Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Coelho acusa Dinamite de nepotismo e vice de futebol de permitir ‘caixa dois’

Ex-dirigente diz que presidente coloca parentes para trabalhar no clube e que José Hamilton Mandarino não repudia ação de conselheiro

Ampliar Foto Globo Esporte/Globo Esporte Globo Esporte/Globo Esporte

José Henrique Coelho dá entrevista coletiva para explicar denúncia

O ex-vice-presidente de marketing do Vasco José Henrique Coelho explicou item por item as denúncias que fez em sua carta-denúncia, entregue ao presidente Roberto Dinamite nesta quarta-feira. Em entrevista coletiva, em um condomínio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o dirigente acusou o atual vice de futebol, José Hamilton Mandarino, de permitir a criação de um “caixa dois” na venda de ingressos. E as acusações não foram poucas.

Na conversa, o dirigente ainda revelou que está preocupado com o cumprimento das obrigações salariais com o elenco e com a comissão técnica durante a temporada. Após pedir desculpas ao técnico Dorival Júnior, o ex-cartola cruzmaltino citou até mesmo os vencimentos do atual comandante, achando os valores exagerados. Ele aproveitou para revelar a atitude do presidente Roberto Dinamite de privilegiar a contratação de parentes para compor o quadro de funcionários. Abaixo, confira os principais pontos da entrevista de José Henrique Coelho.

NEPOTISMO DO PRESIDENTE ROBERTO DINAMITE

“Durante oito anos, a nova diretoria repudiou essa prática realizada pela administração anterior. Aconteceu pela família do ex-presidente (Eurico Miranda) e de outros dirigentes do Vasco. O Brasil repudiou a prática do nepotismo. O Supremo Tribunal Federal repudiou isso nos cargos públicos. Porém, o presidente Roberto Dinamite contratou o seu genro Gerson para a prática de logística do futebol. Os valores não são do meu conhecimento. Mesmo que fossem valores de mercado, denúncias internas dizem que não são. É uma coisa estranha. O atual secretário da presidência é o seu cunhado Leonardo Marins, que veio do seu gabinete da Alerj. E ele tem como assistente no departamento de futebol o Victor (sobrinho de Roberto Dinamite). Ainda tentaram contratar um outro cunhado. Queriam que ele fosse o fotógrafo do Vasco. Na pré-temporada, o Vasco não tinha como mandar toda a sua equipe de assessoria de imprensa, mas esse cunhado foi levado para o Espírito Santo para fazer esse serviço.”

SALÁRIOS EXAGERADOS

“Os salários dos funcionários estão atrasados desde dezembro, com uma média de R$ 2 mil, e o secretário foi contratado para ganhar R$ 9 mil. Na época, quando ele trabalhava na Alerj, ganhava metade daquele valor. O (José Hamilton) Mandarino não ponderou na época da contratação. Ele preferiu fazer a política da boa vizinhança, não negou a contratação. Onde estão o compromisso e a transparência com a gestão?”

FRAUDE NO ORÇAMENTO

“Todos os orçamentos da gestão (Eurico) Miranda foram descumpridos. Um deles está no Tribunal de Justiça, por exemplo. Tudo o que o Amadeu (Pinto da Rocha, ex-vice-presidente geral) fazia em seus orçamentos, o Mandarino fez no dele. Em um condomínio, o síndico tem que fazer o orçamento e cumprir aquelas cotas. Ele não pode estourar esses valores. Fui o fornecedor de todos os valores das receitas que foram usados para se elaborar esse orçamento. Tenho como comprovar todos. O que descobriram é que mesmo com as receitas novas, contando com as receitas de licenciamento, ainda assim teríamos um prejuízo de R$ 7 milhões. Qual foi a ordem do vice-presidente financeiro, na época o Mandario? Ele mandou apagar alguns débitos até que se chegasse a um lucro de R$ 6 milhões. O orçamento serviu para enganar o conselho. O responsável por isso é o vice-presidente José ‘Eurico’ Mandarino. Orçamento foi feito desta maneira por ordem do vice-presidente financeiro.”

INGRESSOS

“A venda de ingressos vai ser a segunda maior receita do Vasco em 2009. É a única forma de o torcedor ajudar o Vasco. Eu me dava como exemplo. Toda a minha família, quando decidiu ir aos jogos, pagou ingressos. Se eu fazia isso como exemplo, as outras pessoas achavam graça de pegar de forma gratuita na diretoria. Repudiamos todos os anos a política da antiga diretoria e agora fazemos o mesmo. A cada jogo, o Vasco tem R$ 23 mil de prejuízo por conta da doação de ingressos. Temos um borderô do clássico Vasco e Fluminense, os dois clubes juntos gastaram R$ 46 mil para distribuir ingressos para as organizadas. Isso vai contra qualquer gestão profissional. Hoje, o Vasco disponibiliza 490 ingressos a cada jogo para conselheiros. Além disso, são mais 1.400 para a torcida organizada e para a comunidade.”

RENDA DE JOGO NA CASA DE UM CONSELHEIRO

“Um outro conselheiro saiu com ingressos consignados. Ele vendia uma parte de ingressos, e a outra parte ele dava. Chegou o caso em que Agostinho Taveira, com essa atitude comercial, teve que levar uma renda para casa. A federação não pôde vê-lo realizando o borderô, e ele só entregou todos os valores no dia seguinte. O que dizer se os ingressos dados iam parar na mão de cambistas? Inúmeras queixas do procedimento da bilheteria foram recebidas por todo mundo. Mais uma vez, o Mandarino foi omisso.”

ATITUDES DO PRESIDENTE EM RELAÇÃO AOS INGRESSOS

“Em um determinado jogo do Brasileirão do ano passado, mandaram fazer ingressos a R$ 5, tudo isso momentos antes da partida. Tudo aconteceu por ordem do presidente.”

RESPONSÁVEIS PELO CAIXA DOIS

“O Mandarino, o tesoureiro e o Agostinho Taveira. Eles não ficam com milhões, mas são mil, dois mil ingressos. Não sei por quais valores os ingressos eram vendidos. Ele só prestava conta do que aparecia no clube. Acho que os valores eram entre R$ 1 mil e R$ 10 mil. Alguns dirigentes disseram que é assim mesmo, que as organizadas eram violentas. Eles temeram pelos cargos que foram empossados.”

RASGAR CONTRATOS COM O MINISTÉRIO PÚBLICO

“O Ministério Público sempre nos recebeu de portas abertas. O MP assinou com o clube um compromisso de que o Vasco não venderia ingressos de meia-entrada para quem não tivesse esse direito. O próprio deputado Roberto Dinamite, que votou essa lei da meia-entrada, aceitou a tal situação. Fico com vergonha de olhar para o Ministério Público com essa venda de meia-entrada para meia-dúzia de torcedores. Não se tem coragem de se respeitar R$ 25 mil que são do Vasco.”

SALÁRIOS ELEVADOS E NÃO-CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES

“O risco financeiro imposto ao clube com os valores das recentes contratações e reformas do plantel do futebol é grande. O clube não tem disponibilidade de caixa para saldar essas dívidas com comissão técnica, jogadores e dirigentes. Uns mais famosos, outros não. Darei um exemplo para ilustrar tudo isso. Peço desculpas ao Dorival, mas a sua contratação é a mais cara da história do Vasco em termos de treinador. O salário de R$ 280 mil mensais por mês, mais um prêmio de R$ 1,2 milhão pela volta do time à Série A. Isso é insuportável, pessimamente negociado. O clube não tem condições de pagar isso. Torço para que isso tudo seja pago. A comissão técnica está custando o dobro do que estava previsto no orçamento.”

PERMANÊNCIA ATÉ FEVEREIRO DE 2009

“Tive um problema em novembro do ano passado e cheguei a entregar o cargo. Mas todo mundo merece uma segunda chance. Dei uma segunda chance ao Roberto Dinamite, mas percebi que não dá para permanecer. Estou me sentindo frustrado por tudo isso que acontece. É um momento muito sério, e o nosso deputado vai fazer um teste para presidente.”


fevereiro 12, 2009 - Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s