Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Com a cabeça na Taça Rio, vascaínos esquecem eliminação na Taça GB

No primeiro turno, time da Colina saiu da competição após perder seis pontos no TJD por ter escalado o meia Jéferson de forma irregular

Ampliar Foto Cezar Loureiro/Ag. O Globo Cezar Loureiro/Ag. O Globo

Ramon diz que grupo esqueceu eliminação da Taça Guanabara

Os jogadores do Vasco parecem ter esquecido a eliminação da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Classificados no campo após finalizarem a fase de classificação, o time acabou fora das semifinais por ter escalado o meia Jéferson de forma irregular na estreia da competição, contra o Americano, no dia 24 de janeiro. Julgado no Tribunal de Justiça Desportiva, o clube acabou perdendo seis pontos.

Para o lateral-esquerdo Ramon, a eliminação já faz parte do passado. Segundo o jogador, o primeiro turno passou.

– Ficamos tristes por causa da perda dos pontos na Taça Guanabara, mas tudo já passou, bola para frente. A gente sabe que poderia chegar à final e até mesmo ganhar o título, mas acabou. Agora é um novo desafio, um novo começo. O grupo conversou muito e superou essas dificuldades – afirmou o lateral.

Os jogadores do Vasco tomaram conhecimento da eliminação na semana que antecedeu as semifinais da Taça GB. Na ocasião do julgamento, o grupo estava retornando ao Rio de Janeiro após a goleada por 4 a 1 sobre o Flamengo-PI, pela primeira fase da Copa do Brasil.

março 6, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , | Deixe um comentário

Muricy aprova a atuação do trio Jean, Hernanes e Jorge Wagner no meio-campo

Treinador deixa Hugo no banco de reservas, promove a entrada do lateral-esquerdo Junior Cesar, e deita e rola no setor da criatividade

Ampliar Foto Agência/EFE Agência/EFE

Hernanes recebe elogios do chefão tricolor

O meia Hugo, que na temporada passada foi considerado por Muricy Ramalho como um dos jogadores mais importantes do elenco do São Paulo, perdeu a vaga no time titular do São Paulo na Libertadores de 2009. Na vitória do Tricolor por 3 a 1 diante do América de Cáli, na madrugada desta sexta-feira, no estádio Pascual Guerrero, na Colômbia, o treinador optou pela entrada do lateral-esquerdo Júnior Cesar, colocando Jorge Wagner para ajudar Jean e Hernanes no meio-campo.

– Coloquei o Jorge Wagner no meio-campo para encaixarmos melhor a marcação. O América de Cáli joga aberto pelas pontas e o Jorge Wagner, o Jean e o Hernanes jogaram muito bem. Eles deram pouco espaço para o adversário. O São Paulo mostrou qualidade, mostrou um bom futebol e a vitória foi justa – ressaltou o treinador.

Muricy Ramalho, assim como o atacante Washington, também entende que finalmente o São Paulo voltou a jogar bem e a convencer. Inclusive, o treinador afirmou que esse assunto já havia sido comentado com os jogadores ao longo desta semana.

– Conversamos sobre isso. Precisávamos voltar a jogar o que sabemos. Marcamos direito, jogamos bem e não deixamos o adversário jogar. O São Paulo vem se encontrando novamente. O nosso time é muito forte – elogiou Muricy.

março 6, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Molina pode ser o maior goleador estrangeiro

Jogador se recupera de problema no quadril e sua evolução é visível. Colombiano é titular absoluto de Mancini

Molina comemora um dos gols em sua nova faseMolina comemora um dos gols em sua nova fase (Crédito: Felipe Gabriel)
Fernanda Tavares SÃO PAULO

Após marcar dois gols nos últimos dois jogos, e com a boa fase de volta, o colombiano Molina agora vai em busca de uma marca histórica no Santos. Ele está a cinco gols de ser o maior goleador estrangeiro de toda a história santista.

O argentino Etchevarrieta é o líder do ranking de gols estrangeiros no Peixe. Ele marcou 20 vezes durante os anos 40, época que defendeu o clube. Com os gols contra Bragantino e São Paulo, Molina superou seu xará Molina, argentino, que balançou as redes 13 vezes, também durante a década de 40.

– É uma marca muito especial. Entrar para a história do clube seria muito gratificante. Fiquei sabendo disso no ano passado e vou em busca desse número – afirma o colombiano, xodó da torcida.

Com a chegada do técnico Vagner Mancini, Molina reconquistou a condição de titular, que havia perdido desde a chegada de Cuca, ainda em agosto do ano passado.

– Depois da Libertadores, todo o time caiu, mas eu sai como o culpado aparentemente. Fui o único a perder a condição de titular. Mas graças a Deus consegui novamente reconquistar meu espaço – comemora o meia, que ainda tem mais dois anos de contrato com o Peixe.

Até o fim do Campeonato Paulista, se mantiver a média dos últimos jogos, Molina certamente vai superar a marca de Etchevarrieta e consagrar-se como o maior artilheiro estrangeiro do clube.

Por conta da importância da marca, o santista não esconde certa ansiedade para marcar os gols que faltam para atingir o feito:

– É um objetivo claro meu. Lógico que tem a ansiedade, mas com tranquilidade pois ainda temos muitos jogos pela frente no ano. Acho que vou conseguir esse feito.

Os altos e baixos de Molina desde que chegou à Vila Belmiro são inegáveis. Mas, como mostrou o LANCENET! recentemente, o colombiano agora pode produzir mais, já que está completamente curado de um desvio no quadril.

Muito mais do que se tornar o maior artilheiro vindo de fora do país no Alvinegro, Molina pode conseguir algo difícil dentro do Santos. Os estrangeiros sempre tiveram dificuldades com a torcida.

março 6, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Paraíba não é mais jogador do Flamengo

Apoiador assinou a rescisão de contrato e deve assinar com o Coritiba

Marcelinho Paraíba estava insatisfeito com atrasos de salárioMarcelinho Paraíba estava insatisfeito com atrasos de salário (Crédito: Gilvan de Souza)

LANCEPRESS!

Confirmado: Marcelinho Paraíba está fora do Flamengo. O apoiador, que vinha reclamando constantemente dos atrasos de salário, assinou a rescisão de contrato nesta quinta-feira, na Gávea, e está livre para acertar com o Coritiba.

– Acertamos com os procuradores dele em uma reunião em que tivemos muito bom senso. Não é o que ele gostaria (deixar o clube), mas o contrato dele deixou de ser interessante para o Flamengo e optamos pela saída dele – esclareceu o diretor de futebol Plínio Serpa Pinto.

Marcelinho Paraíba tinha contrato com o Flamengo até dezembro de 2010 e chegou ao clube em agosto de 2008. O apoiador tem quase R$ 1 milhão a receber entre luvas e salários atrasados.

– Não entro em detalhes. O Flamengo não deve mais um centavo ao Marcelinho. Pagamos o que devíamos e ele não tem mais vínculo com o clube. Estamos reciclando nossas contas e rejuvenescendo o time – explicou Plínio.

No Coritiba, o presidente Jair Cirino está na expectativa para acertar com o apoiador. O dirigente já até aceita a cláusula no contrato de um ano com o Coxa, que libera Marcelinho Paraíba para se transferir para a Europa no meio do ano.

– Estamos na expectativa para resolvermos logo esta situação. Não podemos descartar isso (cláusula que o libera em julho). Numa negociação como essa, vários pontos são abordados. Mas é claro que sempre pensamos em fazer contratos com uma duração mais longa. No entanto, não é possível decretar que não aceitaremos isso. Tudo tem que ser negociado – disse Jair.

*atualizado às 20h40

março 6, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , | Deixe um comentário

Kléber: ‘Só devo satisfação ao presidente’

Atacante não gostou de ser multado e criticou diretor celeste Eduardo Maluf

Kléber soltou os cachorros em entrevista à imprensaKléber soltou os cachorros em entrevista à imprensa (Crédito: André Brant)

LANCEPRESS!

Expulso na vitória do Cruzeiro por 1 a 0 contra o Universitário Sucre, pela Copa Libertadores, o atacante Kléber será multado pela diretoria celeste. A punição foi anunciada pelo diretor de futebol Eduardo Maluf após a partida na cidade boliviana. Kléber, que ainda não conversou com o dirigente, não gostou do modo como foi informado da multa.

– Não tenho nada para conversar (com o Maluf), porque ele não veio conversar comigo. Não acho isso legal. Ele devia ter conversado comigo, não ter falado pela imprensa. Acho isso errado – vociferou Kléber.

Para o Gladiador Celeste, a expulsão contra o Universitário Sucre foi injusta:

– Lamentável. Mais uma expulsão. O Gustavo viu bem como fiquei ontem. Tive dificuldade de durmir de tanto pensar. No meu modo de ver, não tinha nem o porque eu agredir. Fui levantar e o juiz pensou que eu agredi. Não tinha intenção nenhuma. Não vi o jogador atrás de mim, mas agora é levantar a cabeça e continuar trabalhando – comentou o atacante cruzeirense.

Questionado se alguém do Cruzeiro conversou com ele sobre a expulsão, Kléber disse que não e comparou a ação da diretoria celeste com o Palmeiras.

– Não conversei com ninguém. Até agora ninguém falou nada comigo. Somente vi as reportagens. Fico chateado porque eu não vivi isso em outros lugares. No Palmeiras, por exemplo, a gente conversava em particular e depois falavamos na imprensa – reclamou Kléber, ainda cutucou o diretor Eduardo Maluf:

– Eu só devo satisfação para o presidente. Antes de vir para o Cruzeiro, ouvi algumas declarações do Maluf e não gostei. Mas apesar disso tudo, continuarei vestindo a camisa do Cruzeiro com maior prazer, maior orgulho.

O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, disse através da assessoria que Eduardo Maluf tem autonomia total e respaldo da presidência do Cruzeiro.

março 6, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , | Deixe um comentário

Promessa de confusão em Presidente Prudente

Corinthians e Palmeiras têm treinos marcados para horários parecidos

Prudentão está reservado para os dois rivais na tarde desta sexta-feira (Foto: Tom Dib)Prudentão está reservado para os dois rivais na tarde desta sexta-feira (Foto: Tom Dib)

O superclássico está marcado para o próximo domingo, mas a disputa entre Corinthians e Palmeiras já começa na tarde desta sexta-feira em Presidente Prudente.

Mano Menezes, Ronaldo & Cia. estão programados para treinar no Estádio Eduardo José Farah, palco do dérbi, às 15h30min. Vanderlei Luxemburgo, Keirrisson & Cia., por sua vez, têm agendado sua atividade para uma hora depois, às 16h30min.

Tradicionalmente, uma atividade de equipe profissional demora cerca de duas horas. Ou seja, é impossível que alvinegros e alviverdes não tenham que brigar pelo mesmo espaço hoje à tarde no Prudentão.

– Treinaremos no Prudentão, às 15h30. Não tem conversa. Temos papel assinado pelo prefeito e tudo – afirmou o presidente Andrés Sanchez, em entrevista exclusiva ao LANCENET! no aeroporto de Uberlândia, minutos antes do embarque para Prudente.

Embarque tranquilo:
A delegação corintiana embarcou por volta das 23h50. O vôo fretado foi a medida da diretoria para minimizar o cansaço da maratona de viagens e jogos. Poucos torcedores de Uberlândia estiveram no aeroporto para se despedirem da delegação.

março 6, 2009 Posted by | Corinthians, Palmeiras | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Atlético-MG acerta empréstimo de Trípodi

Atacante foi cedido de graça pelo Santos e ficará até o fim do ano

Trípodi pertence ao Santos e estava emprestado ao VitóriaTrípodi pertence ao Santos e estava emprestado ao Vitória (Crédito: Ivan Storti)

LANCEPRESS!

O Atlético-MG acertou nesta quinta-feira a contratação do atacante argentino Mariano Trípodi, que disputou o último Campeonato Brasileiro pelo Vitória, da Bahia.

Tripodi, de 21 anos, pertence ao Santos e foi emprestado ao Galo com os salários pagos integralmente pelo clube paulista até o fim do ano.

O jogador trabalhou com o técnico Emerson Leão no ano passado, quando o treinador dirigia o Santos. Na época, o jogador chegou ao clube da Baixada com a fama de ser artilheiro das categorias de base do Boca Júniors.

Leão já havia manifestado o interesse em contar com mais um centroavante no grupo de jogadores. Para a posição, Trípodi terá a concorrência de Éder Luís, Diego Tardelli, Alessandro, Pedro Paulo, Kléber, Raphael Aguiar, Hudson e Marques.

Mariano Trípodi chegou ao Santos em fevereiro do ano passado. Jamais agradou os torcedores, mas sob o comando de Leão teve várias oportunidades. O único gol marcado, em 15 jogos disputados, foi o da classificação às oitavas-de-final da Libertadores, em partida vencida pelo Peixe, contra o Cúcuta-COL, na Vila Belmiro, por 2 a 1.

Em agosto, Tripodi foi emprestado ao Vitória, na época dirigido por Mancini. A passagem pela equipe baiana foi trágica. Em novembro, o presidente do clube, Jorge Sampaio, pediu desculpas públicas pela contratação do gringo.

– A culpa é minha. Estava desesperado com a saída do (atacante) Dinei (que deixou a equipe para jogar no futebol espanhol em agosto) e o técnico Cuca (então treinador do Santos), em quem eu confiava muito, me disse que o Trípodi poderia nos ajudar. Errei – disse Sampaio, na ocasião.

março 6, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , , | Deixe um comentário

Nome de Carlos Alberto Parreira ganha força para assumir o Flu

Ex-treinador da seleção brasileira foi cotado no fim do ano passado, recusou o convite, mas agora o acerto está próximo

Ampliar Foto Agência/Fotocom.Net Agência/Fotocom.Net

Parreira deve responder ao Flu nesta sexta

A diretoria do Fluminense ainda busca um nome de consenso para assumir a vaga do técnico René Simões, que não deverá ficar no cargo para a disputa da Taça Rio. Mas Carlos Alberto Parreira, ex-técnico da seleção brasileira e com passagens pelo Tricolor, novamente ganha força dentro do clube. O acerto está próximo.

Ele foi convidado para dirigir o time do Fluminense no fim do ano passado, mas preferiu permanecer com o seu cargo na Traffic, grupo de investimentos que tem parceria com o clube. E seria exatamente esta proximidade entre o Fluminense e a Traffic que poderia facilitar a contratação de Carlos Alberto Parreira. Um contrato já foi apresentado para o treinador campeão mundial em 1994, e a resposta ficou de ser dada ainda nesta sexta-feira.

O técnico preferido pelo presidente da patrocinadora do clube, Celso Barros, é Renato Gaúcho, mas ele esbarra na negativa dada pelo presidente Roberto Horcades e por outros dirigentes da cúpula tricolor. A torcida também não aprova a volta do treinador, que levou o time ao vice-campeonato da Libertadores no ano passado. Outros nomes especulados nas Laranjeiras são os de Alexandre Gallo, PC Gusmão e Péricles Chamusca.

Depois de livrar o Fluminense do rebaixamento para a Série B no Campeonato Brasileiro do ano passado, René Simões começou a temporada com moral entre os dirigentes tricolores. Mas a derrota para o Cabofriense logo na estreia do Campeonato Carioca, um novo tropeço para o Duque de Caxias e a eliminação na semifinal da Taça Guanabara para o Botafogo fizeram a paciência da diretoria acabar.

Além disso, a barração de jogadores contratados pela patrocinadora, como Jailton, Leandro Domingues e Diguinho, sendo que eles nem ficaram como opções no banco de reservas, ajudou a piorar a situação. Assim como a saída de Conca do time na partida contra o Nacional-PB, nesta quinta-feira.

março 6, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , | Deixe um comentário

Washington se mostra satisfeito: ‘O time mostrou que é o São Paulo’

Atacante diz que estreia ruim em casa pela Libertadores e derrota no clássico no Paulistão mexeram com os brios do grupo

Ampliar Foto Agência/EFE Agência/EFE

Washington festeja um de seus gols em Cáli

Antes mesmo de entrar em campo e vencer o América de Cáli por 3 a 1, na última quinta-feira, o São Paulo já sabia que se apresentaria com uma postura diferente no estádio Pascual Guerrero, na Colômbia. Incomodados pela estreia ruim em casa na Libertadores – em um empate com o Independiente de Medellín – e a derrota no clássico do último domingo, para o Santos, pelo Paulistão, os jogadores e o técnico Muricy Ramalho conversaram e voltaram a mostrar a personalidade do Tricolor que foi campeão brasileiro no fim de 2008.

– Claro que é sempre difícil jogar fora de casa, mas esperávamos sim o bom resultado, pois se via na fisionomia e no empenho em campo de cada atleta a vontade deste grupo. O time mostrou o que é o São Paulo – ressaltou Washington, que marcou dois na partida.

O camisa 9 confirmou que a estreia com empate e o revés no clássico foram determinantes para a mudança de postura da equipe. Para ele, o Tricolor deixou-se levar pelo rival no clássico e tem que aprender com os erros.

– As duas coisas mexeram com nossos brios. Contra o Independiente queríamos vencer e jogamos bem, mas a bola não entrou. E a derrota para o Santos aceitamos demais, fomos passivos. Conversamos sobre isso, o Muricy também falou, e tivemos atitude. Espero que sirva de lição e mostre que quando o São Paulo entra em campo assim é muito forte – acrescentou o atacante.


março 6, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo vence e assume a liderança

Tricolor tem os mesmos quatro pontos do Defensor (URU), mas leva a melhor no saldo de gols, 2 a 1

São Paulo jogou bem, mostrou a experiência de um tricampeão de Libertadores e derrotou o América de Cali por 3 a 1. Washington, duas vezes, e Borges marcaram para o Tricolor. A vitória colocou os brasileiros na ponta do Grupo 4 da Libertadores, com os mesmo quatro pontos do Defensor, mas melhor no saldo de gols, 2 a 1.

A primeira etapa nem bem começou e o São Paulo já mostrou que não veio para se defender. Aos dois minutos, Jorge Wagner dominou no meio de campo e fez o lançamento longo. A bola caiu nas costas da defesa e Washington, de primeira, desviou para abrir o placar.

Com o gol, os brasileiros recuaram para jogar no erro do adversário. A tática não poderia ser melhor, já que o América de Cali, apesar de ficar mais tempo com a bola, não se cansou de errar. Passes, dribles e chutes que apareceram com facilidade nos pés de Hernanes, Jean e Washington, não deram o ar da graça para Arango, Ramos, Otálvaro e o restante do time, com excessão de Valencia, que, em duas faltas da entrada da área, ameaçou o gol de Rogério Ceni.

O Tricolor, mesmo sem ficar a maior parte do tempo com a bola nos pés, foi preciso nos contra-ataques e ampliou a vantagem. Aos 27 minutos, Hernanes fez um lançamento primoroso para Washington nas costas da zaga. O camisa 9 avançou, entrou na área e tocou no canto esquerda de Meza.

O gol desequilibrou de vez os colombianos. Meza e Viáfara trocaram empurrões e as brigas não pararam por aí. Após o final da primeira etapa, o goleiro convocou o elenco para se reunir em campo. Arango deu as costas a Meza e saiu andando em direção ao vestiário.

A tranquilidade que faltou ao América sobrou ao São Paulo, que ampliou no começo da segunda etapa. Borges, aos quatro minutos, aproveitou o rebote do goleiro Meza após cabeceio de Miranda e desviou também de cabeça para o fundo do gol.

A torcida do América de Cali decidiu ter o mesmo péssimo desempenho da equipe em campo e começou a atirar objetos no gramado. O árbitro argentino Héctor Baldassi parou a segunda etapa em algumas oportunidades e a equipe colombiana pode ser punida pelo acontecido.

O São Paulo seguiu seguro na defesa e praticamente não foi ameaçado. Borges e Washington tiveram chances de ampliar a vantagem, mas Meza conseguiu evitar uma derrota mais vergonhosa para os colombianos.

Como consolo, Cortés, aos 39 minutos, recebeu na área e tocou na saída de Rogério Ceni. O gol não foi suficente para evitar a derrota.

Com a vitória, o Tricolor assumiu a liderança do Grupo 4 da Libertadores. O próximo compromisso são-paulino na competição será no dia 18 de março, contra o Defensor, no Uruguai. O América de Cali segue na lanterna, sem pontuar. Os colombianos encaram o Independiente Medellín, no dia 17 desse mês.

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA DE CALI 1 X 3 SÃO PAULO

Estádio: Pascual Guerrero, Cali (Colômbia)
Data/horário: 05/03/2009 23h30
Árbitro: Héctor Baldassi (ARG)
Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Francisco Peñuela (COL)
Cartões amarelos: Vélez (AME); Renato Silva, Zé Luís e Miranda (SAO)
Gols: Washington, 2’/1ºT (0-1); Washington, 27’/1ºT (0-2); Borges, 4’/2ºT (0-3); Cortés, 39’/2ºT (1-3)

AMÉRICA DE CALI: Meza; Angulo, Viáfara, Tavima, Vélez; Arango, Valencia, Chara, Cortez, Otálvaro (Parra,26’/2ºT) e Ramos. Técnico: Diego Umaña.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Renato Silva, Miranda e André Dias; Zé Luis, Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Júnior César; Borges e Washington (Dagoberto, 43’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho

março 6, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Botafogo vence o Dom Pedro e garante vaga

Vitória por 2 a 0 mantém o Alvinegro em clima de festa; confronto na próxima fase será contra o Americano

Reinaldo tem atuação apenas discreta na clasificação do Botafogo em BrasíliaReinaldo tem atuação apenas discreta na clasificação do Botafogo em Brasília

LANCEPRESS!

A alegria do Botafogo pós-Taça Guanabara não tem fim. Nesta quinta-feira, o Alvinegro estreou com o pé direito na Copa do Brasil e venceu o Dom Pedro, em Brasília, por 2 a 0, gols de Jean Carioca e Reinaldo.

Com a vitória fora de casa por dois gols de diferença, o Botafogo não terá necessidade de disputar o jogo de volta, marcado inicialmente para o dia 19. Na segunda fase, o Glorioso enfrenta o Americano, que eliminou o Santa Cruz, em partida ainda sem data definida.

Mesmo com o domínio das ações, o Botafogo teve dificuldades para se aproximar da área adversária durante o primeiro tempo. O time de Ney Franco fez a bola rodar, teve iniciativa, mas pouco finalizou com perigo. O gol só poderia sair numa jogada de bola parada. Aos 29 minutos, Maicosuel cobrou escanteio da direita, a zaga do Dom Pedro falhou e Jean Carioca, livre, empurrou para dentro do gol: 1 a 0 Botafogo.

Pouco tempo antes, o time do Distrito Federal criou sua única chance de perigo na primeira etapa. Aos 23 minutos, Índio fez bela jogada pela direita e cruzou em direção à área. A defesa se enrolou e Renaldo, atento, cabeceou no travessão do goleiro Renan.

No segundo tempo, o panorama da partida permaneceu inalterado. O Botafogo seguiu mandando em campo. O time tratou de trabalhar a bola até chegar no gol adversário. Aos 21 minutos, em jogada bem tramada, Reinaldo recebeu cruzamento rasteiro e, com o bico da chuteira, matou o goleiro Fernando: 2 a 0 Botafogo.

Em desvantagem, o Dom Pedro não conseguiu pressionar o Alvinegro. Mesmo atrás no placar, o time da casa criou poucas chances. Maninho, aos 17 minutos, cobrou uma falta no travessão do Botafogo. E foi só.

O time de General Severiano até teve oportunidades de ampliar o placar, mas optou por cadenciar o jogo. Sem se cansar muito, o Botafogo garantiu a classificação antecipada e o embalo para a estreia na Taça Rio, contra o Tigres, no próximo domingo.

FICHA TÉCNICA:
DOM PEDRO (DF) 0 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Bezerrão (DF)
Data/hora: 5/3/2009 – 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende (GO)
Renda/público: R$ 294.600,00 e 14.730 pagantes
Cartões amarelos: Taru, Renaldo e Gabriel (DPE); Maicosuel (BOT).

GOLS: Jean Carioca, 29’/1ºT (0-1); Reinaldo, 23’/2ºT (0-2)

DOM PEDRO (DF): Fernando; Rafael, Léo, Rodrigo Melo e Júlio (Juninho – 33’/2ºT); Gabriel, Taru (Mazinho – 26’/2ºT), Maninho e Mailson; Renaldo e Índio. Técnico: Fernando Tonet.

BOTAFOGO: Renan; Leandro Guerreiro, Emerson (Júnior – 16’/2ºT) e Juninho (Lucas Silva – 37’/2ºT); Alessandro, Fahel, Léo Silva, Maicosuel (Wellington Júnior – 28’/2ºT) e Thiaguinho; Jean Carioca e Reinaldo. Técnico: Ney Franco.

março 6, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Flu se classifica, mas René ainda balança

Time não joga bem, mas faz o suficiente para vencer por 3 a 0

Thiago Neves comemora o primeiro gol da noite. Fluminense venceu por 3 a 0Thiago Neves comemora o primeiro gol da noite. Fluminense venceu por 3 a 0 (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

LANCEPRESS!

O dia foi de alegria para os tricolores. Depois da apresentação de Fred, pela manhã, o Fluminense garantiu a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Nacional (PB) por 2 a 0 mesmo sem apresentar um bom futebol. O resultado, porém, não trouxe tranquilidade para o técnico René Simões, que ainda está na corda bamba e pode ser demitido até o fim de semana.

Logo no início do jogo, o Fluminense quis garantir, de forma tranquila, a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil. Com Tartá e Everton Santos no ataque, o time de René Simões entrou leve, explorando os lados do campo. Com uma marcação cerrada na frente, o Tricolor reconquistava a posse da bola rapidamente e não deixava o adversário atuar.

E em uma jogada pela lateral o Fluminense chegou ao primeiro gol da noite. Após cruzamento, Everton Santos foi empurrado dentro da área. Pênalti assinalado pelo árbitro. Na cobrança, Thiago Neves bateu fortemente no canto esquerdo de Adson para abrir o placar: 1 a 0.

Com a vantagem, o Tricolor diminuiu o ritmo e só voltou a pressionar o adversáio no fim do primeiro, quando chegou ao segundo gol. Após um lindo passe de Luiz Alberto, Thiago Neves recebeu pela direita e rolou para dentro da área. Everton Santos teve apenas o trabalho de colocar para dentro.

No segundo tempo, os jogadores mantiveram o ritmo, mas, quando não erravam o último passe, esbarravam na defesa do Nacional (PB). De vez em quando, o time visitante incomodava nos contra-ataques, mas nada que tirasse o sossego do torcedor, que ainda viu Tartá fechar o caixão já nos acréscimos. Com o resultado, o Fluminense espera o vencedor de América (MG) e Águia Marabá (PB), que decidem vaga no dia 18 de março.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 3 X 0 NACIONAL (PB)

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 5/3/2009 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Jefferson Schmidt (SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Kleber Lucio Gil (SC)

Renda/público: R$ 103.732,00 /7.250 págs.

Cartões amarelos: Ecarlos, Tartá (FLU); Adson, Jean Alisson, Eduardo Rato, Marcílio (NAC)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Thiago Neves, 12’/1ºT (1-0); Everton Santos, 42’/1ºT (2-0); Tartá, 47’/2ºT (3-0);

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Mariano, Ecarlos, Luiz Alberto e Leandro (João Paulo, intervalo); Fabinho (Conca, 14’/2ºT), Romeu, Leandro Bomfim (Leandro Domingues, 26’/2ºT) e Thiago Neves; Tartá e Everton Santos. Técnico: Renê Simões.

NACIONAL (PB): Adson, José Wilker, Nilson Paraíba, Alisson e Max; Marcílio, Enercino (Alan, intervalo), Jean Alisson e Ribinha (Neto Baiano, intervalo); Eduardo Rato e Eduardo (Marcos, 22’/2ºT). Técnico: Marcos Nascimento.

março 6, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio esbarra no Ypiranga, e crise chega de vez ao estádio Olímpico

Empate de 1 a 1, em casa, deixa Celso Roth ainda mais pressionado

Não teve show, não houve encanto e não rendeu três pontos. A estreia do Grêmio na Taça Fábio Koff, o segundo turno do Campeonato Gaúcho, foi marcada por protestos da torcida contra Celso Roth e o time, preocupação e um empate amargo, por 1 a 1, com o Ypiranga 

O resultado deixa as duas equipes com um ponto na Chave 2 e aumenta a crise que chegou ao estádio Olímpico após a derrota no Gre-Nal. Na segunda rodada, as equipes jogam neste domingo. O Grêmio visita o Santa Cruz, às 16h. O Ypiranga recebe o Sapucaiense, no mesmo horário, no estádio Colosso da Lagoa, em Erechim.

Classificação e tabela do Campeonato Gaúcho

Torcedores x Roth, e futebol burocrático

Reprodução/Site Oficial do Grêmio

Jonas abre o placar para o Tricolor

Pressão. Palavra perfeita para definir o início do jogo. Não de ataque contra defesa, mas de torcida contra treinador. Os gremistas que foram ao estádio Olímpico ainda não perdoaram o técnico Celso Roth pela derrota no clássico do último domingo e hostilizaram o comandante antes e durante a partida desta quinta.

Sem Tcheco, febril, Makelele formou o meio-campo na função de segundo volante. Na ala esquerda, Fábio Santos foi escalado no lugar de Jadílson, no rodízio promovido na posição. A ausência do camisa 10 fez o time perder criatividade no setor, ainda mais com a equipe de Erechim totalmente fechada, porém trouxe muita disposição.

O primeiro lance de perigo surgiu apenas aos 14 minutos. Souza cobrou falta no lado esquerdo do ataque, tentou surpreender Giovani, mas o goleiro fez a defesa com um soco. Aos 23, o grito de gol chegou na ponta da língua. Depois de uma tabela com Souza, Alex Mineiro chutou de fora da área e por pouco não abriu o placar. Souza também tentou pouco depois, mas Giovani defendeu.

Cheiro de gol

A partir dos 30 minutos, as melhores chances gremistas. Souza cobrou falta para a área, Réver e Rafael Marques tentaram a cabeçada, mas a bola ficou com o goleiro do Ypiranga. O meia participou de mais um lance de perigo. Aos 33, após um belo passe de peito de Réver, ele pegou de primeira, mas a bola explodiu na zaga antes de sair pela linha de fundo.

Como o Tricolor parou, sobrou tempo para os gremistas exercitarem a critividade. Nas arquibancadas, os torcedores não perdoaram o técnico Celso Roth e o ‘convidaram’ a se retirar aos gritos: ‘ão, ão, ão, pede demissão!’.

Quando a proximidade do fim do primeiro tempo anunciava muitas vais, Jonas clareou o lado dos companheiros. O atacante bateu firme da entrada da área, de pé esquerdo, e acertou o cantinho de Giovani: 1 a 0 com sabor de alívio.

Tempo fechado no Olímpico

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

Alex Mineiro passou em branco

O gol que melhorou o clima no estádio deixou os donos da casa mais tranquilos para jogar no segundo tempo. Nos primeiros cinco minutos, nenhuma chance clara de gol foi criada, mas era nítido que a equipe tricolor estava mais leve. Leve até demais! Tanto que permitiu o empate do Ypiranga, aos 9 minutos. Sharlei recebeu cruzamento na área e, com velocidade, ganhou de Léo para deixar tudo igual: 1 a 1, e volta dos protestos nas arquibancadas.

Aos 15, o zagueiro Réver tentou dar aquela força ao ataque. Com espaço, ele avançou até a entrada da área e buscou o ângulo direito de Giovani. O lance mereceu os aplausos da exigente torcida gremista.

Como só a vitória interessava, Roth sacou o zagueiro Léo e lançou o garoto Douglas Costa, na metade da etapa final. Aos 25, Flávio, que também saiu do banco de reservas, ficou na cara do gol, tentou encobrir Victor, mas a bola subiu demais, para desespero do técnico Tonho Gil. Jonas respondeu para o Grêmio, três minutos depois, só que o chute foi para fora. Aos 29, Douglas Costa apareceu pela primeira vez. Ele cruzou na cabeça de Rafael Marques, mas o zagueiro conseguiu perder a grande chance.

Celso Roth tentou dar mais gás ao time com Reinaldo no lugar de Alex Mineiro, e Jadílson na vaga de Fábio Santos. Jonas teve a chance de desempatar o duelo, aos 43. O atacante recebeu cruzamento na área, cabeceou certinho, mas Giovani operou um milagre. Quando a fase é difícil…

Aos 46, quase que o Olímpico desmorona. O atacante Flávio ficou sozinho na área, se enrolou todo com a bola e não conseguiu chutar para virar o placar. Com o resultado, ou o Grêmio acorda, ou vai ter trabalho para conquistar o returno.

Ficha técnica:

GRÊMIO 1 x 1 YPIRANGA
Victor, Léo (Douglas Costa), Réver e Rafael Marques; Ruy, Diogo, Makelele, Souza e Fábio Santos (Jadílson); Jonas e Alex Mineiro (Reinaldo). Giovani, João Rodrigo, Tomás, Renato e Fábio (Diego); Pavão, Márcio, Marquinhos, Michel e ; Sharlei (Marcelo Muller) e Guto (Flávio) .
Técnico: Celso Roth. Técnico: Tonho Gil.
Gols: Jonas, aos 47 do primeiro tempo. Sharlei, aos 9 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Márcio, Marquinhos, Renato, Giovani (Ypiranga); Léo, Réver (Grêmio). Cartão vermelho:
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS). Data: 05/03/2009. Árbitro: Jean Pierre Gonçalves de Lima. Auxiliares: Vilmar Burini e Edemar Palmeira.

março 6, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , | Deixe um comentário