Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

São Paulo joga para o gasto, mas vence

Vitória por 2 a 1 sobre a Ponte Preta, no Morumbi vazio, deixa a equipe são-paulina a dois pontos do líder Palmeiras

LANCEPRESS!

Os poucos torcedores que compareceram ao Morumbi acompanharam uma apresentação discreta do São Paulo, que, apesar de vencer a Ponte por 2 x 1, gols de Rodrigo e Jorge Wagner, não jogou bem. Com a vitória, o Tricolor permanece na terceira posição, com 17 pontos, dois a menos que o líder Palmeiras. A Ponte se mantém no 11° lugar, com oito pontos.

A Ponte Preta começou melhor na partida, com boas jogadas individuais de Tinga. Em uma delas, logos aos dez minutos, o camisa sete da Ponte avançou com velocidade e arriscou de longe, mas errou o alvo.

Tinga continuava ajudando a Ponte, mas em lance isolado o jogador colaborou bastante com o Corinthians. O camisa sete, aos 16 minutos, sofreu falta por trás de Hugo. O são-paulino recebeu o cartão amarelo e como estava pendurado não enfrenta o Timão no próximo domingo.

O São Paulo sentiu a falta de Hernanes e encontrou dificuldades para armar jogadas. Com essa situação, a equipe do Morumbi apelou para uma arma muito utilizada na temporada passada, a bola parada.

Aos 32 minutos, Jorge Wagner bateu falta fechada para a área. O zagueiro Rodrigo chegou antes de Aranha e desviou levemente de cabeça para o fundo do gol.

A segunda etapa começou da mesma maneira que a primeira. A Ponte ameaçando com Tinga e desta vez com Edilson, mas sem nenhum sucesso.

Muricy Ramalho, insatisfeito, mexeu na equipe. Hugo, suspenso para o jogo contra o Corinthians, deixou o campo para a entrada de Júnior César.

Mesmo com a mudança, o São Paulo continuava pouco expressivo no ataque. Até que, aos 18 minutos, Jorge Wagner cobrou falta sofrida por Borges com perfeição e ampliou a vantagem.

A Ponte acusou o golpe e diminuiu seu ritmo. Apesar disso, Márcio Mixirica, aos 40 minutos, completou cruzamento de Danilo Neco e fez o gol de honra da Macaca. A reação parou por aí e o São Paulo saiu de campo com a vitória.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 2 X 1 PONTE PRETA
Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 12/02/2009 – 21h45h (de Brasília)
Árbitro: Philippe Lombard
Auxiliares: Luiz Quirino da Costa e Mario Nogueira da Cruz
Cartões amarelos: Hugo, Jean e Rodrigo (SAO); Jean e Leandro Costa (PON)
GOLS: Rodrigo, 32’/1°T (1-0); Jorge Wagner, 18’/2°T; Márcio Mixirica (

SÃO PAULO: Bosco; Rodrigo, Renato Silva e Miranda; Zé Luís, Jean, Richarlyson, Hugo (Júnior César, 11’/2°T) e Jorge Wagner; Borges e Washington. Técnico: Muricy Ramalho

PONTE PRETA: Aranha; Edílson, Gum, Jean e Fabinho; Deda, Wilian (Leandro Costa, 36’/2°T), Tinga e André (Quim, 20’/2°T); Danilo Neco e Gustavo Savóia (Márcio Mixirica 20’/2°T). Técnico: Sergio Soares

fevereiro 12, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

MAC surpreende Santos, que segue em crise

Peixe sofre gol no começo, meias vão mal de novo e Márcio Fernandes não é mais o treinador do Santos

Dividida de bola em jogo no interior paulistaDividida de bola em jogo no interior paulista (Crédito: Tom Dib)

O Santos se complicou ainda mais no Campeonato Paulista nesta quinta-feira, quando perdeu para o Marília por 1 a 0, no interior. Pouco empolgante em campo, o Peixe levou o gol logo cedo e bagunçado, não teve forças para empatar com o MAC e perdeu o técnico Márcio Fernandes, demitido após novo tropeço.

O Santos deu sinais de que dominaria a partida sem grandes problemas no começo do jogo, tamanha a timidez do Marília, que custou para sair da defesa. Mas aos poucos o time da casa foi se soltando, e, em seu primeiro ataque abriu o placar, com Cláudio, com direito a falha da defesa.

A partir daí a crise do Santos se tornou visível. O Alvinegro errou muitos passes e foi pouco criativo no setor ofensivo. As melhores chances foram nos pés de Kléber Pereira, mas em muitas delas o matador recebeu em impedimento.

A vantagem animou o time da casa, que foi perigoso em grande parte da primeira etapa. Já o Peixe passou a reclamar e fazer mais falta, o que rendeu cartão amarelo para Domingos e Madson.

Na segunda etapa, o Santos foi confuso e atacou apenas em lances isolados, sem tomar conta da partida. Preocupado, Márcio Fernandes colocou em campo os estrangeiros Molina e Bolaños, que tiveram atuação apagada no interior.

O MAC ainda tentou atacar, mas com cautela para assegurar o placar, que dá mais tranquilidade na tabela e aumenta a pressão sobre o Santos e sobre o treinador, que tem seu cargo em perigo.

FICHA TÉCNICA
MARÍLIA 1 X 0 SANTOS

Data/Hora: 12/2/2009, às 21h30
Local: Estádio Bento de Abreu, Marília (SP)
Ábirtro: Robério Pereira Pires
Auxiliares: Junivan Rodrigues de Sousa e Matheus Camolesi
Gols: Cláudio, 8’/1ºT (1-0)
Cartões amarelos: Rodrigo Costa (Marília); Domingos, Madson e Germano (Santos)
Cartões vermelhos: Molina (Santos)

MARÍLIA: Giovanni, Rafael Caldeira, Carlinhos e Rodrigo Costa (Ricardinho); Rafael Mineiro, Ataliba (Cássio, 18,/2ºT), João Vitor, Reinaldo (Anderson, 38’/2ºT) e Tiago Souza; Gadelha e Cláudio. Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS: Fábio Costa, Pará, Domingos, Fabiano Eller e Léo; Adriano (Molina, 12’/2ºT), Germano, Rodrigo Souto e Madson (Bolaños, intervalo); Roni (Róbson, 22’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

fevereiro 12, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio sofre mas consegue superar o goleiro Gatti

Tricolores esbarraram em uma noite brilhante do goleiro do Juventude

Ruy marcou o primeiro gol do Grêmio no OlimpicoRuy marcou o primeiro gol do Grêmio no Olímpico (Crédito: Ricardo Rimoli)

LANCEPRESS!

Com a vitória de 2 a 0 diante do Juventude no Olímpico, na noite desta quinta-feira, o Grêmio subiu para a quarta colocação da Chave 2 do Campeonato Gaúcho, com 10 pontos em sete jogos. Já o time de Caxias do Sul está na quinta posição com oito pontos.

Mesmo com o resultado positivo, a noite foi de muito sofrimento para os Tricolores. O goleiro Gatti fez o grito de gol do torcedor ser adiado por pelo menos três vezes. O arqueiro do Juventude foi o grande nome do primeiro tempo, evitando que o Grêmio saísse para o intervalo com vantagem no placar.

No segundo tempo, o jogo continuou da mesma forma: os comandados de Celso Roth dominavam completamente o adversário. O Grêmio fazia grande pressão no Juventude mas quando chegava na grande área esbarrava nas belíssimas defesas de Gatti.

No intervalo, Celso Roth colocou Jonas no lugar de Rafael Marques e o atacante incendiou a partida, aparecendo em todos os ataques gremistas. Após tanta pressão, o gol tricolor surgiu. Aos 3 minutos, Ruy tabelou com Alex Mineiro e chutou no alto, dessa vez sem chances para Gatti.

O Juventude que já vinha sendo pressionado, teve a sua situação piorada após a expulsão do lateral Mineiro, aos 18 minutos. Mineiro recebeu o segundo cartão amarelo após falta dura.

Aos 26 minutos, o Estádio Olímpico veio abaixo não por um gol marcado pelo time da casa, mas devido a entrada do xodó Tricolor Herrera na partida.

Faltando três minutos para o término do jogo, o Grêmio liquidou a fatura com Souza. O meia tabelou com Herrera e recebeu livre para ampliar o placar.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 2 X 0 JUVENTUDE

Data/horário: 12/02/09 às 19h30 (de Brasília)
Local: Estádio Olímpico – Porto Alegre (RS)
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa
Auxiliares: José Franco Filho e Júlio Espinoza de Freitas
Cartões amarelos: Renan, Francismar, Luis Felipe, Mineiro, Alan (JUV); Rafael Marques, Ruy, Souza, Réver, Diogo (GRE)
Cartão Vermelho: Mineiro (Juv)
Gols: Ruy, 3´/2ºTempo(1-0); Souza, 2´/2ºTempo (2-0)

Grêmio: Victor, Léo, Réver e Rafael Marques (Jonas, 0´/2ºTempo); Ruy, Diogo (Adílson, 39´/2ºTempo), Willian Magrão, Tcheco, Souza e Jadilson; Alex Mineiro (Herrera, 26´/2ºTempo). Técnico Celso Roth.

Juventude: Gatti, Luiz Felipe, Juan Perez, Douglas e Mineiro; Renan(Léo Andrade, 16´/2ºTempo), Walker, Tiago Renz e Francismar (Alan, 0´/2ºTempo); Ivo a Allisson (Diego Rosa, 23´/2ºTempo). Técnico PC Gusmão.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro bate o Guarani e se mantém 100% no Mineiro

Raposa faz 4 a 0 e se mantém na ponta do Campeonato Mineiro

Cruzeirenses comemoram gol sobre o GuaraniCruzeirenses comemoram gol sobre o Guarani (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

Sem a menor dificuldade, o Cruzeiro goleou o Guarani por 5 a 0, no Mineirão, e chegou à quarta vitória na competição, mantendo os 100% de aproveitamento no Estadual. Alessandro, Leonardo Silva, Wellington Paulista, Jonathan e Soares fizeram os gols do time celeste.

Com apenas cinco titulares em campo, o Cruzeiro teve dificuldade em impor um futebol envovelvente sobre o Guarani no primeiro tempo. Apesar disso, a fragilidade da defesa da equipe de Divinópolis ajudou muito a equipe celeste.

Logo aos oito minutos, o zagueiro Anderson pegou sobra e quase abriu o placar. O Cruzeiro era melhor e fez o primeiro aos 22 minutos. Elicarlos recebeu pela direita, cruzou rasteiro e Alessandro completou para a rede.

Tecnicamente muito inferior ao Cruzeiro, o Guarani só chegava nos contra-ataques, e tinha em William César seu articulador. A única chance da equipe no primeiro tempo aconteceu em cobrança de falta de Rodrigo Paulista, que chutou com força de longe, obrigando Andrey a se esticar para espalmar.

Apesar da facilidade em chegar ao ataque, a Raposa não conseguia criar lances claros de gol. Depois do gol feito aos 22, a única chegada que levou perigo ao Bugre aconteceu aos 37, quando Bernardo rolou e Wagner bateu de esquerda, rente à trave direita da meta do Guarani.

A Raposa voltou para o segundo mantendo o ritmo de coletivo. Apesar de atuar sem muita ofensividade, o Cruzeiro rapidamente fez mais dois gols sobre a fraca equipe do Guarani. Aos 12, Gerson Magrão cruzou da esquerda na medida e Leonardo Silva cabeceou para a rede. Aos 14, Wagner sofreu penalidade máxima e Wellington Paulista cobrou bem no canto direito para marcar o terceiro.

Aos 26, a Raposa teve chance de fazer o quarto. Jancarlos subiu pela ala direita e cruzou com perfeição para Wellington Paulista, que cabeceou muito mal e desperdiçou ótima oportunidade.

Andrey, que atuou como titular, ainda mostrou eficiência aos 29 minutos, quando defendeu chute cara-a-cara de Diego Campos. Na sequência, Diego Paulista pegou o rebote e o zagueiro Leonardo Silva salvou em cima da linha.

O gol que deu tons de goleada à partida saiu aos 31. Jonathan recebeu livre na área e fuzilou de direita. Aos 41, o jovem Bernardo ainda cruzou para Soares fechar a goleada em 5 a 0, garantindo a quarta vitória celeste no Mineiro. O resultado ainda embala a equipe para o clássico deste domingo, contra o rival Atlético-MG. Já o Guarani continua sem pontuar no Estadual, e agora ocupa a lanterna.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 5 X 0 GUARANI

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 12/02/2009, às 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Joel Tolentino Damata Júnior (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Ângela Paula Cruz Régis Ribeiro
Renda/Público: R$ 81.060,00 / 5.434 pagantes
Cartões Amarelos: Lúci, Renê, Ceará e Diego Paulista (GUA)
Cartões Vermelhos: Diego Paulista

GOLS: Alessandro, 22’/1ºT (1-0); Leonardo Silva, 12’/2ºT (2-0); Wellington Paulista, 14’/2ºT (3-0); Jonathan, 31’/2ºT (4-0); Soares, 41’/2ºT (5-0)

CRUZEIRO: Andrey, Jonathan, Leonardo Silva (Gustavo, 30’/2ºT), Anderson e Gerson Magrão; Elicarlos, Fabrício (Jancarlos, 23’/2ºT), Bernardo e Wagner (Soares, 36’/2ºT); Alessandro e Wellington Paulista. Técnico: Adilson Batista

GUARANI: Fábio, Neguinho, Renê, Fábio Recife e Lúcio (Fernandinho, 16’/2ºT); Paulinho, Diego Paulista, William César (Danilo Lins, 16’/2ºT) e Ceará; Azulão (Conrado, intervalo) e Diego Campos. Técnico: Ney da Matta

fevereiro 12, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Botafogo atropela Friburguense na Serra

Time vence após primeiro tempo difícil e busca primeiro lugar no clássico

Jogadores botafoguenses comemoraram um dos gols na vitória sobre o FriburguenseJogadores botafoguenses comemoraram um dos gols na vitória sobre o Friburguense (Crédito: Ricardo Cassiano)

LANCEPRESS!

O Botafogo atropelou o Friburguense por 5 a 1, nesta quinta-feira, pela sexta rodada do Campeonato Carioca, mas não siginifca que chegou tranqüilamente à goleada.

Após um primeiro tempo equilibrado, o Alvinegro só passou a navegar por águas tranquilas no gramado molhado do Estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo (RJ), quando marcou o seu segundo gol no final da etapa incial.

Com o placar, o Botafogo foi a 15 pontos, mantendo-se na vice-liderança do Grupo B – o time já entrou em campo claassificado à semifinal da Taça Guanabara. O Friburguense permaneceu com cinco, em sexto lugar.

O Alvinegro marcou primeiro com Fahel, mas não controlou as ações. O time da Região Serrana manteve-se na partida, buscou o empate e conseguiu o empate com Hércules.

A igualdade animou os mandandes, que mostraram-se melhores no campo ruim e pressionaram. Porém, Maicosuel e Fahel marcaram no final da etapa e alviaram a situação botafoguense.

O Fiburguense voltou para a etapa final para evitar uma goleada, mas o Botafogo marcou logo no recomeço do jogo e deslanchou. Novamente Maicosuel e Reinaldo fecharam o placar.

O confronto foi marcado pelo excessivo número de cartões amarelos e pelas expulsões: foram três no total, duas pelo lado do Frisão e uma do lado Alvinegro.

Na próxima rodada, a última da primeira fase do turno, o Botafogo enfrenta o Flamengo pela liderança do grupo. Já o Friburguense cumpre tabela contra o Macaé, fora de casa.

FICHA TÉCNICA:
FRIBURGUENSE 1 X 5 BOTAFOGO

Estádio: Eduardo Guinle, Nova Friburgo (RJ)
Data/hora: 12/2/2009 – 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Eduardo Rodrigues Araújo (RJ)
Auxiliares: Marco Aurelio dos Santos Pessanha (RJ) e Claudio Batista Ribeiro(RJ)
Renda/público: R$ 37.570,00 e 3.208 pagantes

Cartões amarelos: Adriano, Sérgio Gomes, Emerson e Elan (FRI); Léo Silva, Thiaguinho, Reinaldo, Batista, Diego e Renan (BOT)
Cartões vermelhos: Maicossuel, 29’/2ºT (BOT); Cássio, 29’/2ºT (FRI); Crispim, 38/2ºT (FRI)

GOLS: Fahel, 13’/1ºT (0-1); Hércules, 21’/1ºT (1-1); Maicossuel, 43’/1ºT (1-2); Fahel, 48’/2ºT (1-3); Maicossuel, 5’/2ºT (1-4); Maicossuel, 11’/2ºT (1-5)

FRIBURGUENSE: Adriano (Bruno, 47’/1ºT), Sergio Gomes, Emerson, Wallace e Crispin; Cassio, Elan, Alex e Vitor Hugo (Cassiano, intervalo); Hercules e Ziquinha (Thiago Santos, 29’/2ºT). Técnico: Cleimar Rocha.

BOTAFOGO: Renan, Emerson, Leandro Guerreiro e Wellington; Alessandro, Fahel, Léo Silva (Batista, 13’/2ºT), Maicosuel e Thiaguinho (Alex, 18’/12ºT); Lucas Silva e Reinaldo (Diego, 20’/2ºT). Técnico: Ney Franco.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

FH faz e sofre pênalti e Flu vence no sufoco

Tricolor bate o Americano por 2 a 1 de forma apertada. Goleiro passa de vilão a herói

Fernando Henrique comemora o pênalti sofridoFernando Henrique comemora o pênalti sofrido (Crédito: Paulo Sérgio)

De vilão a herói. Assim foi o goleiro Fernando Henrique na noite desta quinta-feira em Campos. Após proporcionar um lance bisonho, onde agrediu um adversário sem a menor necessidade e cometeu um pênalti convertido pelo Americano, o camisa 1 das Laranjeiras se redimiu, foi até a área e sofreu um pênalti, que Conca bateu e deu a vitória suada ao Tricolor por 2 a 1.

O Fluminense iniciou o jogo imprimindo um forte ritmo. Explorando bastante as laterais, principalmente o lateral-direito Mariano, o Tricolor sufocava o Americano. O time de Campos procurava se segurar na base de faltas. Aliás, muitas faltas. E a punição para isso não demorou muito tempo, pois logo aos 12 minutos Thiago Neves, em seu melhor estilo, fez uma perfeita cobrança e o goleiro Jéferson ficou apenas olhando. O camisa 10 marcou seu primeiro gol no retorno às Laranjeiras.

Após inaugurar o placar, o Tricolor diminuiu o ritmo e o Americano começou a se soltar. Entretanto, nenhuma das duas equipes demonstrava muita criatividade. Pelo Fluminense, Thiago Neves e Mariano eram as melhores opções, já no time de Campos, Kieza e Éberson ofereciam algum perigo, mas nada que fizesse o resultado do primeiro tempo se alterar.

Na segunda etapa, o Americano veio com tudo para cima do Tricolor. Diversos foram os chutes de fora da área e o goleiro Fernando Henrique, atento, teve muito trabalho. Já a equipe do técnico René Simões voltava a apresentar os mesmos defeitos dos outros jogos da Taça Guanabara. Resultado? Sufoco e pouco futebol.

Porém, o pior ainda estava por vir. Numa jogada bisonha, após cruzamento que já havia sido cortado, Fernando Henrique aplicou um soco no adversário e o árbitro Lenílton Rodrigues marcou a infração. Pênalti que Éberson cobrou, marcou e empatou a partida para o Americano.

No fim, o que se viu foi um Fluminense desesperado e desorganizado. Entretanto, nas surpresas que só o futebol proporciona, Fernando Henrique foi até a área se redimir tentando um gol de cabeça e acabou arrumando um pênalti aos 47 do segundo tempo. Conca, com raiva, bateu e deu a vitória ao Tricolor, que agora ainda respira no Grupo A da Taça Guanabara.

AMERICANO 1 X 2 FLUMINENSE

Estádio: Godofredo Cruz, Campos (RJ)
Data/hora: 12/02/2009 – 18h45 (de Brasília)
Árbitro: Lenílton Rodrigues Gomes(RJ)
Auxiliares: Flávio Manoel da Silva (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Público: 5.554 pagantes
Cartões amarelos: Nirley, Ernani, Paulo Henrique, Éberson (AME); Fabinho e Luiz Alberto, Thiago Neves, Leandro, Fernando Henrique (FLU).
Cartões vermelhos: Paulo Henrique, 47’/2ºT
GOLS: Thiago Neves, 12’/1ºT (0-1); Éberson, 37’/2ºT (1-1); Conca, 50’/2ºT (1-2)

AMERICANO: Jéferson, Élson, Carlão e Nirley (Diego Salles, 24’/2ºT); Gil, Siller (Caboclo, 44’/2ºT), Paulo Henrique, Ernani e Rondinelli (Cafezinho, 24’/1ºT); Éberson e Kieza. Técnico: Paulo Marcos.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Mariano, Cássio (Digão, 22’/2ºT), Luiz Alberto e Leandro; Fabinho, Diguinho (Romeu, intervalo), Conca e Thiago Neves (Leandro Bomfim, 28’/2ºT); Maicon e Roger. Técnico: René Simões.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco perde seis pontos no TJD por escalar Jéferson de forma irregular

Decisão deixa a equipe sem chances de classificação para a semifinal da Taça GB. Clube, no entanto, entrará com um recurso

Ampliar Foto Marcelo Sadio/Site Oficial do Vasco da Gama Marcelo Sadio/Site Oficial do Vasco da Gama

Jéferson no treinamento do Vasco

O Vasco foi julgado nesta quinta-feira, no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ), e condenado por quatro votos a um com a perda de seis pontos no Campeonato Carioca e uma multa de R$ 5 mil. Desta forma, a equipe vascaína, que tinha 11 na Taça Guanabara, agora tem apenas cinco e cai para a sexta posição do Grupo A. A pontuação neste momento é a mesma do Fluminense, que tem um jogo a menos. O clube foi punido por escalar irregularmente o jogador Jéferson na primeira rodada, contra o Americano (o time de Campos venceu por 2 a 0, em São Januário). A diretoria entrará com um recurso até segunda-feira, e ele será julgado já na terça para o torneio não ficar paralisado. Caso a punição seja mantida, a equipe não tem mais chance matemática de se classificar para a semifinal.

O departamento de futebol cruzmaltino disse que só escalou o jogador confiando na palavra do departamento jurídico, que é terceirizado, e porque tinha uma liminar. O procurador, Dr. José Flores, no entanto, afirmou que o clube realmente cometeu uma irregularidade e que o delegado da partida, Marcelo Abrandes, não tem o poder de regularizar um atleta.

A condição do jogo só foi restabelecida no dia 28 de janeiro. Ele não tinha condição de jogo. Ele não estava no Bira. Tem que respeitar o regulamento. Caso contrário rasga o Bira. O juiz do trabalho re-estabeleceu o vínculo do trabalho entre o atleta e o clube. Mas ele não pode de maneira alguma re-estabelecer a condição de jogo de um atleta. Isso é função da Federação. A condição de jogo só seria estabelecida com a publicação do nome do atleta no Bira – disse.

O Vasco apresentou como testemunha de defesa o delegado do jogo, mas a acusação acabou se saindo melhor, já que perguntou se ele teria poder de inscrever um atleta no Bira. Ele respondeu que não, e disse ainda que não poderia impedir um time de escalar jogadores irregulares. Isto seria função para o departamento jurídico da Federaçã

fevereiro 12, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos tenta recuperação contra o Marília

Peixe muda todos os setores para se reencontrar com a vitória

Ivan Storti)Neymar foi relacionado por Márcio Fernandes pela primeira vez (foto: Ivan Storti)

LANCEPRESS!

O Santos tenta reencontrar o bom futebol na partida desta quinta-feira, contra o Marília, às 21h30, fora de casa. O time vem de péssimo resultado, já que foi goleado pelo Palmeiras na última rodada, e precisa vencer para seguir em busca de uma vaga no G4 do Paulistão.

O técnico da equipe, Márcio Fernandes, precisou conversar particularmente com os jogadores, antes de iniciar os treinamentos desta semana, com receio de que a derrota para o rival abalasse o elenco.

– Podemos nos reerguer caso vençamos o Marília – destaca o técnico.

Para o duelo diante do Marília, o Peixe deverá ter algumas mudanças em relação ao time que foi goleado no Palestra Itália, no último domingo. Na defesa, o zagueiro Domingos, recuperado de um profundo corte na canela, deve assumir a vaga de Adaílton, enquanto Pará, que estava suspenso no clássico, volta à lateral direita.

– Teremos mudanças normais. Não foi nada ocasionado pela goleada sofrida contra o Palmeiras – garante Márcio Fernandes.

No meio-de-campo, Adriano assume a vaga de Roberto Brum, contundido, e Germano permanece entra os titulares. Lucio Flavio, afastado temporariamente por deficiência técnica, fica de fora. Já no ataque, Robinho, que não agradou contra o Verdão, volta ao banco de reservas e Roni fica com a vaga entre os titulares.

Outra surpresa do técnico santista foi ter relacionado o garoto Neymar pela primeira vez para um jogo da equipe principal do Santos. O atacante ficará no banco de reservas.

Já o Marília busca, diante do Santos, sua primeira vitória no Paulistão. Para isso, o técnico da equipe, José Carlos Serrão, faz mistério. No treinamento desta quarta-feira, que definiria o time, Serrão exigiu portões fechados.

– É meu direito. Tenho dúvidas no time e às vezes é preciso trabalhar algumas situações em segredo. Tudo que puder ser utilizado para ter vantagem sobre o adversário, é bem vindo – afirmou o treinador, que só confirmou um titular: o goleiro Giovanni, dono da camisa 1 nos primeiros jogos, retorna ao time e deixa o paraguaio Antony Silva no banco de reservas.

Outra certeza é a ausência do centroavante Robert. O jogador saiu antes mesmo do treino terminar por intervenção do treinador, que não viu comprometimento do atleta com o jogo.

– Não é de hoje que isso vêm acontecendo. Ele (Robert) já mostrou que não quer atuar no Marília. Já no aquecimento fez corpo mole e por isso foi cortado do jogo. Agora é com a diretoria. Se ele não quer jogar no Marília, o Marília também não quer contar com ele – declarou o comandante alviceleste.

Se Robert está perto de se desligar do clube, outros atacantes podem ser confirmados nas próximas horas. Abuda, ex-Corinthians, que pertence ao Avaí e está no Paraná Clube, deve chegar à cidade ainda nesta quinta.

Além dele, a diretoria tenta mais quatro reforços: o atacante Bebeto, que jogou pelo Corinthians na Série-B; o lateral esquerdo Diogo, que estava no elenco da seleção brasileira sub-20 no Sul-Americano da categoria e que tem 50% de seus direitos federativos presos ao clube (os outros 50% são do São Paulo); o também lateral esquerdo Anderson Pico, que atuou pelo Grêmio e que pertence ao grupo de empresários alemães Rogon; e, por último, o volante Francis, que deve ser emprestado pelo Palmeiras.

– Estamos tentando esses reforços. O Abuda e o Diogo já estão praticamente certos e podem chegar a qualquer hora. O Bebeto e o Anderson Pico ainda são situações que não foram confirmadas. Mas o Francys está muito perto de vir. O Palmeiras deve pagar boa parte do salário dele e ele também deve ser confirmado – declarou o presidente do MAC, Beto de Mayo.

Ainda sem esses reforços, e mesmo sem confirmar o time titular do jogo desta quinta, Serrão não deve fugir do esquema com três zagueiros. Sem Robert no ataque, Cláudio deve formar dupla com Fabiano Gadelha. Uma possível alteração seria a entrada do meia Ricardinho no lugar de um dos zagueiros, o que deixaria o time no 4-4-2.

FICHA TÉCNICA:

Marília x Santos

Data/Hora: 12/2/2009, às 21h30
Local: Estádio Bento de Abreu, Marília (SP)
Ábirtro: Robério Pereira Pires
Auxiliares: Junivan Rodrigues de Sousa e Matheus Camolesi

MARÍLIA: Giovanni, Rafael Caldeira, Carlinhos e Rodrigo Costa (Ricardinho); Rafael Mineiro, Ataliba, João Vitor, Reinaldo e Tiago Souza; Gadelha e Cláudio. Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS: Fábio Costa, Pará, Domingos, Fabiano Eller e Léo; Adriano, Germano, Rodrigo Souto e Madson; Roni e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

fevereiro 12, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo enfrenta Ponte de olho no futuro

Duelo contra a Macaca no Morumbi fica em segundo plano e vira aperitivo antes de Corinthians e Libertadores

LANCEPRESS!

A poucos dias da estreia na Libertadores e do clássico contra o arquirrival Corinthians, o São Paulo tenta manter a concentração no presente e não desviar suas atenções da Ponte Preta, no duelo válido pela 7ª rodada do Paulistão, nesta quinta-feira no Morumbi. Ciente de que vencer a Macaca é fundamental para o time chegar embalado para as duas partidas mais importantes até o momento, o técnico Muricy Ramalho já avisou que não vai poupar nenhum atleta.

O Tricolor, porém, terá um trio de desfalques importantes para o duelo. Além de Rogério Ceni, que ainda se recupera de lesão na coxa, o zagueiro André Dias e o volante Hernanes cumprem suspensão e ficarão apenas na torcida para os companheiros. Bosco, Renato Silva e Arouca devem ser os substitutos. O zagueiro Rodrigo corre por fora e pode ser opção caso Muricy opte pelo 3-5-2. Nesse caso, Richarlyson pode ser sacado.

Atualmente na terceira colocação do Paulistão (13 pontos), o Sampa quer acumular o máximo possível de pontos antes de se dividir entre a disputa do estadual e a Libertadores. Contra o Bragantino, o time reencontrou o caminho da vitória no Morumbi e agora ninguém quer desperdiçar mais pontos em casa diante de adversários considerados de menor expressão. Por isso, a ordem de Muricy é clara: três pontos e mais uma vitória são obrigação para que o time embale de vez no ano.

Empolgada pelos resultados nas duas últimas rodadas, goleada diante do Marília e empate com o Guarani, a Ponte quer surpreender o São Paulo e ficar próxima do G4 do Paulistão. O técnico Sérgio Soares tem problemas para definir a equipe titular. O volante Bia, que iniciou a competição como titular, mas depois perdeu a posição, está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O lateral-esquerdo Rodrigo Ninja, com problemas particulares, foi dispensado da partida e dá lugar a Fabinho.

Dos três jogadores que contraíram uma virose no início da semana, os zagueiros Gum e Jean se recuperaram e vão para o jogo. Já o lateral-direito Nêgo foi vetado pelo departamento médico e fica fora do confronto contra o Tricolor. Outro desfalque é o meia-atacante Leandrinho. O jogador foi suspenso por dois jogos pela expulsão na partida contra o Palmeiras e só cumpriu a automática, diante do Marília.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X PONTE PRETA

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 12/2/2009 – 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Philippe Lombard
Auxiliares: Luiz Quirino da Costa e Mario Nogueira da Cruz

SÃO PAULO: Bosco; Zé Luis, Renato Silva, Miranda e Jorge Wagner; Jean, Richarlyson (Rodrigo), Hugo e Arouca; Borges e Washington. Técnico: Muricy Ramalho

PONTE PRETA: Aranha; Edílson, Gum, Jean e Rodrigo Ninja; Deda, Wilian, Tinga e André; Danilo Neco e Gustavo Savoia. Técnico: Sergio Soares

fevereiro 12, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Já classificado, Fogão visita o Friburguense

Alvinegro busca vitória para disputar liderança do grupo com o Fla. Já o Tricolor serrano, espera manter boa sequência

Friburguense recebe o Botafogo no Eduardo GuinleFriburguense recebe o Botafogo no Eduardo Guinle

LANCEPRESS!

O Botafogo enfrenta o Friburguense nesta quinta-feira, às 21h30, no Eduardo Guinle, pela sexta rodada da Taça Guanabara. Mesmo classificado para as semifinais, o técnico Ney Franco já afirmou com vai mandar força máxima em busca dos três pontos.

Para a partida, o treinador não poderá contar com o artilheiro do Carioca. Victor Simões recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso. Em seu lugar, Ney Franco, preocupado com as jogadas aéreas do Tricolor serrano, optou por escalar o meia Lucas Silva.

– Já pude perceber que o Friburguense tem uma jogada aérea forte, e lá eles exploram muito isso. Por isso, tentei me prevenir, treinando as bolas alçadas. Até por essa razão, optei pelo Lucas, que é alto. Apesar de curto, o campo é longo e abre o contra-ataque. Vamos explorá-lo – explicou o treinador alvinegro.

O capitão Juninho, com uma inflamação na cartilagem articular do joelho esquerdo, também será desfalque da equipe. Emerson, Leandro Guerreiro e Wellington formarão a zaga alvinegra.

Com o empate por 2 a 2 entre Flamengo e Boavista, quarta-feira, no Maracanã, o Botafogo, caso conquiste o resultado positivo, vai disputar a primeira posição do grupo B com o Rubro-Negro no clássico da última rodada da Taça Guanabara.

Pelo lado do Friburguense, o técnico Cleimar Rocha espera conquistar a primeira vitória em casa após dois bons resultados como visitante nas últimas duas rodadas: empate por 3 a 3 com o Bangu, em Moça Bonita, e vitória por 3 a 2 sobre o Volta Redonda, em pleno Raulino de Oliveira.

– Sei que vamos enfrentar um adversário difícil, pois o Botafogo tem muita qualidade e vem fazendo uma ótima Taça Guanabara. Mas o time está preparado para manter a boa sequência, já que empatamos uma e vencemos outra fora de casa nas últimas duas rodadas – disse o treinador.

Sem poder contar com o zagueiro Cadão, Cleimar ainda não definiu quem será o substituto de seu capitão. Emerson e Lucas disputam a vaga ao lado de Wallace.

FICHA TÉCNICA:
FRIBURGUENSE X BOTAFOGO

Estádio: Eduardo Guinle, Nova Friburgo (RJ)
Data/hora: 12/2/2009 – 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Eduardo José Rodrigues Oliveira de Araújo (RJ)
Auxiliares: Marco Aurelio dos Santos Pessanha (RJ) e Claudio Batista Ribeiro(RJ)

FRIBURGUENSE: Adriano; Sergio Gomes, Emerson (Lucas), Wallace e Crispin (Gilson); Cassio, Elan, Alex e Vitor Hugo, Hercules e Ziquinha (Thiago Santos). Técnico: Cleimar Rocha.

Botafogo: Renan; Emerson, Leandro Guerreiro e Wellington; Alessandro, Fahel, Léo Silva, Maicosuel e Thiaguinho; Lucas Silva e Reinaldo. Técnico: Ney Franco.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , | Deixe um comentário

Escudo do Botafogo é eleito o mais bonito do mundo

Além do Glorioso, mais dois clubes brasileiros ficaram entre os dez mais votados

LANCEPRESS!

Em uma eleição promovida pela site www.esportefino.net, jornalistas e designers gráficos escolheram o escudo do Botafogo como o mais bonito do mundo. No total, nove pessoas foram julgadoras.

Para fazer a votação, a equipe do site fez uma pré-seleção com ajuda do jornalista e historiador Rodolfo Rodrigues, autor do livro Escudos dos Times do Mundo Inteiro . Chegando à final 128 escudos de 45 países.

Veja a lista com os dez mais bonitos escudos de time de futebol do mundo:

1 – Botafogo
País: Brasil
Cidade: Rio de Janeiro
Fundação: 1 de julho de 1894
Estádio: Estádio Olímpico João Havelange (45.000)
2 – Celtic Glasgow
País: Escócia
Cidade: Glasgow
Fundação: 6 de novembro de 1887
Estádio: Celtic Park (60.832)
3 – Juventus
País: Brasil
Cidade: São Paulo
Fundação: 20 de abril de 1924
Estádio: Conde Rodolfo Crespi (9.000)
4 – América
País: Brasil
Cidade: Rio de Janeiro
Fundação: 18 de setembro de 1904
Estádio: Giulite Coutinho (16.000)
5 – Napoli
País: Itália
Cidade: Nápoles
Fundação: 23 de agosto de 1926
Estádio: San Paolo (60.240)
6 – Paris Saint-Germain
País: França
Cidade: Paris
Fundação: 12 de agosto de 1970
Estádio: Parc des Princes (60.000)
7 – Eintracht Frankfurt
País: Alemanha
Cidade: Frankfurt
Fundação: 8 de março de 1899
Estádio: Commerzbank Arena (48.500)
8 – Royal Zulu
País: África do Sul
Cidade: Durban
Fundação: 2007
Estádio: Mphumalanga Stadium (52.000)
9 – Ajax
País: Holanda
Cidade: Amsterdã
Fundação: 18 de março de 1900
Estádio: Amsterdam Arena (51.628)
10 – Internazionale
País: Itália
Cidade: Milão
Fundação: 9 de março de 1908
Estádio: Giuseppe Meazza (80.065)

fevereiro 12, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , | Deixe um comentário

Coelho acusa Dinamite de nepotismo e vice de futebol de permitir ‘caixa dois’

Ex-dirigente diz que presidente coloca parentes para trabalhar no clube e que José Hamilton Mandarino não repudia ação de conselheiro

Ampliar Foto Globo Esporte/Globo Esporte Globo Esporte/Globo Esporte

José Henrique Coelho dá entrevista coletiva para explicar denúncia

O ex-vice-presidente de marketing do Vasco José Henrique Coelho explicou item por item as denúncias que fez em sua carta-denúncia, entregue ao presidente Roberto Dinamite nesta quarta-feira. Em entrevista coletiva, em um condomínio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o dirigente acusou o atual vice de futebol, José Hamilton Mandarino, de permitir a criação de um “caixa dois” na venda de ingressos. E as acusações não foram poucas.

Na conversa, o dirigente ainda revelou que está preocupado com o cumprimento das obrigações salariais com o elenco e com a comissão técnica durante a temporada. Após pedir desculpas ao técnico Dorival Júnior, o ex-cartola cruzmaltino citou até mesmo os vencimentos do atual comandante, achando os valores exagerados. Ele aproveitou para revelar a atitude do presidente Roberto Dinamite de privilegiar a contratação de parentes para compor o quadro de funcionários. Abaixo, confira os principais pontos da entrevista de José Henrique Coelho.

NEPOTISMO DO PRESIDENTE ROBERTO DINAMITE

“Durante oito anos, a nova diretoria repudiou essa prática realizada pela administração anterior. Aconteceu pela família do ex-presidente (Eurico Miranda) e de outros dirigentes do Vasco. O Brasil repudiou a prática do nepotismo. O Supremo Tribunal Federal repudiou isso nos cargos públicos. Porém, o presidente Roberto Dinamite contratou o seu genro Gerson para a prática de logística do futebol. Os valores não são do meu conhecimento. Mesmo que fossem valores de mercado, denúncias internas dizem que não são. É uma coisa estranha. O atual secretário da presidência é o seu cunhado Leonardo Marins, que veio do seu gabinete da Alerj. E ele tem como assistente no departamento de futebol o Victor (sobrinho de Roberto Dinamite). Ainda tentaram contratar um outro cunhado. Queriam que ele fosse o fotógrafo do Vasco. Na pré-temporada, o Vasco não tinha como mandar toda a sua equipe de assessoria de imprensa, mas esse cunhado foi levado para o Espírito Santo para fazer esse serviço.”

SALÁRIOS EXAGERADOS

“Os salários dos funcionários estão atrasados desde dezembro, com uma média de R$ 2 mil, e o secretário foi contratado para ganhar R$ 9 mil. Na época, quando ele trabalhava na Alerj, ganhava metade daquele valor. O (José Hamilton) Mandarino não ponderou na época da contratação. Ele preferiu fazer a política da boa vizinhança, não negou a contratação. Onde estão o compromisso e a transparência com a gestão?”

FRAUDE NO ORÇAMENTO

“Todos os orçamentos da gestão (Eurico) Miranda foram descumpridos. Um deles está no Tribunal de Justiça, por exemplo. Tudo o que o Amadeu (Pinto da Rocha, ex-vice-presidente geral) fazia em seus orçamentos, o Mandarino fez no dele. Em um condomínio, o síndico tem que fazer o orçamento e cumprir aquelas cotas. Ele não pode estourar esses valores. Fui o fornecedor de todos os valores das receitas que foram usados para se elaborar esse orçamento. Tenho como comprovar todos. O que descobriram é que mesmo com as receitas novas, contando com as receitas de licenciamento, ainda assim teríamos um prejuízo de R$ 7 milhões. Qual foi a ordem do vice-presidente financeiro, na época o Mandario? Ele mandou apagar alguns débitos até que se chegasse a um lucro de R$ 6 milhões. O orçamento serviu para enganar o conselho. O responsável por isso é o vice-presidente José ‘Eurico’ Mandarino. Orçamento foi feito desta maneira por ordem do vice-presidente financeiro.”

INGRESSOS

“A venda de ingressos vai ser a segunda maior receita do Vasco em 2009. É a única forma de o torcedor ajudar o Vasco. Eu me dava como exemplo. Toda a minha família, quando decidiu ir aos jogos, pagou ingressos. Se eu fazia isso como exemplo, as outras pessoas achavam graça de pegar de forma gratuita na diretoria. Repudiamos todos os anos a política da antiga diretoria e agora fazemos o mesmo. A cada jogo, o Vasco tem R$ 23 mil de prejuízo por conta da doação de ingressos. Temos um borderô do clássico Vasco e Fluminense, os dois clubes juntos gastaram R$ 46 mil para distribuir ingressos para as organizadas. Isso vai contra qualquer gestão profissional. Hoje, o Vasco disponibiliza 490 ingressos a cada jogo para conselheiros. Além disso, são mais 1.400 para a torcida organizada e para a comunidade.”

RENDA DE JOGO NA CASA DE UM CONSELHEIRO

“Um outro conselheiro saiu com ingressos consignados. Ele vendia uma parte de ingressos, e a outra parte ele dava. Chegou o caso em que Agostinho Taveira, com essa atitude comercial, teve que levar uma renda para casa. A federação não pôde vê-lo realizando o borderô, e ele só entregou todos os valores no dia seguinte. O que dizer se os ingressos dados iam parar na mão de cambistas? Inúmeras queixas do procedimento da bilheteria foram recebidas por todo mundo. Mais uma vez, o Mandarino foi omisso.”

ATITUDES DO PRESIDENTE EM RELAÇÃO AOS INGRESSOS

“Em um determinado jogo do Brasileirão do ano passado, mandaram fazer ingressos a R$ 5, tudo isso momentos antes da partida. Tudo aconteceu por ordem do presidente.”

RESPONSÁVEIS PELO CAIXA DOIS

“O Mandarino, o tesoureiro e o Agostinho Taveira. Eles não ficam com milhões, mas são mil, dois mil ingressos. Não sei por quais valores os ingressos eram vendidos. Ele só prestava conta do que aparecia no clube. Acho que os valores eram entre R$ 1 mil e R$ 10 mil. Alguns dirigentes disseram que é assim mesmo, que as organizadas eram violentas. Eles temeram pelos cargos que foram empossados.”

RASGAR CONTRATOS COM O MINISTÉRIO PÚBLICO

“O Ministério Público sempre nos recebeu de portas abertas. O MP assinou com o clube um compromisso de que o Vasco não venderia ingressos de meia-entrada para quem não tivesse esse direito. O próprio deputado Roberto Dinamite, que votou essa lei da meia-entrada, aceitou a tal situação. Fico com vergonha de olhar para o Ministério Público com essa venda de meia-entrada para meia-dúzia de torcedores. Não se tem coragem de se respeitar R$ 25 mil que são do Vasco.”

SALÁRIOS ELEVADOS E NÃO-CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES

“O risco financeiro imposto ao clube com os valores das recentes contratações e reformas do plantel do futebol é grande. O clube não tem disponibilidade de caixa para saldar essas dívidas com comissão técnica, jogadores e dirigentes. Uns mais famosos, outros não. Darei um exemplo para ilustrar tudo isso. Peço desculpas ao Dorival, mas a sua contratação é a mais cara da história do Vasco em termos de treinador. O salário de R$ 280 mil mensais por mês, mais um prêmio de R$ 1,2 milhão pela volta do time à Série A. Isso é insuportável, pessimamente negociado. O clube não tem condições de pagar isso. Torço para que isso tudo seja pago. A comissão técnica está custando o dobro do que estava previsto no orçamento.”

PERMANÊNCIA ATÉ FEVEREIRO DE 2009

“Tive um problema em novembro do ano passado e cheguei a entregar o cargo. Mas todo mundo merece uma segunda chance. Dei uma segunda chance ao Roberto Dinamite, mas percebi que não dá para permanecer. Estou me sentindo frustrado por tudo isso que acontece. É um momento muito sério, e o nosso deputado vai fazer um teste para presidente.”


fevereiro 12, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com dois a mais, Vasco apenas empata

Equipe cruzmaltina segue líder do grupo, mas ainda não está na semifinal

Com dois a mais em campo no segundo tempo, Vasco fica somente no empate com a CabofrienseCom dois a mais em campo no segundo tempo, Vasco fica somente no empate com a Cabofriense (Crédito: Gilvan de Souza)

LANCEPRESS!

O roteiro estava desenhado: após deixar o primeiro tempo sem um resultado positivo, o Vasco volta melhor para a etapa final e consegue o placar desejado. Parte da história se repetiu e o oponente ainda ficou com dois atletas a menos. Porém, a equipe vascaína ficou só empate em 0 a 0 com a Cabofriense em São Januário, na noite desta quarta-feira, pelo Campeonato Carioca.

Com o resultado, o Cruzmaltino foi a 11 pontos, mantém-se líder do Grupo A, mas pode ser ultrapassado pelo Americano (nove pontos) e precisa confirmar a classificação à semifinal na próxima rodada. A Cabofriense, com oito pontos, depende de tropeços do time de Campos e do Duque de Caxias (sete pontos) nesta quinta-feira para manter suas chances.

O Vasco iniciou a partida de maneira ofensiva, pressionando o adversário: logo no primeiro minuto, Rodrigo Pimpão perdeu a principal chance da etapa. Porém, a Cabofriense manteve um posicionamento consistente e a ação se equilibrou a partir dos 15 minutos.

Sem ser ameaçado, mas sem um bom desempenho da dupla de ataque (Rodrigo Pimpão e Élton), o Cruzmaltino pouco perigo levou à meta do goleiro Flávio. Com destaque para o desempenho de seus laterais (Paulo Sérgio e Ramon), o melhor lance aconteceu aos 32 minutos, quando o meia Carlos Alberto cobrou falta e acertou o travessão.

Para o segundo tempo, o Vasco retornou como aconteceu em suas úlktimas partidas: atacando. Porém, a ofensividade não se traduziu em lances de perigo. Acuado, o time de Cabo Frio não chegava ao ataque e acabou com dois jogadores expulsos – Felipe Dias (segundo amarelo) e Márcio (direto).

Com a vantagem numérica, o técnico Dorival Júnior tirou um zagueiro e um volante, colocando dois meias em campo. Mas a sua equipe, ao invés de investir no toque de bola, insistia nas bolas levantadas na grande área, onde apesar de contar com os centroavantes Élton e Faioli, não teve sucesso.

Aos 45 minutos, como para fechar uma partida que começou com uma incrível chance perdida, o lateral-esquerdo Ramon cabeceou para fora, na pequena área, a oportunidade da vitória.

A última rodada da primeira fase da Taça Guanabara acontece toda no próximo domingo, às 16h. O Vasco enfrenta o Madureira, no Engenhão, enquanto, a Cabofriense, em Cabo Frio, recebe o Duque de Caxias.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 0 X 0 CABOFRIENSE

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 11/2/2009 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Luiz Antonio Silva dos Santos (RJ)
Auxiliares: Marcos Antonio Bastos Junior (RJ) e Michael Correia (RJ)
Renda/público: R$ 62.335,00 / 4.554 pagantes e 5.940 presentes
Cartões amarelos: Élton, Milton Benítez, Faioli e Nilton (VAS); Felipe Dias, Gérson e Nata (CAB)
Cartões vermelhos: Felipe Dias, 14’/2ºT (CAB) e Márcio, 28’/2ºT (CAB)

VASCO: Tiago, Paulo Sérgio, Fernando, Vilson (Enrico, 18’/2ºT) e Ramon; Amaral (Milton Benítez, 29’/2ºT), Nilton, Jéferson e Carlos Alberto; Rodrigo Pimpão (Faioli, intervalo) e Élton. Técnico: Dorival Júnior.

CABOFRIENSE: Flávio, Valdir, Demerson, João Paulo e Gérson; Márcio, Nata, Felipe Dias e Ernane (Guido, 10’/2ºT) (Roberto, 30’/2ºT); Fabinho e Anselmo Ramon (Ênio, 16’/2ºT). Técnico: Ademir Fonseca.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Palmeiras vence e tem marca histórica

Verdão segue 100% a oito jogos consecutivos e lidera o Paulistão. Começo de ano é o melhor desde 1920

Keirrison comemora um dos gols do jogoKeirrison comemora um dos gols do jogo (Crédito: Tom Dib)

O Palmeiras segue 100% e líder do Campeonato Paulista nesta quarta-feira, ao bater o Mirassol por 3 a 2 no estádio do adversário. A vitória foi a oitava seguida na temporada, início de ano que o time não fazia a 89 anos.

O jogo começou equilibrado e com o apoio da torcida que dividiu estádio com a palmeirense, o Mirassol chegou a assustar. Já o Verdão tinha na velocidade sua maior virtude, mas foi em bola parada que abriu o placar.

Diego Souza bateu forte no canto do goleiro, que não teve reflexo e deixou a bola entrar.

Mas o Mirassol seguiu bem na frente e de tanto pressionar conseguiu empatar, em jogada parecida com o gol palmeirense. Anderson Paim chutou baixo na direção da barreira, que desviou e tirou do alcance do goleiro.

O Verdão tinha Keirrison, que é garantia de gol em quase todo jogo. Em bela tabela com Diego Souza, o atacante recebeu livre na área e chutou forte para o gol.

No segundo tempo, a impressão que deu é que o Mirassol pudesse empatar, mas não demorou muito para o Palmeiras tomar conta da partida.

Com os alas bem abertos, Jéfferson teve espaço para receber sem marcação na área, conduzir a bola e chutar forte, para ampliar ainda mais o placar.

A partir daí restou ao Palmeiras apenas administrar o placar. Luxemburgo ainda colocou os garotos Lenny e Marquinhos, para confirmar mais uma vitória e a liderança alviverde no campeonato.

No final da partida, Dão e Sandro Silva, por jogadas violentas, receberam cartão vermelho direto, por cometer falta na frente da área. Wesley no último minuto diminuiu, mas não evitou a derrota.

FICHA TÉCNICA
MIRASSOL 2 X 3 PALMEIRAS

Estádio: José Maria de Campos Maia, Mirassol (SP)
Data/hora: 11/02/2009 22h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Ferreira Lima
Auxiliares: Alessandro Pitol Arantes e Fabio Luiz Freire
Renda/ público: R$ 297.660,00/ 10.162 pagantes
Gols: Diego Souza, 9’/1ºT (0-1), Anderson Paim, 17’/1ºT (1-1), Keirrison, 25’/1ºT (1-3), Jéfferson, 16’/2ºT (1-3), Wesley, 47’/2ºT (2-3)
Cartões amarelos: Luciano Sorriso, César (Mirassol)
Cartões vermelhos: Dão (Mirassol); Sandro Silva (Palmeiras)

MIRASSOL: Fabiano, César, Augusto e Dão; Anderson Paim, Acleisson, Luciano Sorriso, Rodriguinho (Bruno Aguiar, 22’/2ºT) e Roger (Éder, 13’/2ºT); Wesley e Leandro Fonseca (Luís Ricardo, intervalo). Técnico: Roberval Davino.

PALMEIRAS: Bruno; Maurício Ramos, Edmílson e Danilo; F. Capixaba, Pierre, Cleiton, Diego Souza (Marquinhos, 21’/2ºT) e Jefferson; Willians (Sandro Silva, 35’/2ºT) e Keirrison (Lenny, 30’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , | Deixe um comentário

Internacional empata no jogo de líderes do Gauchão

Colorado ficou no 0 a 0 com o Ypiranga, em Erechim

Taison quase fez a diferença outra vezTaison quase fez a diferença outra vez (Crédito: Vipcomm)

LANCEPRESS!

O Internacional ficou no empate contra o Ypiranga, na noite dessa quarta-feira, no Estádio Colosso da Lagoa, em Erechim, no confronto envolvendo as duas melhores campanhas da competição. Com o resultado, o Colorado garante a primeira colocação do Grupo 1 do Campeonato Gaúcho. O Ypiranga também permanece na liderança, só que do Grupo 2.

Jogando com time misto, a equipe do Inter teve a iniciativa do jogo desde o começo. Logo aos seis minutos, o goleiro Marcelo Pittol errou na reposição de bola e largou nos pés de Andrezinho, que ficou livre para marcar. De frente para o gol, acabou chutando na trave.

O colorado seguiu pressionando e com mais volume de jogo, mas sem perigo ao adversário. As principais jogadas coloradas foram chutes de fora da área. Dois deles foram de bolas paradas. Alex cobrou duas faltas da intermediária, uma aos 22 minutos do primeiro tempo e outra aos 31, e ambas levaram perigo para Marcelo Pitto, que teve dificuldade para fazer as defesas.

A melhor chance do Ypiranga foi aos 38 minutos da primeira etapa, em um chute forte da entrada da área de Sharlei, depois de um bate rebate. Antes do fim do primeiro tempo, Marcelo Cordeiro teve, ainda, duas chances claras para marcar, mas terminou assim.

No segundo tempo, as duas equipes voltaram mais lentas e o jogo esfriou um pouco. Mesmo assim, o Inter seguiu criando. Walter teve uma chance de marcar aos três minutos, mas na hora do chute acabou pegando mal e colocando à direita do gol de Marcelo Pittol. O Ypiranga tentou responder aos oito minutos, mas Lauro fez grande defesa no chute de Michel.

A torcida pediu e Tite atendeu: Taison foi para o jogo e quase marcou na sua primeira chance. Ele recebeu bola de Andrezinho, limpou o zagueiro e adiantou demais, perdendo o controle da bola.

Até o final da partida, as jogadas se concentraram no meio campo.
Tanto o Inter quanto Ypiranga reduziram as oportunidades de gol e passaram a criar menos. Nitidamente querendo segurar o resultado, o técnico da equipe de Erechim fez duas substituições aos 44 minutos do segundo tempo e conseguiu garantir um ponto dentro de casa contra o Internacional, que tem o melhor aproveitamento da competição.

FICHA TÉCNICA
YPIRANGA 0 X 0 INTERNACIONAL

Data/horário: 11/02/09 às 22h (de Brasília)
Local: Estádio Colosso da Lagoa – Erechim (RS)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves de Lima
Auxiliares: João Lúcio de Souza Júnior e Júlio César dos Santos
Cartões amarelos: Alex (21/1T), Marquinhos (40/1T) e Marcelo Pittol (45/1T) para o Ypiranga; Álvaro (39/1T) para o Inter.

Ypiranga – Marcelo Pittol; João Rodrigo, Alex, Fábio e André Luís; Pavão, Marquinhos, Marcelo Muller e Michel (Pito 44/2T); Sharlei (Tomas 44/2T) e Guto (Japa 32/2T). Técnico Tonho Gil. Último

Internacional – Lauro; Arílton (Danilo Silva 38/2T), Danny Morais, Álvaro e Kleber; Maycon (Giuliano 38/2T), Glaydson, Marcelo Cordeiro e Andrezinho; Alex e Walter (Taison 17/2T). Técnico Tite.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , , | 1 Comentário

Mistão esfria e Fla empata com o Boavista

Time começa bem, se acomoda e perde os 100% de aproveitamento

Jônatas tenta passar pela marcaçãoJônatas tenta passar pela marcação (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

Poderia ter sido fácil. Mas o time misto do Flamengo bobeou e acabou empatando em 2 a 2 com o Boavista no Maracanã. O amistoso de luxo serviu para o técnico Cuca ter certeza de que pode contar com o banco de reservas, só que deixou para a última rodada a definição do primeiro lugar do Grupo B.

A partida podia não valer muito para o já classificado Flamengo. Mas os reservas que começaram jogando fizeram de tudo para mostrar serviço. Tanto que desde o início o Rubro-Negro dominou. Kleberson e Jônatas mantiveram o nível do meio-de-campo, Everton Silva estreou com personalidade e Toró não complicou. Josiel aproveitou a oportunidade e, com oportunismo, marcou o primeiro gol do time após cruzamento de Zé Roberto aos 24 minutos. Os únicos a destoar foram Douglas e Everton, que jogaram mal.

O jogo estava tão fácil que o Flamengo se acomodou. Depois de dois sustos, o Rubro-Negro acabou sendo castigado e o Boavista empatou no final do primeiro tempo. Em contra-ataque, Tony chutou de fora da área, a bola desviou na zaga, Bruno espalmou e Roberto Santos marcou.

Para dar mais velocidade ao time, Cuca sacou Jônatas no intervalo e pôs Egídio, deslocando Everton para o ataque. Mas o Flamengo foi surpreendido logo aos três minutos. Tony cruzou para a área, Santiago cabeceou na frente de Fábio Luciano e virou o jogo. E a mudança do treinador mostrou-se equivocada. Mesmo assim o Rubro-Negro conseguiu empatar.

Sem conseguir finalizar, o Flamengo chegou ao empate em uma cabeçada de Fábio Luciano após falta cobrada por Kleberson. Parecia ser questão de tempo para a virada. Mas ela não veio. O Rubro-Negro até que tentou de forma desorganizada marcar o terceiro, mas desta vez não deu para obter a vitória nos minutos finais. O Boavista se contentou com o empate e conseguiu segurar o resultado.

Na próxima rodada, o Flamengo faz o clássico com o Botafogo. Caso o Alvinegro perca para o Friburguense nesta quinta-feira, o Rubro-Negro já garante o primeiro lugar do Grupo B. Se houver outro resultado, a partida de domingo irá definir a posição dos dois clubes. Já o Boavista cumpre tabela contra o Bangu.
FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 X 2 BOAVISTA

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 11/2/2009 às 22h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues e Francisco Pereira de Sousa

Renda/Público: R$ 61.622,00 / 6.257 pagantes
Cartões amarelos: Douglas, Toró (FLA); Roberto Santos, Leandro Cruz, Fernando Bob, Thiaguinho (BOA)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Josiel, 24’/1ºT (1-0); Roberto Santos, 42’/1ºT (1-1); Santiago, 3’2ºT (1-2);
Fábio Luciano,13’2ºT (2-2);

FLAMENGO: Bruno, Douglas (Aírton, intervalo), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Everton Silva, Toró , Kleberson, Jônatas (Egídio, intervalo) e Everton (Paulo Sérgio, 25’/2ºT); Zé Roberto e Josiel. Técnico: Cuca.

BOAVISTA: Vinícius, Rogério Rios, Bruno Costa, Santiago e Hamilton; Thiaguinho, Fernando Bob, Bruno Moreno (Mancuso, 28’/2ºT) e Leandro Cruz (Paulo Rodrigues, 28’/2ºT); Tony e Roberto Santos (Romarinho, 32’/2ºT). Técnico: Júlio Marinho.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Flamengo | , , , | Deixe um comentário

No sufoco, Timão consegue vencer o Mogi

Em jogo muito ruim, Corinthians sofreu: vitória veio nos minutos finais com Boquita e o zagueiro-artilheiro Chicão

Ari Ferreira)Boquita comemora seu primeiro gol entre os profissionais do Corinthians na vitória sobre o Mogi Mirim (Foto: Ari Ferreira)

Gabriel Rubinsteinn

Em um duelo terrível – do ponto de vista técnico – o Timão conseguiu bater o Mogim Mirim, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, e se garantiu na vice-liderança do Paulistão.

Como tem acontecido com frequência nesta temporada, o Corinthians só garantiu a vitória nos minutos finais da partida.

Apesar de ter dominado o jogo, o time alvinegro não conseguiu criar muitas chances claras de gol. As melhores oportunidades vieram em jogadas pelas laterais e em chutes de média e longa distância.

O Mogi Mirim, preocupado apenas em se defender desde o início do jogo, conseguiu segurar o ataque corintiano e tentava sair apenas em alguns contra-ataques, mas não teve sucesso em nenhum.

Com a posse de bola durante quase todo o jogo, o Corinthians pressionou e buscou o gol o tempo todo. Apesar de algumas boas chances com Morais, Jorge Henrique e Chicão, o gol não saía.

No intervalo, Souza, que mais uma fez foi muito mal, acabou sacado por Mano Menezes, que colocou Otacílio Neto em seu lugar. A mudança aumentou a velocidade da equipe no ataque, mas o gol continuava como sonho distante. Foi aí que Mano Menezes decidiu se mexer mais uma vez, desta vez com maior eficiência: tirou o ala Diogo e colocou Lulinha e pos Boquita na vaga de Jorge Henrique, que sentiu contusão no tornozelo.

As mudanças deram certo. Os jovens aumentaram muito o poder ofensivo da equipe e, a poucos minutos do apito final, o Timão garantiu a vitória. Aos 39 minutos, Lulinha avançou pela direita e, na hora do cruzamento, escorregou. Mas Elias conseguiu se antecipar à zaga e tocou para trás, de calcanhar. Boquita, na pequena área, encheu o pé e fez o gol: 1 a 0 para o Timão, e primeiro gol de Boquita pelos profissionais do Timão.

Na sequência, o Corinthians aproveitou o desespero do adversário e, no contra-ataque, Lulinha, após cruzamento da esquerda, foi derrubado por Zé Rodolpho. Pênalti! Chicão bateu com categoria, no ângulo, fez seu sexto gol no Paulistão e deu números finais à partida.

O Corinthians, mais uma vez, não fez grande partida. Mas, como também tem sido comum, mesmo assim conseguiu vencer. Desta vez, no entanto, o dedo de Mano Menezes influenciou claramente no resultado.
FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 0 MOGI MIRIM

Data: 11/2/2009
Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Renda/Público: R$ 192.546,00 / 8.527 pagantes
Árbitro: Cléber Wellington Abade
Cartões Amarelos: Escudero, Morais, Otacílio Neto (COR); Leomar, Fabiano, Luiz Henrique, Zé Rodolpho (MOG)
Cartão Vermelho: Vela (MOG)
Gols: 39’/2ºT Boquita (1-0); 46’/2ºT Chicão (2-0)

CORINTHIANS: Felipe, Chicão, William e Escudero; Diogo (Lulinha), Fabinho, Elias, Morais e André Santos; Jorge Henrique (Boquita) e Souza (Otacílio Neto). Técnico: Mano Menezes

MOGI MIRIM: Fabiano, Leomar, Thiago Couto e Neguette (Lombardi); André Luiz, Naves, Luiz Henrique, Marcelo Régis, Giovanni (Vela) e Zé Rodolpho; Vavá (Alexandre). Técnico: Paulo Campos

fevereiro 12, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , | Deixe um comentário

Galo goleia em mais um show de Diego Tardelli

Atacante faz dois e Atlético-MG goleia o Uberaba por 4 a 1 no Mineirão

Tardelli mais uma vez desequilibrou em campoTardelli mais uma vez desequilibrou em campo (Crédito: Gil Leonardi)

LANCEPRESS!

Em mais uma atuação destacada do atacante Diego Tardelli, o Atlético-MG goleou o Uberaba, por 4 a 1, pela quarta rodada do Campeonato Mineiro. O camisa 9 fez os dois primeiros do Galo, e mostrou muita disposição em campo. Éder Luís e Tchô completaram a goleada, com Danilo descontando para o Uberaba.

O Atlético-MG começou quente o primeiro tempo e em menos de 20 minutos marcou três gols. Aos 12 minutos, Diego Tardelli recebeu bom passe de Lopes, limpou a marcação e, de pé esquerdo, finalizou no canto para abrir o placar.

O Galo continuou embalado e ampliou aos 18 minutos. Yuri passou pelo lateral Ivonaldo, invadiu a área e cruzou no pé de Tardelli que, sozinho, completou para o gol.

Apenas um minuto depois, Éder Luis recebeu bom passe do jovem lateral Marcos Rocha e chutou em cima de Laílson. O goleiro do Uberaba não conseguiu agarrar e deu rebote nos pés do camisa 11 do Galo, que não perdoou e marcou o terceiro.

Depois do terceiro gol do Atlético, o Uberaba acordou e começou a atacar perigosamente. Aos 24 minutos, Michel Curi finalizou forte de fora da área e acertou a trave do goleiro Juninho.

Após dois minutos, o Uberaba conseguiu o seu gol. Novamente Michel Curi chutou forte da entrada da área e a bola bateu no travessão. Danilo pegou o rebote em posição duvidosa e diminuiu o marcador.

O Atlético-MG retomou o controle e administrou a partida até o fim da etapa inicial.

Na segunda etapa, o Galo começou em cima novamente, e aos 12 minutos, marcou o quarto. Marcos Rocha enfiou linda bola para Tchô, que só teve o trabalho de fuzilar para o gol.

Depois do gol, o Galo tirou o pé do acelerador e só administrou o resultado. Com a goleada, a equipe comandada pelo técnico Emerson Leão chegou ao quarto lugar do Mineiro, com oito pontos. Na próxima rodada, o Atlético-MG encara o rival Cruzeiro, no superclássico de Minas Gerais.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 4 X 1 UBERABA

Data/Horário: 11/02/2009, às 22h (de Brasília)
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG)
Assistentes: Jair Albano Félix e Marcus Vinícius Gomes
Renda/Público: R$ 61.830,00 / 6.703 pagantes
Cartões Amarelos: Diego Tardelli e Renan (ATL); Balduíno, Maurício e Laílson (UBE)
Cartões Vermelhos: Nenhum

GOLS:Diego Tardelli, 12’/1ºT (1-0); Diego Tardelli, 18’/1ºT (2-0); Éder Luís, 19’/1ºT (3-0); Danilo, 26’/1ºT (3-1); Tchô, 11’/2ºT (4-1)

ATLÉTICO-MG: Juninho, Marcos Rocha, Leandro Almeida (Marcos, 30’/2ºT), Welton, Júnior; Renan, Márcio Araújo, Yuri e Lopes (Tchô, 32’/1ºT) (Júnior Carioca 33’/2ºT); Diego Tardelli e Éder Luís. Técnico: Emerson Leão.

UBERABA: Laílson, Ivonaldo, Gustavo, Glauco e Michel Gomes; Gabriel, Balduíno (Maurício, intervalo), Michel Curi e Biro Gomes (Fidalgo, 30’/2ºT); Augusto Cesar (Thiago Emílio, 40’/2ºT) e Danilo. Técnico: Pedrinho Rocha.

fevereiro 12, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , , , | 1 Comentário