Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

São Paulo vence o Vasco em São Januario e o hexa se aproxima

Tricolor Paulista vence o Cruzmaltino em São Januário por 2 a 1

São Paulo é mais constante e derrota o Vasco em São JanuárioSão Paulo é mais constante e derrota o Vasco em São Januário (Crédito: Paulo Sérgio)

LANCEPRESS!

Dentro de um caldeirão lotado e fervendo, apesar da chuva, o São Paulo derrotou o Vasco neste domingo, por 2 a 1, em São Januário, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, e segue caminhando a passos largos para o título – pode comemorá-lo já no próximo fim de semana, enquanto deixou o adversário cada vez mais afogado no U4.

Com o resultado, a equipe cruzmaltina se mantém em 18º lugar na tabela, com 37 pontos, três a menos que o primeiro time fora da zona de rebaixamento, o Náutico (16º colocado com 40). Já o Tricolor Paulista vai a 71 pontos na tabela e segue na liderança isolada da competição – o vice-líder Grêmio perdeu e restam duas rodadas para o fim da disputa.

O Vasco começou a partida no ataque, pressionado o São Paulo, que não entrou em campo com o mesmo ímpeto do adversário. No entanto, rapidamente, o confronto foi se equilibrando e os vistantes abriram o placar em jogada que mostrou a serenidade dos jogadores visitantes: em bela cobrança de falta de Jorge Wagner, aos 20 minutos.

Precisando do resultado, o Vasco seguiu insistindo, especialmente pela direta do seu ataque, e desperdiçando algumas oportunidades. Aos 30 minutos, porém, o time contou com a sorte para empatar: Madson chutou forte da entrada da área, a bola desviou em Miranda e encobriu Rogério Ceni.

Um segundo tempo que prometia ser bastante movimentado começou com o São Paulo aproveitando-se de uma desatenção da defesa cruzmaltina para voltar a ter vantagem no marcador: aos três minutos, após cobrança de escanteio pela esquerda do ataque, a bola chegou em Hugo, livre, na segunda trave – ele teve tempo de dominar antes de marcar.

Edmundo entrou em campo para dar nova dinâmica ao ataque vascaíno. O time da casa seguiu pressionando o rival, mas oferecendo espaço para perigosos contra-ataques. Aos 31 minutos, na grande área, Edmundo chutu por cima a melhor oportunidade do duelo.

Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o Coritiba, no domingo, às 17h, no Couto Pereira, em Curitiba (PR). Já o São Paulo pega, no mesmo dia e no mesmo horário, recebe outro adversário carioca que luta contra o rebaixamento, o Fluminense, desta vez no Morumbi (SP).

FICHA TÉCNICA:
VASCO 1 X 2 SÃO PAULO

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 23/11/2008 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (Fifa-RS)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-BA)
Renda/público: R$ 373.843,50 / 21.634 pagantes
Cartões amarelos: Madson, Edmundo e Jorge Luiz (VAS); Jean e Jancarlos (SPO)

GOLS: Jorge Wagner, 21’/1ºT (0-1); Madson, 30’/1ºT (1-1); Hugo, 3’/2ºT (1-2)

VASCO: Rafael, Eduardo Luiz, Odvan, Jorge Luiz; Wagner Diniz, Jonílson, Mateus (Alan Kardec, 29’/2ºT), Madson, Alex Teixeira (Pedrinho, 34’/2ºT) e Edu (Edmundo, 12’/2ºT); Leandro Amaral. Técnico: Renato Gaúcho.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Anderson, André Dias e Miranda; Joílson (Jancarlos, 19’/2ºT), Jean, Hernanes, Hugo (Richarlyson, 34’/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

* Atualizada às 20h00

novembro 23, 2008 Posted by | São Paulo | , , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence o Fla em jogo movimentado

Raposa erra menos e passa Rubro-Negro na luta pela Libertadores

(Crédito: Gil Leonardi)

Em partidas decisivas, quem erra menos vence. E foi isso que aconteceu na vitória por 3 a 2 do Cruzeiro sobre o Flamengo no Mineirão. A equipe mineira não teve atuação perfeita, mas soube aproveitar melhor os erros do Rubro-Negro para dar um grande passo para a Libertadores de 2009.

A necessidade dos dois times de vencer acabou transformando a partida em um festival de passes errados. Os primeiros minutos foram muito ruins, com muita disputa no meio-de-campo, pouca técnica e troca constante de posse de bola. Jogando em casa, o Cruzeiro tomou a iniciativa.

O Flamengo esteve completamente perdido no primeiro tempo. Juan jogou no meio-de-cmapo, Léo Moura caiu pela esquerda em alguns momentos, Marcelinho Paraíba jogou recuado e foi visto na defesa e Obina pouco tocou na bola. O Cruzeiro aproveitou. Finalizou 12 vezes enquanto o Rubro-Negro apenas duas, nenhuma para o gol.

O Cruzeiro aproveitou a falta de organização do Flamengo. Aos 32 minutos, Ramires recebeu no bico esquerdo da área, passou pela marcação de Kleberson e tocou para Fernandinho. O jogador se antecipou a Léo Moura, mais uma vez fora de posição, e tocou para o fundo do gol. Um a zero justo pela vontade dos mineiros e falta de combatividade dos cariocas.

Na volta para o segundo tempo o técnico Caio Júnior adiantou Jaílton e Toró para dar mais liberdade a Kleberson e Ibson. E, apesar de continuar desarrumado, o Flamengo foi mais ofensivo e chegou ao empate aos dez minutos. Em cobrança de escanteio rápida, Marcelinho Paraíba cruzou na medida e Ibson cabeceou para marcar seu 11º gol no Brasileiro.

O jogo ficou aberto. Bruno foi obrigado a fazer duas grandes defesas, mas não evitou o segundo gol mineiro. Fernandinho lançou Thiago Ribeiro, que aproveitou bobeira da zaga do Flamengo, e marcou aos 20. Mas nem deu tempo de comemorar. Cinco minutos depois, Obina recebeu cruzamento de Juan, girou sobre a marcação de Thiago Heleno e empatou novamente. O Rubro-Negro poderia ter virado. Juan perdeu gol incrível ao chutar para fora sem goleiro aos 30 minutos.

Mas a estrela de Ramires brilhou no final. O jogador do Cruzeiro aproveitou mais um erro de posicionamento da defesa do Flamengo, entrou sozinho na área e marcou o terceiro gol. Mas quem acha que o jogo estava decidido se enganou. Diego Tardelli ainda teve grande chance, mas parou em Fábio, que fez excelente defesa.

O atacante ainda sofreu um pênalti claro, que Carlos Eugênio Simon não marcou. Iniciou-se uma confusão e Diego Tardelli e Fábio Luciano foram expulsos. Fim de jogo. O Cruzeiro passou o Flamengo e foi para a terceira posição. Já o Rubro-Negro pode sair do G-4 em caso de vitória do Palmeiras sobre o Ipatinga, no complemento da rodada.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 3 X 2 FLAMENGO

Local: Mineirão, Belo Horizonte (BH)
Data/Hora: 23/11/2008 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Erich Bandeira (PE)

Renda/Público: R$ 516.976,50 / 50.789 pagantes
Cartões amarelos: Ibson, Toró (Fla)
Cartões vermelhos: Diego Tardelli (46’/2ºT) e Fábio Luciano (após o fim do jogo)
GOLS: Fernandinho, 32’/1ºT (1-0); Ibson, 10’/2ºT (1-1); Thiago Ribeiro, 20’/2ºT (2-1); Obina, 25’/2ºT (2-2); Ramires, 40’/2ºT (3-2)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Elicarlos, 27′ 2ºT), Léo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Gerson Magrão (Wanderley, 30’2ºT); Jajá (Fabrício, 16′ 2ºT) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton (Toró, 17′ 1ºT), Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho, 32′ 2ºT); Marcelinho Paraíba (Diego Tardelli, 20′ 2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.


novembro 23, 2008 Posted by | Cruzeiro, Flamengo | , , | Deixe um comentário

Discreto, Palmeiras faz a lição de casa

Verdão marca cedo, não vê adversário pressionar e administra o resultado com Diego Souza no banco

Kléber comemora o primeiro gol da vitóriaKléber comemora o primeiro gol da vitória (Crédito: Eduardo Viana)

Vencendo, mas não convencendo, o Palmeiras voltou à zona de classificação da Copa Libertadores, ao passar pelo Ipatinga por 2 a 0 neste domingo, no Palestra Itália. Ciente das limitações do adversário, virtualmente rebaixado, o time paulista marcou o primeiro gol cedo e depois apenas administrou o resultado, que o coloca na frente do Flamengo.

O Palmeiras começou disposto a buscar o resultado e o primeiro gol não demorou a sair. Aos 13 minutos, Kléber aproveitou cobrança de escanteio e má saída do goleiro Fernando para marcar o primeiro, de cabeça.

A impressão de que o Verdão seria avassalador parou por aí. Com pouca agressividade, aceitou a marcação do Ipatinga, que mesmo atrás no placar, não se aventurou em busca do empate, fazendo com que o goleiro Marcos pouco trabalhasse no jogo.

Em uma das jogadas discretas do Palmeiras veio o segundo gol. Em falta cometida em Alex Mineiro, Martinez cobrou forte em cima do goleiro, que espalmou para frente, e a bola sobrou nos pés de Pierre, que mandou para a rede.

A segunda etapa começou da mesma maneira: o Palmeiras chegava com cautela e o Ipatinga tentava, sem sucesso e qualidade técnica, aproveitar os espaços que tinha. A situação ficou ainda mais complicada aos 13 minutos, quando Leandro Salino chutou o atacante Kléber, caído, e levou cartão vermelho direto.

Com vantagem numérica, o Palmeiras foi um pouco mais ofensivo e Kléber só não marcou o terceiro porque Fernando fez boa defesa. Mas esta foi a única chance real de gol.

Sem Alex Mineiro em noite inspirada e com Diego Souza no banco de reservas por opção de Vanderlei Luxemburgo, a torcida comemorou os três pontos, mas segue sem vencer o mesmo Palmeiras que empolgou no começo do campeonato.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 IPATINGA

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 23/11/2008, às 19h10 (horário de Brasília)
Árbitro: Arílson Bispo da Anunciação (BA)
Auxiliares: Belmiro da Silva (BA) e Raimundo Carneiro de Oliveira (BA)

Gols: Kléber, 13’/1ºT (1-0), Pierre 36’/1ºT (2-0)
Cartões amarelos: Martinez, Leandro e Pierre (Palmeiras); Márcio Gabriel, Baroni, Pablo Escobar, Augusto Recife, Gian e Júlio (Ipatinga)
Cartões vermelhos: Leandro Salino (Ipatinga)

PALMEIRAS: Marcos, Mauricio, Roque Júnior (Jéci, 7’/2ºT) e Martinez; Fabinho Capixaba, Sandro Silva, Pierre, Evandro (Denílson, 38’/2ºT) e Leandro; Kleber (Léo Lima, 44’/2ºT) e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel (Léo Silva, 17’/2ºT), Silvio, Gian e Baroni; Júlio, Augusto Recife, Pablo Escobar (Luciano Mandi, intervalo) e Leandro Salino; Ferreira (Afonso, 24’/2ºT) e Adeílson. Técnico: Enderson Moreira

novembro 23, 2008 Posted by | Palmeiras | , , | Deixe um comentário

Fluminense bate o time reserva do Internacional

Em um jogo sem surpresas, o Tricolor carioca comemora a subida na tabela, afastando o fantasma do rebaixamento

Reservas do Inter não conseguiram parar o Fluminense no Beira-RioReservas do Inter não conseguiram parar o Fluminense no Beira-Rio (Crédito: Ricardo Rimoli)

O time reserva do Internacional recebeu o Fluminense na noite deste domingo, no Beira-Rio. Classificado para a final da Copa Sul-Americana e sem maiores pretensões no Campeonato Brasileiro, o Colorado poupou seus jogadores titulares e acabou derrotado por 2 a 0 pelo Tricolor carioca, que afastou de uma vez por todas o risco do rebaixamento.

Sem grandes interesses no Brasileirão, o Inter só atacava nos contra-ataques e quem parecia estar jogando em casa era mesmo o Fluminense, que valorizava o toque de bola e explorava as laterais do campo. E não demorou muito para o Tricolor abrir o placar no Beira-Rio.

Aos 15 minutos, Romeu se livrou da marcação e mandou uma bomba de fora da área, sem chances de defesa para o goleiro Lauro. Ainda aos 37 minutos, Washington perdeu um gol feito. O zagueiro Pessanha se embolou com a bola dentro da área, deixando o atacante tricolor livre e sem goleiro. Mas o camisa 9 pegou mal com a perna esquerda e desperdiçou a chance de ampliar a vantagem do Fluminense no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o goleiro Fernando Henrique deixou de ser espectador e teve que começar a trabalhar. O Internacional entrou no segundo tempo com mais disposição e interesse na partida. Já aos dois minutos, o Colorado chegou com perigo pela primeira vez com uma cobrança de falta de Bustos, que tirou tinta do travessão do gol do Fluminense.

Aos 10 minutos, um lance polêmico: Danny Morais chutou a bola em cima da própria mão dentro da área, mas o juiz não marcou o pênalti a favor do Fluminense, entendendo que o toque foi involuntário. Mas aos 20 minutos a arbitragem pôde se redimir. Pessanha atropelou Junior Cesar perto da pequena área e, agora sim, houve a marcação da penalidade máxima. Washington bateu com tranqüilidade e fez o segundo gol do Tricolor.

Com este resultado, o Fluminense chega à 13ª colocação na tabela e, somando 43 pontos, entra até mesmo na zona de classificação da Sul-Americana. Já o Internacional permanece na oitava posição com 51 pontos.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 0 X 2 FLUMINENSE

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 23/11/2008 – 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (Especial-DF)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF)

Renda/público: R$ 122.273,00 / 7.481 pagantes

Cartões amarelos: Daniel Carvalho, Bustos, Pessanha (INT); Maicon (FLU)
Cartões vermelhos: não houve.

GOLS: Romeu, 15’/1ºT (0-1); Washington, 21’/2ºT (0-2)

INTERNACIONAL: Lauro, Bustos, Pessanha, Danny Morais e Ramon; Maycon (Taison, intervalo), Sandro, Rosinei e Andrezinho (Talles Cunha, 29’/2ºT); Guto (Luiz Carlos, 16’/2ºT) e Daniel Carvalho. Técnico: Tite.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar (Carlinhos, 23’/2ºT); Fabinho, Romeu, Arouca (Edcarlos, 18’/2ºT) e Conca; Maicon (Tartá, 14’/2ºT) e Washington. Técnico: René Simões.

novembro 23, 2008 Posted by | Fluminense, Internacional | , | Deixe um comentário

Sport atropela Atlético-MG na Ilha do Retiro

Sport vence desmotivado Galo e ultrapassa o Alvinegro na tabela

Sport levou a melhor sobre o Galo na Ilha do RetiroSport levou a melhor sobre o Galo na Ilha do Retiro (Crédito: Antônio Carneiro)

LANCEPRESS!

Na Ilha do Retiro, o Sport precisou de dez minutos no segundo tempo para golear o Atlético-MG. Com gols de Durval e dois de Ciro, o Leão fez 3 a 0 no Galo, e chegou à 11ª posição, com 48 pontos. Já o Galo caiu para o 12° lugar.

O jogo começou morno. O Sport tinha mais domínio do jogo e atacava mais, enquanto que o Atlético-MG tentava chegar nos contra-ataques. Aos oito minutos, Roger fugiu da marcação de Leandro Almeida e chutou com força para a defesa de Edson. O atacante do Leão tentou de novo, aos 13. Ele invadiu a área do Galo, cortou a marcação e bateu para grande defesa de Edson.

Com pouco interesse de ambas as partes por um jogo mais movimentado, o duelo ficou pouco disputado. O Sport só voltou a assustar com perigo aos 37 minutos, quando Sandro Goiano aproveitou rebote de fora da área e soltou a bomba. Edson mais uma vez não deixou o Sport sair na frente.

O Galo, que tinha o ataque inoperante, só chegou no final do primeiro tempo. Aos 39 minutos, Renan Oliveira conduziu a bola pela intermediária e bateu de fora da área. Magrão só viu a bola passar. O primeiro tempo acabou sob vaias da torcida presente na Ilha do Retiro.

No segundo tempo, os erros de passe, muito presentes na primeira etapa, continuaram. O Sport continuava dominando o jogo, e levando mais perigo ao gol de Edson, que novamente voltou a salvar o Galo. Aos 19 minutos, Sidny invadiu a área do time alvinegro, após sair facilmente da marcação, e chutou para boa defesa do camisa 1 atleticano.

O goleiro do Galo se garantiu até quando o jogo estava parado. Aos 26, Roger entrou livre e soltou a bomba, para a defesa de Edson. No entanto, o árbitro Arnoldo Vasconcelos Figarela já havbia anotado posição de impedimento do atacante do Sport. O camisa 1 do time mineiro ainda foi exigido novamente aos 28, com chute forte de Sandro Goiano.

A tônica do jogo se manteve por mais dez minutos: o Sport atacava com pouca competência e o Galo não reagia. Até que aos 37, Durval resolveu mudar a história do jogo. O zagueiro se aventurou no ataque, invadiu a área atleticana pela direita e chutou com força, sem chances para Edson, que dessa vez, não pode salvar o Atlético-MG.

O gol marcado abriu a porteira atleticana. Aos 40, Ciro anotou mais, no rebote do chute de Roger. O jovem atacante do Sport mostrou que estava endiabrado, e fechou o placar aos 44, após invadir a área pela direita e soltar a bomba. O placar terminou com 3 a 0 para o Leão.

Na próxima rodada, o Sport encara a Portuguesa, no Canindé, enquanto que o Atlético-MG recebe o Santos, no Mineirão.

SPORT 3 X 0 ATLÉTICO-MG

Estádio: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data/hora: 23/11/08 – 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Arnoldo Vasconcelos Figarela (RO)
Assistentes: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO) e Ailton Farias da Silva (SE)
Renda/Público: Não divulgado
Cartões amarelos: Sidny (SPT); Nen e Renan Oliveira (ATL)
Cartões vermelhos: Não houve
GOL: Durval, 37’/2°T; Ciro, 40’/2°T e 44’/2°T

SPORT: Magrão, Igor (Júnior Maranhão, 25’/2°T), César e Durval; Sidny, Fábio Gomes, Sandro Goiano, Márcio Goiano e Fumagalli (Kássio, 15’/2°T); Carlinhos Bala (Ciro, intervalo) e Roger. Técnico: Nelsinho Baptista.

ATLÉTICO-MG: Édson, Sheslon, Welton, Leandro Almeida e César Prates (Raphael Aguiar, 17’2°T); Nen, Márcio Araújo, Elton e Renan Oliveira; Pedro Paulo (Beto, 17’/2°T) e Castillo (Petkovic,31’/2°T). Técnico: Marcelo Oliveira

novembro 23, 2008 Posted by | Atlético-MG, Sport | , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence Flamengo com gol no fim; assista

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.Time mineiro vence rival carioca por 3 a 2 no Mineirão e fica mais próximo da vaga na Libertadores de 2009

novembro 23, 2008 Posted by | Cruzeiro | , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo vence o Vasco e fica perto do hexa; veja aos gols

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.Hugo e Jorge Wágner marcaram para o time paulista, enquanto Madson fez o gol dos cariocas

novembro 23, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , , | Deixe um comentário

Em clima de decisão, Vasco recebe São Paulo

Time de São Januário luta para não cair. Tricolor quer o tricampeonato

Vasco recebe o São Paulo em São Januário

Vasco recebe o São Paulo em São Januário

LANCEPRESS!

Os dois clubes já decidiram títulos, são considerados dois dos mais
importantes do país, mas, neste domingo, os momentos são distintos.
Enquanto o Vasco entrará em São Januário com a obrigação de vencer o
São Paulo para permanecer na Primeira Divisão, o Tricolor paulista vai
em busca dos três pontos e do tricampeonato brasileiro.

O
discurso vascaíno durante a semana foi de guerra. E é em clima de
decisão que o time receberá os paulista. O técnico Renato Gaúcho chegou
a fazer um treino secreto, mas a escalação não deve ter nenhum
mistério. Edmundo pode ser a arma para o segundo tempo. E o esquema
3-6-1 estará de volta.

Até mesmo alguns dias antes do jogo, o
clima já era de uma verdadeira final entre as equipes. Acusações
partiram de Morumbi e foram rebatidas no Vasco. Muricy Ramalho alertou
sobre problemas extracampo no estádio vascaíno e o presidente Roberto
Dinamite não gostou, mas prometeu tratar cordialmente os são-paulinos.


Estão criando um clima que parece que será hostil, que justifique até o
resultado negativo que possa vir a acontecer. Esse climazinho é normal.
Já vivi isso dentro de campo e fora dele. O importante é ter respeito
entre os profissionais e fica esse alerta, que o Muricy se preocupe em
botar a equipe em campo, procurar fazer o melhor, porque um novo Vasco
sabe e vai respeitar qualquer instituição – rebateu o presidente na
última segunda-feira.

O certo é que São Januário estará lotado. E os jogadores já tratam o jogo como uma verdadeira decisão.

Três
jogos para o tricampeonato brasileiro. Este é o São Paulo que enfrenta
o Vasco neste domingo à tarde, em São Januário. Com dois pontos de
vantagem sobre o vice-líder Grêmio, o Tricolor Paulista poderá chegar
ao inédito título já na próxima rodada.

Para isso, além de
superar toda pressão que encontrará no Rio de Janeiro, o time do
técnico Muricy Ramalho terá de vencer o Fluminense, dia 30 no Morumbi.
Com os seis pontos, é só secar o Grêmio, para que o clube gaúcho
tropece ao menos uma vez. Ele vai enfrentar Vitória e Ipatinga fora de
casa.

No primeiro turno do Brasileiro, o São Paulo não tomou
conhecimento do Vasco. André Lima, que hoje amarga a reserva, foi o
destaque da partida marcando dois gols em sua estréia. Ceni completou o
placar.

Mas quem pensa em nova goleada são-paulina está enganado.
Preocupados com os fatores extracampo em São Januário, os paulistas
estão preparados para a guerra, já que o Vasco luta contra a degola. No
ano passado, também em reta final, vitória são-paulina por 2 a 0, no
mesmo estádio.

O técnico Muricy Ramalho não poderá contar com
Rodrigo, suspenso pelo terceiro amarelo. Já André Dias retorna de
suspensão. O volante Zé Luis, que ainda sente dores no joelho direito,
segue como dúvida e sua escalação só será definida minutos antes da
partida.

VASCO X SÃO PAULO

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 23/11/2008 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (Fifa-RS)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-BA)

VASCO:
Rafael, Eduardo Luiz, Odvan, Jorge Luiz; Wagner Diniz, Jonílson,
Mateus, Madson, Alex Teixeira e Edu; Leandro Amaral. Técnico: Renato
Gaúcho.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Anderson (Zé
Luis), André Dias e Miranda; Joílson, Jean, Hernanes, Hugo e Jorge
Wagner; Dagoberto e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

novembro 23, 2008 Posted by | São Paulo, Vasco da Gama | , , , , , | 2 Comentários