Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Timão faz dois, mas passa aperto com Bota

Com gol no começo e no fim, Timão sente falta de desfalques no Pacaembu, mas consegue mais três pontos

Chicão faz o primeiro gol da partidaChicão faz o primeiro gol da partida (Crédito: Eduardo Viana)

O Corinthians sofreu, mas conseguiu aguentar a pressão do Botafogo e garantir a vitória por 2 a 0 diante do Botafogo, no Pacaembu, a primeira do ano em seu estádio. Com gol no começo e no fim, o Timão viu um adversário inspirado, mas sem conseguir converter os ataques em gol.

Foram dois minutos de alegria e 44 de preocupação no primeiro tempo. Isso porque aos dois minutos, o defensor do Botafogo desviou a bola com a mão dentro da área e, de pênalti, Chicão deixou o Corinthians em vantagem.

Mas a partir daí o time do interior surpreendeu o rival em pleno Pacaembu, mas não conseguiu empatar. As principais jogadas de ataque foram no pé de Thiago Silvy e Branquinho, que deram trabalho para Felipe. Branquinho ainda reclamou de um suposto pênalti cometido por André Santos, que causou polêmica.

No segundo tempo o jogo começou mais equilibrado, com Souza, Otacílio Neto e Elias perto do gol adversário. Mas após os instantes iniciais, foi a vez do Bota chegar, mas a defesa, melhor postada, já passou a levar menos susto.

Com a defesa bem postada, passou a apostar nos contra-ataques e depois a ficar com a bola na frente. Nesse clima, teve chances claras para marcar com Otacílio Neto e outra clara com Diogo, que chutou, da pequena área e sem marcação, por cima do gol.

O perfil da partida mudou novamente quando Mano Menezes tirou Lulinha e colocou Túlio, o que trouxe o Botafogo para o campo de ataque. Mas em uma jogada rápida, Diogo recebeu na frente da área e bateu com categoria no canto do goleiro, para ampliar a vantagem e fechar o placar.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 0 BOTAFOGO

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 28/01/2009 22h (Brasília)
Árbitro : Rodrigo Braghetto (SP)
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto (SP) e Marcos Joel Alves (SP)

Gols: Chicão, 2’/1ºT (1-0), Diogo, 39’/2ºT (2-0)
Cartões amarelos: Lulinha, Willian (Corinthians); Fernando, Fábio (Botafogo)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Willian, Chicão e André Santos; Cristian, Elias, Lulinha (Túlio, 31’/2ºT) e Wellington Saci (Diogo, 14’/2ºT); Otacílio Neto (Fabinho, 39’/2ºT) e Souza. Técnico: Mano Menezes.

BOTAFOGO: Paulo Musse; Marco Aurélio, Fernando, Éverton e Calisto; Augusto Recife, Jonílson, Paulo Santos (Guilherme, 25’/2ºT) e Fábio (Fabinho, 37’/2ºT); Thiago Silvy e Branquinho (Frontini, 40’/2ºT). Técnico: Artur Neto.

janeiro 28, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em noite de Andrezinho, Inter derrota o São Luiz por 1 a 0 em Ijuí

Substituto de D’Alessandro, meia leva o Colorado à liderança da Chave 1

Ampliar Foto Divulgação/Site Oficial do Internacional Divulgação/Site Oficial do Internacional

Jogadores do Inter comemoram gol em Ijuí

Fácil não foi, mas o Inter também não sofreu para derrotar o São Luiz, nesta quarta-feira, pela terceira rodada do Gauchão. No estádio 19 de Outubro, em Ijuí, a equipe do técnico Tite, com cinco reservas, jogou o suficiente para conquistar três pontos. Andrezinho, substituto do argentino D’Alessandro, garantiu o placar de 1 a 0 com um belo gol de falta.

Veja a classificação e a tabela de jogos do Campeonato Gaúcho

O resultado deixa a equipe do Beira-Rio com sete pontos, no primeiro lugar da Chave 1. O São Luiz continua com apenas dois, na Chave 2. As equipes voltam a campo no domigo, pela quarta rodada. O time de Tite recebe o Sapucaiense, no Beira-Rio, às 19h10m. Às 20h30m, o São Luiz visita o Veranópolis.

Inter é pressionado em Ijuí

Sem cinco titulares (Índio, Paulinho, Guiñazu, D’Alessandro e Alex), o Colorado parecia desconcentrado nos primeiros minutos do jogo e errou muitos passes. Pressionado pelos donos da casa, o time apostou nos contra-ataques, mas a falta de entrosamento era um adversário a mais. A aposta de Tite estava clara: a velocidade de Taison.

O São Luiz chegou primeiro, aos 12 minutos. Alex Albert trocou passes com Barão, cruzou para a área, e Xaro, completamente livre, chutou com a canela. O erro do atacante mudou a direção da bola e deslocou Lauro. Sorte do goleiro que ela parou na trave, e a zaga afastou. Dois minutos depois, Ronaldo Capixaba bateu cruzado, a bola tocou no gramado e surpreendeu o camisa 1. Ninguém do São Luiz apareceu para concluir.

Reação e gol de Andrezinho

O ataque colorado apareceu bem, aos 19. Taison avançou com velocidade, cruzou rasteiro, mas Nilmar e Rosinei não alcançaram. Era o início da reação. Aos 22, Marcão subiu bem pela esquerda, procurou o camisa 9 na área, e a bola sobrou para Magrão. De primeira, o capitão do Inter na partida assustou o goleiro Oliveira.

Aos 25, a equipe do Beira-Rio teve uma falta bem perto da área para cobrar. Sem Alex e D’Ale, Andrezinho assumiu a responsabilidade e não decepcionou. A cobrança perfeita deixou o goleiro do São Luiz sem reação: 1 a 0.

O gol fez o São Luiz ir ao ataque e abrir espaços na defesa. Aos 30, Rosinei tabelou com Andrezinho, cruzou, mas Taison não conseguiu cabecear. Dois minutos depois, Ronaldo Capixaba chutou forte, e Lauro defendeu em dois tempos. A velocidade de Taison apareceu, aos 37. Ele foi lançado na área, se livrou do zagueiro e bateu rasteiro. A bola passou muito perto.

Colorado cadencia o jogo

Depois de muita correria na etapa inicial, os dois times começaram o segundo tempo sem arriscar muito. A torcida só levantou nas arquibancadas do estádio 19 de Outubro aos sete minutos, quando Rosinei tentou um chute de fora da área e assustou Oliveira. Um minuto depois, Lauro saiu muito mal do gol e quase proporcionou o empate.

Melhor em campo, o Inter tentou ampliar. Marcão fez a ultrapassagem pela esquerda, recebeu de Taison e encheu o pé. Mais uma vez a trave estava no caminho da equipe da capital. Aos 15, Xaro tabelou com Maurício e ficou na cara do gol. Só que o chute saiu completamente sem direção.

Taison poderia ter definido o jogo, aos 25. Andrezinho, ainda fora da forma física ideal, arrancou do meio-campo, se livrou da marcação e rolou para o garoto. No chute colocado, Oliveira mandou para escanteio. O goleiro também não deixou Nilmar marcar. O camisa 9 ficou na cara do gol, bateu de bico, mas o camisa 1 foi buscar. Aos 29, Marcão quase marcou um gol contra e assustou Lauro ao cortar muito mal um cruzamento.

Aos 35, Nilmar foi lançado, mas Oliveira apareceu muito bem para impedir que o atacante chegasse na bolar. Daí em diante, o Colorado se posicionou na defesa e tentou aproveitar alguns contra-ataques, mas o placar do primeiro tempo persistiu.

Ficha técnica:

SÃO LUIZ 0 x 1 INTER
Oliveira, Barão (Geraldo), Nem (Gabriel), Negueti e Juliano; Maurício (Alan), Carlos Lima, Alex Albert e Coracini; Xaro e Ronaldo Capixaba. Lauro, Bolívar, Danny Morais, Álvaro e Marcão (Marcelo Cordeiro); Maycon, Magrão, Rosinei e Andrezinho; Taison e Nilmar (Talles Cunha).
Técnico: Itamar Schulle. Técnico: Tite.
Gols: Andrezinho, aos 25 do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Juliano (São Luiz); Bolívar, Marcão (Inter)
Estádio: 19 de Outubro, em Ijuí (RS). Data: 28/01/2009. Árbitro: Leonardo Gaciba. Assistentes: José Javel Silveira e Vilmar Burini.

janeiro 28, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Apático, Flu não sai do zero com o Madureira

Tricolores empatam no Maracanã em jogo de dar sono ao torcedor

Leandro Domingues pouco fez no empate em 0 a 0 do Flu com o MadureiraLeandro Domingues pouco fez no empate em 0 a 0 do Flu com o Madureira (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

Deu sono. O torcedor do Fluminense que se dirigiu ao Maracanã nesta quarta-feira à noite deve ter se arrependido das horas a menos que dormiu por conta do baixíssimo nível técnico apresentado no 0 a 0 do Tricolor das Laranjeiras com o Madureira, que deixou o time de René Simões em situação complicada no Grupo A da Taça Guanabara com apenas um ponto.

Os Tricolores fizeram um primeiro tempo ruim, sem criatividade e sem emoção. As equipes poucos se aventuraram ao ataque e o jogo ficou preso no meio-de-campo. O Tricolor das Laranjeiras ficava refém de lampejos dos apoiadores Conca e Leandro Domingues, enquanto que o Suburbano vivia de chutões para frente buscando o já veterano Júnior Amorim.

Tal marasmo se arrastou por toda a primeira etapa. Pelo lado da equipe de René Simões, Leandro Amaral pouco acertou, Roger não chegou a assustar e Leandro teve atuação lamentável. O placar de 0 a 0 foi justo pelo péssimo futebol apresentado pelas equipes.

Quem apostava numa postura diferente do Fluminense para o segundo tempo se enganou. O desempenho da equipe continuou dando sono. Um time apático e que irritava a torcida foi o que se viu. Já o Madureira seguia o mesmo padrão da primeira etapa: povoando o meio-de-campo e não dando espaços para as tramas de ataque do Tricolor das Laranjeiras.

Após a entrada do jovem Tartá, o Fluminense deu até uma melhorada. O habilidoso meia/atacante criou boas jogadas, não bem aproveitadas pelos homens de frente, principalmente por um apático Leandro Amaral. Tal postura, assinou um justo 0 a 0 e uma justa vaia da torcida, que espera muito mais de sua equipe.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 0 X 0 MADUREIRA

Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Data/hora: 28/01/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro:Rodrigo Nunes de Sá
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Rodrigo Pereira Jóia
Renda/Público: R$ 92.876 / 7.209 pagantes
Cartões amarelos: Edcarlos (FLU); Émerson, Paulão, Claudemir, Adriano Felício, Bruno, Rogerinho (MAD)
Cartões vermelhos: Não houve.
Gols: Não houve.
FLUMINENSE: Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Edcarlos, Luiz Alberto e Leandro; Jaílton, Diguinho (Tartá, 25’/2ºT), Leandro Domingues (Marquinho, 10’/2ºT) e Conca; Leandro Amaral e Roger (Maicon, 10’/2ºT). Técnico: René Simões

MADUREIRA: Renan, Claudemir, Paulão, Ricardo e Rogerinho, Émerson, André Paulino (Bruno, 38’/2ºT) , Adriano Felício e Vágner; Jones (Alex Alves, 17’/2ºT) e Júnior Amorim (Jonata, 17’/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio.

janeiro 28, 2009 Posted by | Fluminense | , , , , | Deixe um comentário