Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Robinho marca duas vezes na estreia de Léo no Santos

Meia-atacante dá vitória e tranquilidade para Márcio Fernandes

LANCEPRESS!

No dia da estréia de Léo com a camisa do Santos, quem robou a cena foi o meia Robson. O jogador não vinha ganhando muitas oportunidades no time titular, mas entrou bem, ajudou o Santos a mudar o jogo e marcou os dois gols da vitória sobre o São Caetano por 2 a 0.

O Santos começou a partida indo para cima do São Caetano. Roni mandou uma bola que pegou nas duas traves. Mas o time santista logo diminuiu o ritmo e o São Caetano começou a dominar a partida.

Com boas atuações de Luan e Vandinho, o Azulão levou muito perigo ao gol de Fábio Costa. O Santos não foi muito eficiente no ataque, trabalhava muito a bola, mas sem muito objetividade e não conseguiu levar perigo ao gol de Luiz.

O lateral-direito Luizinho, que vinha agradando a torcida e o treinador Márcio Fernandes, sentiu uma fisgada na coxa e deu lugar a Pará, que entrou bem, mas não fez nada de excepcional.

O meia Robson entrou no lugar de Lúcio Flávio no intervalo e fez uma boa partida. Ele conseguiu ser mais incisivo que o titular, armou melhor o time e fez dois gols da equipe santista.

A principal atração do jogo, o lateral-esquerdo Léo, teve uma atuação discreta. No primeiro tempo, jogou bem, apoiando o ataque, mas ainda longe de ser o Léo de anos atrás. Depois ele sumiu, até pela condição física ainda precária.

Com a vitória o Santos chega aos dez pontos e divide a quarta colocação com o São Paulo. O time volta a campo no próximo domingo, às 17h, para o clássico contra o Palmeiras, no Palestra Itália. Já o São Caetano enfrenta o Guaratinguetá, fora de casa, no mesmo dia, mas às 19h10.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 SÃO CAETANO

Estádio: Vila Belmiro, em Santos(SP)
Data/hora: 05/02/2009 – 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima
Auxiliares: Alex Alexandrino e João Paulo Spim Redondo
Público e renda: 6.899 pagantes / R$ 96.990,00
Cartões Amarelos: Rodrigo Souto (Santos); Marco Aurélio, Tobi e Betinho (São Caetano)
Cartões Vermelhos: Pará (Santos)
Gols: Robson, 20’/2ºT (1-0) e 28’/2ºT (2-0)

SANTOS: Fábio Costa, Luizinho (Pará, 18’/1ºT), Adaílton, Fabiano Eller e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Lúcio Flávio (Robson, Intervalo) e Madson; Roni (Bolaños, 41’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes.

SÃO CAETANO: Luiz, Júlio Farias, Marcos Aurélio, Marcelo Batatais e Bruno Recife (Vando); Tobi, Ademir Sopa, Zé Eduardo (Cascata, 30’/2ºT) e Vandinho; Luan e Tuta (Betinho, 18’/2ºT). Técnico: Vadão

fevereiro 5, 2009 Posted by | Santos | , , , , , | Deixe um comentário

Flu perde de virada e situação agora é delicada

Tricolor faz vexame, perde de 3 a 2 para o Duque de Caxias, e agora vê semifinal longe

Derrota do Flu deve muito custar caro

Derrota do Flu deve muito custar caro (Crédito: Julio César Guimarães)

O dia foi de festa nas Laranjeiras com a apresentação de Thiago
Neves, mas na partida pelo Campeonato Carioca, o que se viu em campo
foi uma vergonha ao torcedor tricolor. Com um segundo tempo covarde,
onde mostrou desinteresse, o Fluminense acabou cedendo a virada para o
Duque de Caxias, perdeu por 3 a 2 no Estádio Los Larios, em Xerém, e
viu suas chances de classificação às semifinais da Taça Guanabara
praticamente irem pelo ralo.

O Fluminense iniciou a partida de
forma lenta. Com uma forte marcação, o Duque de Caxias embolava o jogo
no meio-de-campo e o Tricolor tinha dificuldades no toque de bola. Aos
poucos, a equipe das Laranjeiras foi abrindo mais o jogo e acionando os
laterais. Tal opção surtiu efeito.

Com um Leandro Bomfim como
cérebro da equipe, o Fluminense foi achando espaços e o gol foi
amadurecendo, até que o atacante Roger resolveu desencantar e em dois
minutos marcou seus dois primeiros gols com a camisa tricolor.

O
2 a 0 no placar expôs a fragilidade do time da Baixada Fluminense, que
até o fim do primeiro tempo quase não deu trabalho para o goleiro
Fernando Henrique.

Na segunda etapa, o Tricolor claramente
diminuiu o ritmo. Talvez achando que o resultado estava garantido, o
time de René Simões passou a valorizar mais a posse de bola e trocou
muitos passes. Por outro lado, o Duque de Caxias passou a oferecer mais
perigoso e começou a arriscar alguns chutes de fora da área.

Até
que numa jogada despretensiosa, Fernando Henrique acabou cometendo
pênalti desnecessário que Geovani bateu e diminui para o time mandante.

Porém,
o pior estava por vir. Aos 43 do segundo tempo, o zagueiro Henrique
subiu mais alto que a zaga e empatou a partida para o Caxias, e aos 48,
Deni, que havia entrado apenas sete minutos antes, fuzilou o gol de
Fernando Henrique e jogou um balde de água fria no Tricolor. Com a
derrota, o clássico deste domingo, contra o Vasco, tomou caráter de
vida ou morte para as pretensões do Fluminense na competição.

DUQUE DE CAXIAS 3 X 2 FLUMINENSE

Estádio: Los Larios, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 05/02/2009 – 18h45 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Francisco Pereira de Souza (RJ)
Renda/Público: R$ 36.313 / 3.608 pagantes
Cartões amarelos: Leandro Bomfim, Wellington Monteiro, Fernando Henrique (FLU); Eduardo Telles, Alberoni, Ânderson (CAX)
Cartões vermelhos: Não houve.
GOLS: Roger, 32’/1ºT (0-1); Roger, 34’/1ºT (0-2); Geovani, 31’/2ºT (1-2); Henrique, 43’/2ºT (2-2); Deni, 48’/2ºT (3-2)

FLUMINENSE:
Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Edcarlos, Luiz Alberto e
Leandro; Jaílton, Diguinho (Romeu, 41’/2ºT), Leandro Bomfim (Leandro
Domingues, 24’/2ºT) e Conca (Tartá, 19’/2ºT); Leandro Amaral e Roger.
Técnico: René Simões.

DUQUE DE CAXIAS: Borges, Douglas Silva,
Henrique, Eduardo Teles, Alberoni (Juninho, 22’/2ºT); Léo Oliveira,
Silva, Renatinho, Geovani, Dudu (Deni, 41’/2ºT) e Edvaldo (Ânderson,
intervalo). Técnico: Toninho Barroso.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Apático, Fogão sucumbe ao Voltaço: 1 a 2

De virada, Alvinegro perde invencibilidade na Taça GB em pleno Engenhão

Guerreiro luta pela posse de bola contra o atacante Zambi, do VoltaçoGuerreiro luta pela posse de bola contra o atacante Zambi, do Voltaço (Crédito: Gilvan de Souza)

A noite, definitivamente, não era alvinegra. Apesar de ter saído na frente, o Botafogo acabou derrotado pelo Volta Redonda por 2 a 1, no Engenhão, e deu adeus à invencibilidade no Campeonato Carioca. A falta de inspiração foi principal inimigo do time de Ney Franco, cujo gol foi marcado por Victor Simões. Fernando e Fabrício Carvalho viraram.

Agora, o Fogão está a três pontos do arqui-rival Flamengo, na vice-liderança do Grupo B. Já o clube aurinegro, que conquistou sua primeira vitória, pulou da sétima para a quinta posição, com quatro.

O Botafogo demorou para acordar na partida. A correria imposta pelo Volta Redonda dificultava muito a saída de bola alvinegra, algo até rotineiro nos jogos contra os pequenos. Por isso, ao apostar nos contra-ataques, a equipe do técnico Aílton, com mais espaço, criou duas boas chances para abrir o placar, com Fernando, ex-Flamengo, e depois com Bruno Barra.

No lado do time da casa, Victor Simões era o único que representava perigo para a defesa rival, mas, sozinho, tinha dificuldades para concluir. Porém, bastou Reinaldo, seu companheiro, abrir os olhos pela primeira vez, e a primeira grande jogada saiu. O camisa 7 rolou para trás e deixou Simões de frente para o gol. O atacante só teve o trabalho de deslocar o goleiro ao bater de pé direito para fazer 1 a 0.

Mal despertou, e o Alvinegro cochilou outra vez. Um minuto depois, Fernando aproveitou-se de rebatida errada da defesa, tocou na saída de Renan, que ainda abafou, mas não conseguiu evitar o empate. Vale destacar, porém, que Ricardo Luiz estava impedido no primeiro lançamento.

De pé novamente, o Botafogo tornou a ser agressivo, mas encontrou um Volta Redonda bem postado atrás e interrompendo o jogo com muitas faltas.

Ambos os times voltaram do intervalo sem alterações. Mas, antes que o time dirigido por Ney Franco pudesse se organizar, o Voltaço virou o jogo. Fabrício Carvalho bateu falta direto para o gol e, no susto, Renan foi enganado e aceitou. A desvantagem não fez nada bem para o Botafogo, que poderia ter sofrido pelo menos mais um.

Aos poucos, porém, com o recuo do adversário, o Alvinegro passou a dominar as ações. Era inexplicável apenas a razão de seguir com três defensores, uma vez que o Volta Redonda só contra-atacava com dois jogadores. De tanto imprensar, Leandro Guerreiro se tornou um meia. Mas de nada adiantava. O Botafogo não conseguia invadir a ameaçar o goleiro Edinho.

Com Jean Carioca e Eduardo nas vagas de Túlio Souza e Emerson, respectivamente, a equipe de Ney Franco ganhou em movimentação, mas errava muito. A torcida presente ao Engenhão, em pequeno número, ficou impaciente.

Nos quinze minutos finais, o Voltaço chegou a ter dez homens dentro da área. Foi o suficiente para que o Botafogo praticamente não desse mais um chute certo a gol, o que lhe valeu o fim da invencibilidade na temporada.
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 1 X 2 VOLTA REDONDA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 5/2/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Noel Laranja (RJ)
Auxiliares: Wendel de Paiva Gouvea (RJ) Sérgio Waldman (RJ)
Renda/público: R$ 71.603,00 / 4.583 pagantes
Cartões amarelos: Juninho (BOT); Dedé, Wanderson, Zambi, Bruno Barra e Tiago (VOL)
Cartão vermelho: Tiago, 45’/2ºT (VOL)
GOLS: Victor Simões, 29’/1ºT (1-0); Fernando, 29’/1ºT (1-1); Fabrício Carvalho, 8’/2ºT (1-2)

BOTAFOGO: Renan; Emerson (Thiaguinho, 20’/2ºT), Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel (Lucas Silva, 41’/2ºT), Túlio Souza (Jean Carioca, 12’/2ºT), Maicosuel e Thiaguinho; Reinaldo e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

VOLTA REDONDA: Edinho, Dedé, Júnior Baiano e Arlindo; Júlio Cezar, Fabrício Carvalho, Bruno Barra, Fernando (Tiago, 37’/2ºT), Ricardo Luiz (Leonardo, 41’/2ºT) e Wanderson; Zambi (Fernandão, 31’/2ºT) – Técnico: Aílton Ferraz

fevereiro 5, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Timão x Verdão será em Presidente Prudente

Superclássico, que pode marcar estreia de Ronaldo, será a 560km da capital

Local do clássico (Foto de Reginaldo Castro)Local do clássico (Foto de Reginaldo Castro)

A Federação Paulista de Futebol alterou o local do jogo Corinthians x Palmeiras, marcado para o próximo dia 8 de março. Antes marcado para o Morumbi, a FPF publicou em seu site oficial o novo palco do superclássico: Estádio José Eduardo Farah, em Presidente Prudente, a 560km da capital paulista.

O confronto, sempre aguardado com ansiedade pelos torcedores rivais, pode marcar a estreia de Ronaldo com a camisa do Timão. Pela programação da comissão técnica, seu primeiro jogo acontecerá no final de fevereiro ou começo de março.

Com a mudança, a equipe de Mano Menezes pode ficar até 13 dias fora de São Paulo. Tudo porque o clube estuda mudar o confronto com o Noroeste, no próximo dia 25 de fevereiro, para a mesma cidade.

Caso a mudança para o Farazão seja confirmada, o Timão faria na sequência mais dois jogos fora: contra o Marília, no Estádio Bento de Abreu, dia 1 de março, e o Itumbiara, pela Copa do Brasil, em 4 de março, no interior de Goiás.

A delegação viajaria para o interior na véspera (dia 24) do confronto com o Noroeste e, no dia seguinte, segue para Marília. De lá, embarca para a cidade goiana para a estreia na competição nacional.

De acordo com os responsáveis do setor de arrecadação do clube, nem mesmo os ingressos já comprados de maneira antecipada pelos sócios-torcedores atrapalha a saída do Corinthians por nove dias. Todos serão ressarcidos pelo clube assim que a mudança do jogo foi confirmada.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Corinthians, Palmeiras | , , , , , , | 5 Comentários

Corinthians Paranaense é criado em Curitiba

Joel Malucelli e André Sanchez selam parceria por no mínimo um ano

Modelos apresentam o uniforme do Timão ParanaenseModelos apresentam o uniforme do Timão Paranaense (Crédito: Tiago Pereira)

Num almoço realizado na sede da empresa J. Malucelli, foi criado oficialmente o mais novo time de futebol brasileiro: o Sport Club Corinthians Paranaense. A assinatura da parceria contou com o presidente de honra do J. Malucelli, Joel Malucelli, e o presidente do Corinthians, André Sanchez.

Estiveram também presentes ao evento o vice-governador do Estado do Paraná, Orlando Pessuti, o vice-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, além de representantes de Atlético Paranaense, Coritiba e Paraná.

A parceria terá duração de um ano, com a opção de renovação por mais três temporadas. Em troca do uso do nome e das cores do Timão, a ex-equipe do J. Malucelli cederá os jogadores que se destacarem na disputa do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil. Da mesma forma, jogadores que não estão sendo aproveitados pelo técnico Mano Menezes poderão pintar em Curitiba.

– É uma parceria inédita para o Corinthians e para o futebol brasileiro. Tenho certeza de que todos sairão ganhando com esta união. É uma honra para o Corinthians estampar o seu uniforme no Paraná, um Estado que tão bem quer o Corinthians. Está será apenas a primeira de muitas parcerias que faremos, não só no Brasil, mas em todo o mundo – disse, tendo opinião semelhante ao dirigente do Timão Paranaense:

– Tudo está sendo feito pelo bem do futebol do Estado. Com esta parceria, atrairemos ainda mais investimentos, levaremos mais público aos estádios e tenho certeza de que movimentaremos ainda mais a economia dos clubes, principalmente, os do interior, onde a marca Corinthians é ainda mais forte – completou.

Só que nem tudo são flores. Como o Corinthians Paranaense usará tudo da filial paulista – Uniforme, material esportivo e até o escudo – a bandeira do Estado de São Paulo estampará o peito do clube paranaense, para discordância de alguns críticos. No entanto, o diretor de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, aponta a rivalidade com o Palmeiras como fator determinante para a manutenção da bandeira, já que a bandeira do Paraná tem as cores verde, branco e azul.

– Como todos sabem, nós temos alergia a cor verde e por isso foi mantido o escudo do Corinthians. Não vejo isso como um problema. Somos todos Corinthians, o que é o mais importante. São Paulo é Paraná e Paraná é São Paulo – brincou, lembrando que uma das ações de marketing prevista será a criação de lojas do Timão por todo o Paraná.

No Paranaense 2009, segue J. Malucelli

Mesmo com a fundação do novo clube, na disputa do Campeonato Paranaense nada muda. Pelo menos por enquanto. Como o regulamento da Federação Paranaense de Futebol (FPF) não permite a troca do nome e dos uniformes durante a competição, o Corinthians Paranaense só deverá estrear na Copa do Brasil. Ainda nesta semana o novo clube será inscrito na CBF.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Leão não improvisa e aciona Marcos Rocha

Jovem criado na base do Galo deverá ser titular contra Social

Marcos Rocha fez três gols em 54 partidas pelo time júniorMarcos Rocha fez três gols em 54 partidas pelo time júnior (Crédito: Divulgação)

LANCEPRESS!

O treino comandado por Emerson Leão na manhã desta quinta-feira mostrou que não deverá improvisar contra o Social, no próximo sábado. Com a lesão de Sheslon no treinamento da última quarta-feira, Leão acionou o seu subtituto direto: Marcos Rocha. O jovem lateral-direito de 20 anos foi criado nas categorias de base do Atlético-MG e passou por clubes como CRB e Tombense.

Marcos Rocha atuou todo o treino entre os titulares que foram os mesmo que enfrentaram o Tupi: Juninho; Marcos Rocha, Leandro Almeida, Welton Felipe e Júnior; Renan, Carlos Alberto, Márcio Araújo e Lopes; Éder Luis e Diego Tardelli.

Sheslon fará exame de ressonância magnética nesta quinta-feira para avaliar a gravidade da lesão no joelho esquerdo.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , | Deixe um comentário

Sorín renova por dois anos com a Raposa

Prolongamento de vínculo do lateral argentino já era previsto em contrato

Ampliar Foto Washington Alves/VIPCOMM Washington Alves/VIPCOMM

Sem jogar desde maio, Sorín trabalha para re-estrear pela Raposa

Conforme previsto em seu contrato, o argentino Sorín teve seu vínculo com o Cruzeiro renovado por dois anos nesta quinta-feira, de acordo com informações do site “Superesportes”. O nome do jogador deverá ser publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF nesta sexta-feira.

O lateral voltou à Raposa em setembro de 2008 para se reabilitar de uma tendinite no joelho direito no departamento médico do clube e ainda não fez sua re-estreia. Sorín chegou a participar da pré-temporada celeste e viajou para o Uruguai com a equipe durante o Torneio Verão.

Apesar de curado da lesão no joelho, o atleta, que não participa de jogos oficiais desde maio de 2008, quando defendia o Hamburgo, da Alemanha, tem se queixado do desgaste muscular e realiza trabalhos diários para atenuar as dores.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Cruzeiro | , , , , | Deixe um comentário

Benítez está regularizado e já pode atuar pelo clube da Colina

Paraguaio é o último atleta contratado a ser inscrito na CBF e na Ferj

Ampliar Foto Thiago Lavinas/Globo Esporte Thiago Lavinas/Globo Esporte

Paraguaios do Vasco já estão regularizados

O meia Milton Benítez, contratado ao 3 de Febrero-PAR, já está regularizado na Confederação Brasileira de Futebol e na Federação Carioca. O jogador está à disposição do técnico Dorival Júnior para o clássico deste domingo, contra o Fluminense, no Maracanã, pela quinta rodada da Taça Guanabara, primeiro turno do Estadual.

Nesta quinta-feira, Benítez participou do jogo-treino contra os reservas dos juniores. O jogador, que assinou contrato até o meio do ano, tem mostrado qualidade nas atividades comandadas por Dorival Júnior. No entanto, Enrico e Fernandinho são as primeiras opções do treinador caso ele precise mudar o time.

– Todos os jogadores do elenco já estão regularizados e estão à disposição do Dorival Júnior – afirmou o gerente de futebol Carlos Alberto Lancetta.

Na quarta-feira, a diretoria do Vasco conseguiu inscrever o volante paraguaio Pedro Vera, ex-18 de Octubre-PAR, e o meia Enrico, ex-Djugarden-SUE. Os dois atletas também foram contratados de clubes do exterior e tiveram problemas para conseguirem as suas liberações da federação paraguaia e sueca.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Volta de Juan só deve acontecer no clássico contra o Botafogo

Cuca projeta retorno do lateral aos treinos para a próxima quinta-feira

Ampliar Foto Carlos Mota/Globo Esporte Carlos Mota/Globo Esporte

Juan ainda sente dores na perna direita

Fora da equipe há duas rodadas, Juan deve desfalcar o Flamengo por, no mínimo, mais dois jogos na Taça Guanabara. Com um comprometimento no nervo da articulação da perna direita, a tendência é que o lateral-esquerdo só seja liberado para treinar com o restante do grupo na próxima quinta-feira, de acordo com o técnico Cuca. Sendo assim, só voltaria no clássico contra o Botafogo, no dia 15.

Precavido, o médico do clube, Wálter Martins, prefere não fazer previsões e aguardar o início da próxima semana para avaliar se o jogador terá condições de encarar o Boavista, quarta-feira. Desde a partida contra o Bangu, na segunda rodada, as idas de Juan à Gávea se resumem ao trabalho de fisioterapia.

O Flamengo encara o Macaé, no próximo sábado, às 18h15m, no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda, e se garante nas semifinais da Taça Guanabara em caso de vitória, pois lidera o Grupo B, com 12 pontos, e o adversário tem sete.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Documento chega à Federação, e Thiago Neves está liberado para pegar o Vasco

Ferj recebe papelada da Federação Alemã de Futebol, confirmando a transferência, e o camisa 10 do Fluminense está inscrito legalmente

Ampliar Foto André Durão /Globo Esporte André Durão /Globo Esporte

Festa antes, durante e depois da apresentação: Thiago Neves está liberado para jogar o Estadual

O Fluminense já havia feito a sua parte, enviando na última segunda-feira à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (RJ) o contrato firmado com Thiago Neves, e assim ele foi inscrito para a disputa do Campeonato Carioca. Faltava, no entanto, a documentação da Federação Alemã de Futebol confirmando a transferência do jogador, vendido pelo Hamburgo ao Al Hilal por 7 milhões de euros (aproximadamente R$ 20,7 milhões) – o clube da Arábia Saudita, por sua vez, emprestou o meia ao Tricolor.

E no dia em que Thiago Neves chegou ao Brasil e se apresentou ao Fluminense, no salão nobre das Laranjeiras, no fim da manhã desta quinta-feira, a papelada chegou da Alemanha na Ferj, e o camisa 10 tricolor está oficialmente liberado para disputar o Estadual. Assim, o meia fara a sua re-estreia pelo Fluminense no próximo domingo, no clássico contra o rival Vasco, às 19h10m, no Maracanã.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com mudanças, Botafogo enfrenta o Voltaço

Ney mexe no time para manter os 100% de aproveitamento. Já a equipe da Cidade do Aço, tenta a primeira vitória na competição

LANCEPRESS!

O Botafogo recebe o Volta Redonda nesta quinta-feira, às 21h, no Engenhão, pela quarta rodada da Taça Guanabara. O Alvinegro joga para se manter na liderança, já a equipe da Cidade do Aço tenta a primeira vitória.

Ney Franco planeja mudanças na equipe titular. O treinador demonstrou ter ficado satisfeito com o desempenho de Thiaguinho e Fahel, que entraram respectivamente nos lugares de Eduardo e Lucas Silva no segundo tempo da partida contra o Mesquita.

Volante de origem e que vinha atuando na ala direita, Thiaguinho deve ocupar a vaga de Eduardo na lateral esquerda.

– É bom atuar também fora da minha posição, pois meu trabalho aparece. Quando o Ney (Franco) me der oportunidade, quero jogar. Ano passado estranhei um pouco, mas me adaptei à lateral direita. Agora é lateral também, mas esquerda. Eu posso fazer – garantiu o jogador.

O jogo marca ainda a estreia de Reinaldo no Engenhão. Nesta temporada, o Botafogo já recebeu o Macaé pela segunda rodada da Carioca, mas o camisa 7 ainda se recuperava de uma lesão na parte posterior da coxa direita.

Pelos lados do Volta Redonda, o técnico do time, Ailton Ferraz não quer que sua equipe volte a sofrer gols nos minutos finais, como nas partidas contra Boavista e Flamengo.

Para tentar conquistar a primeira vitória no Campeonato Carioca, o técnico do Voltaço espera que sua equipe explore os pontos fracos da equipe comandada por Ney Franco.

– Não adianta jogar bem durante os 90 minutos e sofrer gol nos acréscimos. Nossa desatenção já nos custou cinco pontos. Conversei bastante com os jogadores, pois erros como os que aconteceram nas duas últimas partidas não podem se repetir. Sabemos da força do Botafogo, mas a meta é tentar surpreender – garantiu o treinador.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X VOLTA REDONDA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 05/02/2009 – 21h
Àrbitro: Leandro Noel Laranja (RJ)
Auxiliares: Wendel de Paiva Gouvea (RJ) e Sergio Waldman (RJ)

BOTAFOGO: Renan; Emerson, Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel, Léo Silva, Maicosuel e Thiaguinho; Reinaldo e Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

VOLTA REDONDA: Edinho, Júlio Cezar, Dedé, Junior Baiano e Wanderson; Bruno Barra, Fabrício Carvalho, Fernando e Ricardo Luiz (Allan); Fernandão e Zambi (Laércio). Técnico: Ailton Ferraz

fevereiro 5, 2009 Posted by | Botafogo | , , , | Deixe um comentário

Fluminense busca a afirmação contra o Duque de Caxias

Após primeira vitória no Estadual, Tricolor tenta embalar na competição

Fluminense e Duque de Caxias se enfrentam no Los LariosFluminense e Duque de Caxias se enfrentam no Los Larios

LANCEPRESS!

Clube que fez as contratações de maior impacto na temporada, o Fluminense ainda está aquém do que o tricolor espera no Campeonato Carioca. Mas após uma boa vitória sobre o Resende por 3 a 0, a equipe chega mais confiante para o confronto com o Duque de Caxias, nesta quinta-feira, no Estádio Los Larios, em Xerém.

Como o volante Fabinho foi expulso na última partida, o técnico René Simões optou por Diguinho para ocupar a vaga. Já Leandro Bomfim segue como titular, deixando seu xará Domingues no banco.

Para o treinador, o jogo contra a equipe da Baixada Fluminense será uma final.

– O jogo desta quinta-feira é decisão. Foi bom o Americano ter tropeçado duas vezes, pois agora dependemos apenas da nossa força. Por isso, cada partida será encarada como um clássico – declarou.

Com apenas um ponto no Grupo A da Taça Guanabara, o Duque de Caxias busca sua reabilitação na competição. Para o jogo contra o Fluminense o time vai completo. O técnico Marcelo Buarque confia que o elenco irá se recuperar.

– Conheço bem o potencial dessa equipe. Não foi à toa que conquistamos o acesso à Série B no ano passado. Apesar da chegada de reforços, mantivemos a base e sabemos que a equipe tem muita força para reagir em situações adversas como essa – disse.
FICHA TÉCNICA:
DUQUE DE CAXIAS X FLUMINENSE

Estádio: Los Larios, Xerém (RJ)
Data/hora: 04/02/2009 – 18h45 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Francisco Pereira de Sousa (RJ)

DUQUE DE CAXIAS: Borges; Douglas Silva, Henrique, Eduardo Teles e Alan Fernandes; Léo Oliveira, Silva, Pingo e Renatinho; Dudu e Edivaldo. Técnico: Toninho Barroso.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Edcarlos, Luiz Alberto e Leandro; Jaílton, Diguinho, Leandro Bomfim e Conca; Leandro Amaral e Roger. Técnico: René Simões.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Pressionado e com clima tenso, Santos recebe o Azulão

Briga entre Léo e Germano esquentou ainda mais o clima no Peixe

Léo e Germano quase saem no tapa no CT Rei Pelé (Ivan Storti)Léo e Germano quase saem no tapa no CT Rei Pelé (Ivan Storti)

LANCEPRESS!

Pressionado e possivelmente com o ambiente desgastado, por conta da briga de última hora envolvendo o lateral Léo e o volante Germano , o Santos recebe o São Caetano, nesta quinta-feira, às 21h30, na Vila Belmiro.

Como se não bastasse os dois tropeços nas duas últimas rodadas, que afastaram a equipe da liderança, os dois jogadores resolveram esquentar ainda mais o clima que já não era dos melhores e quase saíram no tapa no treino recreativo desta quarta-feira no CT Rei Pelé.

O desentendimento entre os atletas se une à pressão da torcida, que já é exercida sobre o técnico Márcio Fernandes, e uma vitória é considerada obrigatória pelos lados da Vila.

Léo, que fará sua estreia na sua volta ao clube, falou sobre o clima tenso que cerca o Peixe para o confronto com o Azulão.

– A vida no Santos sempre foi uma loucura. O trabalho do Márcio Fernandes é excelente, mas ainda estamos no início da temporada. É um desespero anormal. Eu sei da minha responsabilidade – afirmou.

O Santos terá ainda outra alteração. O zagueiro Fabiano Eller volta de lesão e deve dar mais tranquilidade à defesa. Eller estava machucado e não jogava desde o ano passado.

O equatoriano Bolaños, contratação mais cara do clube para a temporada, segue apenas como opção de banco. No último treinamento, Márcio Fernandes chegou a testar Robson no lugar de Madson.

O São Caetano, por sua vez, é só algeria. A equipe do ABC tem a melhor defesa da competição – sofreu apenas um gol – e 100% de aproveitamento fora de casa, com duas vitórias. A equipe está empolgada e uma vitória diante do Santos pode deixar o Azulão próximo dos líderes. O técnico Vadão não esconde o otimismo com o bom início de sua equipe, mas alerta:

– Será o jogo mais duro até agora. O Santos, mesmo com a derrota (para o Ituano), mostrou muita qualidade e virou notícia no mundo por chutar seis bolas na trave. Se parte dessas chances tivessem sido convertidas, eles tinham até goleado. Mas no futebol o que fica é o resultado. A tabela não mostra outra coisa senão os pontos. E, neste quesito, estou muito satisfeito.

Outro que está empolgado é o goleiro Luiz. Ele sofreu apenas um gol e vai com tudo para o duelo com o artilheiro Kléber Pereira.

– Só não quero tomar três bolas na trave – brincou o camisa 1.

O goleiro, junto com o volante Ademir Sopa, estava presente na final de 2007, quando o Azulão perdeu o título para o Santos. No entanto, para o confronto desta quinta, Luiz acredita na vitória:

– O Santos tem um time rápido e será preciso muita atenção. Mas temos qualidade e capacidade de sair da Vila com os três pontos.

O técnico Vadão tem apenas uma dúvida para escalar a equipe. O atacante Luan já está recuperado de contusão e vai brigar com Cascata por uma vaga no ataque. O lateral Iran, machucado, está fora do duelo.

FICHA TÉCNICA

SANTOS X SÃO CAETANO

Estádio: Vila Belmiro, em Santos(SP)
Data/hora: 05/02/2009 – 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima
Auxiliares: Alex Alexandrino e João Paulo Spim Redondo

SANTOS: Fábio Costa, Luizinho, Adaílton, Fabiano Eller e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Lúcio Flávio e Madson; Roni e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes.

SÃO CAETANO: Luiz, Julio Farias, Marcos Aurélio, Marcelo Batatais e Bruno Recife; Tobi, Ademir Sopa, Zé Eduardo e Vandinho; Luan (Cascata) e Tuta.
Técnico: Vadão

fevereiro 5, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cheio de ar, Verdão bate Potosí e altitude

Cleiton Xavier segue a marca de um gol por jogo; Keirrison também faz, diante de um adversário inofensivo até em casa

Cleiton Xavier e Keirrison comemoram um dos golsCleiton Xavier e Keirrison comemoram um dos gols

4 mil metros é alto, mas não foi o bastante para atrapalhar a tranquila classificação do Palmeiras na primeira fase da Copa Libertadores da América. Diante de um Real Potosí inofensivo, fez 2 a 0 no jogo de volta e passou por cima da temida altitude da cidade boliviana.

Com a vitória sobre o Potosí o Palmeiras se classificou para o Grupo 1 da segunda fase da Copa Libertadores. Fazem parte do grupo do Palmeiras o Sport, o Colo Colo (CHI) e a atual campeã LDU (EQU). Confira a seguir os próximos jogos do Verdão na Libertadores.

17/2 – LDU x Palmeiras – Quito (EQU)
3/3 – Palmeiras x Colo Colo – São Paulo
8/4 – Sport x Palmeiras – Recife
15/4 – Palmeiras x Sport – São Paulo
21/4 – Palmeiras x LDU – São Paulo
29/4 – Colo Colo x Palmeiras – Santiago (CHI)

Agora o Palmeiras está classificado para o Grupo 1 da Libertadores, que conta ainda com o Sport, LDU (EQU) e Colo-Colo (CHI). O primeiro jogo do Verdão nesta fase será no dia 17 de fevereiro contra a LDU, em Quito

O Palmeiras sofreu com a falta de ar, mas o Potosí também não foi dos times mais ativos e pouco assustou o gol de Bruno, mesmo precisando vencer por quatro gols de diferença.

O time da casa usou e abusou do jogo aéreo, mas não conseguia passar do trio de zagueiros do Verdão, que levou a melhor em todas as jogadas no primeiro tempo. Como o adversário não preocupou nem fez correr mais do que devia, o Palmeiras optou por cadenciar a partida, e, quando tentou imprimir velocidade, a falta de fôlego foi o maior empecilho.

Em alguns ataques isolados os brasileiros levaram perigo e, em um deles, marcou o primeiro. Em rápido contra-ataque, Keirrison deixou Cleiton Xavier na cara do gol para chutar forte e marcar o primeiro.

Já no segundo tempo a impressão que deu foi que as duas equipes esperavam acabar a partida, tamanha foi a pouca disposição em campo.

Os bolivianos chegaram a abusar da violência em algumas jogadas, enquanto o árbitro faltou com autoridade na hora de distribuir cartões. Em uma das jogadas, Diego Souza saiu de maca.

A lesão colocou Lenny em campo, mas a expectativa de um time rápido não foi confirmada. O Palmeiras apenas trocava passes no meio de campo para evitar o desgaste físico. Já o Potosí, quando ia para frente, chegava até a passar vergonha, com erros no domínio de bola e chutes sem direção de gol.

Os brasileiros ainda fizeram mais um para sair com classe da primeira fase da Libertadores. Após erro crasso do zagueiro, que errou passe para trás, Keirrison ficou com a bola, driblou o goleiro e mandou para as redes.

Com o placar agregado das duas partidas de 7 a 1, o Palmeiras desce da altitude de Potosí com o dever cumprido e cheio de ar e disposição para a fase de grupos da Libertadores.

FICHA TÉCNICA
REAL POTOSÍ 0 X 2 PALMEIRAS

Estádio: Victor Agustín Ugante, Potosí (BOL)
Data/hora: 04/02/2009, às 23h (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos Galeano (PAR/ FIFA)
Assistentes: Oscar Vera (PAR/ FIFA) e Rodney Aquino (PAR/ FIFA)

Gols: Cleiton Xavier, 29’/1ºT (0-1), Keirrison, 29’/2ºT (0-2)
Cartões amarelos: Suárez e Yeserotti (Real Potosí)

REAL POTOSÍ: Mauro Machado, Gatty, Rodriguez, Gallindo e Eguino; Suárez, Ortiz, Correa e Chiorazzo (Maciel, 10’/2ºT); Yeserotte e Horácio Fernandes. Técnico: Vladimir Soria.

PALMEIRAS: Bruno, Maurício Ramos, Edmílson e Danilo (Jéci, 31’/2ºT); Fabinho Capixaba, Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza (Lenny, 16’/2ºT e Pablo Armero; Willans (Jumar, 10’/2ºT) e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , , , | Deixe um comentário

De virada, Vasco derrota o Resende e já é líder do grupo

Com gols de Nilton, Tiago e Pimpão, time de Dorival Júnior faz 3 a 1 em ótimo segundo tempo

Jogadores comemoram com o goleiro Tiago o segundo do Vasco, o gol da vitóriaJogadores comemoram com o goleiro Tiago o segundo do Vasco, o gol da vitória (Crédito: Paulo Sérgio)

Na noite em que Bruno marcou de falta para o Flamengo, o goleiro Tiago não quis ficar para trás e, de pênalti, fez o gol da virada do Vasco sobre o Resende, na noite desta quarta-feira, em Volta Redonda. Após um início irregular, o time de Dorival Júnior soube ter calma e fez 3 a 1 em ótima atuação no segundo tempo.

Agora, o Clube da Colina tem nove pontos e assumiu a liderança do Grupo A. Já o adversário estacionou nos quatro e caiu para sexto lugar.

Longe de casa, o Vasco deu a impressão de que, com um ritmo intenso, além de um time mais qualificado tecnicamente, faria valer a condição de vice-líder do grupo A. Porém, aos poucos, aproveitando-se de uma marcação cerrada, o Resende inibiu as melhores jogadas cruzmaltinas e tomou conta do jogo.

O efeito da pressão não demorou muito a ser visto. Ao contar com a sorte, o zagueiro Leandro bateu falta de longe, a bola desviou na barreira, enganou Tiago e morreu no ângulo direito. A desvantagem, no entanto, não fez a equipe de Dorival Júnior acender no jogo. Com Pimpão mais isolado do que nunca, Fernandinho e Jéferson sofriam para dar continuidade às tramas.

Tanto que, aos 26, no rebote de um cruzamento, Taercio acertou a trave vascaína, do bico direito da grande área. A apatia cruzmaltina só teve fim quando o Resdende recuou para esperar o adversário sair jogando. Com um pouco mais de espaço, o Vasco começou a explorar as laterais com frequência, cujas insistências, depois, deram resultado.

Paulo Sérgio, após alguns cruzamentos errados, desta vez acertou e achou o volante Nilton, que, livre, cabeceou no meio do gol e marcou seu terceiro na competição, tornando-se o artilheiro do Carioca. O empate acalmou o time, que quase virou nos acréscimos.

Da mesma maneira que terminou o primeiro, o Vasco começou o segundo tempo. Mais ágil e aproveitando-se da formação muito defensiva do time do técnico Roy, logo criou boas chances, como a que Rodrigo Pimpão completou na trave passe de Paulo Sérgio.

À essa altura, o Resende não representava mais qualquer perigo e limitava-se a rebater as investidas de Ramon, Alex Teixeira & cia. A satisfação com o empate era tão grande que, mesmo com o mando de campo, as substituições foram sobretudo defensivas.

O poderio ofensivo do Vasco era tamanho que até Tiago se aventurou ao ataque e tentou cobrar uma falta. Se não deu na primeira, de mais perto, o goleiro acertou. Em pênalti mal marcado sofrido por Pimpão, ele virou o jogo em Volta Redonda.

A partir daí, foi um show de oportunidades perdidss do time de Dorival Júnior. Faioli e Élton – que entraram no decorrer da partida – e Alex Teixeira quase marcaram. Antes que o Resende pudesse reagir, no entanto, Pimpão surgiu entre os zagueiros para concluir boa bola de Faioli.

O terceiro gol, aos 32, encerrou a disputa, que já não era mais tão justa, uma vez que o time do Sul Fluminense recebera dois cartões vermelhos – para Naílton e Breno. A luta do Resende, então, foi somente para não sofrer uma goleada, que, com méritos, conseguiu evitar.

Na próxima rodada, a equipe de Antônio Carlos Roy recebe o Duque de Caxias em casa, domingo. Já o Vasco faz o primeiro clássico da temporada, contra o Fluminense, no mesmo dia, no Maracanã.
FICHA TÉCNICA:
RESENDE 1 X 3 VASCO

Estádio: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data/hora: 4/2/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Flavio Manoel da Silva (RJ)
Renda/público: R$ 67.470,00 / 4.786 pagantes (5.522 presentes)
Cartões amarelos: Fábio Azevedo, Sousa, Breno, Naílton e Leandro (RES); Amaral, Jéferson e Titi (VAS)
Cartões vermelhos: Breno, 27’/2ºT e Naílton, 34’/2ºT
GOLS: Leandro, 18’/1ºT (1-0), Nilton, 42’/1ºT (1-1), Tiago, 25’/2ºT (1-2) e Pimpão, 32’/2ºT (1-3)

RESENDE: Cleber, Leandro, Nailton e Breno; Taercio, Marcio Gomes, Fred (Roberto, 34’/2ºT), Fabio Azevedo (Sousa, 42’/1ºT), Léo (Vinícius, 19’/2ºT) e Felipinho; Bruno Meneghel – Técnico: Antônio Carlos Roy.

VASCO: Tiago, Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Faioli, 18’/2ºT) e Fernandinho (Élton, intervalo); Alex Teixeira (Fernando Galhardo, 35’/2ºT) e Rodrigo Pimpão – Técnico: Dorival Júnior.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com dois de Chicão, Timão é líder do Paulista


Zagueiro-artilheiro marca de pênalti e falta para Corinthians vencer Paulista por 3 a 2 e passar Palmeiras na ponta

Ari Ferreira/Lancepress!)Chicão comemora o seu primeiro gol, de pênalti (Foto: Ari Ferreira/Lancepress!)

LANCEPRESS!

Zagueiro-artilheiro, Chicão colocou o Corinthians na liderança do Campeonato Paulista. O camisa 3 marcou dois gols e comandou a vitória do Timão por 3 a 2 sobre Paulista, nesta quarta-feira à noite, no Estádio Jayme Cintra, em Jundiaí (SP). Elias fez o outro do Timão e Zé Carlos e Felipe Azevedo assinalaram para o time da casa, que chegou a estar vencendo por 2 a 1.

Com a vitória, o Timão chegou aos 13 pontos e ultrapassou o Palmeiras, que está estacionado nos 12 com um jogo a menos, pois não atuou pelo Paulista neste meio de semana, já que disputou jogo da Libertadores, na Bolívia.

O Corinthians começou muito bem o jogo, indo para cima. E logo aos 2 minutos, Lulinha recebeu passe preciso de Elias e acertou a trave direita de Vágner. Dois minutos depois, saiu o gol. Elias tabelou com Lulinha e recebeu livre, dentro da área, para só ter o trabalho de chutar no canto direito de Vágner. 1 a 0 para o Timão

Depois de abrir o placar, o time teve chance de ampliar aos 10, quando Otacílio Neto finalizou rente à trave direita. Mas no lance seguinte, aos 12, ao invés de pular mais à frente do marcador, a equipe sofreu o empate. Marcelo Toscano invadiu a área e perdeu o domínio da bola, mas ela sobrou para Felipe Azevedo rolar para o fundo da meta de Felipe.

Quando o Corinthians tentava mais uma vez ficar na frente, uma sucessão de falhas do time aconteceu. No lado direito da defesa, Alessandro deu passe bisonho nos pés de Zé Carlos, que arrematou de fora da área. Seria fácil de defender, mas Felipe escorregou e chegou tarde, vendo a bola entrar no seu canto direito, aos 30 minutos de jogo.

O Paulista teve bom volume de jogo e o Corinthians jogava mais no contra-ataque. Assim acabou o primeiro tempo em 2 a 1 para o Paulista.

Mano Menezes queria ver o time mais ofensivo e no intervalo sacou o volante Fabinho e colocou em campo o meia Boquita, um dos destaques do Timão na conquista do heptacampeonato da Copa São Paulo de Juniores, no mês passado. O jovem estreou na equipe principal.

O camisa 30 demonstrou boa movimentação e personalide e logo passou a criar jogadas de ataque para o Alvinegro do Parque São Jorge. Aos 15, ele recebeu cruzamento de Alessandro e cabeceou na trave direita de Vágner, quase marcando o seu primeiro gol.

Zé Carlos, autor do segundo gol do Paulista, sentiu lesão na coxa e o técnico Luiz Carlos Ferreira trocou o atacante por um volante, Rodrigo Santos, que reforçou a marcação do time mandante, satisfeito com a vitória parcial.

Aos 22, Boquita apareceu mais uma vez. Ele rolou para Souza dentro da área e o atacante foi varrido por Rodrigo Santos. O juiz Elcio Borborema marcou pênalti. Chicão bateu no canto esquerdo de Vágner e comemorou o seu quarto gol no Paulistão. Ele é o artilheiro do Corinthians.

O zagueiro-artilheiro Chicão brilhou mais uma vez. Boquita rolou para Otacílio Neto, que sofreu falta dura por trás de Eli Sábia. O beque do Paulista foi expulso. Na cobrança da falta, em cima da linha da grande área, pelo lado esquerdo, Chicão bateu no canto esquerdo de Vágner e vibrou muito com o seu segundo gol no jogo e o quinto no Paulista. Corinthians 3 a 2, aos 31 do segundo tempo.

Depois de garantir a vitória parcial, o Corinthians soube trabalhar bem as jogadas, se defendeu bem e ainda levou perigo ao gol rival. A liderança estava garantida.
O Corinthians volta a jogar no próximo sábado, contra a Portuguesa, às 17h no Pacaembu. No mesmo dia, o Paulista vai até Bragança Paulista enfrentar o Bragantino, às 19h10.
FICHA TÉCNICA
PAULISTA 2 X 3 CORINTHIANS

Estádio: Jayme Cintra, Jundiaí (SP)
Data/hora: 4/02/2009, às 22h (Brasília)
Árbitro: Elcio Paschoal Borborema
Assistentes: Marcelo Luis da Silva e Danilo Ricardo Simon Manis

Gols: Elias, 4’/1ºT (0-1), Felipe Azevedo, 12’/1ºT (1-1), Zé Carlos, 30’/2ºT (2-1); Chicão, 22’/2ºT (2-2); Chicão, 31’/2ºT (2-3)
Cartões amarelos: Fabinho, William, Diogo e Boquita (COR); Rodrigo Sá, Eli Sabiá, Freire (PAU)
Cartão vermelho: Eli Sabiá (PAU)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, William e André Santos; Fabinho (intervalo – Boquita), Túlio, Elias (44’/2ºT – Bruno OCtávio) e Lulinha (24’/2ºT – Diogo); Otacílio Neto e Souza. Técnico: Mano Menezes

PAULISTA: Vágner, Eli Sabiá, Freire e Mauro; Maizena, Roberto Santos, Rodrigo Sá (23’/2ºT – Alex Oliveira), Eduardo e Marcelo Toscano; Felipe Azevedo e Zé Carlos (14’/2ºT – Rodrigo Santos). Técnico: Luiz Carlos Ferreira

fevereiro 5, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Flamengo goleia e se aproxima da semifinal


Rubro-Negro bate o Mesquita por 4 a 1 e fica muito bem na Taça GB

Bruno comemora seu gol com Jônatas, autor de outro tentoBruno comemora seu gol com Jônatas, autor de outro tento (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

O Flamengo recebeu o Mesquita nesta quarta-feira, no Maracanã, e goleou por 4 a 1 em sua primeira exibição convincente na temporada, principalmente pelo segundo tempo. A vitória foi construída com direito a gol do estreante Zé Roberto e uma pintura do goleiro Bruno, de falta.

Com o resultado, o Flamengo manteve o aproveitamento de 100%, pulou para 12 pontos e assumiu a liderança do Grupo B, ficando muito próximo da semifinal da Taça Guanabara. Com quatro, o Tubarão da Baixada complicou a sua situação. Na próxima rodada, o Rubro-Negro enfrentará o Macaé, em Volta Redonda. O Mesquita visitará o Boavista, em Saquarema.

Zé Roberto fez a sua estreia pelo clube da Gávea e começou da melhor maneira possível. Logo na primeira chance da partida, o apoiador aproveitou bela jogada de Willians pela direita e só teve o trabalho de empurrar para o gol. A comemoração foi bem em frente à torcida.

Apesar da desvantagem inicial, o Mesquita não se abateu e se lançou ao ataque de imediato. Fabrício arriscou uma bomba de fora da área e Bruno espalmou para escanteio. Na cobrança, a zaga rubro-negra deu bobeira e Leandro Netto marcou de cabeça.

A partir daí, o que se viu foi um total equilíbrio até o fim da primeira etapa. O Flamengo ainda teve uma grande chance com Ronaldo Angelim – após brilhante passe de Marcelinho Paraíba -, mas o zagueiro desperdiçou o lance, cara a cara com o goleiro Alonso.

Bem postado em campo, o Mesquita também deu seus sustos. Primeiro num chute de fora da área de Fabrício. Mais perto do intervalo, o zagueiro Vinícius quase marcou de cabeça.

O Flamengo voltou com outra postura para a segunda etapa, principalmente por conta da entrada de Everton no lugar de Egídio. No entanto, o desempate veio apenas aos 12 minutos. Leonardo Moura deu arrancada espetacular pela direita e cruzou rasteiro. Obina tentou completar de letra e a bola sobrou para Everton conferir – meio sem jeito – o seu primeiro gol com a camisa rubro-negra.

O Mesquita sentiu a pressão e desmoronou com a vantagem do Fla. Cuca aproveitou para colocar Jônatas na vaga de Marcelinho Paraíba. Dois minutos depois de entrar, o volante aproveitou escorada de Obina e soltou um balaço de canhota para ampliar. Foi o primeiro gol do camisa pelo Flamengo desde 2006, quando marcou no clássico contra o Botafogo.

Com o jogo nas mãos, o Flamengo seguiu atacando. Ibson sofreu falta perto da área, a torcida pediu para o goleiro Bruno cobrar e foi prontamente atendida. Com uma categoria espantosa, o camisa 1 mandou a bola lá na gaveta. Foi seu terceiro gol pelo clube, todos no Maracanã.

Com a goleada construída, o Flamengo teve outras chances de aumentar ainda mais o saldo de gols, mas desperdiçou suas últimas oportunidades. Nada que abalasse a torcida, que enfim viu uma boa atuação do Flamengo em 2009.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 4 X 1 MESQUITA

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 4/2/2009 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Frederico de Carvalho Schneider (RJ)
Auxiliares: Michael Correia (RJ) e Marçal Rodrigues Mendes (RJ).

Renda/público: R$ 254.751,00 / 18.494 pagantes

Cartões amarelos: Aírton, Ibson, Zé Roberto, Fábio Luciano (FLA); Alemão, Cleiton, Leandro Netto, Yves, Alonso, Haroldo, Nill (MES)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Zé Roberto, 6’/1ºT (1-0); Leandro Netto,10’/1ºT (1-1); Everton, 12’/2ºT (2-1); Jônatas, 25’/2ºT (3-1); Bruno, 31’/2ºT (4-1).

FLAMENGO: Bruno; Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Willians, Ibson, Marcelinho Paraíba (Jônatas, 23’/2ºT) e Egídio (Everton, intervalo); Zé Roberto (Maxi, 27’/2ºT) e Obina. Técnico: Cuca.

MESQUITA: Alonso, Maricá, Vinícius, Vanderson (Argeu, 37’/2ºT) e Nill; Alemão, Haroldo, Fabrício e Yves; Cleiton (Bruno Carvalho, 16’/2ºT) e Leandro Netto (Gleisson, 28’/2ºT). Técnico: Rubens Filho.

fevereiro 5, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , | Deixe um comentário

De virada sobre o Bragantino, Tricolor vence primeira em casa, mas perde Ceni

Time sai perdendo depois de falha de Rogério Ceni, mas consegue virada com gols de Washington e André Dias

Eduardo VianaJogadores comemoram gol de empate de Washington no Morumbi Foto: Eduardo Viana

O duelo entre São Paulo e Bragantino começou com uma série de surpresas. Primeiro, Muricy Ramalho sacou Rodrigo do time e colocou Richarlyson, abrindo o time em um 4-4-2 não muito comum para o hexacampeão brasileiro. Depois foi a vez de Rogério Ceni surgir no gramado com um uniforme extremamente chamativo, ao contrário do habitual tom sóbrio que caracteriza o capitão.

Veja imagens do duelo!

Mas para o torcedor, nenhuma surpresa foi maior do que a falha bisonha do seu grande ídolo no gol que inaugurou o marcador. Marcelo Godri tentou o cruzamento, a bola vinha nas mãos de Ceni, que se atrapalhou nas passadas e acabou empurrando a bola pra dentro do gol. Parecia o prenúncio da segunda derrota seguida em casa, fato que não acontecia desde 2007.

O São Paulo vinha mal e quase tomou o segundo, e os jornalistas já começavam a pensar que o mau humor de Muricy não seria nenhuma surpresa. Mas aí veio Washington para surpreender e, com incomum categoria, colocar a bola no ângulo de Gilvan e empatar a partida.

A partir daí, o Tricolor ligou o rolo compressor e passou a sufocar o Braga em seu próprio campo de defesa. Ao contrário do que se viu contra o Santo André, o time mostrava muita vontade em campo e anulou o adversário, criando uma chance atrás da outra. Borges mostrou que quer ser o parceiro de Washington, mostrou muita garra e criou boas chances para o time.

Mas foi aí que Rogério Ceni deu mais uma desagradável surpresa para a torcida. Aos 34 minutos, o goleiro voltou a sentir a lesão na coxa direita que o havia tirado da partida contra a Portuguesa e foi substituído por Bosco.

Veja fotos da lesão!

Veio o segundo tempo, desta vez sem surpresas. O São Paulo teve duas chances em três minutos e seguia bombardeando o rival, até que André Dias, aproveitando escanteio cobrado por Hernanes, finalmente conseguiu a merecida virada.

Ainda sem o melhor ritmo de jogo, o Tricolor deu mostras de cansaço e passou a administrar o resultado, chamando o Bragantino para o ataque. O time do interior, porém, mostrou muita fragilidade e não conseguiu evitar a primeira vitória do São Paulo no Morumbi.

Na próxima rodada, o Sampa vai a Ribeirão Preto enfentar o Botafogo, no estádio Santa Cruz. Já o Bragantino tenta sair do momento ruim contra o Paulista, em Bragança.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 2 X 1 BRAGANTINO

Estádio: Morumbi, São Paulo – SP
Data/hora: 4/2/2005 – 22h (de Brasília)
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Assistentes: Ednilson Corona e Anderson Jose de Moraes Coelho
Renda/público: R$ 93.595,00 / 3.925 pagantes
Cartões amarelos: Washington, Richarlyson, Jorge Wagner e Renato Silva (SPO); Cris, Malaquias, Gabriel (BRA)
Cartões vermelhos:
GOLS: Marcelo Godri, 12’/1ºT (0-1); Washington, 25’/1ºT (1-1); André Dias, 15’/2ºT (2-1)

SÃO PAULO: Rogério Ceni (Bosco, 34’/1ºT); Zé Luis, André Dias, Renato Silva e Jorge Wagner, Richarlyson, Jean, Hernanes e Hugo (Arouca, 30’/2ºT); Borges (Dagoberto, 35’/2ºT) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho

BRAGANTINO: Gilvan, Cris (Adãozinho,34’/2ºT), Gabriel e César Gaucho, Marcelo Godri, Moradei, Adriano (Paulinho Kobaiashi, 40’/2ºT), Malaquias e Somália, Nunes (Valdir Papel, 34’/2ºT) 3 e Bill. Técnico: Marcelo Veiga

fevereiro 5, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário