Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Alex e Taison comandam goleada sobre o Caxias e Inter fecha fase de grupos invicto

Colorado avança para as quartas-de-final com a melhor campanha de todas

Ampliar Foto Agência/VIPCOMM Agência/VIPCOMM

No canto direito, Alex e Taison se cumprimentam. Dupla arrebentou em campo no Beira-Rio

Dono da melhor campanha do Gaúcho até o momento e imbatível nas oito partidas que disputou, o fechou a fase de grupos do primeiro turno em grande estilo. Com show de Taison e Alex no Beira-Rio, o Colorado goleou o Caxias por 5 a 1 na tarde deste domingo. Com a classificação garantida com antecedência, o jogo serviu apenas para confirmar o poderio do time para a próxima etapa da competição: as quartas-de-final. Na Chave 1, o Colorado sobrou: seis vitórias e dois empates, total de 20 pontos (oito a mais que o Veranópolis, segundo colocado).Internacional

Classificação do Campeonato Gaúcho

Taison confirmou o bom momento e marcou dois gols na partida. Saiu de campo ovacionado pela torcida. Alex, que foi o centro das atenções nessa semana, por se mostrar insatisfeito com as substituições de Tite, chutou qualquer indício de crise para escanteio, teve uma boa atuação em campo e balançou a rede do Caxias duas vezes também.

Virada polêmica

Já classificado em primeiro lugar do Grupo A, o Inter começou a partida em ritmo lento. Até se arriscava mais ao ataque que o Caxias, mas faltava inspiração aos jogadores de frente. A criatividade também não estava em alta. Ou o Colorado insistia nos cruzamentos pelo lado esquerdo com Kléber e Alex, ou insistia pelo meio com Nilmar e Taison. Para o adversário era fácil bloquear as jogadas previsíveis do Inter.

O perigo do Caxias vinha através das jogadas de bola parada. Aos 7 minutos, em cobrança de falta, a bola foi levantada na área e o uruguaio Santín desviou de cabeça para dentro do gol. Mas o auxiliar assinalou corretamente o impedimento no lance. O Inter respondeu em duas jogadas com Magrão. Aos 15 minutos, o jogador recebeu livre pela direita e bateu cruzado, passando muito perto da trave. Um minuto depois, o goleiro Juninho soltou bola nas do jogador, que perdeu ótima oportunidade, chutando para fora.

Ampliar Foto Agência/VIPCOMM Agência/VIPCOMM

Kleber foi muito acionado no primeiro tempo, mas não conseguiu eficiência nos cruzamentos

Aos 17 minutos, o Caxias abriu o placar. Júlio Madureira apareceu sozinho pela direita, balançou o corpo frente ao zagueiro e cruzou na medida para a cabeçada de Marcos Denner: 1 a 0. Nem o gol acordou o Colorado, que continuou a jogar de forma burocrática. Tudo seguia na mesma, até a grande polêmica que ocorreu aos 38 minutos. Em cobrança de escanteio, Magrão cabeceou em direção ao gol, o goleiro Juninho defendeu, a bola escorregou e ele afastou com um tapa. O auxiliar indicou que a bola ultrapassou a linha e o juiz confirmou: 1 a 1. Os jogadores do Caxias reclaram muito do lance. A confusão só ajudou o Inter. Dois minutos depois, Nilmar ajeitou para o chute de Taison de fora da área no canto esquerdo: 2 a 1.

Goleada, para ninguém reclamar

Se a torcida estava insatisfeita com a apresentação do Inter no primeiro tempo, os jogadores trataram de fazer a sua parte logo no início do segundo para ninguém reclamar nas arquibancadas. Em menos de um minuto de jogo, Alex entrou na área e chutou forte, a bola desviou no zagueiro e encobriu o goleiro: 3 a 1. Aos 14 minutos, Nilmar foi lançado em velocidade e rolou no meio para Taison, livre de marcação, empurrar para dentro do gol: 4 a 1.

A pressão colorada continuou durante os minutos seguintes. A oportunidade de maior perigo aconteceu aos 24 minutos. Juliano deixou Taison na cara do gol. O atacante chutou forte, mas Juninho evitou o que seria o quinto gol colorado e o terceiro do artilheiro na partida. Um minuto depois, Taison saiu de campo ovacionado pela torcida, substituido pelo atacante Alecsandro. Para fechar a goleada com estilo, Alex resolveu roubar a cena também. O jogador que foi o alvo das atenções durante a semana, demontrando insatisfação com as substituições de Tite, fez o seu segundo gol no jogo. Aproveitou bobeira da zaga do Caxias e chutou para dentro aos 33 minutos: 5 a 1.

Ficha do jogo:

INTERNACIONAL 5 x 1 CAXIAS
Lauro; Bolívar, Índio, Danny Moraes, Kléber; Andrezinho (Giuliano), Magrão, Guiñazu (Sandro), Alex; Taison (Alecsandro), Nilmar Juninho, Tiago Henrique, Ciro, Santín, Aelson, Roberto, Mika, Marielson, Marcos Vinícius (Edimar)(Brida), Júlio Madureira (Vágner), Marcos Denner
Técnico: Tite Técnico: Argel
Gols: Marcos Denner, aos 17 minutos,  Magrão, aos 38, Taison, aos 40 minutos (1º Tempo); Alex, 1 minuto, Taison, aos 14 minutos, Alex, aos 33 minutos (2º tempo).
Cartões Amarelos: Guiñazu (INT), Tiago Henrique, Ciro, Roberto, Juninho, Vagner (CAX). Cartão vermelho: Ciro.
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 15/02/2009. Árbitro: Fabrício Neves Corrêa. Auxiliares: Cristiano Arlei Hennig e Carlos Alberto dos Santos Bittencourt.

Primeiro turno – oitava rodada
Domingo, 15/02

16h – Avenida 1×2 Grêmio
16h – Internacional SM 0x0 Santa Cruz
16h – Esportivo 0x0 Canoas
16h – Novo Hamburgo 1×1 Sapucaiense
16h – Veranópolis 3×2 São José POA
16h – Juventude 2×0 São Luiz
20h30m – Brasil de Pelotas x Ypiranga

fevereiro 15, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , | 1 Comentário

Cruzeiro supera rival Atlético-MG no Mineirão

Raposa venceu por 2 a 1 e se manteve 100% no Campeonato Mineiro

Soares anotou um dos gols celestes na partidaSoares anotou um dos gols celestes na partida (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

A escrita se manteve e o Cruzeiro venceu o Atlético-MG por 2 a 1, neste domingo, no Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Mineiro. Com a vitória, a Raposa chegou a dez partidas de invencibilidade sobre o maior rival, além de ter consolidado de vez a primeira posição na tabela do Estadual, com 15 pontos. Já o Galo termina a rodada na sexta colocação. Ramires e Soares fizeram os gols celestes e Diego Tardelli descontou para o Alvinegro.

O primeiro tempo começou equilibrado no Gigante da Pampulha. Ambas as equipes procuravam o jogo e buscavam imprimir um ritmo forte e veloz. A Raposa, que entrou em campo com quatro reservas, atacava muito pela direita, com Jancarlos e Thiago Ribeiro, este se movimentando muito em campo. Já o Galo começou buscando o gol em enfiadas de bola em velocidade para Éder Luís, Marcos Rocha e Diego Tardelli.

O primeiro lance de perigo na partida gerou polêmica. Carlos Alberto recebeu lançamento e foi derrubado por Léo Fortunato na área. O juiz não marcou nada, para a fúria dos atleticanos.

A resposta da Raposa veio rápido. Aos sete minutos, Ramires recebeu cruzamento de Thiago Ribeiro e chutou na trave.

O jogo continuou equilibrado, até que um atleticano deu um presente para o Cruzeiro. Diego Tardelli perdeu bola na defesa para Jancarlos, que chegou à linha de fundo com tranquilidade, olhou para a área e cruzou para Ramires, que testou para a rede: 1 a 0 Raposa.

O gol fez com o que Galo partisse para cima e tentasse a qualquer custo o gol do empate. Aos 22, o jovem meia Yuri quase igualou o clássico. Marcos Rocha cruzou e o meia, livre, chutou rente à trave direita de Fábio.

O Atlético-MG ainda teve mais quatro chances de empatar a partida. No entanto, a falta de pontaria dos homens de frente do Galo levou a torcida alvinegra à loucura. A única chance criada que quase se transformou em gol aconteceu aos 31 minutos. O zagueiro Leandro Almeida deu uma de atacante e chutou de virada, dentro da área celeste. A bola explodiu na trave e a zaga afastou.

O Cruzeiro começou a explorar os contra-ataques, e foi em um deles que a Raposa conseguiu a expulsão do zagueiro Welton Felipe, aos 37 da primeira etapa, após receber o segundo cartão amarelo. Com um jogador a mais em campo, a equipe comandada por Adilson Batista passou a dominar o jogo. Emerson Leão tirou o meia Yuri e colocou Marcos, para recompor a defesa.

Apesar de ter um zagueiro a mais, o Galo ainda sofreu mais um gol na primeira etapa. Soares recebeu ótimo passe na direita, driblou Leandro Almeida e fuzilou para o gol. A bola passou debaixo de Juninho e estufou a rede..

Segundo tempo

O Cruzeiro distribuía facilmente a bola em campo, e criou várias chances de matar o jogo no início da segunda etapa. Aos sete, Fernandinho chutou cruzado da esquerda e obrigou Juninho a se esticar. Sete minutos depois, foi a vez de Soares, livre, desperdiçar de frente para Juninho.

A escrita de gols perdidos acabou se invertendo na segunda etapa. Se no primeiro tempo, o Galo foi castigado por despediçar chances, no segundo, foi a Raposa que se complicou. Após perder excelente oportunidade, com Wellington Paulista, aos 29, a Raposa viu o Galo dois minutos depois diminuir o placar. Carlos Alberto sofreu pênalti de Fábio, e Diego Tardelli cobrou, com direito a paradinha, para diminuir.

O gol incendiou o jogo, e as chances voltaram a aparecer. Aos 33, foi a vez de Diego Tardelli desviar cruzamento e quase empatar. Aos 36, Thiago Ribeiro driblou o goleiro Juninho, tocou para o gol, mas Leandro Almeida desviou e salvou o Galo.

Aos 41, Thiago Ribeiro foi expulso e o número de jogadores em campo se igualou. O Galo ainda perdeu ótima oportunidade com Márcio Araújo, mas acabou atrás do placar. O Cruzeiro acabou vitorioso.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 ATLÉTICO-MG

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/Horário: 15/02/09, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago e Celso Luiz da Silva.
Renda/Público: R$ 972.856,50 / 47.803 pagantes
Cartões Amarelos: Júnior, Leandro Almeida, Welton Felipe e Éder Luís (ATL); Andrey, Thiago Ribeiro, Gerson Magrão, Henrique, Jancarlos e Fábio (CRU)
Cartões Vermelhos: Welton Felipe, 37’/1ºT (ATL); Thiago Ribeiro, 41’/2ºT (CRU)

GOLS: Ramires, 18’/1ºT (1-0); Soares, 43’/1ºT (2-0); Diego Tardelli, 31’/2ºT (2-1)

CRUZEIRO: Fábio, Jancarlos (Jonathan, 24’/2ºT), Léo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Gerson Magrão (Wagner, 14’/2ºT); Thiago Ribeiro e Soares (Wellington Paulista, 18’/2ºT) Técnico: Adilson Batista

ATLÉTICO-MG: Juninho, Marcos Rocha (Werley, 17’/2ºT), Welton Felipe, Leandro Almeida e Júnior; Carlos Alberto, Renan (Thiago Feltri, intervalo), Márcio Araújo e Yuri (Marcos, 39’/1ºT); Éder Luís e Diego Tardelli. Técnico: Emerson Leão

fevereiro 15, 2009 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco vence e espera decisão do TJD-RJ

Em ritmo de treino, time vascaíno passa pelo Tricolor Suburbano

Carlos Alberto marcou, de pênalti, o primeiro gol do Vasco na vitória sobre o MadureiraCarlos Alberto marcou, de pênalti, o primeiro gol do Vasco na vitória sobre o Madureira (Crédito: Paulo Sérgio)

LANCEPRESS!

O Vasco entrou em campo contra o Madureira neste domingo, no Engenhão, sob a ordem de manter o pensamento somente no jogo, esquecendo a sua confusa situação extracampo. Sem muito entusiasmo e diante de poucos torcedores, a equipe vascaína venceu por 3 a 0 na última rodada do Grupo A da Taça Guanabara.

Com o resultado, os oponentes torcaram de posição. O time vascaíno foi a oito pontos, em sexto lugar, enquanto o Tricolor Suburbano permaneceu com sete, agora penúltimo – e ambos fora da semifinal.

Porém, na terça-feira, o Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) julga o recurso do clube cruzmaltino contra a perda de seis pontos. Se os recuperar, passará a ter 14 pontos, o que garante a liderança do grupo e um lugar na fase decisiva do turno.

O primeiro tempo foi disputado em ritmo de treino, com duas equipes sem nenhuma inspiração. O Vasco dominou a etapa, buscou especialmente as jogadas pelas laterais, mas esbarrou na pouca criatividade de seus homens de frente. Por sua vez, o Madureira não deu trabalho a Tiago.

Porém, aos 27 minutos, Paulo Sérgio fez cruzamento pela direita e a bola bateu no braço de Daniel. O meia Carlos Alberto fez boa cobrança no minuto seguinte e abriu o placar.

O Tricolor Suburbano voltou para a etapa final no ataque e acertou a trave adversária em um bonito chute de Abedi aos três minutos. Porém, a equipe vascaína retomou o controle das ações e, sem esforço, ampliou a vantagem: Jéferson fez o seu aos 17 minutos e Élton aos 40 minutos – os dois marcaram seus primeiros gols pelo clube.

O Madureira volta a campo no dia 28 de fevereiro, em Edson Passos (RJ), contra o Bangu, na abertura da Taça Rio. Já o Vasco enfrenta, na quarta-feira, o Flamengo (PI), em Teresina (PI), em sua estreia na Copa do Brasil. No Carioca, recebe o Friburguense, em São Januário, dia 1º de março, pelo segundo turno.

FICHA TÉCNICA:
MADUREIRA 0 X 3 VASCO

Estádio: Olímpico João Havelange (Engenhão), Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 15/2/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Noel Laranja (RJ)
Auxiliares: Jackson Lourenço Massarra dos Santos (RJ) e João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ)
Renda/público: R$ 87.161,00 / 5.113 pagantes
Cartões amarelos: Ricardo, Junior Amorim, Daniel e Bruno (MAD); Nilton, Paulo Sérgio, Titi (VAS)
Cartões vermelhos: Bruno, 12’/2ºT (MAD)

GOLS: Carlos Alberto, 28’/1ºT; Jéferson, 17’/2ºT; Élton, 40’/2ºT.

MADUREIRA: Renan, Claudemir, Eduardo Luiz, Ricardo e Daniel (Adão, 23’/2ºT); Victor Silva (Neto, intervalo), Bruno, Abedi e Adriano Felicio; Júnior Amorim (Jones, 18’/1ºT) e Fábio Oliveira. Técnico: Robson Gabriel.

VASCO: Tiago, Paulo Sérgio (Mateus, 20’/2ºT), Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Enrico, 32’/2ºT) e Carlos Alberto; Alex Teixeira (Élton, 13’/2ºT) e Rodrigo Pimpão. Técnico: Dorival Júnior.

fevereiro 15, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Clássico emocionante paulista fica no empate

Jogo corrido teve três expulsões, dois gols e polêmica dentro de campo, tudo digno do confronto entre São Paulo e Timão

Túlio foi um dos expulsos no polêmico clássicoTúlio foi um dos expulsos no polêmico clássico

O primeiro clássico de São Paulo e Corinthians no ano pegou fogo e nos últimos minutos, as equipes desencantaram no empate por 1 a 1, neste domingo, no Morumbi. Borges e André Santos marcaram para tirar o placar do zero no movimentado clássico, cercado de polêmica.

As mudanças de Mano Menezes para o clássico deixaram o Corinthians confuso em campo, principalmente pelo lado direito, pois jogou sem um lateral de ofício, já que Túlio e Elias se posicionaram no setor. E foi por lá que o São Paulo criou as melhores chances, em dia inspirado de Júnior César.

O Tricolor praticamente não saiu do campo de ataque, enquanto o Timão apostava em lances isolados, mas sem a menor organização.

O desequilíbrio tático da partida deixou os jogadores do Corinthians nervosos, o que custou caro ainda no primeiro tempo. Túlio simulou pênalti em jogada com André Dias e o zagueiro, ao passar pelo adversário, gritou: – Levanta!. Após a bronca, o volante corintiano deu um soco em Dias e foi expulso.

O Timão voltou para a segunda etapa melhor postado. Souza entrou no lugar de Morais, Escudero deixou de ser zagueiro para virar lateral-esquerdo e André Santos saiu da ala para o meio. Mas aí o time sentiu a expulsão do primeiro tempo, o que manteve a superioridade tricolor.

Muricy Ramalho tentou aproveitar ainda mais a superioridade numérica com a entrada de Hernanes e Borges no lugar de André Lima e Rodrigo, mas aos 28 foi a vez do São Paulo ficar com dez. Wagner Diniz, que já tinha amarelo, fazer falta por trás e ser expulso.

Mas logo aos 30, o placar foi aberto. Hernanes e Dagoberto fizeram boa tabela e Borges ficou livre na pequena área para tocar para a rede. O Corinthians respondeu seis minutos depois, em belo passe de Boquita para André Santos, que tocou na saída de Bosco.

Mas o ala, que jogara de meia, foi expulso no final, o que trouxe o São Paulo ao campo de ataque novamente, mas não tirou o empate do placar.
FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 CORINTHIANS

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 15/02/09
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Assistentes: Ednílson Corona (FIFA/SP) e Anderson Moraes Coleho (SP)
Gols: Borges, 30’/2ºT (1-0), André Santos, 36’/2ºT (1-1)
Cartões amarelos: Borges, Renato Silva, Dagoberto e Richarlyson (São Paulo); Morais, Jorge Henrique, Escudero e Jean (Corinthians)
Cartões vermelhos: Túlio e André Santos (Corinthians); Wagner Diniz (São Paulo)

SÃO PAULO: Bosco, André Dias, Rodrigo (Hernanes, 12’/2ºT) e Renato Silva; Wagner Diniz, Jean, Arouca, Richarlyson e Júnior César; André Lima (Borges, 12’/2ºT) e Dagoberto. Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS: Felipe, Jean (Fabinho, 38’/2ºT), Willian e Escudero; Cristian, Elias, Túlio, Douglas (Boquita, 26’/2ºT), André Santos; Jorge Henrique e Morais (Souza, intervalo). Técnico: Mano Menezes.

fevereiro 15, 2009 Posted by | Corinthians, São Paulo | , , , , , | Deixe um comentário

Fla empata no fim com o Fogão e se garante líder

Josiel marca no apagar das luzes e garante time na primeira posição

Leandro Guerreiro levou a melhor sobre ObinaLeandro Guerreiro levou a melhor sobre Obina (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

Até os 47 minutos do segundo tempo, o Botafogo vencia por 1 a 0 e se garantia em primeiro. Assim, enfrentaria o Resende na semifinal da Taça Guanabara. Mas Josiel pôs água no chope alvinegro e garantiu o empate do Flamengo no último minuto do clássico deste domingo, no Maracanã. Com o 1 a 1, o Rubro-Negro é quem terminou líder.

Antes do jogo, o discurso dos dois lados era afinado: o jogo era importante porque valia a liderança. Mas com problemas médicos – como Victor Simões e Ronaldo Angelim, por exemplo – e a indefinição do outro grupo o clássico ficou esvaziado, com dois times mistos.

Apesar disso, a partida foi aberta e agradável de se ver. Tanto que houve boas chances para Botafogo e Flamengo. Nas primeiras, Zé Roberto e Reinaldo perderam a oportunidade de marcar sobre seu ex-clube. Mas quem aproveitou bem foi Batista. Ele tabelou e, de fora da área, bateu com força no canto direito, aos 18 minutos do primeiro tempo.

O gol premiou um Botafogo organizado e de bom toque de bola. Porém, o time recuou para atuar nos contra-ataques. Teve chances, como uma que Lucas Silva desperdiçou à frente de Bruno. Mas deu campo para o Flamengo, que passou a ter a posse de bola e a ameaçar, mesmo que sem muita criatividade. Jônatas era o destaque.

No intervalo, Bruno deu a bronca. Segundo ele, o Flamengo estava correndo pouco. Os companheiros parecem ter ouvido e voltaram mais dispostos para o segundo tempo. Logo aos sete minutos, veio a grande chance do empate. Alessandro empurrou Egídio na área e fez pênalti. Obina cobrou no canto esquerdo, mas Renan fez defesa espetacular.

O goleiro foi o protagonista da etapa final. Jônatas e Josiel – que entrou no lugar do vaiado Obina – tentavam de todas as formas e paravam em Renan. O time alvinegro, por sua vez, destoou. Esteve bem defensivamente, mas perdeu chances em excesso de matar o jogo no contra-ataque.

Com este panorama, parecia que terminaria mesmo 1 a 0 para o Botafogo. Mas Josiel apareceu, pegou rebote de mais uma grande defesa de Renan e empatou aos 47. Com a melhor campanha da Taça Guanabara, o time pega na semifinal o Resende no Sábado de Carnaval. Já o Alvinegro terá pela frente o Fluminense, na Quarta-Feira de Cinzas. Isso se o julgamento do caso Jéferson, do Vasco, nesta terça-feira, não mudar tudo.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 1 x 1 FLAMENGO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 15/2/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: José Alexandre Barbosa Lima (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Raimundo Araújo dos Santos (RJ)
Renda – Público: R$ 491.452,50 – 31.761 pagantes
Cartões amarelos: Alessandro, Batista, Fahel, Leandro Guerreiro e Wellington Júnior (BOT); Léo Moura e Thiago Salles (FLA)
Cartões vermelhos:

GOLS: Batista, 17’/1ºT (1-0); Josiel, 47’/2ºT (1-1)

BOTAFOGO: Renan, Wellington, Leandro Guerreiro e Fahel; Alessandro, Batista, Túlio Souza (Jougle, intervalo) Lucas Silva e Thiaguinho (Alex, 30’/2ºT); Reinaldo e Diego (Wellington Júnior, intervalo). Técnico: Ney Franco.

FLAMENGO: Bruno, Willians, Fábio Luciano e Thiago Sales; Léo Moura, Toró (Fierro, 19’/2ºT), Ibson, Jônatas e Egídio (Éverton Silva, 22’/2ºT); Zé Roberto e Obina (Josiel, 17’/2ºT). Técnico: Cuca.

fevereiro 15, 2009 Posted by | Botafogo, Flamengo | , , , , , , | Deixe um comentário

Fluminense vence Tigres por 3 a 0 e se classifica

Em tarde de Everton Santos, Tricolor bate time da Baixada e garante vaga nas semifinais

(Crédito: Ricardo Cassiano)

Com um ressuscitado Everton Santos, que marcou duas vezes, o Fluminense venceu o Tigres por 3 a 0 e, beneficiado pelos resultados da rodada, garantiu sua classificação às semifinais da Taça Guanabara independentemente do Vasco recuperar os pontos ou não no recurso desta terça-feira.

Como de costume nesse campeonato, o Fluminense iniciou o jogo de forma lenta. Os laterais estavam tímido e o ataque não oferecia opções. Porém, com a fragilidade do Tigres, o Tricolor passou a dominar o jogo com a posse de bola. Trocando passes, as oportunidades começaram a surgir.

Roger deu um bom chute que gerou rebote não concluído por Maicon. Thiago Neves, depois, perdeu um gol feito, de frente para o goleiro Marcos Paulo.

Não demorou muito e Roger, que vinha sendo vaiado, foi substituído por Everton Santos. O veloz atacante, que nem vinha sendo relacionado para o banco, mudou o panorama da partida. Na primeira jogada quase fez um golaço mas foi impedido pelo goleiro. Na segunda, após belo passe de Thiago Neves, não perdoou e fez seu primeiro gol com a camisa do Fluminense.

O segundo tempo começou no mesmo marasmo, com lentidão e pouca criatividade. Ricardo Berna, que queria mostrar serviço por estar substituindo Fernando Henrique, pouco era exigido tamanha a omissão do Tigres.

No Tricolor, os destaques continuavam sendo Thiago Neves e Everton Santos. O atacante, por sinal, mostrou que está disposto a ressurgir das cinzas. Após um bom passe de Maicon, ele chutou com precisão no ângulo do goleiro Marcos Paulos e marcou o segundo para o Tricolor.

Se já pouco ameaçava, após levar mais um gol o time da Baixada se desmontou por completo. Com isso, Maicon aproveitou e deixou o dele após cabecear e no rebote concluir. Depois, Thiago Neves, próximo do apito final do árbitro, fez o seu e garantiu a festa completa da torcida tricolor.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 4 X 0 TIGRES

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 13/02/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Noel Laranja (RJ)
Auxiliares: Ronaldo Cristino Kenupp (RJ) e Rodrigo Figueiredo Henrique (RJ)
Renda/público: 27.215,50 / 1549 pagantes, 2.040 presentes
Cartões amarelos: Mariano, Thiago Neves (FLU); Zé Carlos, Fabio, Pedrão, Marquinhos (TIG)
Cartões vermelhos: Fábio, 38’/2ºT (TIG)
GOLS: Everton Santos, 45’/1ºT (1-0); Everton Santos, 22’/2ºT (2-0); Maicon, 30’/2ºT (3-0); Thiago Neves, 47’/2ºT

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Cássio, Luiz Alberto e Leandro; Fabinho, Diguinho (Tartá, 28’/2ºT), Conca (Leandro Bomfim, 18’/2ºT) e Thiago Neves; Maicon e Roger (Everton Santos, 38’/1ºT). Técnico: René Simões.

TIGRES: Marcos Paulo, Oziel, Pedrão (Jaílson, 24’/2ºT), Zé Carlos e Edson; Fabio, Neto, Marquinhos e Clayton; Bocão (Eduardo, 28’/2ºT) e Sorato (Gilcimar, 14’/2ºT). Técnico: João Carlos Costa.

fevereiro 15, 2009 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário