Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Santos goleia Atlético-PR por 4 a 0 na Vila


Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Em noite inspirada, time de Marcio Fernandes faz seu dever em casa e se distancia da zona de rebaixamento

outubro 4, 2008 Posted by | Atlético-PR, Santos | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com dois gols de Keirrison, Coritiba vira sobre o Inter

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.


Equipe paranaense leva a melhor no Couto Pereira e com dois gols de seu principal atacante vence por 4 a 2, em partida com dois gols contra

outubro 4, 2008 Posted by | Coritiba, Internacional | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio faz 2 a 1 no Botafogo e segue colado no Palmeiras

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

O time carioca saiu na frente com Renato Silva, mas os gremistas viraram com Douglas Costa e Réver

outubro 4, 2008 Posted by | Botafogo, Grêmio | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Palmeiras vira sobre o Atlético-MG e segue na ponta do BR

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.


O alviverde saiu perdendo em uma falha da defesa, mas conseguiu virar o jogo com gols de Leandro, Alex Mineiro e Denílson

outubro 4, 2008 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Flamengo bate Náutico por 2 a 0 e fica no G4

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Equipe de Caio Jr. conquista importante vitória no estádio dos Aflitos com gols de Marcelinho Paraíba e Léo Moura.

outubro 4, 2008 Posted by | Flamengo, Náutico | , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo quebra jejum fora de casa ante Ipatinga

Paulistas seguem vivos no Brasileirão. Mineiros estão na zona da degola

Se o futebol ainda não é convincente, o São Paulo ao menos quebrou um incômodo jejum neste sábado. Voltou a vencer fora de casa depois de dois meses e meio ao bater o Ipatinga, por 3 a 1, em Minas Gerais. O São Paulo não ganhava longe do Morumbi desde o jogo contra o Vitória, em 16 de julho, no qual fez o mesmo placar de 3 a 1.

A luta pelo hexacampeonato nacional segue viva. O time chegou a 49 pontos, a quatro dos líderes Palmeiras e Grêmio. Já o Ipatinga não sai da zona de rebaixamento, ainda com 27 pontos.

O volante Jean foi herói e vilão em poucos minutos. No primeiro lance de perigo do Tricolor, o camisa 38 recebeu passe de Borges e finalizou para as redes.

No entanto, o próprio Jean dominou a bola com a mão dentro da própria área e deu um pênalti para o Ipatinga. Adeílson, com tranqüilidade, apenas deslocou Bosco para empatar a partida.

O time mineiro teve chances de virar. Principalmente nos chutes de longe do zagueiro Henrique, que assustaram a defesa são-paulina em duas oportunidades.

Mas o chute de longe que entrou veio do outro lado. Rodrigo, de falta e com surpresa, fez o segundo do Tricolor. Jorge Wagner ajeitava a bola quando o zagueiro apareceu com uma bomba.

Com o jogo sob controle, o São Paulo fez questão de esfriar o segundo tempo. O técnico Muricy Ramalho mal saía do banco de reservas e o time chegou a mostrar apatia. Ânimo mesmo, só aos 32 minutos, quando Hernanes sofreu pênalti e Jorge Wagner converteu para garantir a vitória. Apesar das esperanças de título, é notório que o São Paulo ainda está longe de mostrar seu melhor futebol.

Na próxima rodada, o Ipatinga enfrentará o Cruzeiro, na quinta-feira, às 20h30 (de Brasília). Já o São Paulo receberá o Náutico no Morumbi, na mesma data.

FICHA TÉCNICA:
IPATINGA 1 X 3 SÃO PAULO

Estádio: Ipatingão, Ipatinga (MG)
Data/hora: 4/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Moisés Aparecido de Souza (PR) e José Carlos Dias Passos (PR)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Henrique (IPA); Zé Luis, Bosco, Rodrigo (SAO)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Jean, 4’/1ºT (0-1); Adeílson, 15’/1ºT (1-1); Rodrigo, 39’/1ºT (1-2); Jorge Wagner, 32’/2ºT (1-3)

IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel, Henrique, Gian e Rodriguinho (Kempes, 28’/2ºT); Augusto Recife (Pablo, 21’/2ºT), Xaves, Leandro Salino e Luciano Mandi (Gilsinho, intervalo); Adeílson e Ferreira. Técnico: Márcio Bittencourt.

SÃO PAULO: Bosco, Rodrigo (Aislan, 25’/2ºT), Miranda e André Dias; Joilson, Jean, Zé Luis, Hernanes e Jorge Wagner; Hugo (Éder Luis, 42’/2ºT) e Borges (André Lima, 32’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

outubro 4, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Verdão bate o Galo e mantém a liderança

Em dia de festa no Palestra Itália, Palmeiras faz 3 a 1 em cima do Atlético-MG e mantém de pé o sonho do pentacampeonato

No Palestra Itália, o Atlético Mineiro até começou bem, abriu o placar, mas o Galo acabou cozido pelo Palmeiras. Em mais um dia de festa em casa, o Verdão se manteve na liderança do Brasileirão ao vencer por 3 a 1 , neste sábado. Nem o triunfo do Grêmio diminuiu a festa dos palmeirenses, que lotaram o estádio.

A história de 2007, para alegria dos torcedores do Verdão, não se repetiu. No ano passado, o Palmeiras entrou em campo como favorito, mas deixou escapar a chance de jogar a Libertadores-2008 ao perder em casa para o Atlético-MG na última rodada do Campeonato Brasileiro. Esse ano, o Verdão não decepcionou.

Mesmo com o Atlético-MG jogando com três volantes, o Verdão teve espaço para atacar com facilidade. Só que a retranca do Galo impediu que o Palmeiras entrasse na área.

Diego Souza, bem marcado no lado direito e Alex Mineiro, longe da área, pouco produziram. Justamente os dois jogadores que estão ainda mais embalados no segundo turno do Brasileirão: dos 11 gols marcados pelo Palmeiras, nesta segunda etapa do torneio, eles foram responsáveis por nove.

Apesar de dominado, os mineiros abriram o placar. Em falha do zagueiro Maurício, Renan Oliveira apareceu para abrir o marcador no Palestra. Depois de seis partidas invictas, a defesa palmeirense sofreu o gol que poderia tirar a liderança no torneio.

Quem aliviou a tensão do Palmeiras foi Leandro, o garçom do time. O camisa 6 aproveitou os desfalques do Galo, que estava apenas com nove jogadores em campo – Marques havia sido expulso infantilmente e Serginho estava sendo atendido fora de campo – e chutou a bola com força, após belo passe de Alex Mineiro. Belo presente para a partida de número 100 do lateral.

Na segunda etapa, o técnico Vanderlei Luxemburgo colocou em campo um Palmeiras mais ofensivo. Martinez, que quase não teve chance de sair com a bola, foi substituído por Léo Lima e Pierre, por Evandro. A reação surtiu efeito, pois Léo Lima teve duas oportunidades claras de aumentar o placar para o Verdão.

O quadro do jogo mudou completamente. O Palmeiras começou a pressionar muito mais e o Atlético-MG ficou tão tímido que pouco aproveitava os contra-ataques. Aos poucos, o Verdão ia cozinhando o Galo no alçapão do Palestra Itália.

Luxa queria mais. Tirou Elder Granja e arriscou com Denilson. Mais uma vez, o técnico acertou. Foi justamente o camisa 19 o principal responsável pela virada, ao fazer boa jogada do lado esquerdo e cruzar no peito de Alex Mineiro, que dominou e fuzilou Juninho. A torcida pôde, enfim, respirar com tranqüilidade.

Denilson estava inspirado. O camisa 19 entrou realmente para botar fogo no caldeirão do Palestra Itália. Depois de chute forte de Kléber, o atacante aproveitou o rebote e fez o seu (merecido) gol: 3 a 1!

O Palmeiras continua líder do Campeonato Brasileiro, com os mesmos 53 pontos do Tricolor Gaúcho, mas com a vantagem no primeiro critério de desempate, que é o número de vitórias (16 a 15). O Atlético-MG continua em 12º, com 34 pontos.

Na próxima rodada, o Palmeiras enfrenta o Figueirense, no Orlando Scarpelli, quarta-feira. Já o Galo pega o Flamengo, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X ATLÉTICO-MG
Local: Palestra Itália (SP)
Data/hora: 4/10/2008 às 16h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Flávio Gilberto Kanitz (GO) e João Patrício de Araújo (GO)
Renda/público: 713.510/ 25.399
Cartões amarelos: Alex Mineiro (PAL); Sheslon, Marques (CAM)
Cartões vermelhos: Marques, 37’/1ºT (CAM)
GOLS: Renan, 31’/1ºT (1-0); Leandro, 43’/1ºT (1-1); Alex Mineiro, 17’/2ºT (2-1); Denilson, 33’/2ºT ( 3-1)

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Maurício, Martinez(Léo Lima); Elder Granja (Denilson), Sandro Silva, Diego Souza, Pierre(Evandro), Leandro; Kleber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

ATLÉTICO-MG: Juninho; Sheslon, Marcos, Leandro Almeida e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Elton (Denilson) e Renan Oliveira; Marques e Jael (Castillo). Técnico: Marcelo Oliveira.

outubro 4, 2008 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | , , , , | Deixe um comentário

Tropeço não muda nada para o Timão

Empate com o Marília mantém Corinthians folgado na liderança

O empate com o Marília antepenúltimo colocado da Série B não estava no plano do Corinthians na tarde deste sábado em Londrina. A igualdade em 1 a 1, com gol de Fábio Ferreira e Altair, entretanto, não afeta em nada a caminhada do Timão rumo à Série A do Brasileirão. O resultado, se não era o que a Fiel esperava, não mudou em nada a situação do Corinthians.

O resultado no Estádio do Café impediu o Corinthians de abrir a maior vantagem para o quinto colocado. Porém, a diferença para o Barueri aumentou em um ponto, chegou a 15, e com mais 27 pontos em disputa, apenas uma catástrofe, de dimensão muito maior a que levou o Timão à Segundona poderá tirar a vaga do Alvinegro.

Uma forte chuva de granizo castigou o Estádio do Café minutos antes da partida, o que causou um atraso no apito inicial e castigou ainda mais o gramado, que estava mais para um pasto do que para campo de futebol.

A água, entretanto, não esfriou o Corinthians, que apoiado por cerca de 30 mil torcedores começou em cima do Marília, sem dar espaços para o rival. Com domínio territorial evidente, o gol era questão de tempo. E ele saiu aos 13 minutos, envolvendo dois jogadores que entraram no time neste sábado. O estreante Diogo cobrou falta da direita e Fábio Ferreira, que substituiu o zagueiro-artilheiro Chicão, completou de cabeça para a rede.

Depois de abrir o marcador, o Timão deu uma relaxada e perdeu a chance de chegar a uma goleada ainda na primeira etapa. Era só forçar o ritmo, como aconteceu aos 32 minutos, quando Douglas carimbou a trave de Alencar após uma bela trama do ataque. A preguiça, entretanto, parece ter contaminado o Corinthians no final da primeira etapa, o que permitiu o crescimento do Marília.

Abusando dos chutes de longa distância, o Tigre deu muito trabalho a Felipe, que rebateu a maioria das bolas, muitas delas fáceis de serem defendidas, mas que conseguiu evitar o gol de Altair em uma finalização à queima-roupa. A bola ainda explodiu no travessão.

O susto sofrido no fim da etapa inicial não despertou o Corinthians, que continuou sonolento em campo e com pouca criatividade. O resultado foi o empate aos 17 minutos. Em uma falha da zaga, mais uma vez em bola área, como já havia acontecido contra o São Caetano, Altair apareceu na pequena área para tocar para o gol.

Com o time um pouco perdido em campo, a torcida tentou na base do incentivo levar o Corinthians à vitória e começou a apoiar os jogadores a 15 minutos do final. Porém, nem isso foi capaz de conduzir o Timão a sua 19ª vitória na Série B. Pela ousadia do Marília, os corintianos devem comemorar o empate.

No próximo sábado, o Corinthians enfrenta o Santo André, no Pacaembu, para consolidar ainda mais a liderança. Já o Marília segue seu calvário e enfrenta o São Caetano, no Anacleto Campanella, na terça-feira.
FICHA TÉCNICA:
MARÍLIA 1 X 1 CORINTHIANS
Estádio do Café, Londrina (PR)
Data/hora: 4/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP)
Auxiliares: Gílson Bento Coutinho (PR) e Marcos Rogério da Silva (PR)
Renda/público: R$ 769.460,00/ 28.875 pagantes
Cartões amarelos: Chiquinho, Diego, Betinho, Bruno Ribeiro, Fernando Moura (MAR); Elias, Fábio Ferreira (COR)
Cartões vermelhos:
GOLS: Fábio Ferreira, 13’/1ºT (0-1); Altair, 17’/2ºT (1-1)

MARÍLIA: Alencar, Chiquinho, Fernando, Flávio e Fernando Moura; João Marcos, Diego (Bruno Ribeiro, 9’/2ºT), João Vitor e Altair; Ricardinho Furacão (Marcinho, 38’/2ºT) e Felipe Adão (Betinho, 7’/1ºT). Técnico: Gil Alves

CORINTHIANS: Felipe, Diogo (Carlos Alberto, 20’/2ºT), Fábio Ferreira, William e André santos; Cristian, Elias, Douglas e Morais (Lulinha, 25’/2ºT); Dentinho (Otacílio Neto, 23’/2ºT) e Herrera.Técnico: Mano Menezes

outubro 4, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Flamengo vence Náutico e se mantém no G4

Rubro-Negro chega a 49 pontos, mas segue com uma vitória a menos que o Cruzeiro

O Flamengo confirmou neste sábado o seu bom momento no Campeonato Brasileiro – perdeu apenas um dos últimos dez jogos. Venceu por 2 a 0 o Náutico, com gols de Marcelinho Paraíba e de Leonardo Moura, nos Aflitos, em Recife (PE), em jogo válido pela 28ª rodada.

Com o resultado, além de se manter no G4 – ultrapassou o São Paulo com os mesmos 49 pontos -, o Rubro-Negro Carioca segue a uma vitória do Cruzeiro, terceiro colocado (são 15 contra 14). O clube pernambucano, por sua vez, cai para a 14ª posição com 30 pontos e aproxima-se da zona de rebaixamento.

O JOGO

Desde o início o Flamengo mostrou-se superior e dominou o meio-de-campo. Tanto que não demorou para abrir o placar. Após belo toque de Marcelinho Paraíba, Vandinho foi derrubado dentro da área pelo goleiro Eduardo. Marcelinho Paraíba cobrou o pênalti com força e balançou a rede, aos 16 minutos. Este foi o quarto gol do camisa 11 rubro-negro no campeonato.

Apesar da péssima condição do gramado dos Aflitos, o domínio da equipe carioca – mais técnica – seguiu até a metade do primeiro tempo, quando o Náutico começou a assustar o goleiro Bruno. Mesmo assim, o Rubro-Negro soube administrar o jogo e sair nos contra-ataques, criando as oportunidades mais claras para ampliar a vantagem. Aos 40, Vandinho ganhou a disputa de bola com Hamilton na área, mas Eduardo salvou o Náutico de levar o segundo gol.

No intervalo da partida, Caio Júnior elogiou a postura dos seus jogadores.

– Mesmo com o gramado pesado a equipe esteve bem no primeiro tempo e dominamos o meio-campo – destacou o técnico.

Tendo de atacar a qualquer custo, o técnico Roberto Fernandes promoveu duas substituições no intervalo: Felipe e Derley entraram nos lugares de Kuki e Valdeir, respectivamente. E o Timbu foi para cima na tentativa de fazer o gol de empate,

Apostando nos contra-ataques para decidir o jogo e frear o ímpeto dos pernambucanos, o técnico Caio Júnior mexeu no meio-de-campo da equipe, além de colocar Obina no lugar de Marcalinho Paraíba.

Quando o Náutico igualava as ações, Leonardo Moura, aos 41 minutos, desferiu um chute preciso no ângulo do goleiro Eduardo e deu números finais à partida. Ainda deu tempo para o Náutico perder um pênalti aos 46 minutos, com Felipe.

A equipe carioca volta a campo no próximo sábado, contra o Atlético-MG no Maracanã, às 18h20 (de Brasília). O Timbu joga na quinta-feira contra o São Paulo, às 20h30, no Morumbi.

NÁUTICO 0 X 2 FLAMENGO

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 04/10/2008 – 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes (Fifa-SP)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN)

Renda/público: R$ 130.345,00 / 18.001 pagantes
Cartões amarelos: Eduardo, Valdeir, Clodoaldo, Vagner (NAU), Juan, Bruno, Vandinho e Fábio Luciano (FLA)
GOLS: Marcelinho Paraíba, 16’/1ºT (0-1) e Leonardo Moura, 41’/2ºT (0-2)

NÁUTICO: Eduardo, Ruy, Vágner, Everaldo e Alessandro; Hamilton, Paulo Santos (William, 15’/2ºT), Adriano e Valdeir (Derley, intervalo); Clodoaldo e Kuki (Felipe, intervalo). Técnico: Roberto Fernandes.

FLAMENGO: Bruno, Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan, Jaílton, Toró (Aírton, 24’/2ºT), Kleberson (Fierro, 33’/2ºT) e Ibson; Marcelinho Paraíba (Obina, 22’/2ºT) e Vandinho. Técnico: Caio Júnior.

outubro 4, 2008 Posted by | Flamengo, Náutico | , , , , | Deixe um comentário

Santos marca no início e se afasta da Série B

Com gols estrangeiros, alvinegro faz seu papel em casa contra o Furacão

Com gols relâmpagos e destaques estrangeiros, o Santos venceu o Atlético-PR por 4 a 0 e definitivamente viu a zona de rebaixamento distante, ao contrário do rival. Com gols de Cuevas, Molina, Fabiano Eller e um polêmico de Kleber Pereira, o alvinegro já está a seis pontos da degola, enquanto os paranaense seguem com apenas um de vantagem.

O torcedor santista voltou a ver sua equipe usar a Vila Belmiro como mais sabe: pressionando desde o início. E logo no primeiro minuto, o placar já não estava em branco. A bola caiu nos pés de Cuevas fora da área, que arrematou forte e de primeira para colocar o Santos na frente.

O Atlético, que perdera o capitão Rodolpho por contusão logo no começo, teve duas chances claras para igualar o marcador, mas falhou nas finalizações. A pressão chegou a intimidar o Santos, mas por pouco tempo.

Aos 33, outro estrangeiro, o colombiano Molina, bateu falta cruzada, ninguém desviou e a bola morreu na rede de Galatto, para fechar o placar no primeiro tempo.

Na etapa complementar, o primeiro minuto também foi movimentado, e polêmico. O lateral Kleber invadiu a área, mas ao tentar a finalização, chutou o ar sem encostar na bola e o árbitro marcou pênalti inexistente de Renan. Aí quem foi para a bola é Kleber Pereira, que não perdeu o costume e deixou o seu mais uma vez. A cobrança teve invasão de área santista, não observada pelo juiz.

A superioridade do Santos era clara e não demorou muito para sair o quarto e a transformar a vitória em goleada. Desta vez foi Fabiano Eller, que subiu mais alto na área e tocou de cabeça no canto esquerdo.

O Santos passou a administrar o resultado contra um Atlético precipitado. A vantagem permitiu ao técnico Márcio Fernandes promover a volta de Adriano no meio de campo e a estréia de Reginaldo do ataque, que mantiveram o placar até o final

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 4 X 0 ATLÉTICO-PR

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 4/10/2008 – 18h10min (de Brasília)
Árbitro:Djalma José Beltrami Teixeira (Fifa-RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Marco Aurélio dos Santos Peçanha (RJ)
Renda/público: R$111.021,00 / 10.053 pagantes

Gols: Cuevas, 1’/1ºT (1-0), Molina, 33’/1ºT (2-0), Kléber Pereira, 2’/ 2ºT (3-0), Fabiano Eller, 23’/2ºT (4-0)
Cartões amarelos: Cuevas e Wendel (Santos); Gustavo, Ferreira, Kelly e Valencia (Atlético-PR)

SANTOS: Douglas, Wendel, Domingos, Fabiano Eller e Kleber; Roberto Brum, Rodrigo Souto (Adriano, 30’/2ºT), Bida e Molina (Pará, 19’/2ºT); Cuevas (Reginaldo, 37’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes.

ATLÉTICO-PR: Galatto, Danilo, Antônio Carlos e Rhodolfo (Gustavo, 11’/1ºT) (Júlio dos Santos, 31’/2ºT); Renan, Chico, Valencia, Kelly e Márcio Azevedo; Ferreira e Pedro Oldoni (Joãozinho, 15’/2ºT). Técnico Geninho.

outubro 4, 2008 Posted by | Atlético-PR, Santos | , , | Deixe um comentário

Em jogo de seis gols, Coritiba vence o Inter

Partida contou com três gols contras; dois para Coxa um para Colorado

Num grande jogo, apesar do gramado muito molhado, o Coritiba derrotou o Internacional por 4 a 2 nesse sábado, no Couto Pereira, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida contou com o fato inusitado de que dos seis gols marcados, três foram contras, sendo dois para os donos da casa e um para os visitantes.

Com o resultado, o Coxa chegou aos 44 pontos e subiu para a sexta colocação na tabela, enquanto o Internacional permanece com 42, no 10º lugar. Na próxima rodada o Coritiba enfrenta a Portuguesa, sábado, às 18h20min. No mesmo dia e horário, o Inter joga contra o Goiás, no Serra Dourada.

Devido à forte chuva que caiu o dia todo em Curitiba, o gramado estava enxarcado, atrapalhando as jogadas dos dois times. A solução foi partir para as jogadas aéreas. E foi através de um lançamento que o Inter abriu o placar, aos nove minutos. Ricardo Lopes recebeu pela direita, invadiu a área e cruzou. A bola bateu em Maurício e parou no fundo do gol.

Na frente, o Colorado continuou melhor em campo, buscando o segundo gol. Porém, em uma infelicidade de Clêmer, o Coritiba conseguiu o empate, aos 15. Ricardinho cruzou pela esquerda e o goleiro do Inter foi fazer a defesa em dois tempos, mas quando a bola foi quicar no chão, ela bateu no pé de Índio e rolou para dentro do gol.

Com o empate, o jogo esfriou. As várias poças no campo impediam a bola de rolar. Sem conseguir chegar na área adversária, os dois clubes arriscavam muitos chutes de longa distância, principalmente com Carlinhos Paraíba, pelo Coxa, e com Alex e Nilmar, pelo Internacional.

No segundo tempo, o Coritiba voltou determinado a buscar a virada. Apesar de não chutar muito a gol, a equipe tinha maior domínio da bola e praticamente não voltava ao seu setor defensivo. Mas não demorou muito para que os donos da casa conseguissem o gol. Aos sete, Ariel tocou para Keirrison, que estava entrando na área. O artilheiro teve calma e chutou no canto, na saída de Clêmer.

E a virada desinibiu o Coritiba, que em quatro minutos marcou mais dois gols. Primeiro aos 19. Após cobrança de escanteio, Maurício tocou na bola, que foi desviada por Sandro e entrou no canto. A torcida ainda comemorava quando aos 22 Marlos cruzou pela direita para Keirrison, que cabeceou, mas Clêmer espalmou. No rebote, o K-9 chutou forte para marcar o quarto.

Porém, quando uma goleada parecia que ia ser desenhada, o Internacional conseguiu uma rápida reabilitação, dois minutos depois. D’Alessandro cobrou escanteio e Maurício tentou tirar de cabeça, mas acertou o travessão. A bola sobrou para Nilmar, de cabeça, empurrar para o fundo das redes.

Mas a reação parou por aí e os donos da casa continuavam melhor e quase ampliaram no final. Depois de cobrança de escanteio, a zaga do Inter falhou e a bola sobrou para Felipe. O zagueiro chutou cruzado e a bola ia entrar, mas Ariel, impedido, cabeceou e acertou o travessão, deixando o placar final em 4 a 2.

FICHA TÉCNICA:

CORITIBA 4 X 2 INTERNACIONAL

Local: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data e hora: 4 de outubro, às 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Helberth Costa Andrade (MG) e Jair Albano Felix (MG)
Público/Renda: 15.546/R$ 222.425,00
Cartões Amarelos: Rodrigo Mancha, Mauricio, Marcos Tamandaré, Alex Silva (CBA); D’Alessandro, Gustavo Nery, Sandro (INT)
Cartões Vermelhos:
GOLS: Maurício (contra), 9’/1ºT (0-1); Índio (contra), 15’/1ºT (1-1); Keirrison, 7’/2ºT (2-1); Sandro (contra), 19’/2ºT (3-1), Keirrison, 22’/2ºT (4-1); Nilmar, 24’/2ºT (4-2);

CORITIBA: Vanderlei, Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Marcos Tamandaré (Alex Silva, 37’/2ºT), Alê, Leandro Donizete, Carlinhos Paraíba e Ricardinho (Marlos, 12’/2ºT); Keirrison (Tiago Bernardi, 42’/2ºT) e Ariel. Técnico: Dorival Júnior.

INTERNACIONAL: Clêmer, Ricardo Lopes, Indio, Bolívar e Gustavo Nery (Marcão); Sandro, Magrão, D’Alessandro (Daniel Carvalho, 39’/2ºT) e Taison (Adriano, 21’/2ºT); Alex e Nilmar. Técnico: Tite.

outubro 4, 2008 Posted by | Coritiba, Internacional | , , , , | Deixe um comentário

Grêmio derrota o Botafogo e segue na briga

Revés de virada complica de vez o time de Ney Franco na competição

O Botafogo bem que tentou, mas o Grêmio provou sua força no Olímpico, mesmo desfalcado, venceu de virada por 2 a 1, neste sábado, e manteve-se firme na briga pelo título. Renato Silva abriu o placar, mas Douglas Costa e Réver, já na segunda etapa, garantiram o triunfo do Tricolor, que não vencia há mais de um mês.

Desde o início, o Grêmio mostrou-se ligeiramente superior, embora o Botafogo, por conta de seu toque de bola refinado, aparecesse com mais posse em certos momentos. De qualquer forma, a partida parecia estar à feição dos alvinegros, que encontravam espaços para atacar com o trio do lado direito, formado por Alessandro/Diguinho/Carlos Alberto.

A ríspida marcação dos gremistas, porém, gerava diversas discussões entre os jogadores, uma espécie de prenúncio do que viria a acontecer. Isso fazia com que o jogo tivesse pouca bola no chão, vários passes errados, além de muitas faltas marcadas pelo árbitro Heber Roberto Lopes, um dos personagens negativos do primeiro tempo.

A esperanças alvinegras aumentaram quando, em ótima cobrança de falta de Lucio Flavio, aos 30, Jorge Henrique, em condição legal, desviou de cabeça, Victor espalmou e Renato Silva, quase na linha do gol, abriu o placar. Com a vitória parcial, o Botafogo voltava ao G4 e se aproximava da liderança, já que o Palmeiras também perdia seu jogo.

A vantagem, no entanto, durou somente três minutos. O jovem estreante Douglas Costa aproveitou rebote e, de fora da área, emendou de canhota. A bola ainda bateu em Andre Luis no caminho, o que enganou Castillo. A quilômetros dali, a equipe alviverde também igualava seu jogo.

Os 45 minutos iniciais ainda reservavam um lance curioso. De tanto bater, o zagueiro Léo foi expulso, logo após a agressão derradeira sobre Jorge Henrique. O que não se esperava era que a vítima também recebesse o cartão vermelho. O árbitro, porém, se recusou a explicar de que maneira interpretou o lance.

No intervalo, Ney Franco, ao perceber que era possível acuar o Grêmio, desmontou o esquema cauteloso e tirou Leandro Guerreiro para a entrada de Zárate, que recebia nova oportunidade após mais de um mês. Castillo, que de um mau jeito nas costas, deu lugar, novamente, a Renan.

O Botafogo até esteve melhor durante os primeiros minutos. Não demorou, porém, para que o Tricolor Gaúcho, empurrado por sua torcida, que encheu o Olímpico, tomasse as rédeas da partida. Como podia, Renan evitava as investidas do adversário, mas não pôde impedir a cabeçada de Réver, aos 18.

Em desvantagem, Ney lançou Gil no lugar de Triguinho, o que, como já se tornou costume, não alterou em nada o panorama do jogo, dada a inoperância do atacante. Até Zárate, que nos primeiros momentos tocou algumas vezes na bola, desapareceu.

Apesar da vontade do Botafogo, que, mesmo de forma desorganizada, permaneceu em busca do empate até o fim, o Grêmio manteve-se tranqüilo e segurou o resultado até o fim da partida, que lhe rendeu a manutenção da segunda posição. Já o Glorioso teve de se contentar com o oitavo lugar.

Na próxima partida, o Grêmio encara o Santos, no Olímpico, quarta-feira, enquanto o Botafogo recebe o Vitória, quinta, no Engenhão.
FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 2 X 1 BOTAFOGO

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 04/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Ivo Carlos Bohnm (PR) e Carlos Berckenbrock
Renda/público: R$ 631.375 / 33.740 pagantes
Cartões amarelos: William Magrão e Morales (GRE); Triguinho, Carlos Alberto e Zárate (BOT)
Cartões vermelhos: Léo (44’/1ºT) e Jorge Henrique (44’/1ºT)
GOLS: Renato Silva, 30’/1ºT (0-1); Douglas Costa, 32’/1ºT (1-1); Réver, 18’/2ºT (2-1)

GRÊMIO: Victor; Leo, Réver e Thiego; Felipe Mattioni, Rafael Carioca, William Magrão, Douglas Costa (Makelele, 24’/2ºT) e Hélder; Soares (Marcel, 35’/2ºT) e Richard Morales (Reinaldo, 31’/2ºT) – Técnico: Celso Roth

BOTAFOGO: Castillo (Renan, intervalo), Alessandro, Renato Silva, Andre Luis e Triguinho (Gil, 22’/2ºT); Leandro Guerreiro (Zárate, intervalo), Túlio, Diguinho e Lucio Flavio; Carlos Alberto e Wellington Paulista – Técnico: Ney Franco

outubro 4, 2008 Posted by | Botafogo, Grêmio | , , , | Deixe um comentário

Galatto reforça o Furacão contra o Santos, na Vila

Recuperado de uma pancada na cabeça, goleiro volta ao time titular

Para encarar o Santos, do artilheiro Kléber Pereira, neste sábado, às 18h20 (de Brasília), na Vila Belimiro, o Atlético Paranaense terá um importante reforço. Recuperado de uma pancada na cabeça que sofreu no clássico contra o Coritiba no último domingo, o goleiro Galatto, destaque da equipe na competição, está confirmado na meta rubro-negra no lugar de Vinícius.

– Estou me sentindo muito bem. As dores no pescoço já passaram e os pontos estão bem cicatrizados. O importante é que estou bem motivado para entrar em campo e ajudar o Atlético Paranaense a sair desta situação incomoda que estamos – disse, pedindo muito atenção com o atacante Kléber Pereira:

– Temos que jogar da mesma forma de sempre, com muita atenção, falando muito e reduzindo os espaços. É um grande jogador que pode decidir, mas não podemos nos preocupar apenas com ele, já que o Santos tem outros bons jogadores – completou em entrevista ao site oficial do clube.

outubro 4, 2008 Posted by | Atlético-PR | , , , , , , , | Deixe um comentário

Peixe aposta no retrospecto contra o Furacão

Peixe nunca foi derrotado pelo Furacão na Vila na era dos pontos corridos

Dia 8 de setembro de 2004. Santos e Atlético Paranaense se enfrentam na Vila Belmiro. Na época, as duas equipes – consideradas as melhores do Brasil – brigavam ponto a ponto pela liderança do Campeonato Brasileiro. Naquela oportunidade, houve um empate por 1 a 1.

Neste sábado, às 18h20, as duas equipes voltam a se enfrentar na Vila Belmiro. Mas, diferentemente de quatro anos atrás, não chegam nem perto de lutar pelas primeiras colocações. A briga, agora, é para ver quem se livra do rebaixamento.

Se relembrar o passado faz o Santos lamentar a situação vivida nos dias atuais, ao menos remete que o favoritismo na partida deste sábado será gigantesco. Na era de pontos corridos, em cinco partidas como mandante, o Alvinegro não perdeu para o Furacão. Foram quatro vitórias e um empate.

– Temos de chegar no jogo com a maior atenção do mundo para que os números do confronto continuem assim – disse o goleiro Douglas.

Não bastasse o retrospecto do time paranaense dentro da Vila Belmiro nos últimos tempos, neste Brasileirão, a equipe é a que possui a terceira pior média de pontos fora de casa. Conquistou apenas uma vitória em 13 partidas disputadas.

A atenção para o jogo deve ser redobrada. Na rodada anterior, o Peixe empatou com a Portuguesa, que tem campanha inferior ao do Atlético Paranaense jogando fora de seus domínios. Alerta que já foi bem assimilado por todo o elenco santista.

– Independentemente se é o Atlético ou outro time mais bem colocado, temos sempre de estar preparados para jogos difíceis. Nós é que podemos tornar as partidas fáceis – frisou Douglas, que será titular.

Se o time dentro de campo ainda deixa dúvidas, a torcida pode se apoiar nos números para ficar um pouco mais esperançosa.

outubro 4, 2008 Posted by | Santos | , , | Deixe um comentário

Luxa entende que está sendo perserguido por parte da imprensa e ameaça se calar

Treinador afirma que estão distorcendo as suas entrevistas e afirma que está propenso a diminuir, cada vez mais, as coletivas concedidas no Verdão.

O Palmeiras não tem problemas dentro de campo. Líder do Campeonato Brasileiro, a equipe só depende do seu próprio futebol para conquistar o título. Animado com o sucesso do Verdão, Vanderlei Luxemburgo pode contar com o elenco completo na partida contra o Atlético-MG, neste sábado, às 16h, no Palestra Itália. Porém, o treinador está insatisfeito com o que considera perserguição e distorção de notícias que, segundo ele,  estão sendo feitas por parte da imprensa esportiva a seu respeito. Mas, apesar de fazer um breve desabafo, nesta sexta-feira, na Academia de Futebol, Luxa não citou os nomes dos veículos que estariam divulgando notícias inverídicas.

O que deixou Luxemburgo chateado foi a entrevista concedida na Rádio Globo, na última terça-feira, no estúdio Osmar Santos, localizado na sede do jornal Diário de São Paulo. Na oportunidade, o treinador do Palmeiras afirmou que era bom mesmo no seu trabalho, que se ganhasse de Camarões seria campeão, em Sidney, nas Olimpíadas de 2000, e que se fosse o treinador da seleção brasileira na Copa de 2002 também faturaria o título.

– Distorceram o que eu falei. Vários veículos de comunicação usaram algumas partes das minhas frases para darem a interpretação que quiseram. É por isso que estou avaliando se vale a pena dar entrevista exclusiva. Estou falando uma vez por semana no Palmeiras e diminuindo o contato com a imprensa para evitar esse tipo de problema – afirma Luxemburgo.

O treinador do Palmeiras comentou com alguns jornalistas que levaram para Muricy Ramalho, treinador do São Paulo, uma versão muito diferente da sua entrevista na Rádio Glogo. Luxemburgo acredita que tentaram criar um clima ruim entre eles, talvez por causa da proximidade do clássico entre os dois clubes, no próximo dia 19, no Palestra Itália, pelo Campeonato Brasileiro.

– O Muricy foi esperto e não caiu na armação de parte da imprensa. Mas quiseram jogar um contra o outro. Eu falei que sou bom mesmo e disse que estou preparado para assumir a seleção. Mas quando o cargo estiver vago e não agora que o Dunga está no comando – ressalta o treinador do Verdão.

Apesar de continuar contrariado com alguns setores da imprensa e admitir que está propenso a diminuir as entrevistas coletivas, Luxemburgo abriu um sorriso ao comentar a ascensão do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. Em sua avaliação, o clima na equipe está ótimo.

– E muito melhor trabalhar com o ambiente descontraído. O título brasileiro só depende de nós. Cabe ao Palmeiras fazer a sua parte e vencer os seus jogos – avisa Luxemburgo.

outubro 4, 2008 Posted by | Palmeiras | , , , , , , , | Deixe um comentário

Com recepção recorde, delegação do Timão chega a Londrina

Mais de 400 torcedores foram ver o desembarque da equipe alvinegra, nesta sexta-feira, no norte do Paraná

O Corinthians está em casa na cidade de Londrina, onde enfrenta o Marília, neste sábado. Com atraso de mais de uma hora, a delegação desembarcou na cidade paranaense, no iníco da noite desta sexta-feira, recepcionado por mais de 400 torcedores, recorde entre todas as partidas que a equipe fez longe de São Paulo na Série B do Campeonato Brasileiro.

A delegação tinha previsão de chegar ao Paraná por volta das 17h. No entanto, o grupo apontou no saguão do aeroporto por volta das 18h15 para delírio dos torcedores presentes, todos municiados com máquinas fotográficas e até um batuque organizado por uma das facções ligadas ao clube.

Para evitar um tumulto ainda maior, os jogadores foram instruídos a passar juntos pela torcida. Assim, poucos autógrafos foram dados. O mesmo aconteceu com as entrevistas. O atacante Dentinho está com amigdalite, mas, em poucas palavras, garantiu estar preparado para jogar.

– Estou bem. Está tudo bem.

Do aeroporto, a delegação alvinegra seguiu para um hotel na região central da cidade. O time deixa a concentração às 14h de sábado e segue para o estádio do Café. O retorno para São Paulo está marcado para logo depois do confronto contra o Marília, às 16h. O PORTAL FUTEBOL acompanha em Tempo Real, e a TV Globo-SP transmite a partida ao vivo para a capital paulista.

outubro 4, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Roberto Cavalo não consegue explicar a goleada e é demitido no vestiário

Time perdeu por 5 a 1 para o ABC, no Frasqueirão. Ferdinando Teixeira está cotado para assumir o comando do Esquadrão de Aço

Irreconhecível. É desta forma que o Bahia se comportou diante do ABC, nesta sexta-feira, no Frasqueirão, pela 29ª rodada da Série B. O Tricolor sofreu uma goleada por 5 a 1, e o técnico Roberto Cavalo, que foi demitido no vestiário, tentou explicar o ocorrido em Natal:

– Eu sei o quanto está doído o coração do torcedor do Bahia neste momento. O meu também está assim. O Bahia esteve irreconhecível. O ABC nem fez tanta força para marcar os cinco gols, jogou ao natural, à vontade. O nosso esquema de marcação não existiu. Fizemos até um gol, mas na seqüência sofremos outros. Gostaria que vocês da imprensa escutassem os jogadores. Perder um jogo é normal, mas não desta maneira – lamenta.

De acordo com informações da Rádio Sociedade, de Salvador, Ferdinando Teixeira, ex-treinado do ABC, é um dos cotados para assumir o comando do time.

outubro 4, 2008 Posted by | Bahia | , , , | Deixe um comentário