Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Náutico e Lusa empatam e seguem aflitos no Brasileirão

Portuguesa volta para Zona de Rebaixamento e Timbu segue ameaçado

A impressão de que o Náutico encurralaria a Portuguesa no seu campo de defesa ganhou contornos mais intensos logo no primeiro minuto de partida, quando Clodoaldo desperdiçou grande chance de abrir o placar para os donos da casa. Sonolenta, a Lusa parecia sentir o calor do Recife e não conseguia acompanhar o ritmo da partida. Nem parecia que o jogo ajudaria a afastar a equipe da zona de rebaixamento.

E a apatia acabou sendo fatal. Os jogadores apenas assistiram ao atacante Felipe ajeitar a bola na intermediária e acertar um petardo de muito longe para abrir o placar nos Aflitos. O Timbu só não ampliou porque o auxiliar Flávio Kanitz errou grosseiramente ao marcar um impedimento de Clodoaldo quando o atacante saiu sozinho na cara do gol e já havia tirado o goleiro Gottardi da jogada.

A Portuguesa mostrou um pouco mais de vida, mas só Athirson buscou chamar o jogo, tanto que as únicas chances paulistas vieram em cobranças de falta. O Náutico também assustou com a bola parada e Felipe carimbou o travessão de Gottardi, quase ampliando para os alvirrubros.

Estevam Soares percebeu o sono português e mexeu na equipe. As alterações deram mais cor ao time paulista, que voltou muito mais disposto para o segundo tempo. Jonas, que entrara no lugar do inexpressivo Washington, carimbou o travessão pernambucano logo nos minutos iniciais e o Náutico se retraiu, buscando explorar os contra-ataques.

Após alguma tentativa de reação da Lusa, o ritmo do jogo caiu drasticamente e as deficiências de ambos os times ficaram evidentes. Nenhuma criatividade, um festival de passes errados e lances feios deixaram os torcedores, trocadilhos à parte, aflitos.

Na base da garra, a Lusa foi pra cima e acabou sendo premiada pelo esforço. Dias aproveitou jogada de linha de fundo de Héverton e empurrou para empatar a partida. Embora não tenha sido bom pra ninguém, o resultado acabou sendo justo pelo que as equipes apresentaram no jogo.

A Portuguesa, de volta à zona de rebaixamento (17º lugar, com 32 pontos) volta a campo na próxima quarta-feira, quando fará o jogo dos desesperados contra o lanterna Ipatinga, no Canindé. O Náutico (15º, com 32 pontos) terá o difícil Internacional no Beira-Rio.
FICHA TÉCNICA:
NÁUTICO 1 X 1 PORTUGUESA

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 25/10/08, às 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Flavio Gilberto Kanitz (GO) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Renda/público: não divulgado
Cartões amarelos: Gavilán, Ediglê e Fellype Gabriel (POR), Vagner, Hamilton e Felipe (NAU)
GOLS: Felipe, 17’/1ºT (1-0); Dias, 41’/2ºT (1-1)
NÁUTICO: Eduardo, Rui, Vagner, Everaldo e Alessandro; Hamilton, André Oliveira (Kuki, 18’2ºT), William e Derlei; Felipe e Clodoaldo (Adriano, , 1’/2ºT). Técnico: Roberto Fernandes.

PORTUGUESA: Gottardi, Patrício (Dias, 1’/2ºT), Bruno Rodrigo, Ediglê e Athirson; Gavilán, Eric, Carlos Alberto (Héverton, 25’/2ºT) e Fellype Gabriel; Edno e Washington (Jonas, 1’/2ºT). Técnico: Estevam Soares.

outubro 25, 2008 Posted by | Náutico, Portuguesa | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Inter e Atlético-MG empatam no Mineirão

Jogo bom, porém, resultado é ruim para as duas equipes

Num jogo cheio de alternativas e chances para os dois lados, Atlético-MG e Inter ficaram no empate em 2 a 2, neste sábado, no Mineirão. O resultado foi péssimo para ambos, que permanecem na zona intermediária da tabela.

Com ousadia e muita determinação, o Galo começou a partida fazendo pressão sobre o Internacional. Depois de se salvar na primeira chance, o goleiro Lauro nada pôde fazer quando Marques cruzou nos pés do boliviano Castillo, que acertou de primeira, fazendo a bola morrer mansa, no canto esquerdo.

Porém, o que se viu depois disso foi muita transpiração e quase nada de inspiração. Enquanto o Galo procurava administrar o placar
tocando a bola no meio-de-campo, o Inter carecia de um homem de armação, já que Alex estava deslocado no ataque e D’Alessandro, por opção do treinador, ficou no banco de reservas.

Mesmo assim, o Atlético teve uma excelente chance de ampliar quando Renan Oliveira fez boa jogada, invadiu a área e chutou cruzado. Dessa vez, Lauro teve sorte, pois não conseguiu chegar na bola, que passou bem perto do seu gol.

Aos poucos, o Inter foi equilibrando as ações, mas não conseguia criar chances que pudessem justificar o empate. Por outro lado, o Galo perdeu o zagueiro Vinícius, que sentiu uma fisgada na coxa esquerda já no fim do primeiro tempo.

Com Sandro no lugar de Magrão, o Inter voltou melhor para o segundo tempo. Logo aos cinco minutos, Nilmar aproveitou uma bobeada da zaga atleticana e foi derrubado dentro da área por César Prates. Sem pestanejar, o árbitro marcou pênalti, que Alex cobrou com categoria para empatar.

Pouco tempo depois, o mesmo Alex perdeu uma chance incrível, após receber cruzamento de Marcão e chutar para fora praticamente debaixo das traves de Juninho.

O Atlético-MG nada conseguia produzir e, por isso, o técnico Marcelo Oliveira colocou o veterano Petkovic no jogo. Porém, para infelicidade dos donos da casa, o segundo gol colorado saiu cinco minutos após a substituição, aos 23. Alex levantou bola na área, o goleiro Juninho falhou na saída do gol e o volante Sandro, livre de marcação, só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede.

Contudo, quando o leite parecia derramado, o Atlético conseguiu o empate aos 29 minutos, graças à persistência do atacante Pedro Paulo, que passou por três marcadores e chutou fime no canto.

O gol acordou os atleticanos, que perderam duas boas oportunidades seguidas, com Renan Oliveira e Castillo. Já o Inter, depois de ser superior durante boa parte da partida, mostrava-se satisfeito com o empate.

No fim, Petkovic ainda acertou a trave colorada e Nilmar teve um gol bem anulado pelo auxiliar. Sem contar que nos acréscimos, Adriano perdeu um gol praticamente feito, de frente para o goleiro Juninho. Com tantas chances desperdiçadas no segundo tempo, o pontinho conquistado em Belo Horizonte teve sabor amargo para os gaúchos.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG X INTERNACIONAL

Data/hora: 25/10/2008 – 18h20(de Brasília)
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Salvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Evandro Luis Silveira (SP)
Público: 8.860 pagantes
Cartões amarelos: Sheslon, Elton, César Prates (Atlético-MG); Ângelo, Alex (Inter)
Cartões vermelhos:
Gols: Castillo, 6’/1ºT (1-0); Alex, 5’/2ºT (1-1); Sandro, 23’/2ºT (1-2); Pedro Paulo, 29’/2ºT (2-2)

ATLÉTICO-MG: Juninho, Sheslon, Leandro Almeida, Vinícius (Welton Felipe, 45’/1ºT) e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Elton (Petkovic, 18’/2ºT) e Renan Oliveira; Marques (Pedro Paulo, 4’/2ºT) e Castillo. Técnico: Marcelo Oliveira.

INTERNACIONAL: Lauro, Ângelo, Danny Morais, Bolívar e Marcão; Edinho, Magrão (Sandro, intervalo), Andrezinho (D’Alessandro, 22’/2ºT) e Taison (Adriano, 36’/2º); Nilmar e Alex. Técnico: Tite.

if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x10’);}
if (!(dominioparceiro)){OAS_AD(‘x11’);}

outubro 25, 2008 Posted by | Atlético-MG, Internacional | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Furacão vence e dá banho de água fria na Raposa

Resultado complicou pretensões celestes no Brasileirão

O Atlético-PR deu um banho de água fria nas pretensões do Cruzeiro em permanecer na cola do líder Grêmio. O Furacão venceu por 1 a 0, gol de Rafael Moura, e manteve a Raposa na terceira colocação. Já o time rubro-negro segue vivo na luta contra o rebaixamento.

O Cruzeiro começou melhor a partida e teve domínio do jogo até os vinte minutos. Logo aos 18, veio então o primeiro balde de água gelada para a equipe celeste. Thiago Heleno fez falta violenta em Ferreira, na entrada da área, e foi expulso. Na cobrança, Netinho bateu bem e Fábio salvou a Raposa em grande defesa.

Apesar de ter um homem a menos, o Cruzeiro teve as melhores chances do primeiro tempo. Aos 24, Carlinhos soltou uma bomba de esquerda e quase marcou. Thiago Ribeiro ainda fez boa jogada individual aos 28 e Gallato defendeu bem.

No segundo tempo, o técnico Adilson Batista colocou em campo Léo Fortunato para recompor a defesa cruzeirense. No entanto, a equipe rubro-negra começou a ocupar fez a diferença para o lado rubro-negro. O Atlético-PR começou a ocupar os espaços deixados pela equipe celeste, e empurrado pela torcida, passou a pressionar.

Aos 8 minutos, Rafael Moura mostrou que na Arena da Baixada, o Furacão é quem manda. Netinho cobrou falta da intermediária e Antônio Carlos desviou de cabeça. O goleiro Fábio espalmou, mas a bola caiu nos pés do atacante, que mandou para o fundo das redes.

O gol não mudou o que vinha sendo a partida, e o Cruzeiro continuava dando espaços para a equipe paranaense. Aos 31, um lance incrível. Ferreira chegou livre contra Fábio e passou para Pedro Oldoni. Jonathan entrou de carrinho e tirou dos pés do atacante a chance do Furacão matar o jogo. Logo na seqüência, Rafael Moura recebeu o segundo cartão amarelo após falta em Wagner e tornou igual o número de jogadores em campo.

O técnico Adilson Batista escalou Wanderley no ataque e o jogo ganhou em chances criadas. Em tiro de longe aos Aos 35, Julio dos Santos perdeu boa oportunidade após receber na entrada da área e mandar por cima do gol de Fábio. A resposta cruzeirense veio aos 42, em cruzamento mal aproveitado por Léo Fortunato.

Apesar das tentativas da Raposa, o Atlético-PR soube se segurar e venceu. Com o resultado, o time de Geninho chegou aos 31 pontos, na 18ª posição, e segue na luta contra o rebaixamento. O Cruzeiro viu o Grêmio abrir quatro pontos de vantagem, e é o terceiro. Na próxima rodada, o Furacão tem um confronto direto com o Vasco, enquanto que o time celeste encara o Grêmio no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 1 X 0 CRUZEIRO

Local: Kyocera Arena, em Curitiba (PR)
Data/Hora: 25/10/2008, às 18h20
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)
Renda/Público: R$ 237.840,00 / 15.908
Cartões amarelos: Rafael Moura, Antônio Carlos, Pedro Oldoni e Gustavo (APR); Wagner, Espinoza, Ramires e Henrique (CRU)
Cartões vermelhos: Thiago Heleno (CRU) e Rafael Moura (APR)
GOL: Rafael Moura, 8’/2ºT (APR)

ATLÉTICO-PR: Galatto, Rafael Santos, Gustavo, Antônio Carlos; Rodriguinho (Julio dos Santos, 29’/2ºT), Valencia, Renan (Gabriel, 33’/1ºT), Ferreira e Netinho; Rafael Moura e Geílson (Pedro Oldoni, 32’/1ºT). Técnico: Geninho

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Wanderley, 33’/2ºT), Espinoza, Thiago Heleno e Carlinhos (Léo Fortunato, intervalo); Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Fernandinho; Guilherme e Thiago Ribeiro (Wagner, 10’/2ºT). Técnico: Adilson Batista.

outubro 25, 2008 Posted by | Atlético-PR, Cruzeiro | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos goleia Figueira e afasta de vez a Série B

Após começo apático, Santos encontra bom futebol, vence outra na Vila e coloca a Série B no esquecimento da torcida

A combinação Santos e Vila Belmiro fez mais uma vítima neste sábado. Com outra participação decisiva de Fábio Costa, a equipe venceu o Figueirense por 3 a 0 após um começo instável, e fez o medo da Série B se tornar passado para a torcida.

O Figueira começou mostrando que seria um visitante mal educado, enquanto o Peixe, um dono da casa cheio de cortesias. Discreto no ataque e com a defesa atrapalha, o Alvinegro se limitou a ver o rival atacar e precisou da inspiração de Fábio Costa para não sair atrás.

Aos 26, Tadeu sofreu pênalti ao ser puxado por Adaílton dentro da área. Mas a cobrança foi fraca e mal colocada, nas mãos do goleiro. Depois da defesa, veio o grito de Márcio Fernandes: – Agora vamos acordar? A bronca fez efeito e o Santos quase marcou com Pará e Róbson.

A resposta veio em dobro e rápida. Aos 38, Molina aproveitou rebote de Kléber Pereira e abriu o placar. Dois minutos depois, Bida matou no peito com estilo e mandou forte para as redes.

O segundo tempo manteve a escrita do final do primeiro: o Santos administrava a vantagem e o Figueirense pouco assustou. Quando chegou na frente, Tadeu mandou sem direção.

O time da casa levou perigo em chutes de Kléber e Kléber Pereira, mas ampliou com um volante. Aos 17, Rodrigo Souto subiu de cabeça e tirou do alcance do goleiro para fazer o terceiro.

A larga vantagem e a ineficiência do rival fizeram o Santos apenas esperar o fim do jogo. O técnico Márcio Fernandes aproveitou a oportunidade para dar nova chance a Lima, Michael e Adriano, que seguraram o placar até o apito do árbitro.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 0 FIGUEIRENSE

Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 25/10/2008 – 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Rodrigo Baeta (MG)
Renda/público: R$ 150.072,00/ 12.563 pagantes

Gols: Molina, 38’/1ºT (1-0), Bida, 40’/1ºT (2-0), Rodrigo Souto 17’/2ºT (3-0)
Cartões amarelos: Adaílton, Rodrigo Souto e Bida (Santos); Ramón, Leandro Carvalho e Alex (Figueirense)
Cartões vermelhos: não houve

SANTOS: Fábio Costa, Pará, Adaílton, Fabão e Kléber; Rodrigo Souto, Roberto Brum (Adriano, 45’/2ºT), Bida e Molina (Lima, 34’/2ºT); Róbson (Michael, 13’/2ºT) e Kléber Pereira

FIGUEIRENSE: Wilson, Bruno Perone (Leandro Carvalho, 15’/2ºT), Alex e Asprilla; Diogo, Gomes, Ramón (Edu Salles, 14’/2ºT), William Matheus e Marquinho; Wellington Amorim (Rodrigo Fabri, intervalo) e Tadeu. Técnico: Mário Sérgio.

outubro 25, 2008 Posted by | Figueirense, Santos | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Empresário de Ronaldo confirma proposta do Paris Saint-Germain

Presidente do clube francês está acompanhando a recuperação do jogador

Cada vez mais magro e completamente recuperado de uma grave lesão no joelho esquerdo, Ronaldo começa a pensar no seu futuro. Apesar de estar mantendo a forma no Flamengo, o atacante pode mesmo é atuar na França. O empresário do jogador, Fabiano Farah, confirmou que recebeu uma proposta do PSG.

– Falei com representantes do Paris. Nos falamos e por telefone e discutimos sobre algumas coisas, mas não posso entrar em detalhes – afirmou Farah, em declarações publicadas pelo portal “Goal.com”.


Segundo o agente, Ronaldo tem algumas exigências para atuar na capital, como, por exemplo, um comprometimento do PSG de fazer uma equipe competitiva que dispute títulos (atualmente o clube ocupa a nona colocação do Campeonato Francês).

O presidente do PSG, Charles Villeneuve, revela em entrevista ao jornal “L´Equipe” que realmente existe o interesse em Ronaldo que, pelo lado pessoal, vê como interessante sua ida para França: o Fenômeno possui residência em Paris e, além disso, ficaria perto do filho Ronald, que mora com a mãe em Madri..

– Estamos acompanhando sua recuperação e, se ele voltar a forma, vamos estudar essa possibilidade. Por enquanto, que, está cuidando dessa assunto é o Alain Roche (diretor de futebol do clube) – ressaltou o dirigente.

Além de Flamengo e PSG, clubes como Roma, Sampdoria, Manchester City e PSV são especulados como possíveis destinos de Ronaldo.

window.google_render_ad();

outubro 25, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Hernanes levanta a bola de Ceni e ganha mais elogios do capitão e do treinador

Goleiro diz que volante é um jogador completo e bastante positivo

Depois de ter sido considerado o melhor jogador em atividade no Brasil por Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, Hernanes recebeu mais elogios, desta vez de Rogério Ceni, companheiro de time e ídolo do São Paulo. O goleiro exaltou as qualidades do volante não só em campo, mas também fora dele. O capitão revela que chegou a desanimar após o empate com o Palmeiras, mas foi “reerguido” por Hernanes.

– Confesso que estava desanimado após o jogo com o Palmeiras. Fui dormir às cinco da manhã, estava p…, mas quando cheguei ao CT na segunda-feira encontrei o Hernanes, que me falou: vamos, dá para o time ser campeão. É o cara mais positivo que encontrei – conta o goleiro.

Ceni também enche o volante de elogios. Segundo ele, Hernanes é um jogador completo.

– O Hernanes é hoje um dos melhores volantes do Brasil, poucos conseguem fazer tudo o que ele faz. Jogadores como Kaká e Ronaldinho são mais habilidosos, mas o Hernanes é completo. Além de ser um exemplo, está sempre calado, trabalhando – aponta Ceni.

Muricy Ramalho concorda que Hernanes é diferenciado, e tenta aproveitar a qualidade do volante, deixando que ele tenha liberdade em campo.

– O Hernanes é diferenciado desde que possa usar isso. Se ele ficar preso como volante é melhor ficar na reserva. Ele também tem uma parte física excelente, um cara que dá cambalhota como ele tem a parte muscular espetacular. É um volante moderno, que sai para o jogo, hoje se transformou em meia, está em grande fase, luta muito, e seu futuro é a seleção – analisa o treinador são-paulino.

outubro 25, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Roth: ‘Se ganharmos, ficamos com as mãos na taça’

Técnico está pensando na partida contra o Cruzeiro na próxima rodada

Verdadeiramente decisivo. Assim o técnico do Grêmio, Celso Roth, pensa sobre o confronto diante do Cruzeiro na quarta-feira no Mineirão. Os dois clubes são concorrentes diretos na briga pelo título do Brasileirão. Em entrevista á Rádio Gaúcha, o comandante tricolor falou da importância da partida.

– É um jogo fundamental. Se ganharmos, ficamos com as mãos na taça. Se não perdemos, estamos bem encaminhados – diz o treinador.

Roth demonstrou preocupação com o atual desempenho do Grêmio. Pela primeira vez durante todo o Brasileirão, o treinador abandonou o 3-5-2 para começar jogando com o 4-4-2 na quinta-feira diante do Sport. Apesar da vitória por 1 a 0, o novo esquema não agradou. Abre-se, agora, a possibilidade do 4-5-1 ser utilizado para enfrentar os mineiros.

– Nesse momento temos que rever algumas coisas. Vínhamos de uma batida muito forte, ganhando jogos fora e em casa. Depois, na virada de turno, tivemos alguns reveses que nos deixaram preocupados. Nesse momento estamos mais preocupados em sedimentar aquilo que construímos – afirma.

ovo esquema dá a oportunidade para a permanência do meia Douglas Costa no time ao lado de Tcheco. Aos dois se junta Souza, que há duas rodadas recebe elogios do treinador. Paulo Sérgio deve ganhar vaga na lateral esquerda, apesar de atuar pelo lado direito.

O comandante tricolor também falou de seu relacionamento com a imprensa. Desde o começo de sua carreira no Inter em 1997, a relação sempre foi tumultuada e Roth ganhou o carimbo de mal- humorado, devido suas respostas atravessadas aos repórteres. Atualmente, com a boa fase gremista, as desavenças estão amenizadas.

– Tenho um defeito na comunicação. As pessoas têm idéia errada sobre mim. Isso ocorreu no começo da carreira e eu colaborei para isso. As pessoas acham que sou sisudo, sou o contrário disso. Não consigo transformar isso na minha imagem pública – explica.

outubro 25, 2008 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Veja os gols da vitória do Fluminense sobre o Palmeiras

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.Com pretensões distintas, Fluminense e Palmeiras se enfrentaram pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para sair da zona do rebaixamento, a equipe carioca fez 3 a 0 ainda no primeiro tempo de jogo contra o time alviverde, que briga pelo título.

outubro 25, 2008 Posted by | Fluminense, Palmeiras | , , , , , , , | Deixe um comentário

É o fim do calvário: o Timão está de volta!

Corinthians vence o Ceará, vê o Paraná bater o Barueri e comemora o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro depois de campanha soberana

Logo depois do capítulo mais triste da história do Corinthians, um bando de loucos avisou: “Eu nunca vou te abandonar”. Promessa cumprida, eles pediram um pouco mais: “Não pára, não pára, não pára”. Diante de tanta demonstração de amor, só restou ao elenco do Timão responder com um retorno mais do que tranqüilo à elite nacional. E agora, o corintiano pode dizer a todos: “Eu voltei…agora pra ficar”.

Na tarde deste sábado, diante de mais de 32 mil fanáticos, a equipe do Parque São Jorge manteve sua soberania na competição, venceu o Ceará por 2 a 0, gols de Douglas e Chicão, e assegurou matematicamente o acesso à Série A (assista aos melhores momentos acima). Isso porque combinado com esse triunfo, o Paraná venceu o Barueri, que parou nos 62 pontos. Com isso, o Timão não sai mais da lista dos quatro primeiros.

O calvário do Corinthians na Segundona acaba com seis rodadas de antecedência e com o time dono de uma campanha irrepreensível. Foram até aqui 20 vitórias, dez empates e apenas duas derrotas.

Retrospecto que fez o Alvinegro voltar ao Brasileirão sem passar pelo mesmo sofrimento de outros, como Palmeiras, Botafogo, Grêmio, Atlético-MG, Coritiba.

Placar eletrônico: o protagonista
A festa estava armada desde cedo no Pacaembu. Bandeiras e bexigas com a frase “Eu voltei…agora pra ficar”, trecho da música “O portão” de Roberto e Erasmo Carlos escolhido para representar o retorno à Série A, esperavam os torcedores que lotaram o estádio. Mas ainda faltava o resultado dentro de campo.

Ampliar Foto Marcos Riboli/GLOBOESPORTE.COM Marcos Riboli/GLOBOESPORTE.COM

Felipe cai nos braços da Fiel após o jogo

Em clima de final, o Corinthians iniciou o jogo bastante concentrado. Foi para cima do Ceará logo de cara e pressionou o adversário na defesa. Tanto que o gol não demorou a sair. Aos 8 minutos, Herrera recebeu na esquerda, se atrapalhou, mas conseguiu acertar a trave. No rebote, Douglas tocou para as redes.

A euforia na arquibancada contagiou ainda mais os corintianos dentro do gramado e, aos 11, André Santos quase marcou de falta – Adilson fez grande defesa. Um minuto depois, a torcida explodiu de alegria. Mas não por causa do Timão, e sim vibrando com gol do Paraná sobre o Barueri. Assim, matematicamente estaria na Série A.

O corintiano vibrou mais ainda quando aos 14 minutos o placar eletrônico anunciou gol do Fluminense sobre o arqui-rival Palmeiras, que está na disputa do título do Brasileirão. Logo em seguida, porém, o Barueri empatou com o Paraná. Embora o resultado ainda assegurasse o acesso alvinegro, a torcida murchou.

Coincidentemente, o Corinthians não conseguiu mais pressionar o Ceará em busca do segundo gol. A equipe do técnico Mano Menezes, por sinal, abusou dos erros de passe e só não sofreu mais porque o adversário não teve capacidade para chegar com perigo ao gol de Felipe – o goleiro praticamente não foi exigido.

A alegria dos corintianos, então, ficou por conta da derrota parcial do Palmeiras. Se no Pacaembu os gols não saíram mais, no Maracanã o Fluminense fez mais dois em cima do clube do Palestra Itália. Festa para os alvinegros, que no intervalo já puderam ouvir o sistema de som tocar: “Eu voltei…agora pra ficar”.

‘Ô, ô, ô, o Coringão voltou’

Ampliar Foto Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM Marcos Ribolli/GLOBOESPORTE.COM

Chicão vibra com o segundo gol

Por alguns segundos, o torcedor do Corinthians levou um susto. Aos 2 minutos da etapa final, após cruzamento de Cadu, Felipe espalmou cabeçada nos pés de Cleisson, que mandou para as redes. O árbitro, no entanto, assinalou impedimento no lance e não validou o que seria o gol de empate do Ceará.

Como de costume nesta Série B, o Timão fez valer sua melhor condição e acabou com o princípio de reação do adversário. Aos 4 minutos, Cristian cobrou falta de longa distância, o goleiro Adilson deu rebote e o zagueiro Chicão, de volta ao time depois de três jogos de suspensão, ampliou a vantagem no placar.

Foi a senha para a torcida começar a comemorar o acesso na arquibancada. “Ô, ô, ô, o Coringão voltou, o Coringão voltou, o Coringão voltou”. Embalado por esse som, o clube do Parque São Jorge teve duas ótimas chances de aumentar ainda mais a vantagem. Primeiro com Alessandro e depois com Morais.

A apatia que tomou conta do time após o gol no primeiro tempo não atingiu o Timão após o segundo gol. Sem dar chance ao Ceará, a equipe paulista foi para cima com Douglas, Morais, Herrera, Dentinho… Mas se eles não deram novamente a alegria de um gol para os torcedores, o Paraná deu.

Quando o cronômetro no Pacaembu marcava 26 minutos, o placar eletrônico anunciou gol de pênalti da equipe sulista. Mais uma vez, a trilha sonora na arquibancada do Paulo Machado de Carvalho foi “Ô, ô, ô, o Coringão voltou”.

Como a partida entre Corinthians e Ceará começou atrasada, a vitória do Paraná sobre o Barueri foi consumada antes da do Timão sobre o time de Fortaleza. Por isso, a festa começou na capital paulista com a bola ainda rolando.

A explosão de alegria, porém, também aconteceu no apito final no Pacaembu. E foi comemorada ao som de Roberto e Erasmo Carlos.

Ficha técnica:

CORINTHIANS 2×0 CEARÁ
Felipe; Alessandro (Carlos Alberto), Chicão, William e André Santos; Cristian, Elias, Douglas (Lulinha) e Morais (Wellington Saci); Dentinho e Herrera. Adilson; Dedé, Fabrício, Dezinho e Jorge Guerra; Michel (Mancuso), Chicão, Cleisson, Marcos Paraná (Ederson) e Cadu; Sérgio Alves (Charles).
Técnico: Mano Menezes. Técnico: Lula Pereira.
Gols: Douglas, aos 8 minutos do primeiro tempo; Chicão, aos 4 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fabrício, Marcos Paraná, Michel (CEA); André Santos, William (COR). Cartão vermelho: . Público: 32.341 pagantes Renda: R$ 660.445,00
Estádio: Pacaembu. Data: 25/10/2008. Árbitro: Maurício Aparecido de Siqueira (MT). Auxiliares: Luiz Fernando Irineu da Silva e Fábio Rodrigo Rubinho (ambos do MT).

outubro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Botafogo vence para acalmar ânimos no clube

Segundo meio-de-campo Túlio, vitória sobre o Ipatinga vai amenizar o clima no Botafogo

O Botafogo venceu o Ipatinga por 3 a 0 neste sábado, no Ipatingão. Esta vitória trouxe mais esperança para a equipe alvinegra recuperar a vaga no grupo de classificação para a Libertadores. Num jogo um tanto equilibrado, o Glorioso conseguiu somar os três pontos na tabela do Campeonato Brasileiro.

A equipe alvinegra teve uma semana um pouco conturbada em virtude das trocas de farpas entre alguns jogadores e Carlos Augusto Montenegro. Para o meia Túlio, vencer este jogo foi fundamental para acalmar os ânimos em General Severiano.

– A vitória foi boa para acalmar ambiente no Botafogo. Por tudo que aconteceu durante a semana. Ney Franco conversou muito conosco no vestiário de que a prioridade era encostar no G-4. Ainda temos esperança de conquistar a vaga. Está difícil, mas ainda há esperança – disse Túlio após o jogo.

outubro 25, 2008 Posted by | Botafogo | , , | Deixe um comentário

Botafogo bate o Ipatinga e ainda sonha com G-4

Alvinegro vence dentro da casa do adversário, que permanece na lanterna do Campeonato Brasileiro

O Botafogo bateu o Ipatinga neste sábado, no Ipatingão e se aproxima do grupo de classificação para a Libertadores. A vitória por 3 a 0 provou que a equipe alvinegra ainda quer recuperar a vaga no G-4. Já a situação do Ipatinga ficou um tanto complicada. Com esta derrota, o time mineiro permanece na zona de rebaixamento da competição.

Ambas as equipes começaram o jogo com muita cautela, com toques de bola no meio-campo. Até que o Ipatinga tem sua primeira oportunidade de finalizar, mas Renan defende. Beto cobra o escanteio e tenta fazer gol olímpico e o goleiro alvinegro rebate novamente.

A partir daí, o Botafogo começa a atacar mais, porém erra muitos passes. Até que, num contra-ataque, Leandro Guerreiro conduz a bola pelo meio e, sem marcação, acerta um belo chute de fora da área. Assim, o Botafogo abre o placar no Ipatingão.

O Glorioso ganha um novo gás após o primeiro gol, mas o time do Ipatinga não se entrega. Entrosado em campo, Márcio Gabriel avança livre pela direita e cruza, mas a zaga alvinegra afasta. A equipe mineira continua pressionando no jogo. Augusto Recife cruza do meio-de-campo, Adeílson cabeceia dentro da área, obrigando Renan a fazer boa defesa.

Da mesma forma, o Botafogo consegue desenvolver boas jogadas. Carlos Alberto cobra escanteio, Júlio salva a cabeçada, mas Diguinho, chuta da entrada da área e finaliza com perfeição, para fazer o segundo gol Alvinegro.

O clima esquenta nos gramados. Após marcação de falta para o Ipatinga, Márcio Gabriel e Carlos Alberto se desentendem. Leandro Guerreiro consegue tirar em cima da linha esta cobrança. Após a cobrança, o jogo fica parado por três minutos, para os jogadores e árbitros se hidretarem, devido o calor.

O jogo recomeça e o Ipatinga tem a chance de diminuir o placar cruzando para o gol. A bola passa por Renan, mas Jorge Henrique consegue salvar de dentro da área. Num contra-ataque, Wellington Paulista se livra da marcação e fica de cara com Fernando, que consegue defender o chute. Aos 41 minutos do primeiro tempo, Carlos Alberto ta,bém finaliza, mas consegue apenas o escanteio.

O segundo tempo do jogo começa diferente do primeiro. As equipes se pressionam mais. Nesta etapa, o Ipatinga luta para conseguir diminuir a vantagem do adversário. O time mineiro arma um contra-ataque, quando Pablo é acionado e chuta em cima da defesa.

O Botafogo também mostra que ainda quer mais. O Glorioso tem uma chance com a cobrança de falta de Carlos Alberto, mas o atacante isola a bola por cima. O goleiro ipatinguense não perde tempo na cobrança do tiro de meta e Márcio Gabriel recebe a bola, ganha na velocidade pela direita e cruza, mas a defesa afasta.

Após este lance, Wellington Paulista é acionado pela esquerda e cruza rasteiro, Alessandro domina e toca para o meio da área e Jorge Henrique tenta o carrinho, mas não consegue completar para o gol. A equipe alvinegra quer aproveitar a vantagem no placar. Por isso, Botafogo se defende bem e arrisca somente nos contra-ataques.

O Ipatinga passa a ter mais a posse de bola no segundo tempo da partida. Com mais oportunidades para finalizar, Kempes arrisca de fora da área, mas Renan defende sem dificuldade. Aos 26 minutos, Júlio finaliza para fora, através de uma cobrança de escanteio. Numa cobrança de falta de dentro da área alvinegra, .Renan defende, mas a bola volta para Pablo, que arrisca de fora da área e erra.

O Botafogo tenta mais uma finalização. O goleiro Fernando espalma a bola, que sobra para Wellington Paulista, chutando para fora. Aos 42 minutos do segundo tempo, Carlos Alberto se livra da zaga e consegur ficar de cara com o goleiro, que defende o chute. O Alvinegro fica com o escanteio. Já nos acréscimos, Thiaguinho chuta para o gol, sem defesa para o goleiro Fernando. Botafogo amplia o placar.

Com este resultado, o Botafogo, até então, permanece em sexto lugar na tabela do Brasileiro, com 49 pontos. O Glorioso vai tentar se aproximar ainda mais do G-4 no próximo jogo, que será disputado contra o São Paulo, no Engenhão. Já o Ipatinga permanece na laterna do campeonato com 28 pontos e encara a Portuguesa na 32ª rodada, no Canindé.

FICHA TÉCNICA:
IPATINGA 0 X 3 BOTAFOGO

Estádio: Ipatingão, Ipatinga (MG)
Data/hora: 25/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Renda e público: Não divulgados.
Cartões amarelos: Júlio 15’/1ºT, Adeílson 40’/2ºT (IPA) e Carlos Alberto 39’/2ºT (BOT)
Cartões vermelhos: Nenhum.
Gols: Leandro Guerreiro (10’/1ºT), Diguinho (19’/1ºT) e Thiaguinho (46’/2ºT)

IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel, Henrique, Gian e Beto (Gilsinho 23’/2ºT); Júlio, Xaves (Pablo 0’/2ºT) e Augusto Recife; Adeílson, Kempes e Ferreira (Kempes 0’/2ºT). Técnico: Márcio Bittencourt

BOTAFOGO: Renan, Alessandro, Renato Silva, Edson e Triguinho; Leandro Guerreiro, Túlio (Thiaguinho 28’/2ºT), Diguinho e Carlos Alberto; Jorge Henrique e Wellington Paulista. Técnico: Ney Franco

outubro 25, 2008 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fluminense atropela o Palmeiras por 3 a 0

No duelo de treinadores, René Simões dá um banho de esquema em Vanderlei

Como um trator, o Fluminense atropelou o Palmeiras por 3 a 0 e se livrou instantaneamente da zona de rebaixamento. Carlinhos, Mauricio (contra) e Junior Cesar fizeram os gols que dão um novo ânimo ao Tricolor e complicam o objetivo do Palmeiras de conquistar o título do Campeonato Brasileiro.

O duelo começou a todo o vapor. Ambas as equipes buscavam o gol e, apesar de ser visitante, era o Palmeiras que comandava as ações. Porém, toda superioridade alviverde durou pouco menos que 15 minutos, quando numa falta despretensiosa de Carlinhos, Washington, malandramente, fingiu que colocaria a mão na bola e confundiu o goleiro Marcos, que a viu entrar diretamente em seu gol.

Após o 1 a 0, o Fluminense partiu de forma avassaladora para cima do Palmeiras. Atônitos, os jogadores do time de Vanderlei Luxemburgo mal conseguiam sair de sua defesa. Tal situação fez com que o segundo gol tricolor não demorasse a acontecer. Num bate e rebate, após chute de Everton Santos, a bola desviou no zagueiro Mauricio, que acabou anotando um gol contra.

Mal havia acabado de comemorar o feito, Everton Santos (em tarde inspirada), Conca e Junior Cesar fizeram uma linda triangulação que resultou no gol do camisa 6 do Tricolor. O primeiro tempo se encerrou com um verdadeiro banho da equipe de René Simões.

Na segunda etapa, Vanderlei Luxemburgo fez alterações que não surtiram efeito. Maicossuel pouco produziu e Fabinho Capixaba limitou-se a fazer faltas. Com isso, o Palmeiras mesmo perdendo de 3 a 0 pouco ameaçava o goleiro Fernando Henrique.

Ao Fluminense restou administrar o resultado. A apatia do Verdão era tanta que em um dado momento, o Tricolor ficou tocando a bola por 33 segundos sem ser interceptado. Nas poucas vezes em que a equipe paulista ameaçava, Fabinho chegava com uma marcação implacável.

Com a vitória, o Fluminense foi aos 34 pontos e está fora da zona de rebaixamento. Já o Palmeiras manteve os seus 55 e viu o sonho do pentacampeonato ficar mais longe.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 3 X 0 PALMEIRAS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 25/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN) e Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA)
Renda/público: R$ 421.435 / 31.973 pagantes
Cartões amarelos: Luiz Alberto, Fabinho, Conca (FLU); Martinez, Gustavo, Sandro Silva (PAL)
Cartões vermelhos: não houve.
GOLS: Carlinhos, 14’/1ºT (1-0); Mauricio (contra), 37’/1ºT (2-0); Junior Cesar, 42’/1ºT

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Carlinhos (Eduardo Ratinho, 28’/2ºT), Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Fabinho (Ygor, 31’/2ºT), Wellington Monteiro, Arouca (David, 19’/2ºT) e Conca; Everton Santos e Washington. Técnico: René Simões.

PALMEIRAS: Marcos, Gustavo, Maurício e Martinez (Denilson, 38’/1ºT); Sandro Silva, Pierre, Jumar (Fabinho Capixaba, intervalo), Evandro e Leandro; Kléber e Alex Mineiro (Maicossuel, 18’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

outubro 25, 2008 Posted by | Fluminense, Palmeiras | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Mano Menezes é exaltado e projeta 2009 com alegrias

Ele espanta uma possível saída do clube e pensa na temporada que vem

Mano Menezes pode ser sinônimo de palavras como “grupo”, “união” e “raça”. Trabalho em equipe parece ser o seu sobrenome e não há quem deixe de lembrar o trabalho do comandante ao reconduzir o Corinthians para a Série A. Mano é unanimidade e os jogadores reconhecem.

– A importância do Mano foi fundamental nesse acesso, porque a forma como ele conduziu o trabalho foi determinante para que a gente conseguisse trabalhar com calma e em um ambiente tranqüilo – afirmou o capitão da equipe, o zagueiro William.

– A união e a pegada foram a nossa marca durante o campeonato inteiro – disse o meia Douglas, autor do primeiro gol da partida.

– A união e a entrega foram as marcas, isso está marcado em nosso elenco. Agradecemos, podemos olhar na cara de todos e saber que fizemos o máximo. Quem ganhou aqui foi o grupo todo e eles merecem – declarou o lateral-esquerdo André Santos.

Depois da garantia de sucesso, o técnico dissipou qualquer possibilidade de ir embora. De acordo com ele, 2009 promete alegrias.

– Muito bom! Tantas rodadas de antecedência provam que o trabalho foi muito bem feito, montamos um grupo excepcional. Eu acho que o Corinthians deve aproveitar o momento. Se resgatou aquilo que vale mesmo no futebol e se continuarmos nessa linha vamos ter muita alegria em 2009! – comemorou.

outubro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Alegria dos apaixonados: Corinthians volta à elite!

Alegria dos apaixonados: Corinthians volta à elite!

Fiel não abandona e, enfim, o alívio. Ceará não resiste ao Pacambu lotado e adversários ajudam o sábado alvinegro

Eduardo Viana)Torcedor faz a festa e leva a faixa. Abaixo, os jogadores que decidiram a partida (Crédito: Eduardo Viana)

Não importa se o futebol esteve abaixo da média, se Douglas e Chicão marcaram os gols da vitória do Corinthians – 2 a 0 sobre o Ceará -, se Herrera jogou como um leão no gramado, ou se o adversário pouco ameaçou o gol de Felipe. O Pacaembu da tarde deste sábado foi pura e simplesmente a eufórica paixão pelo futebol que ninguém jamais conseguiu explicar.

É o amor de uma nação que se agarra ao esporte como se este fosse, se de fato não o é, o único álibi da alegria que põe fim às rotinas. Não somente por ser corintiano, não por tratar-se apenas da brilhante Fiel. Tudo isso vai além de ser alvinegro, tricolor, branco, amarelo ou negro. O que o Pacaembu viu nesta tarde de fim de outubro foi a síntese do que é ser, sobretudo, brasileiro.

Dentro de campo havia um nervosismo natural. Em inúmeras partidas nesta Série B o Corinthians apresentou um futebol de melhor qualidade. Dentinho, principal destaque das últimas partidas, esteve apagado e praticamente não pegou na bola durante o primeiro tempo. Mas futebol não se joga apenas com as bolas nos pés. Desde o primeiro minuto de partida havia uma certeza em todos os cantos do estádio que seria impossível derrotar o Timão nesta tarde. Era o dia da redenção.

Até mesmo o Ceará parecia acuado por esta atmosfera. O time de Lula Pereira não escondeu durante toda a semana que entraria em campo para contra-atacar. E a primeira medida para esta tática funcionar é estabelecer uma boa defesa, que proporcione uma rápida saída de bola. Visivelmente não dava certo. Primeiro porque o Ceará tinha apenas um atacante pesado (Sérgio Alves). Segundo porque o Corinthians não avançava sua marcação, deixando de proporcionar espaços para os cearenses.

Com isso, o Corinthians chegou à vitória sem construir belas trocas de passes. Dois jogadores simbólicos nesta partida protagonizaram os dois tentos. Herrera no primeiro lance, quando dividiu com um zagueiro, caiu no chão, levantou-se, driblou o mesmo zagueiro que o derrubara e chutou na trave. Sua raça, entretanto, foi recompensada pelo rebote no pé esquerdo de Douglas. No segundo gol, Chicão aplicou uma finta na cobrança de falta e se mandou para a área. Cristian cobrou e, no rebote, o zagueiro completou. Tanto Herrera quanto Chicão retornavam ao time neste jogo. O atacante, por contusão e o zagueiro, por suspensão.

Como o Barueri não superou o Paraná na Arena Barueri (o jogo terminou 2 a 1 para os paranaenses), o Corinthians garantiu seu acesso. Mesmo que perca todas as partidas até o fim da competição ficará, na pior das hipóteses, em quarto lugar. A crônica anunciada da queda e ascensão corintianas está completa e não faltarão ingredientes para tal. Ações de marketing, canções do Rei Roberto Carlos e até um documentário intitulado “Fiel” estão sendo preparados.

O Ceará, por sua vez, viu seu remoto sonho de disputar a Série A 2009 ficar mais distante. Existem chances de classificação, mas dez pontos separam o Alvinegro cearense da zona de classificação.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 0 CEARÁ

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 25/10/2008 – às 16h10 (de Brasília)
Árbitro: Maurício Aparecido de Siqueira (MT)
Auxiliares: Luiz Fernando Irineu da Silva (MT) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT)
Público e renda: 32.341 pagantes/R$ 660.445,00
Cartões Amarelos: Fabrício E Marcos Paraná (CEA)
Cartões Vermelhos:
Gols: Douglas, 8’/1ºT, (1-0); Chicão, 3’/2ºT, (2-0)

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, William e André Santos; Cristian, Elias, Morais (W. Saci, 35’/2ºT) e Douglas; Dentinho e Herrera. Técnico: Mano Menezes.

CEARÁ: Adilson, Dedé, Fabrício, Dezinho e Jorge Guerra; Michel, Chicão, Cleisson, Marcos Paraná (Ederson, no intervalo) e Cadu; Sérgio Alves. Técnico: Lula Pereira

outubro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Corinthians está de volta à elite: pode comemorar!

O Corinthians venceu o Ceará por 2 a 0 no Pacaembu e o Barueri perdeu por 2 a 1 para o Paraná. Depois de 328 dias do seu pior momento nos 98 anos de história, o martírio acabou e o Timão está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro.

outubro 25, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Torcedores apresentam modelo de adesivo para campanha ‘Fica, Ronaldo’

Neste sábado entra no ar um site para recolher assinaturas de rubro-negros para convencer o Fenômeno a acertar com o Flamengo.

O grupo de torcedores que organiza a campanha “Fica, Ronaldo” apresentou nesta sexta-feira o adesivo da campanha. Na próxima semana, um carro todo adesivado irá à Gávea com um alto-falante narrando um gol fictício do centroavante pelo Flamengo. Neste sábado entra no ar o site oficial do movimento. Nele haverá uma lista para os torcedores colocarem seus nomes. No fim, o abaixo-assinado será entregue ao jogador, que realiza a fase final de recuperação da cirurgia no joelho esquerdo na Gávea.

outubro 25, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

Obina topa ser Obama: ‘É só me dar o dinheiro dele’

Centroavante do Flamengo gostou da brincadeira que circula na internet

Obina não viu, mas gostou da montagem no estilo Barack Obama. A brincadeira circula na internet e coloca o atacante do Flamengo no lugar do candidato à presidência dos Estados Unidos.

Nesta sexta-feira, festejado pela atuação na goleada por 5 a 0 sobre o Coritiba, o atacante topou a “troca” de função.

– É só me dar o dinheiro dele que eu vou rapidinho – brinca o jogador.

O Flamengo volta a campo na próxima quarta-feira contra o Vitória, em Salvador.

outubro 25, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário