Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Corinthians, com Ronaldo, se reapresenta na sexta

Fenômeno se apresenta com o grupo e começa a pré-temporada no Parque

Reuters)Ronaldo se apresenta nesta sexta e começa os treinos no Parque São Jorge (Foto: Reuters)

É nesta sexta-feira, dia seguinte ao Natal, e dois dias após o nascimento de sua filha, Maria Sofia, que Ronaldo Fenômeno começa a viver o ritmo de trabalho no Corinthians.

Com a garantia do consultor médico do clube, Joaquim Grava, ele vai ignorar a licença-paternidade (cinco dias de folga após o nascimento) e se apresenta às 16h, no Parque São Jorge, para começar a pré-temporada de 2009 com o grupo e com o técnico Mano Menezes. O volante Túlio, ex-Botafogo, e o zagueiro Jean, ex-Grêmio, ainda serão apresentados oficialmente.

Desde o último dia 12, quando foi recebido com festa pela Fiel, Ronaldo seguiu intensamente a rota Rio-São Paulo. Com a iminência do nascimento de sua filha, o atacante trocou a programação de treinos em São Paulo para fazer exercícios no Rio de Janeiro, com seu fisioterapeuta (agora também do Corinthians), Bruno Mazziotti.

Em dois dias seguidos, foi visto no Maracanã, no Rio, e no Morumbi, em São Paulo, acompanhando o show da cantora Madonna.

Nesse meio tempo, passou pelo Parque São Jorge para assinar o contrato de trabalho de um ano com o Corinthians, e ainda negociou o aluguel de uma cobertura luxuosa no Tatuapé, onde vai morar com a namorada, Bia Antony, e a recém-nascida Maria Sofia, como o LANCENET! informou no dia 20.

Nesta primeira semana de treinos, Ronaldo e os outros jogadores serão submetidos a exames físicos, laboratoriais, cardiológicos, entre outros. Todos folgam nos dias 31 de dezembro e 1 de janeiro. No dia 2, a delegação parte para Itu, a 101km de São Paulo, onde fará a preparação até dias antes da estréia no Campeonato Paulista, dia 22, contra o Barueri, no Pacaembu.

O Corinthians, assim, sai na frente dos rivais: Palmeiras (5 de janeiro), Santos (7 de janeiro) e São Paulo (12 de janeiro) começam a pré-temporada bem depois.

Mano terá de montar o novo Timão ainda sem Dentinho (que disputará o Sul-americano Sub-20 pela Seleção Brasileira) e Ronaldo, que só deve ter condições físicas para atuar na metade de fevereiro.

dezembro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Empresário propõe troca de Ibson por Ricky

Eduardo Uram sugere negociação entre Flamengo e São Paulo

Ibson pode disputar a Libertadores antes de voltar ao PortoIbson pode disputar a Libertadores antes de voltar ao Porto

LANCEPRESS! Como está pessimista em relação à permanência de Ibson até o fim de 2009, Eduardo Uram já começa a pensar em alternativas proveitosas para Flamengo e o jogador. Segundo o empresário, uma troca envolvendo Richarlyson, do São Paulo, seria uma boa solução.

O Tricolor Paulista já tentou contar com Ibson algumas vezes, mas sempre esbarrou na vontade de ele jogar pelo Flamengo. Acontece que, por conta da Libertadores, o São Paulo não se importaria em ter Ibson apenas por seis meses. Para compensar a perda do Flamengo, a idéia de Uram é levar Richarlyson para a Gávea por empréstimo de um ano.

– Seria muito bom para todo mundo. No Flamengo, o Richarlyson teria o espaço que não tem no São Paulo. E o Ibson disputaria mais uma Libertadores antes de decidir seu futuro no meio do ano. Mas como não conversei com nenhuma das partes envolvidas isso não passa de uma idéia – afirmou Eduardo Uram, em entrevista à Rádio LANCE!.

Kléber Leite confirmou que não sabe nada sobre o assunto, mas garantiu que irá estudar qualquer possibilidade. No entanto, o dirigente disse que a prioridade é manter Ibson até o fim do ano.

– Vamos tentar definir isso antes da pré-temporada – afirmou.

dezembro 25, 2008 Posted by | Fluminense, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Empresário afirma que Nadson interessa ao Vasco

Atacante também teria propostas interessantes de Vitória e Bahia

Nádson defendeu o Vegalta Sendai, do Japão, na temporada deste anoNádson defendeu o Vegalta Sendai, do Japão, na temporada deste ano (Crédito: Julio Cesar Guimarães)

Sem ainda um reforço sequer para o ataque, o Vasco começa a se ver em meio a especulações. Antônio Gustavo Amorim, empresário do atacante Nádson, afirmou que o jogador interessa ao Cruzmaltino para a disputa da Segunda Divisão.

– O Vasco quer montar um time forte para voltar para a Série A do Campeonato Brasileiro e o nome do Nadson é uma das primeiras opções para o ataque. A proposta do clube é muito interessante e existe mesmo a possibilidade de que ele vá para São Januário – disse Guga.

O empresário afirmou ainda que o Vitória e o Bahia também estão interessados no futebol do atacante, que defendeu o Vegalta Sendai, do Japão, na temporada deste ano.

– O Paulo Carneiro, que lançou o Nadson no Vitória e agora assumiu a gerência de futebol do Bahia, me ligou diversas vezes nos últimos dias. Estamos analisando todas as possibilidades e acredito que nos próximos a situação do jogador será definida – concluiu.

dezembro 25, 2008 Posted by | Bahia, Vasco da Gama, Vitória | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

De contrato renovado, Pinilla diz que ficou no Vasco por causa da torcida

Chileno recupera-se de lesão muscular e reconhece que está devendo

Ampliar Foto Divulgação/Site Oficial do Vasco da Gama Divulgação/Site Oficial do Vasco da Gama

Pinilla esteve em São Janúário para assinar contrato

Foram poucos minutos em campo, nenhum gol e uma séria lesão muscular. Mesmo assim, o chileno Pinilla caiu nas graças da diretoria e da torcida do Vasco. E a recíproca é verdadeira.

O jogador esteve em São Januário para assinar o novo contrato, válido por três anos, e explicou por que decidiu continuar na equipe cruzmaltina.

– Continuei aqui porque gostei muito da torcida e do ambiente que encontrei. O Vasco é um clube especial. Qualquer jogador quer atuar aqui e eu não sou diferente – declara, ao site oficial do clube.

Embora esteja prestigiado, o jogador pretende se recuperar rapidamente da lesão muscular rapidamente para pagar o débito que deixou.

– O mais importante agora é fazer uma boa pré-temporada, que o restante do ano será conseqüência. Quero ser uma referência no ataque do Vasco, fazer muitos gols e levar o clube aos títulos, que é o que ele merece. Estou em dívida com o Vasco e com a torcida, pois joguei muito pouco. Tenho certeza que 2009 será muito bom para nós – afirma.

O rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro não o desanimou. O chileno considera que o Vasco tem a obrigação de pensar em títulos na próxima temporada.

– O Vasco é muito grande e ninguém esperava o que aconteceu. Agora temos que pensar na realidade e subirmos o mais rápido possível. Além da Série B, o clube tem obrigação de pensar nos títulos do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil – diz o atacante.

dezembro 25, 2008 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ansioso para vestir a 9, Washington nem pensa em deixar a Libertadores escapar

Atacante explica que interesse do clube paulista já vinha do ano passado

Reprodução/Reprodução

Washington revela ansiedade para vestir a camisa do São Paulo nesta temporada

Ele confessa: não vê a hora de vestir a camisa do São Paulo . De férias, Washington conta os dias para se apresentar ao novo clube. A Libertadores, que não foi conquistada com o Fluminense em 2008, é o grande objetivo desta temporada. Mas o atacante deseja ser campeão de tudo, e não apenas da competição continental.

– Estou bastante ansioso para vestir a camisa do São Paulo. Não vejo a hora de ser apresentado oficialmente e começar a treinar junto com meus novos companheiros. Meu objetivo é lutar por todos os títulos possíveis. Infelizmente deixei escapar a Libertadores junto com o Fluminense, mas agora espero que o final dessa história seja diferente – ressalta o atacante, ao site oficial do São Paulo.

O interesse do clube paulista em Washington não é novo. É o que conta o jogador, que chegou a ser procurado em 2007. Mas o acerto com o Fluminense já estava apalavrado.

– A primeira vez que soube do interesse do São Paulo foi no final do ano passado, quando eu ainda estava no futebol japonês. Mas naquela época eu já havia conversado com o Fluminense e definido que iria para o clube em caso de classificação para a Libertadores. Estava com meio caminho andado, já tinha dado a minha palavra e não poderia deixar o Fluminense na mão. Mas felizmente consegui fazer outro bom ano por lá e o São Paulo demonstrou novamente o interesse, o que me deixou muito feliz e resultou num acerto – completa.

dezembro 25, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Elder Granja vira uma boa alternativa para a lateral direita do Peixe

Diretoria santista aguarda a negociação do ex-jogador do Palmeiras com um clube italiano. Se não houver acordo ele pode parar na Vila Belmiro

Ampliar Foto Assessoria e Imprensa do Palmeiras/Divulgação Assessoria e Imprensa do Palmeiras/Divulgação

Elder Granja não continuará no Verdão

A pedido do técnico Márcio Fernandes, a diretoria do Santos corre atrás de um lateral-direito para ser o titular da posição na próxima temporada. Alguns nomes estão sendo analisados. Entre eles aparece o de Elder Granja, que defendeu o Palmeiras ao longo de 2008, não continuará no Palestra Itália, e está negociando com um clube italiano.

O Santos já manifestou interesse na contratação de Elder Granja. Em princípio, o jogador pretende continuar negociando com o clube italiano. Porém, caso não chegue a um acordo financeiro, não está descartada a possibilidade de Elder Granja vestir a camisa do Peixe.

Márcio Fernandes pretendia continuar contando com o volante Wendel, que foi improvisado na lateral direita na atual temporada. Mas o Palmeiras, que é o dono dos direitos federativos do jogador, não aceitou prorrogar o seu empréstimo e está tentando fechar um acordo com o Internacional.

dezembro 25, 2008 Posted by | Palmeiras, Santos | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Reformulação do Beira-Rio deve começar antes do centenário do Inter

Vice de patrimônio Emídio Ferreira diz que estádio sediará jogos na Copa

Ampliar Foto Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Beira-Rio vai ganhar cobertura

Falta pouco para os torcedores do Internacional começarem a conviver com as obras que tornarão o Beira-Rio um estádio qualificado para receber a Copa do Mundo de 2014. A reformulação do complexo terá início antes de 4 de abril, dia em que o Inter completa 100 anos, conforme garante o primeiro vice-presidente do clube, Pedro Affatato.

– As obram começam no primeiro semestre. Pode ser em fevereiro ou março. Vamos começar antes do aniversário do Inter, com certeza – diz o dirigente.

A primeira realização do projeto de reformulação é a cobertura do Beira-Rio, algo sonhado há tempos pela torcida. Após esta etapa, será realizada a mudança nas arquibancadas inferiores, aproximando a torcida do campo, ocupando o espaço da antiga “coréia”, setor em que as pessoas assistiam ao jogo de pé e que já não existe mais. Affatato garante ainda que nenhuma destas obras impedirá a realização de partidas no estádio.

– Nos preocupamos em fazer uma estrutura, principalmente a cobertura, que não comprometa o estádio para eventos. Demoraremos um pouco mais, mas chegamos a um modelo de estrutura que permite fazer a implantação sem interferir na parte funcional do Beira-Rio – explicou o dirigente.

A aprovação do projeto colorado passará na próxima semana pela Câmara dos Vereadores de Porto Alegre. Sendo aprovado, o Inter abrirá um edital para a venda do Estádio dos Eucaliptos, avaliado em cerca de R$ 17 milhões.

– A cobertura é um projeto que depende da venda dos Eucaliptos. Se o estádio for vendido em janeiro, as obras começarão em fevereiro. Mas esses recursos não são suficientes para fazer toda a cobertura. A idéia do presidente é vender de 30 a 40 suítes para completar grande parte da estrutura – explicou o vice de patrimônio Emídio Ferreira.

Emídio disse que as obras estarão finalizadas antes da Copa do Mundo de 2014. O dirigente ainda garantiu que, caso Porto Alegre seja escolhida como uma das sedes, o Beira-Rio será o estádio dos jogos.

– A Arena do Grêmio, no máximo, servirá para apoio ou treinamento dos times. O estádio indicado pela Fifa é o Beira-Rio – enfatiza o dirigente.

Já em relação ao projeto Gigante para Sempre, o clube está em busca de investidores para a construção do hotel e do centro de convenções.

– A construção dos hotéis não depende da Copa do Mundo. Mas sendo Porto Alegre escolhida como sede, não faltarão investidores – finaliza Emídio.

dezembro 25, 2008 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Muricy Ramalho: ‘A Libertadores está engasgada na minha garganta. Chega!’

Treinador fala sobre torneio continental, futebol gaúcho e seleção

Ampliar Foto Agência/VIPCOMM Agência/VIPCOMM

Muricy: prioridade em 2009 será a Libertadores

Muricy Ramalho não quer ficar marcado como colecionador de títulos brasileiros e estaduais como Vanderlei Luxemburgo. Para um técnico que deseja a seleção brasileira vencer a Commebol de 1994 com os reservas do São Paulo tem peso fraco demais. Precisa de mais vitórias fora do Brasil: a Libertadores e o Mundial de Clubes, ainda não conquistadas por ele. Muricy chegou ao Tricolor no início de 2006, logo após o time ter sido campeão do mundo com Paulo Autuori.

Para conseguir os títulos desejados, vai adotar estratégia idêntica a que o Internacional utilizou em 2006, ano em que o Colorado venceu a Libertadores e o Mundial de Clubes. Já convenceu a diretoria a evitar o desperdício no Paulistão e no Brasileirão. Como Abel Braga fez, Muricy enfim ganhou a permissão de apostar todas as forças na principal competição do continente.

– A Libertadores está engasgada na minha garganta. Já perdi duas. Chega! É preciso acabar com a enganação. Para vencê-la é preciso priorizar. Só técnica não adianta. É preciso jogar com força, encarando o adversário, cobrando o árbitro. Acrescentar um tom mais forte, parecido com o que se joga no Sul – diz, lembrando das duas passagens pelo Inter.

Agência RBS: Qual a sua ligação com o futebol gaúcho?
Muricy: É uma questão de estilo. No Sul, o futebol é levado a sério, como eu gosto. As duas passagens pelo Inter me ajudaram a crescer como técnico. O futebol é competitivo, de preenchimento de espaço, velocidade no contragolpe. Parte do que sei desenvolvi no Inter e coloco em prática no São Paulo.

O Inter tentou contratá-lo de novo este ano. Fez uma proposta indecente (R$ 460 mil mensais). Mas você recusou mesmo ganhando bem menos no São Paulo.

Muricy: Sou muito amigo do Vitório Piffero. Ele me consultou por consultar. Sabia que eu não sairia do São Paulo antes de dezembro de 2009. Tenho palavra. Se existe um legado que quero deixar é que o treinador brasileiro precisa ter caráter. Não pode abandonar o clube no meio do contrato (este ano, Muricy recusou R$ 300 mil livres de impostos do Santos; R$ 300 mil da seleção mexicana e R$ 520 mil do Al Saad do Catar).

E você pensou mesmo que o Grêmio fosse brigar até o fim do Brasileiro?

Sim. Eu não sou burro como muitos. Foi um adversário duríssimo. O Celso Roth fez o time encaixar. Com poucas peças, o Grêmio brigou rodada a rodada conosco. Se fosse campeão não seria nenhuma injustiça.

O problema no Brasil é que pouca gente entende de futebol. O Celso Roth tem de ser aplaudido de pé. O Grêmio fez uma campanha maravilhosa graças ao técnico. Ao técnico, entendeu? Mantendo a base e buscando reforços, o Grêmio será um adversário terrível na Libertadores. E o Inter se arrumou tarde. Mas tem ótimo time e fará sucesso em 2009.

Você não aceita ser chamado de colorado. Trabalharia no Grêmio?

Só trabalhei no Inter e adorei, mas no futuro se houver convite do Grêmio, aceito. Sou profissional, meu filho, não existe clube ou cor de camisa para mim. Não entro nessa.

O São Paulo está se reforçando com jogadores de características físicas muito fortes como Eduardo Costa, Renato Silva, Washington e fechou com o Arouca. O time trocará a técnica pela força?

Não. Apenas acrescentará mais pegada, competitividade. A competição exige. Mas o que eu quero de verdade é jogador envolvido com o clube. Não quero mais jogador com contrato de seis meses como aconteceu com o Adriano, que voltou para a Inter de Milão. Ele não fica com a cabeça no São Paulo. Aqui só jogará atleta com contrato de pelo menos um ano.

Agora, no final de 2008, você se encontrou com Rubens Minelli, também tricampeão brasileiro seguido. Ele foi o grande injustiçado na história da Seleção. Segundo ele, o fato de ter trabalhado mais em São Paulo e no Rio Grande do Sul o prejudicou. Você tem medo de seguir o mesmo caminho?


Não. Hoje, a comunicação, a televisão, conseguiu acabar com o bairrismo. No tempo do Minelli se tinha a impressão que o Rio Grande do Sul era muito longe e estava fora das decisões políticas que eram tomadas no Rio, na CBF. Hoje, não. Todos acompanham de perto e sabem como é o trabalho no Inter, no Grêmio. E eu não tenho essa loucura pela seleção, não faço campanha pela mídia, não tento queimar o Dunga. Nada. Eu quero, mas não vou ficar frustrado se não chegar.

O Dunga merece estar lá?

Os números não mentem. O Brasil é o segundo nas Eliminatórias. O trabalho está ótimo. O Dunga pode cometer os erros dele em termos de relacionamento com a imprensa, deixar o clima um pouquinho mais pesado do que deveria. Mas ninguém pode contestar a eficiência do trabalho dele.

Você planeja trabalhar na Europa?

Para isso você tem de jogar a sua carreira na mão de um empresário forte. Fui procurado (várias vezes por Juan Figer) e não aceitei. Se tiver de ir será natural. Não planejo a minha carreira, eu vivo o dia-a-dia. Está ótimo trabalhar no Brasil, no São Paulo.

Mas você terá um aumento, não é?

Espero que o São Paulo reconheça tudo o que fiz e as propostas que recusei. Mas aqui é um pouco difícil. Se o clube dá um real de aumento quer prorrogar o contrato por um ano. O presidente Juvenal Juvêncio sabe o que eu fiz. Agora é com ele.

Esse seu lado rabugento, de dar resposta atravessada aos repórteres pode ser considerado como um teatro. Agindo assim você não discute taticamente o seu time…

De jeito nenhum, mas há um pouco de verdade nisso que se fala. Eu não gosto de expor taticamente a maneira como eu monto a minha equipe. O São Paulo entra em campo preparado para atuar em dois, três esquemas completamente diferentes durante o jogo. E isso acontece. Mas do que adianta falar, explicar? Quase ninguém entende de futebol no Brasil. Todos vêem e ninguém enxerga.

Aqui é tudo na base da festa ou da preleção, com imagens dos parentes chorando. Vídeos que são mostrados quando os times ganham. E quando perdem? Há muita enganação, showzinho para a televisão. Mas vou fazendo o meu, cuidando da minha vida e do meu time. O resto que se dane!

dezembro 25, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Enquanto decide a hora certo do retorno, Leonardo aponta caminhos para o Fla

Dirigente do Milan dá aula de gestão e critica estrutura política do Rubro-Negro: ‘É necessário mudar critérios e pessoas’

Ampliar Foto Agência/EFE Agência/EFE

Leonardo dá ‘aula’ de gestão ideal para o Flamengo

Se o retorno de Zico ao Flamengo para se tornar presidente do clube surge praticamente como uma utopia diante dos projetos do ídolo como treinador, o nome de Leonardo surge como consenso entre ídolos do passado e torcedores como o ideal para trazer o clube para o Século XXI. Entre críticas a atual diretoria e declarações inconformadas sobre a situação atual do Rubro-Negro, o próprio Galinho de Quintino levantou o nome do ex-lateral-esquerdo como salvador e ganhou o apoio de Júnior.

Presente no “Jogos das Estrelas”, no Maracanã, terça-feira, Leonardo reiterou mais uma vez o projeto de vida de uma dia assumir a presidência do clube do coração. Mas mostrou descrença com a situação política atual do Flamengo. Se há cerca de um mês o dirigente do Milan disse que o momento de “voltar estava chegando”, agora Leo já coloca com condição uma reforma no formato de gestão atual. Porém, ele não parou nas críticas e deu uma aula sobre o assunto a Marcio Braga, Kleber Leite e cia.

Com o apoio de Júnior e Zico, chegou a hora de voltar para o Brasil e participar das eleições para a presidência do Flamengo em 2009?
– Sinceramente, acho que não é a questão de um nome ou uma pessoa para resolver o problema do Flamengo. A questão é estrutural. O clube tem uma estrutura criada há 100 anos se hoje ela não comporta mais. É necessário uma gestão independente da política do clube, que é prejudicial, com certeza. Para mudar algumas coisa, é necessário mudar critérios e pessoas também. Só não sei quando isso vai acontecer. Mas é mais do que necessário. O clube é uma associação formada por membros que elegem um presidente a cada três anos. Isso é muito difícil de ser mudado, mas prejudica o clube.

– Sou Flamengo e sou dirigente de clube. Vivo há seis anos nesse meio e há 20 no futebol. Para mim, isso tudo é muito claro. Precisa ter uma gestão completamente independente. Sempre as mesmas pessoas estão no clube. Eles deviam ser os pilotos de uma transformação. São lideranças que estão sempre em oposição e isso engessa. Quando a empresa está falida financeiramente, é preciso aportar capital. Para isso, só se mudar a estrutura. Não podemos viver de parcerias que resolvem coisas pequenas.

Diante do cenário político atual, crê em uma mudança imediata? Acredita que as pessoas que estão lá atualmente podem ser responsáveis pelo pontapé inicial dessa mudança?

– Não adianta ficar criticando, criticando, criticando… É preciso tomar uma atitude política para que o clube mude. Só quem está dentro pode tomar esse caminho. Eles precisam também se unir, o que não são atualmente. Nada é aprovado assim.

Ainda assim, a falta de credibilidade somada às más gestões anteriores podem atrapalhar este processo? Um nome como o seu não seria fundamental para esse voto de confiança?

– A oportunidade é para o clube, não para mim. Eu não tenho essa pretensão de achar que eu vou mudar tudo. Essa estrutura destrói qualquer presidente. Temos que encontrar parceiros, que só vão apoiar se as pessoas que estão lá saírem. Há casos de mudar estrutura ou pessoas, nesse caso são os dois.

O apelo de novos nomes, como o seu, com o torcedor fariam até mesmo com que ele se aproximasse e colaborasse com esse projeto de renovação…

– O Flamengo é de quem? Se a gente prega que é da nação, que é popular, porque não abre e vê o que eles querem fazer para mudar o clube? É difícil atualmente até mesmo fazer parcerias. Tem que abrir o clube para as pessoas.

Diante do fatos, não te seduz tocar este projeto, assumir como presidente e ser responsável por esta mudança?

– Há uma gestão muito enraizada no Flamengo. Não é um presidente que consegue mudar isso. A gente pode apresentar um projeto, mas dificilmente é aprovado. Para fazer a mudança, é preciso ceder poder. Sem isso, não dá para empreender. Nessa estrutura, eu não me vejo. Mas, sim, em um processo de mudança.

dezembro 25, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dirigente diz que Leandro Amaral prefere o Vasco, e Cruzeiro descarta contratação

Diretor de futebol da Raposa, Eduardo Maluf garante que clube mineiro nem pensa mais no atacante, mas em São Januário está ligado o sinal de alerta

Ampliar Foto Marcia Feitosa/Fotocom.Net Marcia Feitosa/Fotocom.Net

Permanência de Leandro Amaral no Clube de Colina é mistério e esperança para dirigentes

A novela Leandro Amaral continua, mas um novo capítulo veio à tona na semana do Natal, mas que não necessariamente soa para a torcida do Vasco como o prenúncio de um presente, mesmo que de fim de ano. Cobiçado pelo Fluminense, onde esteve no início da temporada e teve de sair de volta a São Januário depois de uma briga judicial, o atacante não faz mais parte dos planos do Cruzeiro. Segundo o diretor de futebol Eduardo Maluf, o clube mineiro mudou o seu planejamento e descartou o jogador.

– Conversamos há pouco tempo com a esposa dele (Tatiana), e o Leandro tem esse sentimento de continuar no Vasco. Ele não quer sair do Rio, e nós o descartamos porque precisávamos definir tudo rapidamente. Acabamos optando pelo Wellington Paulista e o Soares, que são jogadores mais novos – diz ele à Rádio Globo, referindo-se aos atletas recém-contratados ao Botafogo e ao Fluminense (emprestado pelo Tricolor carioca, Soares disputou o Brasileirão pelo Grêmio). – Ainda vamos buscar mais um atacante, pois queremos ter o elenco fechado até a reapresentação (no dia 5 de janeiro).

Os dirigentes cruzmaltinos, no entanto, se mostram reticentes em relação à decisão do jogador. Há uma proposta oficial de renovação, mas Leandro Amaral optou por esquecer o assunto durante as férias, e o clube agora está em compasso de espera.

– Fizemos uma proposta e esperávamos uma resposta até segunda-feira (22 de dezembro), mas a Tatiana não respondeu até esta quarta (24), quando eles viajariam para o Caribe. Perdemos o contato, mas temos certeza de que ele ainda não acertou com nenhum clube. O que foi especulado (interesses do Cruzeiro e do Fluminense) nós soubemos pela imprensa – garante Carlos Alberto Lancetta, supervisor de futebol, em entrevista à Rádio Brasil.

Já o segundo vice administrativo do Vasco, José Hamilton Mandarino, liga o sinal de alerta. Segundo ele, o silêncio do atacante pode ser o indício de que ele está mesmo negociando com outro clube.

– A proposta foi dentro da realidade do clube. Precisamos pensar em como ter uma meta na provisão de recursos para o futebol profissional da qual não podemos nos afastar, caso contrário não dá para administrar bem. É preferível deixar de fazer do que fazer mal, mas no caso do Leandro Amaral a proposta é interessante, e ele ficou de nos dar uma resposta que ainda não houve Evidentemente que o sentimento que começa a tomar conta de todos nós é que ele pode ter uma outra oferta. Há um impasse, e estamos aguardando, administrando o silêncio – afirma Mandarino à Rádio Bandeirantes.

CLIQUE NA IMAGEM E COMPRE AGORA A SUA CAMISA DA RAPOSA

dezembro 25, 2008 Posted by | Cruzeiro, Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Para dar certo, Ronaldo precisa cumprir cotidiano, diz presidente do São Paulo

Mandatário evita comparações entre atacante do Corinthians e Washington

Ampliar Foto Divulgação/Divulgação Divulgação/Divulgação

Ronaldo precisa cumprir cotidiano, aconselha presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio

Ao atender a imprensa na ocasião do lançamento do Passaporte Tricolor, no início da semana, Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo , foi bombardeado com perguntas variadas. O mandatário teve que responder, inclusive, sobre Ronaldo no Corinthians . Sem entrar em polêmicas, ele apenas fez uma ressalva ao craque: para que o Fenômeno volte a jogar em alto nível, terá que respeitar o cotidiano do Timão.

– Respeito muito esse negócio do atleta. O que ele tem que perceber nesse caso é o cotidiano, que é feito de sol, chuva e sereno. Ele tem que estar na Marginal às oito da manhã de segunda, disposto. Na terça também treina, na quarta concentra, na quinta joga, sexta se reapresenta… Esse cotidiano tem que ser cumprido, porque se ele não cumprir o parceiro de clube vai dizer: opa, e comigo, como é isso? Não é esporte coletivo? Se o Ronaldo conseguir administrar seu cotidiano é claro que ele sabe jogar, mas se não conseguir o bicho pega – analisa o presidente são-paulino.

Ampliar Foto Agência/Photocâmera Agência/Photocâmera

Washington, ex-Fluminense, agora defenderá o São Paulo na temporada de 2009

Juvenal soube se esquivar bem ao se perguntado sobre quem seria melhor: Ronaldo no Corinthians ou Washington no São Paulo.

– Não sei dizer quem é melhor e não vou entrar nessa (risos). São dois grandes jogadores – resume o presidente.

Washington foi o carrasco do São Paulo na última Libertadores, ao marcar o gol que classificou o Fluminense para a semifinal. Agora, assinou por um ano com o time paulista.

dezembro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário