jogadores revelados pelo Peixe nos últimos anos. Robinho, embora fosse considerado um jogador promissor, começou 2002 desacreditado. Celso Roth, treinador que deu as primeiras chances para o atacante, deixou de utilizá-lo depois de três jogos, alegando que o então garoto era muito franzino, tinha as “canelas finas”. Entre abril e junho de 2002, o Rei das Pedaladas não teve chances de jogar e só voltou a ser escalado por Emerson Leão. Depois que se firmou, porém, voou. Foram 188 jogos e 83 gols.

Neymar, por sua vez, já era considerado uma estrela antes mesmo de ser cogitada a sua promoção ao time principal. Em seus primeiros jogos, neste Paulistão, já ganhou a confiança de Vagner Mancini e virou titular.

Compare os quatro primeiros jogos de cada um

ROBINHO
DATA JOGO COMPETIÇÃO CONDIÇÃO GOLS
24/3/02 Santos 2 x 0 Guarani Torneio Rio-SP Reserva 0
7/4/02 Santos 3 x 2 São Paulo Torneio Rio-SP Reserva 0
14/4/02 Santos 1 x 1 Bangu Torneio Rio-SP Reserva 0
23/6/02 Santos 1 x 0 Roma-PR Amistoso Titular 0
NEYMAR
DATA JOGO COMPETIÇÃO CONDIÇÃO GOLS
7/3/09 Oeste 1 x 2 Santos Paulistão Reserva 0
12/3/09 Santos 1 x 1 Paulista Paulistão Reserva 0
15/3/09 Santos 3 x 0 Mogi Mirim Paulistão Titular 1
18/3/09 Santos 4 x 0 Rio Branco-AC Copa do Brasil Titular 1

março 19, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fred marca e Flu vence, de virada, o Bangu

Tricolor bate o Alvirrubro por 3 a 1 e mantém os 100% de aproveitamento

Fred comemora seu gol. O terceiro com a camisa do FluminenseFred comemora seu gol. O terceiro com a camisa do Fluminense (Crédito: Júlio César Guimarães)

Mais uma vez coube ao artilheiro Fred decidir o jogo para o Fluminense. Assim como fez em sua estreia, contra o Macaé, o jogador deixou o seu e foi decisivo para a vitória do Tricolor por 3 a 1 sobre o Bangu, no Engenhão. Maurício, Luiz Alberto e Bruno Luiz, para o Alvirrubro, marcaram os outros.

Veja os gols da vitória do Fluminense

O Fluminense iniciou o jogo tentando comandar as ações mas encontrava um Bangu bem postado e que oferecia poucos espaços. O Tricolor tinha dificuldades de penetração na defesa do time de Moça Bonita e Fred ficava muito isolado na frente.

Não demorou muito para a equipe das Laranjeiras começar a errar muitos passes e irritar a torcida. Com isso, o castigo acabou vindo “à cavalo”. Após tentar espanar uma bola, Maurício chutou em cima do adversário banguense e a bola sobrou para Tiano que, da linha de fundo, cruzou para Bruno Luiz abrir o placar para os visitantes.

Confira as melhores fotos da partida!

Após sofrer o gol, o Fluminense acordou e foi para cima. Mariano e João Paulo começaram a ser mais efetivos nas laterais e o Tricolor ganhou fôlego. No fim do primeiro tempo, Thiago Neves cobrou falta da direita com perfeição, na cabeça de Maurício, que empatou a partida.

O segundo tempo começou morno. As duas equipes passaram bastante tempo se estudando e o jogo não teve maiores emoções. Parreira então resolveu apostar em Maicon no lugar de Everton Santos e se deu bem. O jovem atacante fez bela jogada pela linha de fundo e Fred, com seu faro de artilheiro, somente escorou para o fundo das redes, fazendo a virada para o Tricolor.

No fim, ainda deu tempo do zagueiro Luiz Alberto deixar o dele após bate-e-rebate na zaga do Bangu. O 3 a 1 fez o Fluminense chegar aos 12 pontos e permanecer com 100% de aproveitamento na Taça Rio.

BANGU 1 X 3 FLUMINENSE

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 21/03/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Auxiliares: Jackson Lourenço Massarra dos Santos (RJ) e Fabio Torres de Souza (RJ)
Renda/público: R$ 191.239,50 / 11.284 pagantes
Cartões amarelos: Uilian, André Oliveira, Douglas Silva, Tiano (BAN); Jaílton, Marquinho (FLU)
Cartões vermelhos: Não houve.
GOLS: Bruno Luiz, 25’/1ºT (1-0); Maurício, 38’/1ºT (1-1); Fred, 29’/2ºT (1-2); Luiz Alberto, 38’/2ºT (1-3)

BANGU: Diogo, Uiliam, Abílio (Márcio Cleick, 21’/2ºT), Edinho e Rodrigo Melo; Marcão, Douglas Silva (Paulo Roberto, 26’/2ºT), André Oliveira e Tiano (Fábio Saci, 33’/2ºT); Somália e Bruno Luiz. Técnico: Mazolinha.

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Cássio, Luiz Alberto e João Paulo; Jaílton, Maurício (Marquinho, intervalo), Conca (Romeu,32’/2ºT) e Thiago Neves; Everton Santos (Maicon, 19’/2ºT) e Fred. Técnico: Parreira.

março 19, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Palmeiras empata e não se garante na semi

Resultado de 1 a 1 com o Guará não dá classificação antecipada ao Verdão

Diego Souza briga, mas Verdão apenas empata com o Guará. (Foto: Eduardo Viana)Diego Souza briga, mas Verdão apenas empata com o Guará. (Foto: Eduardo Viana)

Palmeiras sofreu, empatou com o Guaratinguetá fora de casa e ainda não garantiu a classificação para a semifinal do Paulista. Com 37 pontos, o Verdão pode ver a vantagem para o segundo colocado diminuir, caso o Corinthians derrote o Santos no domingo.

Sem seu ataque titular (Keirrison e Willians suspensos) e Cleiton Xavier em um dia apagado , o Palmeiras teve dificuldades para chegar ao gol de Fernando na primeira etapa. A equipe de Vanderlei Luxemburgo insistiu demais com as jogadas pelo meio e foi facilmente neutralizada pelo Guará.

Por sua vez, O Guaratinguetá, com apenas um atacante de ofício, Wellington Amorim, fez bem seu papel no primeiro tempo. Jogou de forma cautelosa e, nas poucas vezes que chegou ao gol de Bruno, levou perigo. Nenê e Wellington Amorim ameaçaram com chutes da entrada da área.

E foi através da dupla que saiu o gol do Guaratinguetá. Aos 42 minutos, Nenê avançou pela direita e cruzou rasteiro. Bruno saiu mal do gol e a bola sobrou limpa para o camisa 9 concluir.

Ao sair de campo, Bruno comentou sobre uma possível falha no gol:

– Eu não falhei. A bola passou por baixo da perna do Danilo e bateu na ponta do meu dedo. Infelizmente sobrou para o Wellington Amorim marcar.

Luxemburgo mexeu na equipe no vestiário. Daniel e Marquinhos entraram nos lugares de Sandro Silva e Lenny. As mudanças deixaram o Verdão mais ofensivo. Diego Souza, em tabela com Ortigoza, quase abriu o placar.

O paraguaio, que foi decisivo em sua partida de estreia como titular, aos 10 minutos, recebeu de Armero na área, girou bem e foi puxado por Edson Rocha. Pênalti para o Palmeiras. Diego Souza bateu forte no meio do gol e empatou a partida.

Em outra jogada da dupla, poucos minutos depois, o camisa 30 ganhou na força do zagueiro e cruzou rasteiro. Diego, sozinho, furou e perdeu a chance de marcar.

Mas não foi só o Palmeiras que perdeu gols. Em lance incrível, Wellington Amorim tentou de letra, mas Bruno defendeu, no rebote Gil bateu para outra defesa do goleiro. Magal também arriscou, desta vez Wendel tirou em cima da linha.

O Palmeiras se fechou demais na metade final da segunda etapa e pouco atacou. O Guará tentou, mas não teve forças para garantir a vitória.

Com o resultado, o Verdão chega a 37 pontos, disparado na liderança. O Guará assume a 15ª posição, com 15 pontos.

FICHA TÉCNICA

GUARATINGUETÁ 1 X 1 PALMEIRAS

Estádio: Prof. Dario Rodrigues Leite , em Guaratinguetá (SP)
Data/hora: 21/03/2009 – 19h10 (Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Flavio Alexandre Silveira e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Thiago Saletti, Edson Rocha e Nenê (GUA); Wendel e Danilo (PAL)
Gols: Wellingtom Amorim, 42’/1ºT (1-0); Diego Souza, 10’/2ºT (1-1)

GUARATINGUETÁ: Fernando; Ivo, Nino, Edson Rocha (Rocha, 34’/2ºT) e Thiago Saletti (Jamur, 34’/2ºT); Careca, Alê, Magal, Nenê e Gil; Wellington Amorim. Técnico: Márcio Araújo.

PALMEIRAS: Bruno, Wendel (Evandro,27’/2ºT), Maurício Ramos, Danilo e Armero; Pierre, Sandro Silva (Marquinhos / intervalo), Cleiton Xavier e Diego Souza; Lenny (Daniel / intervalo) e Ortigoza. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

março 19, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro empata e perde liderança do Mineiro

Raposa empatou em 1 a 1 com o Rio Branco e foi ultrapassada pelo Galo

(Crédito: Celio Messias)

LANCEPRESS!

No duelo dos clubes azulados do Mineiro, deu empate. Rio Branco e Cruzeiro ficaram no 1 a 1, em Andradas, resultado que tirou a liderança do Cruzeiro na competição. Agora com 22 pontos, o clube celeste fica atrás do Atlético-MG, que venceu o Villa Nova e chegou aos 23. Já o Rio Branco continua na quarta colocação, com 16 pontos.

Com casa cheia, o Azulão começou o jogo pressionando a Raposa. A equipe de Andradas investia no setor esquerdo do Cruzeiro, que tinha Marquinhos Paraná jogando improvisado como lateral. O jogador, um dos destaques do time celeste no primeiro tempo, não teve cobertura quando avançava ao ataque e por isso mesmo, o Azulão jogou neste espaço.

O primeiro gol da partida saiu justamente numa falha de marcação e de passe do Cruzeiro. Aos 16 minutos, Gerson Magrão bobeou no ataque e perdeu o domínio da bola. Após chutão para o campo defensivo celeste, Chimba avançou com liberdade e tocou para Anderson Antunes. O camisa 9 tentou driblar o goleiro Fábio, mas foi derrubado: pênalti. Chimba deslocou o goleiro celeste e abriu o placar.

O Rio Branco continuava mais perigoso, principalmente nos contra-ataques. O Cruzeiro chegou com perigo ao ataque pela primeira vez aos 28 minutos. Kléber recebeu na intermediária, se livrou da marcação e bateu forte de esquerda. Glaysson fez boa defesa e mandou para escanteio.

Aos 33, o Azulão de Andradas teve a chance de aumentar a vantagem no placar. Após bobeira do time celeste, Márcio Diogo recebeu livre pela direita e tocou para Anderson Antunes. O camisa 9 bateu na saída de Fábio e a bola tocou na trave.

Assim como o Rio Branco, a Raposa marcou seu gol através de um pênalti. Aos 38, Henrique foi rasteirado na área por Thiago Costa. Wellington Paulista cobrou bem e empatou.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou mais organizado e passou a dominar o jogo. Adilson Batista colocou Bernardo em campo e o time passou a ter mais poder de criação. Kléber, o mais inspirado no ataque, continuou incomodando. Aos seis, Marquinhos Paraná acionou o atacante na área. O Gladiador girou e bateu de esquerda, obrigando Glaysson a se esticar. A bola ainda bateu na trave, e na sequência, o goleiro encaixou a pelota.

Só dava Cruzeiro no jogo. A Raposa dominava, mas não conseguia transformar pressão em oportunidades claras. E assim, o tempo foi passando e o gol da virada foi ficando mais distante. O jogo acabou e com ele, se foi também a liderança do Cruzeiro no Mineiro.

FICHA TÉCNICA:
RIO BRANCO 1 X 1 CRUZEIRO

Local: Parque do Azulão, em Andradas (MG)
Data/Hora: 22/03, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Renato Cardoso Conceição (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago/FIFA e Angela Paula Cruz Regis Ribeiro
Renda/Público: R$ 58.770,00 / 5.270 pagantes
Cartões amarelos: André Alves, Fábio Gomes, Rômulo, Anderson e Gil (RBC); Marquinhos Paraná, Fábio, Jonathan e Léo Fortunato (CRU)
Cartões vermelhos: não houve

GOLS: Chimba, 16’/1ºT (1-0); Wellington Paulista, 39’/1ºT (1-1)

RIO BRANCO: Glaysson, André Alves, Anderson e Thiago Costa; Rômulo, Fábio Gomes (Vieira, intervalo); Dudu Araxá, Chimba (Felipe, 12’/2ºT) e Márcio Loyola; Márcio Diogo e Anderson Antunes (Gil, 26’/2ºT). Técnico: Paulo César Catanoce

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Jancarlos, 30’/2ºT), Anderson, Léo Fortunato e Marquinhos Paraná; Fabrício, Henrique, Ramires e Gerson Magrão (Bernardo, 10’/2ºT); Kléber e Wellington Paulista (Wanderley, 10’/2ºT). Técnico: Adilson Batista

março 19, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Estrelas marcam jogo de Corinthians e Santos

Estrelas marcam jogo de Corinthians e Santos

Fenômeno e Neymar são as armas dos técnicos no jogo que define quem é o dono do Pacaembu neste ano

LANCEPRESS!

O ídolo contra a promessa, o segundo contra o quarto colocado, um alvinegro contra o outro. Não faltam confrontos paralelos para definir o clássico deste domingo entre Corinthians e Santos, no Pacaembu, mas as expectativas estarão nos pés de Ronaldo, pelo Timão, e Neymar, pelo Peixe.

Outra novidade é a entrada de Alessandro na lateral direita, que vinha sendo ocupada por Fabinho. Assim, o volante disputa posição com Elias, que se recuperou de lesão, mas pode ser poupado por Mano. Túlio ficará entre os reservas.

Na defesa, Chicão treinou e deve ser titular ao lado de William.

No Peixe, Vagner Mancini optou pelo mistério, mas Neymar deve sair jogando com um ousado esquema, composto por três atacantes. Assim, o garoto atuará ao lado de Roni e Kléber Pereira, com Lucio Flavio sendo responsável por abastecer o trio.

A preocupação é com o zagueiro Fabiano Eller, que gripado, não participou do último treino. mesmo com 38 graus de febre, o departamento médico conta com o jogador. Rodrigo Souto sentiu dores na coxa e também não treinou, mas o volante deve ir a campo.

As únicas baixas são o zagueiro Adaílton e o lateral-esquerdo Léo, contundidos.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/03/2009, às 16 horas
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Assistentes: Rogério Gomes (SP) e Luiz Antonio Corrêa (SP)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, William, Chicão (Diego) e André Santos; Cristian, Fabinho (Elias), Boquita e Douglas; Dentinho e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes.

SANTOS: Fábio Costa, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum, Rodrigo Souto e Lucio Flavio; Roni, Neymar e Kléber Pereira. Técnico: Vagner Mancini.

março 19, 2009 Posted by | Corinthians, Santos | , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo leva susto, mas vence mais uma

Borges brilha quando momento era ruim, mas Tricolor vira líder ao passar pelo Defensor, que atacou muito, mas sempre mal

Borges comemora o gol da vitóriaBorges comemora o gol da vitória (Crédito: EFE)

O São Paulo levou susto, mas com golaço de Borges, conseguiu mais três pontos longe de Morumbi e se consolidou na liderança do Grupo 04 da Libertadores. Desta vez foi no Uruguai, onde superou o forte, mas sem pontaria Defensor Sporting, por 1 a 0.

O Defensor não justificou seu nome e só atacou na primeira etapa. Coube ao São Paulo justificar sua tradição em Copa Libertadores e comandar a partida, o que também não aconteceu. Pressionado pelos uruguaios, o Tricolor era tímido em suas investidas ao ataque.

O time da casa chegava ao ataque pelo lado direito, diante de um Júnior César mal na marcação. No entanto, a má pontaria deixou a vida de Rogério Ceni mais tranquila.

O São Paulo só era organizado quando atacava, o que fez Borges abrir o placar e surpreender o time de roxo. Em bela trama, o atacante recebeu livre na esquerda e chutou forte no ângulo de Silva. 1 a 0 Tricolor.

No segundo tempo, o Tricolor chegou disposto a controlar mais a partida, o que rendeu mais dificuldade para o Defensor assustar. Com vantagem no placar, os brasileiros trocaram passes diante de um rival mais nervoso.

Prova disso foi a quantidade de chances desperdiçadas pelo Defensor, em que todas finalizações foram por cima do gol.

Bastou ao São Paulo apenas administrar o placar e tentar nos contra-ataques o segundo gol, que não aconteceu, mas o Tricolor sai do Uruguai com os três pontos.

FICHA TÉCNICA
DEFENSOR SPORTING (URU) 0 X 1 SÃO PAULO

Estádio: Centenario, Montevidéu (URU)
Data/Hora: 18/03/2009 21h50
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Nicolas Yegros (PAR) e Rodney Aquino (PAR)
Gols: Borges, 39’/1ºT (0-1)
Cartões amarelos: Vera (Defensor Sporting); Rodrigo, Washington, Jorge Wagner, Rogério Ceni e Júnior César (São Paulo)

DEFENSOR: Silva, Pintos, Curbelo, Rizzo, Ariosa, Marchant, Gaglione (Ferreira, 27’/2ºT), Amado e De Souza (Villa, 17’/2ºT); Mora (Navarro, 17’/2ºT) e Vera. Técnico: Jorge da Silva.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Renato Silva, Miranda e Rodrigo; Arouca (Richarlyson, 35’/2ºT), Jean, Hernanes, Jorge Wagner, Junior Cesar (Aislan, 45’/2ºT); Washington e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

março 19, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence e fica perto da classificação

Raposa joga mal mas faz o suficiente para derrotar o Sucre-BOL. Leia mais

Wellington Paulista fez os dois gols que deram a vitória ao CruzeiroWellington Paulista fez os dois gols que deram a vitória ao Cruzeiro (Crédito: EFE)

LANCEPRESS!

Com uma atuação pouco inspirada, o Cruzeiro obteve vitória por 2 a 0 sobre o Universitário Sucre (BOL), nesta quarta, e continuou invicto na Libertadores. Jogando mal durante todo o primeiro tempo, o time do técnico Adilson Batista voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva e contou com dois gols do atacante Wellington Paulista para manter o clube na liderança do Grupo 5 da competição, com 10 pontos, cinco a mais do que o Deportivo Quito (EQU), que joga nesta quinta-feira contra o Estudiantes (ARG).

O jogo começou, mas a Raposa parecia que não tinha entrado em campo. Desligada na partida, a equipe errava muitos passes e não trabalhava a bola com objetividade. A falta de uma postura mais ofensiva por parte dos celestes fez com que o Universitario chegasse mais ao ataque nos primeiros minutos. Apesar ter uma equipe pouco técnica, o Universitario quase chegou ao primeiro gol aos cinco minutos, quando escanteio foi cobrado para área e passou com perigo por toda a pequena área.

O Cruzeiro respondeu três minutos depois. Thiago Ribeiro tocou para Jonathan na direita, que invadiu a área e bateu cruzado. Aos 15, os torcedores celestes chegaram a tirar o grito de gol da garganta. Thiago Ribeiro pegou a sobra e a bola bateu na rede, pelo lado de fora, enganando o público presente no Mineirão.

Apesar de ter maior posse de bola, os donos da casa não conseguiam chegar ao ataque com muito volume. A aparente lentidão do time estrelado irritou e muito a torcida do Cruzeiro na primeira etapa.

Bastou as equipes mudarem de lado no campo que o jogo mudou de cara. A Raposa voltou com muito mais disposição para o segundo tempo e logo começou a sufocar o frágil adversário.

A torcida, empolgada com o futebol mais vibrante do Cruzeiro, finalmente pode comemorar um gol dos donos da casa. Aos 12 minutos, Jonathan avançou pela direita em velocidade e fez ótimo passe passe para Gerson Magrão. O meia invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Lampe: pênalti. Wellington Paulista cobrou rasteiro no canto direito, sem chances para o camisa 1 do Universitario.

Cinco minutos depois, a equipe boliviana perdeu um jogador. Aguirre deu uma cotovelada em Thiago Ribeiro e foi mais cedo para o vestiário.

Apesar de ter um a mais em campo, a Raposa encontrava dificuldades para armar as jogadas. Apesar disso, a fragilidade do adversário, que jogava com um a menos, colaborou para o ataque celeste encontrar ao apagar das luzes o segundo gol. Aos 46, Wanderley ajeitou na medida parea Wellington Paulista, que marcou seu segundo no jogo e definiu a vitória.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 0 UNIVERSITÁRIO SUCRE-BOL

LOCAL: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
DATA/HORA: 18/03/2009, às 21h45min
ÁRBITRO: Frederico Beligoy (ARG)
AUXILIARES: Norberto Moyano (ARG) e Julio Ayala (ARG)
RENDA/PÚBLICO: R$ 319.705,00 / 14.439 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Gerson Magrão (CRU); Lampe, Rivero e Zabala (UNI)
CARTÕES VERMELHOS: Aguirre, 17’/2ºT (UNI)

GOLS: Wellington Paulista, 12’/2ºT (1-0); Wellington Paulista, 46’/2ºT (2-0)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Jancarlos, 41’/2ºT), Leonardo Silva, Thiago Heleno e Sorín; Marquinhos Paraná, Fabrício, Ramires e Wagner (Gerson Magrão, 16’/1ºT); Thiago Ribeiro (Wanderley, 28’/ºT) e Wellington Paulista. Técnico: Adilson Batista

UNIVERSITARIO SUCRE: Lampe, Zabala, Rivero, Aguirre e Bejarano; Ribera, Lima, Saucedo e Marcelo Gomes (Dos Santos, 21’/2ºT); Sillero (Da Silva, 29’/2ºT) e Raimondi. Técnico: Eduardo Villegas

março 19, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Jonas desencanta e Grêmio atropela S.José

Maxi Lópes também marca e Tricolor assume liderança do Grupo 2

LANCEPRESS!

Em sua melhor partida no ano, um verdadeiro show de bola, o time titular do Grêmio goleou o São José por 6 a 1 na noite desta quarta-feira, no Olímpico, e saltou do quinto lugar para a liderança do Grupo 2 no returno do Gauchão. A participação na fase de mata-mata está praticamente garantida.

Com a vitória, e sobretudo pelo desempenho no primeiro tempo, o Tricolor se encheu de moral para buscar a classificação no Grupo 7 da Libertadores, sua competição prioritária. O próximo jogo será na próxima quarta-feira, em Cochabamba, na Bolívia, contra o Aurora. Antes, no domingo, um time de reservas enfrentará a Ulbra, em Canoas.

Só no primeira etapa, foi 4 gols a 1. Na verdade, a partida começou com 1 a 0 para o time de Celso Roth. Aos 21 segundos, no gol mais rápido do campeonato, Tcheco estufou a rede com um chutaço de fora da área, fechando uma combinação entre Fábio Santos e Alex Mineiro.

O São José ainda ensaiou uma reação. Aos 8, o ex-colorado Fabiano, no dia em que completava 34 anos, marcou o gol de empate, pegando o rebote de uma cabeçada de Junior Paulista que Victor defendera.

Mas a diferença técnica, aliada à inspiração do time da casa, logo voltaria a se impor. Souza e Tcheco comandavam o meio-campo e, inteligentemente, exploravam o lado direito da defesa do São José. Por ali, Fábio Santos desbordava como queria. O próprio Souza dava umas caídas por ali, como no segundo gol, aos 21: ele matou no peito um lançamento de Tcheco e passou para Leo, que entrava livre pelo meio. Com a calma de um atacante calejado, o zagueiro colocou a bola no canto direito.

O terceiro e o quarto gols foram marcados por Jonas, aos 25 e 30 minutos, arrematando em bolas vindas da esquerda. Aos 46, fazendo lembrar os desperdícios do jogo contra o
Boyacá Chicó, na semana passada, ele perdeu uma chance incrível na frente do goleiro.

Herrera, e não Maxi López (Celso Roth sempre contrariando as expectativas), voltou no lugar de Jonas no segundo tempo. Leo também descansou, cedendo a vaga a Thiego. A ordem era não ir nas divididas e só explorar os contragolpes.

Assim, aproveitando o avanço das linhas do São José, o Grêmio foi criando algumas boas chances de aumentar, em pontadas agudas. Quase sempre com o ala-direita Ruy. Aos 15, Ruy cruzou para o outro ala, Fábio Santos, cabecear e marcar o quinto gol.

Extenuado, o ala-direita saiu aos 24. A torcida explodiu:quem entrou foi o aguardado Maxi López. E o argentino cumpriu o seu papel: aos 40, ele marcou seu primeiro gol com a camisa tricolor, mostrando sua principal qualidade, a presença de área. Souza cobrou falta, o goleiro soltou na pequena área e López pegou a sobra, batendo para o canto esquerdo. Em outros poucos lances, mostrou habilidade na condução da bola. Mas ainda precisa aprimorar a forma.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 6 X 1 SÃO JOSÉ

Estádio: Olímpico (Porto Alegre, RS)
Data-hora: 18/03/2009 – 19,30h (horário de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva
Auxiliares: José Franco Filho e José Silveira
Renda e público: R$ 130.120,00 e 9.947 pagantes
Cartão amarelo: Souza, Réver (G), Samuel, Fabiano e Daril (SJ)
Cartão vermelho: Réver (G) 31 do segundo tempo
Gols: Tcheco (G) 21 segundos, Fabiano (SJ) 8, Leo (G) 21, Jonas (G) 25 e 30 minutos do primeiro tempo; Fábio Santos (G) 15 e Maxi López (G) 40

GRÊMIO: Victor; Leo (Thiego, intervalo), Rafael Marques e Réver; Ruy (Maxi López 24/2T), Adilson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Alex Mineiro e Jonas (Herrera, intervalo). Técnico: Celso Roth.

SÃO JOSÉ: Luís Muller; Samuel, Enciso e Ari (Tairone 19/2T); Victor (Diego Bottin, intervalo), Jonas, Daril, Júnior Paulista (Dênio 17/2T) e Pedro Carmona; Fabiano e Sotilli. Técnico: André Luís.

março 19, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , | Deixe um comentário

Neymar brilha e Santos goleia na Vila

Peixe jogou apenas na segunda etapa, mas graças a Neymar garantiu classificação

Neymar fez o seu e brilhou na vitória do Peixe. (Foto: Ivan Storti)Neymar fez o seu e brilhou na vitória do Peixe. (Foto: Ivan Storti)

Em partida debaixo de chuva e com menos de 2 mil pagantes na Vila Belmiro, O Santos jogou um primeiro tempo ruim, mas soube se arrumar na etapa final e, com gols de Neymar, Lucio Flavio, Germano e Kleber Pereira, venceu o Rio Branco por 4 a 0. O Peixe, que venceu o jogo de ida, no Acre, por 2 a 1, encara o CSA-AL na próxima fase da Copa do Brasil.

O Santos dominou a posse de bola no começo da primeira etapa, mas errou passes demais e não conseguiu criar. Lucio Flavio, assim como o resto da equipe, esteve apagado. Nem o menino Neymar, destaque das últimas partidas, apareceu.

A única jogada de perigo do Peixe no primeiro tempo veio através de um cruzamento de Triguinho, que teve muito espaço, porém não soube aproveitar. O camisa três, aos 21 minutos, avançou e fez o levantamento. Kleber Pereira dominou bem, mas chutou para fora.

O Rio Branco se fechou na defesa, mas nas poucas vezes em que atacou levou perigo à meta de Fábio Costa. Milton Melgar e Testinha levaram perigo com chutes de fora da área. O camisa 10 Testinha, destaque da equipe na partida, teve chance de ampliar após passe de Ananias, mas, cara a cara com o goleiro santista, chutou para fora.

Apesar do primeiro tempo apagado, o técnico Vagner Mancini voltou sem alterações para a etapa final. A equipe, apesar de ser a mesma, voltou mais animada e, em menos de 25 minutos abriu 3 a 0 no marcador.

Neymar usou todo seu talento aos 13 minutos, passou pelo zagueiro e tocou no canto direito do goleiro André para abrir o placar. O gol trouxe tranquilidade ao Santos que começou a atropelar o Rio Branco.

Lucio Flavio, três minutos depois, aproveitou boa jogada de Pará pela direita e tocou com categoria no canto esquerdo do goleiro, sem chances de defesa. E não parou por aí. O camisa 10 sofreu pênalti de Testinha. Kleber Pereira, que completou 100 jogos pelo Peixe, foi para a cobrança, mas acertou a trave. Germano pegou o rebote e marcou o terceiro.

Faltava o gol de Kleber Pereira, que completou 100 jogos pelo Peixe, mas Neymar resolveu o problema. O camisa 7 fez boa jogada individual e cruzou na área. Kleber Pereira desviou de cabeça e fez o seu.

Fábio Costa ainda teve tempo de defender uma penalidade cobrada por Fábio Silva e impediu o gol de honra do Estrelão.

Com o resultado assegurado e um homem a mais, já que Caimmy foi expulso por acertar uma cotovelada em Neymar, o Peixe tirou o pé do acelerador e, mesmo jogando apenas um tempo na partida, garantiu a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Destaque para o menino Neymar, que, com seu talento, liderou a equipe na segunda etapa e fez seu primeiro gol na Vila Belmiro.

O CSA-AL, que derrotou o Serra-ES, é o próximo adversário do Peixe na competição.
FICHA TÉCNICA

SANTOS 4 X 0 RIO BRANCO-AC

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 18/03/2009, às 21h50
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Assistentes: Vinícius Barone Pampurre (RJ) e Francisco Pereira de Souza (RJ)
Público e renda: 1.855 presentes / R$ 27.450,00
Cartões amarelos: Germano e Fabão (SAN); Ananias, Milton Melgar e Testinha (RIO)
Cartão vermelho: Caimmy (RIO)
Gols: Neymar, 14’/2ºT (1-0); Lucio Flavio, 17’/2ºT (2-0); Germano, 23’/2ºT (3-0); Kleber Pereira, 41’/2ºT (4-0)

SANTOS: Fábio costa, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Pará (Bolaños, 2’/2ºT), Germano (Paulo Henrique Lima, 31’/2ºT), Madson (Rodrigo Souto, 2’/2ºT) e Lucio Flavio; Neymar e Kleber Pereira. Técnico: Vagner Mancini.

RIO BRANCO: André, Caimmy, Fábio Silva, Rodrigão e Ananias; Zé Marco, Ismael, Testinha (Neném, 32’/2ºT) e Milton Melgar; Rozier (Pery, 16’/2ºT) e Juliano Cesar (Rogério, 25’/2ºT). Técnico: Ulisses Torres.

março 19, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário