Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

VIDEO Melhores momentos do empate entre Palmeiras e Náutico

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “VIDEO Melhores momentos do empate ent…“, posted with vodpod

setembro 28, 2008 Posted by | Náutico, Palmeiras | , , , , , , | Deixe um comentário

VIDEO – Para Muricy Ramalho, título brasileiro ainda está aberto

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Segundo o treinador do São Paulo, as primeiras colocações da tabela ainda estão muito emboladas para se definir favoritos

setembro 28, 2008 Posted by | São Paulo | , , , , , | Deixe um comentário

VIDEO – Internacional goleia e tira rival Grêmio da liderança

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Com o placar todo construído no primeiro tempo, o Internacional goleou o rival Grêmio, em partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em queda, o tricolor gaúcho deixou escapar a liderança da competição.

setembro 28, 2008 Posted by | Grêmio, Internacional | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Empate nos Aflitos e ponta no Brasileirão!

Náutico e Palmeiras ficam na igualdade em Recife. Derrota do Grêmio deixa o Verdão na liderança do Nacional

Náutico e Palmeiras fizeram um jogo mais disputado do que bem jogado. Nos Aflitos, o bom futebol ficou em segundo plano. A palavra de ordem era mesmo marcação. Resultado: empate em 0 a 0. O Náutico fica no 13º lugar, com 30 pontos. Com a derrota do Grêmio por 4 a 1, diante do Internacional, o Palmeiras iguala os 50 pontos dos gaúchos e assume a liderança da competição nos critérios de desempate. O Alviverde possui 15 vitórias, contra 14 dos tricolores.

O Náutico entrou disposto a consolidar-se na zona de clasificação para a Copa Sul-Americana. Sabendo que não poderia tropeçar em casa, com estádio cheio, o Timbu procurou anular as principais armas de ataque do adversário. Pouco se ouviu falar do artilheiro Alex Mineiro, que esteve muito bem marcado pelo trio defensivo do time.

Valendo a liderança do campeonato, o Palmeiras encarou a partida como uma decisão onde só um resultado era válido: o triunfo verde! Com o objetivo traçado, o Alviverde buscou atalhos para chegar ao gol do Timbu. Foi aí que o time encontrou dificuldades. Além de lutar contra a boa marcação do adversário, o Palmeiras teve de se acostumar ao péssimo gramado do estádio dos Aflitos, que em condições precárias, prejudicou a plástica da partida. Se é que ela realmente existiu!

Na segunda etapa, Vanderlei Luxemburgo apostou em Léo Lima e Evandro, nos lugares de Pierre e Diego Souza, respectivamente. As alterações pouco contribuíram para a melhoria do futebol do Palmeiras. Do outro lado, o Náutico parecia encontrar dificuldades de variar as jogadas. Méritos também para a defesa Alviverde, que com a permanência do ‘falso zagueiro’ Martinez ganhou segurança e qualidade na saída de bola.

Logo aos sete minutos do segundo tempo, Kuki, em posição de impedido, recebeu lançamento e fuzilou o goleiro Marcos. Corretamente, o bandeira invalidou o gol.

Thiago Cunha, que substituiu Alex Mineiro aos 35 minutos, chegou a balançar as redes do goleiro Eduardo, mas, assim como aconteceu com Kuki, teve sua festa interrompida pela arbitragem, que anulou o gol marcando impedimento.

O jogo seguiu este ritmo até o final. Muita movimentação e velocidade, mas nada de objetividade. Um jogo sem técnica, sem surpresas e definitavamente, sem plástica. Zero a zero merecido e fim de papo! Valeu pela liderança.

Na próxima rodada, o Náutico recebe o Flamengo no estádio dos Aflitos. Já o Palmeiras joga no Palestra Itália, contra o Atlético-MG. As duas partidas são válidas pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO 0 X 0 PALMEIRAS

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 28/9/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alexandre Antonio Pruinelli Kleiniche (RS) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)

Renda/público: 95.345,00 / 17.104 pagantes
Cartões amarelos: Ruy, Everaldo, Vágner (NÁU); Martinez (PAL)

NÁUTICO: Eduardo, Vágner, Adriano e Everaldo; Ruy, Paulo Santos (Geraldo, 28/2ºT), Hamilton, Valdeir e Alessandro; Gilmar (Felipe, 8’/2ºT) e Kuki (Clodoaldo, 32/2ºT) . Técnico: Roberto Fernandes.

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Gladstone e Martinez; Élder Granja, Sandro Silva, Pierre (Léo Lima, Intervalo), Diego Souza (Evandro, 24’/2°T) e Leandro; Kléber e Alex Mineiro (Thiago Cunha, 32/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

setembro 28, 2008 Posted by | Náutico, Palmeiras | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Na Vila, Santos e Lusa não respiram no BR

Kléber Pereira deixa o seu, mas Portuguesa faz em seguida e decreta empate

Em jogo movimentado, mas de poucas chances de gol, Santos e Portuguesa empataram por 1 a 1 e seguem flertando com as últimas posições do Campeonato Brasileiro. Com forte marcação de ambas as equipes, apenas Kléber Pereira, pelo alvinegro, e Athirson, pela Lusa, deixaram suas marcas na noite de domingo na Vila Belmiro.

A zona de rebaixamento foi assunto freqüente nos dois clubes, mas o começo de jogo deu a impressão de que a má fase de ambos estava próxima do fim.

O Santos tinha no oportunismo de Kléber Pereira sua maior virtude, mas foi enganado pelas linhas de impedimento da Lusa, que por sua vez, apostava nos contra-ataques e só não chegou com mais perigo porque errava no passe final.

Nos instantes finais da primeira etapa foi a Portuguesa quem levou mais perigo, com jogadas de Edno e Athirson, mas o placar permaneceu em branco, com as defesas levando sempre vantagem.

Nenhum treinador mexeu para o início do segundo tempo e o perfil da partida continuou igual. Mas com Kléber Pereira é difícil para o placar passar em branco. Aos 13 minutos, o artilheiro limpou a marcação e dentro da área, chutou forte no canto direito do goleiro para abrir o marcador.

Mal deu tempo para os santistas comemorarem e a Lusa empatou novamente. Douglas saiu mal do gol e Athirson chegou antes para tocar de cabeça por cima do goleiro e deixar tudo igual.

O gol sofrido fez o técnico Márcio Fernandes colocar o Santos, com as entradas de Pará, Tiago Luís e Molina, mas com Pereira as principais chances. De voleio e na pequena área, o jogador quase fez o segundo, se não fossem boas defesas de André Luis, que garantiu o ponto ganho para a Lusa fora de casa.
FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 PORTUGUESA

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 28/09/08, às 18h10
Árbitro: Paulo César de Oliveira (FIFA/SP)
Assistentes: Ednilson Corona (FIFA/SP) e Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP)
Público: 7.552 pagantes
Gols: Kléber Pereira, aos 13’/2ºT (1-0), Athirson, 15’/2ºT (1-1)
Cartões amarelos: Ediglê, Fellype Gabriel e Héverton (Portuguesa)
Cartão vermelho: Erick (Portuguesa)

SANTOS: Douglas; Wendel, Domingos, Fabiano Eller e Kleber; Rodrigo Souto, Roberto Brum, Bida (Pará, 17’/2ºT) e Michael (Tiago Luís, 24’/2ºT); Cuevas (Molina, 34’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

PORTUGUESA: André Luis; Patrício, Ediglê, Bruno Rodrigo e Athirson; Erick, Rai, Preto e Fellype Gabriel (Héverton, 17’/2ºT); Edno (Halisson, 41’/2ºT) e Jonas (Vaguinho 25’/2ºT). Técnico: Estevam Soares

setembro 28, 2008 Posted by | Portuguesa, Santos | , , , , | Deixe um comentário

São Paulo bate Cruzeiro e entra na briga de vez

Tricolor consegue triunfo depois de muita insistência, embola parte de cima da tabela e esquenta o campeonato

O inesperado corte de Rogério Ceni às vésperas do apito inicial já fez o São Paulo sair perdendo do Cruzeiro no Morumbi. Sem seu capitão e jogador mais experiente, o Tricolor teria que suportar a responsabilidade de um jogo decisivo sem seu termômetro em campo e fez uma força-tarefa para se virar. Se o clássico seria difícil, a ausência de Rogério tornaria a missão ainda mais dura. Mas Muricy Ramalho encorajou seus jogadores e mostrou que eles deveriam buscar os três pontos, porque a esperança do título é a última que morre.

O jogo começou em ritmo forte, com três chances claras de gol para os paulistas, mas que esbarraram nas falhas de conclusão de ataque. E Hernanes esbarrou em falta bem defendida por Fábio, em uma posição onde Rogério Ceni poderia ter marcado o 83º gol de sua carreira se estivesse em campo. Dagoberto corria, André Lima se esforçava (e tropeçava no verdadeiro pasto que virou o Morumbi), mas a boa insistia em não entrar.

Enquanto isso, Bosco, que encarou a fria de substituir o ídolo da torcida, dava conta do recado na defesa em chegadas de Guilherme e Ramires. Mas o time celeste esbarrava em jornada apagada de seus homens de criação, que pouco conseguiram fazer durante a primeira etapa e não comprovaram a velha máxima de que quem não faz, toma.

O jogo pouco mudou durante o segundo tempo, embora o Cruzeiro tenha acordado um pouco mais para a partida e tenha tentado avançar um pouco mais sua marcação. Ao contrário de outros jogos, o São Paulo superou sua enorme dificuldade em armar jogadas no ataque, mas Dagoberto desperdiçou uma série de oportunidades e a zaga mineira tirou duas cabeçadas certeiras.

Mas água mole pedra dura…e André Dias enfiou a cabeça na bola, dentro da pequena área cruzeirense, em excelente escanteio cobrado por Jorge Wagner, para abrir o marcador para o São Paulo, aos 35 minutos. O resultado era justo pelo volume de jogo criado pelos donos da casa.

Sem inspiração, o Cruzeiro foi para cima em busca do empate, mas realmente não era dia dos mineiros. Tanto que Jancarlos, em excelente cobrança de falta, fez mais um e fez a torcida rir por último e rir melhor.

Com o resultado, O São Paulo empata em pontos com o próprio Cruzeiro e com o Flamengo (46, mas perde nos critérios de desempate) e ainda mantém o sonho do tricampeonato aceso, principalmente após a derrota do Grêmio e do empate do Palmeiras, que colocam o Tricolor a quatro pontos da ponta. Para os mineiros, nada que como um dia após o outro para esquecer a derrota e se reabilitar no campeonato.

E os rivais que prestem atenção no Tricolor, pois quem espera sempre alcança.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X0 CRUZEIRO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data: 28/09/2008 às 16h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (FIFA-RS)
Auxiliares: Altemir Hausman (FIFA-RS) e Carlos Berkenbrock (SC)
Renda: R$411.195,00
Cartões amarelos: Dagoberto (SPO), Fabrício, Marquinhos Paraná (CRU)
Gols: André Dias, 35’/2ºT (1-0), Jancarlos, 48′,2ºT (2-0)

SÃO PAULO: Bosco, Zé Luis Jancarlos (33’/2ºT), André Dias e Rodrigo; Joilson, Jean, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto e André Lima (Borges, 15’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Gérson Magrão), Thiago Heleno, Espinoza e Marquinhos Paraná; Fabrício, Ramires (Elicarlos, 9’/2ºT), Henrique e Wagner; Guilherme e Thiago Ribeiro (Maurinho, 33’/2ºT). Técnico: Adilson Batista

setembro 28, 2008 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , | Deixe um comentário

Grêmio é goleado pelo Inter e deixa a ponta

Goleada foi construída no primeiro tempo, com um show de Alex

Teve de tudo no Beira-Rio. Belos gols, expulsões, confusão, provocação entre torcidas e um verdadeiro show do colorado Alex, principalmente no primeiro tempo. A autoritária goleada por 4 a 1 tirou o Grêmio da liderança do Brasileirão – que agora pertence ao Palmeiras – e ainda deu aos colorados a quarta vitória seguida e, com 42 pontos, a equipe chegou ao oitavo lugar.

Foi um primeiro tempo para os torcedores colorados não tirarem da cabeça por um bom tempo. Logo aos quatro minutos, D’Alessandro aproveitou a sobra da zaga gremista e acertou um belo chute, no ângulo de Victor.

Pouco depois, o zagueiro gremista Pereira, dúvida antes do clássico, sentiu a lesão na coxa que o incomodou durante toda a semana e teve que deixar o jogo aos 11 minutos para a entrada de Jean.

No início, a mudança parece que não iria trazer problemas, pois o Grêmio esboçava uma reação e também levava muito perigo. Aos 18, o meia Tcheco arriscou de fora da área e não deu chances de defesa para Clemer. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

Inexplicavelmente, o Grêmio recuou após o gol e deu chance para Alex desequilibrar. Aos 28, o apoiador aproveitou cobrança rápida de falta e chutou entre as pernas de Victor para desempatar. Onze minutos depois, D’Alessandro cobrou escanteio na cabeça de Índio, que subiu mais do que a zaga e fez o terceiro.

Porém, os colorados estavam dispostos a transformar o clássico em goleada. Já no fim do primeiro tempo, D’Alessandro cruzou na cabeça de Nilmar que, com um leve toque, tirou qualquer chance de defesa do goleiro gremista.

Já nos acréscimos, um episódio acabou manchando a linda festa colorada. Edinho cometeu falta violenta em Tcheco e a confusão começou. No fim, os dois jogadores acabaram expulsos e a partida ficou interrompida por seis minutos.

Já no intervalo, o técnico Celso Roth queimou as duas últimas modificações a que tinha direito. Souza e William Magrão entraram nos lugares de Paulo Sérgio e Perea, respectivamente. Com essas mudanças, o treinador tentava recuperar o equilíbrio no meio-de-campo, sem criação com a expulsão de Tcheco.

O prejuízo, no entanto, era muito grande. O Inter se dava ao luxo de apenas explorar os contra-ataques. Só que os gremistas levavam muito perigo, e por duas vezes quase descontaram, uma com o atacante Marcel e a outra com Anderson Pico.

Entretanto, a equipe de Celso Roth não teve forças para manter o bom ritmo no início do segundo tempo e sucumbia ao maior volume de jogo do Inter. E a goleada poderia ter sido maior se Magrão não desperdiçasse uma chance incrível, após bela triangulação entre D’Alessandro, Guiñazú e Nilmar.

Pouco depois, já perto do fim da partida, o árbitro Evandro Rogério Roman ainda anulou um gol de Nilmar, pois Gustavo Nery, que cruzou para o atacante, estava impedido.

Para os gremistas, resta o consolo de que o mês de setembro chegou ao fim. Foram dois empates e duas derrotas nesse período, que fizeram os comandados de Celso Roth despencarem.
FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 4 X 1 GRÊMIO

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data-hora: 28/09/2008 – 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Wilton Otaviano dos Santos (RN)
Renda/Público: R$ 718.200,00 / 42.590 torcedores
Cartões Amarelos: Gustavo Nery (Inter); Orteman, Leo, William Magrão(Grêmio)
Cartões Vermelhos: Edinho, 50’/1ºT (Inter); Tcheco, 50’/1ºT (Grêmio)
Gols: D’Alessandro, 4’/1ºT (1-0); Tcheco, 18’/1ºT (1-1); Alex, 28’/1ºT (2-1); Índio, 39’/1ºT (3-1); Nilmar, 45’/1ºT (4-1)

INTERNACIONAL: Clemer; Ângelo (Danny Morais, 38’/2ºT), Indio, Bolívar e Gustavo Nery; Edinho, Magrão, Guiñazú e D’Alessandro (Taison 34/2ºT); Alex e Nilmar (Adriano, 44’/2ºT). Técnico: Tite

GRÊMIO: Victor; Leo, Pereira (Jean,11’/1ºT) e Réver; Paulo Sérgio (Souza, intervalo), Rafael Carioca, Orteman, Tcheco e Anderson Pico; Perea (William Magrão, intervalo) e Marcel. Técnico: Celso Roth

setembro 28, 2008 Posted by | Grêmio, Internacional | , | Deixe um comentário

No fim, Flu empata em 1 a 1 com o Botafogo

Edcarlos marca aos 46 minutos do segundo tempo e dá banho de água fria no Alvinegro

Salvo no apagar das luzes. Desta forma o Fluminense conseguiu empatar a partida contra o Botafogo em 1 a 1 e salvou sua pele de acumular mais uma derrota no Campeonato Brasileiro. Com um gol aos 46 minutos do segundo tempo, marcado por Edcarlos, o Tricolor respirou aliviado e fez o Alvinegro ver a aproximação do G4 escorrer pelas suas mãos.

A formação ofensiva que o treinador Cuca mandou a campo surtiu efeito no início da partida. Com Conca dominando o meio-de-campo e explorando a velocidade dos atacantes Ciel e Maicon, o Fluminense tinha mais volume de jogo e era melhor. O Botafogo encontrava dificuldade para sair de seu campo de defensa e Wellington Paulista estava muito isolado na frente, disputando bolas com os zagueiros tricolores.

Ciel era a grata a surpresa e levava perigo ao gol alvinegro. Em duas oportunidades, quase abriu o placar. Em uma, Castilho fez ótima defesa, e em outra, a bola passou rente à trave.

Porém, quando o gol do Fluminense já parecia maduro, veio o golpe. Num contra-ataque, Lucio Flavio foi a linha de fundo e com sua maestria habitual, colocou a bola na cabeça de Carlos Alberto, que a mandou para o fundo das redes virando, assim, o autor do milésimo gol da história do clássico.

O feito do Glorioso acabou segurando o ímpeto tricolor que, após tal tento, não se encontrou mais em campo. Não fosse a trave, num chute cara-a-cara de Zé Carlos, o Botafogo poderia sair de campo com um resultado mais amplo no primeiro tempo.

Precisando desesperadamente da vitória, o Fluminense foi com tudo para a segunda etapa em busca do empate. Cuca colocou Alan no lugar de Somália para dar mais mobilidade ao ataque e a substituição parecia surtir efeito. Entretanto, quando mais uma vez era melhor na partida, o Tricolor sofreu uma ducha de água fria.

Carlos Alberto puxou um contra-ataque e levou um carrinho de Thiago Silva. O árbitro Péricles Bassols interpretou que a jogada merecia cartão vermelho e assim a fez. Com a expulsão, Cuca achou por bem tirar Ciel (que era o melhor em campo) e colocar Roger para repôr a defesa.

Com um a menos, o Fluminense não conseguiu mais se impôr e criar oportunidades. Ao Botafogo, restou administrar o placar e tocar a bola. O apito final do árbitro acabou não sendo bom para ninguém. O Tricolor continua na zona da degola e o Glorioso deixou de se aproximar dos líderes da competição.

BOTAFOGO 1 X 1 FLUMINENSE

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro
Data/hora: 28/9/2008 – 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Wágner de Almeida Santos (RJ)
Renda/público: R$ 180.865 / 12.654 pagantes
Cartões amarelos: Luciano Almeida, Thiaguinho, Wellington Paulista (BOT); Maicon (FLU)
Cartões vermelhos: Thiago Silva, 17’/2ºT; Zé Carlos, 44’/2ºT
GOLS: Carlos Alberto, 28’/1ºT (1-0)

BOTAFOGO: Castillo, Alexsandro, Renato Silva, Andre Luis e Luciano Almeida (Thiaguinho, intervalo); Túlio (Eduardo, 32’/2ºT), Leandro Guerreiro, Lucio Flavio, Zé Carlos e Carlos Alberto (Fábio, 37’/2ºT); Wellington Paulista. Técnico: Ney Franco.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Carlinhos (Tartá, 27’/2ºT), Edcarlos, Thiago Silva e Junior César; Romeu, Arouca e Conca; Ciel (Roger, 20’/2ºT), Maicon e Somália (Alan, intervalo). Técnico: Cuca.

setembro 28, 2008 Posted by | Botafogo, Fluminense | , , | Deixe um comentário

Rivais prontos para o ‘Gre-Nal do Século 21’

Grêmio quer manter liderança, enquanto Inter sonha com o G-4

O clássico 373, no final da tarde deste domingo, no Beira-Rio, será um dos mais importantes dos últimos anos. Já há quem o chame de ‘Gre-Nal do Século 21’ (uma referência ao jogo da semifinal do Brasileiro de 1988, vencido pelo Inter, e que ficou conhecido como ‘Gre-Nal do Século’). O de agora também vai influir no destino dos dois.

Líder com 50 pontos, mas sem vitórias há três partidas, o Grêmio precisa vencer para se distanciar do Palmeiras, que tem 49. Se perder, pode transformar sua recessão em depressão. Diz-se no Sul que Gre-Nal arruma a casa e também desarruma.

O Inter vem de três vitórias e depende desesperadamente da quarta para se manter na luta pela Libertadores, pois se encontra a quatro pontos dessa faixa. Se ganhar, e os resultados ajudarem, pode ficar a apenas um. Mas, se perder ou empatar o clássico, tem mais é que continuar cuidando da Copa Sul-Americana.

O Colorado se preparou com afinco para o clássico: poupou os titulares mais importantes na partida de quinta-feira, contra a Universidad Católica, em Santiago. Como o vôo foi fretado, não houve desgaste físico. E o empate em 1 a 1 manteve o ânimo para o domingo.

O Grêmio de Celso Roth utilizou a semana para intensos treinamentos táticos. A idéia é retornar ao padrão do primeiro turno, com a escalação o mais próximo possível à daquela fase e com a volta da marcação total. O empate com o Atlético-PR não baixou o astral. Pelo contrário. O time voltou a jogar bem, e só não venceu por um erro crasso de arbitragem.

Os dois técnicos fazem de tudo para esconder seus planos. Tite, menos: admitiu ter encontrado a formação ideal contra Botafogo e Vitória, com três volantes (Edinho, Magrão e Guiñazú), dois meias criativos (Alex e D’Alessandro) e um atacante nato (Nilmar). A dúvida se restringe ao substituto do lateral-direito Ricardo Lopes, que cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Ângelo poderia ganhar ritmo de jogo contra a Católica, mas ficou na reserva do próprio Ricardo Lopes. Como o técnico admitiu que pode utilizar um zagueiro ou um volante na posição, Danny Morais e Maycon vêem suas chances crescerem, com destaque para o primeiro, que se saiu bem em Santiago.

No Grêmio, três voltam de lesão: o volante William Magrão o zagueiro Pereira e o atacante Perea . A rigor, todos teriam condições de atuar. Mas, como William Magrão quase não treinou, e Orteman tem se saído bem em sua função, é provável que ele não seja escalado.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL X GRÊMIO

Estádio: Beira-Rio (Porto Alegre, RS)

Data-hora: 28/09/2008 – 18,10h (de Brasília)Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)

INTERNACIONAL: Clemer; Ângelo (Danny Morais), Indio, Bolívar e Gustavo Nery; Edinho, Magrão, Guiñazú e D’Alessandro; Nilmar e Alex. Técnico: Tite

GRÊMIO: Victor; Leo, Pereira e Réver; Paulo Sérgio, Rafael Carioca, Orteman (William Magrão), Tcheco e Anderson Pico; Perea (Reinaldo) e Marcel. Técnico: Celso Roth.

setembro 28, 2008 Posted by | Grêmio, Internacional | , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo defende escrita contra Cruzeiro

Última vitória da Raposa contra o Tricolor foi em 2004, no Mineirão

Manter a invencibilidade e continuar sonhando com o tricampeonato do Brasileirão. Está é a ordem do São Paulo para o domingo, quando a equipe recebe o Cruzeiro, às 16h, no Estádio Morumbi. Na quinta colocação, com 43 pontos e a sete do líder Grêmio, o Sampa enfrenta um rival que não sabe o que é vence-lo há pouco mais de quatro anos. Já são oito jogos – 4 vitórias são-paulinas e quatro empates.

A última vez que o time da Toca bateu o São Paulo foi em maio de 2004. Naquela oportunidade o Cruzeiro fez 2 a 1 no Mineirão, e da equipe que jogou naquele dia, apenas Rogério Ceni continua no Tricolor. Nomes como Cicinho, Lugano, Fábio Simplício e Grafite também estiveram presentes nesta equipe que perdeu pela última vez para o time celeste.

Para manter essa invencibilidade diante dos mineiros, o técnico Muricy terá apenas um desfalque. O zagueiro Miranda, que tomou o terceiro cartão amarelo no empate em 0 a 0 com o Sport, na última rodada. No lugar do zagueiro suspenso entra Zé Luiz, deslocado do meio-de-campo para a defesa, e que vai atuar ao lado de Rodrigo e André Dias.

Assim, Joílson continua na ala-direita e o volante Jean, que cumpriu suspensão contra o Sport, retorna ao time para jogar ao lado de Hernanes e Hugo no meio. Com a possível volta de Borges, Muricy tem apenas uma dúvida no ataque. Manter André Lima, ou colocar o camisa 17 no seu lugar.

O Cruzeiro encara o São Paulo, motivado pela última vitória contra o Figueirense, que manteve acesa a chama do título brasileiro na Toca da Raposa. A equipe do técnico Adilson Batista segue na cola do líder Grêmio, que tem quatro pontos a mais, e do segundo colocado Palmeiras, que está a três de diferença.

Como trunfo, a equipe celeste contará com a informação de quem já esteve do outro lado há pouco tempo. O lateral Maurinho, recém contratado pela Raposa, estava no Tricolor. Além dele, outros jogadores do elenco cruzeirense também já tiveram passagens recentes pelo clube paulista, como o atacante Thiago Ribeiro e o lateral Jadilson.

Em coletivo comandado nessa semana, o treinador celeste trocou a formação do time na quinta e na sexta. Em um 3-5-2, Léo Fortunato entrou na zaga ao lado dos titulares Espinoza e Thiago Heleno. No meio-de-campo, Wágner chegou a ser improvisado na lateral-esquerda, já que Carlinhos sofreu uma
indisposição intestinal na sexta-feira.

Apesar da mudança feita nos treinamentos, o Cruzeiro deve entrar em campo no tradicional 4-4-2, com a volta de Ramires, recuperado de lesão na coxa esquerda, e de Fabrício, que retorna de suspensão. Marquinhos Paraná deve atuar pela lateral-esquerda, no lugar de Carlinhos, que possivelmente não começará entre os 11 titulares.

Questionado sobre as mudanças feitas na formação do time azul, Adilson Batista explicou que está testando várias opções, pois não sabe o time do São Paulo que entrará em campo.

– O Muricy (Ramalho) é um grande treinador, conhece o Cruzeiro e sabe como vamos atuar. Não fiz nada para confundir – disse o treinador.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO X CRUZEIRO

ESTÁDIO: Morumbi, São Paulo (SP)
DATA: 28/09/2008 às 16h (de Brasília)
ÁRBITRO: Leonardo Gaciba da Silva (FIFA-RS)
ASSISTENTES: Altemir Hausman (FIFA-RS) e Carlos Berkenbrock (SC) SÃO PAULO: Rogerio, Zé Luis, André Dias e Rodrigo; Joilson, Jean, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto e Borges (André Lima). Técnico: Muricy Ramalho.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Espinoza e Marquinhos Paraná; Fabrício, Ramires, Henrique e Wagner; Guilherme e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista

setembro 28, 2008 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , | Deixe um comentário

Palmeiras visita o atento Náutico, nos Aflitos

Roberto Fernandes está de olho na escalação de Luxemburgo. Vitória pode trazer a ponta para o Pameiras

Náutico e Palmeiras têm tudo para transformarem o jogo deste domingo num clássico eletrizante pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. De um lado, o Alvirrubro que ocupa a 13ª posição da tabela de classificação com 29 pontos, lutando para ficar longe da zona de rebaixamento e conseguir uma das vagas para a Copa Sul-Americana.

No Campeonato Brasileiro, qualquer deslize pode ser crucial para por em cheque a batalha pelo título nacional. Com este pensamento, o Palmeiras vai a Recife, neste domingo, enfrentar o Náutico, pela 27ª rodada da competição. Com um olho no peixe e outro no gato, o Verdão conta com alguns tropeços para assumir a liderança do torneio

Em Recife, o Náutico não costuma dar mole para o time Alviverde. Neste século, o Palmeiras só conseguiu uma vitória em cima do Timbu, em cinco jogos realizados pelo Brasileiro. Foi no dia 7 de julho de 2007. No resto das partidas, foram só derrotas. Mas o Verdão melhorou sua postura longe dos gramados palestrinos, e isso pode contribuir para que os paulistas comecem a mudar essa marca.

Já em Porto Alegre, as energias serão intensas para a partida do Beira-Rio, no clássico entre Grêmio e Internacional. Se o Palmeiras secar e o tropeço do líder Grêmio acontecer, o time paulista fica mais perto ainda da liderança, e dependerá apenas dele mesmo para assumir o topo.

Com Kléber e Léo Lima liberados pelo STJD, o time de Vanderlei Luxemburgo estará completo nesta partida. O sistema defensivo, responsável por fazer o time não tomar gols há quatro jogos, deve contar novamente com o “zagueiro” Martinez. Dessa forma, o time deve entrar no 3-5-2, usado com mais freqüência nessas últimas rodadas.

Para esta partida, mais uma vez o treinador alvirrubro Roberto Fernandes escondeu o time e fez treinos secretos na última sexta-feira, mas a julgar pelos últimos jogos, o Náutico deverá apostar no esquema 3-5-2, mas com algumas mudanças no time. Os volantes Alceu e Derley estão suspensos e Ticão e Hamilton voltam à equipe.

– A derrota para o Atlético-MG na última rodada nos obrigou a vencermos o Palmeiras e o Flamengo aqui nos Aflitos. Um time que está na ponta da tabela e tem um treinador como Luxemburgo, merece uma atenção especial de nossa parte, e com certeza ficaremos mais ligados – reconheceu o lateral Ruy.

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO X PALMEIRAS

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 28/9/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alexandre Antonio Pruinelli Kleiniche (RS) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)

NÁUTICO: Eduardo, Vágner, Adriano e Everaldo; Ruy, Ticão, Hamilton, Valdeir e Alessandro; Clodoaldo e Kuki. Técnico: Roberto Fernandes.

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Gladstone e Martinez; Élder Granja, Sandro Silva, Léo Lima, Diego Souza e Leandro; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

setembro 28, 2008 Posted by | Náutico, Palmeiras | , , , , | Deixe um comentário

Na degola, Ipatinga e Vasco se enfrentam

Tigre é o lanterna, mas venceu três dos últimos quatro jogos em casa; time carioca não vence há cinco partidas e é o 17º

Ipatinga e Vasco se enfrentam neste domingo, às 16h, em Ipatinga, Minas Gerais, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, com mais em comum do que somente a luta para escapar da zona de rebaixamento da competição e, conseqüentemente, se distanciar da Série B nacional em 2009.

O técnico cruzmaltino, Renato Gaúcho, foi demitido do Fluminense após uma derrota para o adversário, no mesmo Ipatingão, em 10 de agosto, na última rodada do turno (que colocou o Tricolor no penúltimo lugar, sendo este oponente o lanterna), justamente a primeira em que o time de São Januário entrou na região de descenso da disputa.

Por outro lado, esta é a 17ª jornada do Brasileiro em que o clube mineiro está na última colocação da competição. Já a equipe vascaína esteve na zona de rebaixamento apenas naquela 19ª rodada e nas duas últimas. No entanto, em caso de derrota, a equipe carioca pode sentir pela primeira vez o gosto de fechar a tabela.

Com 24 pontos, o Ipatinga vive uma fase muito complicada no Brasileiro. Faltando 11 rodadas para o fim da competição, as chances de rebaixamento são de 75%, segundo matemáticos, porém venceu três dos últimos quatro duelos em casa. O técnico Márcio Bittencourt começou a semana de preparação para o jogo fazendo mudanças na equipe. O meia Gilsinho e o atacante boliviano Pablo Escobar podem substituir Xaves e Ferreira, mas a decisão só sairá no vestiário.

Escobar, primeiro estrangeiro a atuar no clube mineiro em seus 10 anos de existência, não escondeu a felicidade de começar jogando contra o Vasco. Além disso, o jogador afirmou que o momento é de pensar apenas na próxima partida, e deixar de lado o São Paulo, que é adversário do Tigre na continuidade da competição.

– Serão seis pontos disputados em casa, primordiais para sairmos deste momento difícil. Mas inicialmente vamos pensar no Vasco. Não adiantapensarmos nos próximos três ou quatro jogos, mas sempre no primeiro deles – disse o atleta.

O Vasco, 17ª colocado, com 26 pontos, e que não vence na competição hpa cinco jogos, terá dois estreantes nesta partida: o lateral-direito Baiano, recentemente contratado, e o zagueiro Fernando, desde agosto em São Januário. Ambos estão há alguns meses sem disputar uma partida oficial – o primeiro veio do Rubin Kazan, da Rússia, e o último clube do segundo foi o Duisburg, da Alemanha.

Para este confronto, Renato Gaúcho mantém o esquema 3-5-2 de sua estréia, derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, na rodada passada, mas com no time. Além dos novatos, o goleiro Tiago volta após dois jogos suspenso e o lateral-esquerdo Valmir entra como titular (será seu terceiro jogo em cerca de quatro meses – nos dois anteriores, deixou o gramado lesionado).

– Estamos nos preparando bem para este jogo que, com certeza, será um dos mais difíceis do campeonato para a nossa equioe – declarou o atacante Leandro Amaral.

FICHA TÉCNICA:
IPATINGA X VASCO

Estádio: Epaminondas Mendes Brito (Ipatingão), Ipatinga (MG)
Data/hora: 28/9/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Gilson Bento Coutinho (PR)

IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel, Henrique, Gian e Rodriguinho (Beto); Augusto Recife (Léo Oliveira), Leandro Salino, Luciano Mandi e Xaves (Gilsinho); Ferreira (Pablo Escobar) e Adeílson. Técnico: Márcio Bittencourt.

VASCO: Tiago, Fernando, Eduardo Luiz e Jorge Luiz; Baiano, Jhonny, Madson, Alex Teixeira e Valmir; Leandro Amaral e Edmundo. Técnico: Renato Gaúcho.

setembro 28, 2008 Posted by | Vasco da Gama | , , , , | Deixe um comentário

VIDEO – Corinthians empata com São Caetano e amplia série invicta

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “VIDEO – Corinthians empata com São Ca…“, posted with vodpod

 

setembro 28, 2008 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário

Flamengo, emocionante, vence Sport de virada

Atacante Vandinho se torna herói com assistência e gol

Valente, o Flamengo arrancou uma vitória emocionante, de virada, por 2 a 1, sobre o Sport na noite deste sábado, no Maracanã (RJ), em jogo válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro – os gols da partida foram marcados pelo atacante Roger na parte inicial do segundo tempo, pelo lateral-esquerdo Juan e o atacante Vandinho no final da mesma.

O resultado leva o time da Gávea aos 46 pontos, mantendo-o no quarto lugar da competição (Cruzeiro tem maior número de vitórias, 14 a 13), sem poder (pelo mesmo critério) ser ultrapassado pelo São Paulo. Por outro lado, a equipe da Ilha do Retiro fica com 39 na tabela de classificação e permanece na décima colocação – de quebra, perdeu a invencibilidade de quatro jogos sem sofrer gols na disputa.

Sob chuva no Rio de Janeiro, Flamengo e Sport protagonizaram um primeiro tempo aberto. O time carioca controlou por mais tempo a bola, buscou a partida, mas foi contundente apenas em alguns momentos, pouco finalizando efetivamente. Por sua vez, o adversário explorou os contra-ataques em velocidade.

Coms seus dois laterais aparecendo e Marcelinho recuando para armar, a melhor oportunidade dos mandantes surgiu de bola parada: Juan sofreu falta sobre a linha da grande área aos 27 minutos, porém ao invés de pênalti o juiz marcou falta. Aproveitando rebote de Magrão, Marcelinho Paraíba chutou para nova defesa parcial do goleiro – Durval afastou o lance.

Já o Sport, com Carlinhos Bala chegando bem ao ataque, assustou aos 13 minutos, em chute cruzado de Enílton que desviou em Fábio Luciano e bateu na rede pelo lado de fora. Aos 24 minutos, Andrade cobra falta de fora da área e na pequena área, livre, Dutra toca para fora.

A etapa final começou com a marcação da equipe pernambucana um pouco mais adiantada. E se, inicialmente, foi o rubro-negro carioca quem pressionou com o chute cruzado de Marcelinho Paraíba sendo desviado por Igor na pequena área, a nova disposição do visitante deu resultado.

Aos nove minutos, Carlinhos Bala cobrou escanteio pela direita no ataque. O goleiro Bruno saiu mal do gol e a bola foi na segunda trave para Roger que, no bico da pequena área, nem sequer precisou sair do chão para, de cabeça, ganhar de Jaílton e abrir o marcador.

Desorganizados, os donos da casa se mantiveram no ataque, mas pouco concluíram. O técnico Caio Júnior ainda substituiu Ibson por Vandinho e ouviu o coro de “burro” dos torcedores. No entanto, Juan tabelou com o atacante pela esquerda do ataque, recebeu na grande área e tocou rasteiro na saída do goleiro Magrão, empatando o confronto.

No entanto, aos 44 minutos, Vandinho torna-se herói do jogo: Marcelinho cruza pela direita do ataque e, na primeira trave, o atacante que entrou sob vaias, vira a partida a favor do Flamengo.

O volante Andrade, após se chocar com Vandinho no meio-de-campo, deixou o campo de maca. Ele foi atendido na ambulância, mas retornou para o confronto.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo vai enfrentar, no sábado, dia 4 de outubro, às 18h20, nos Aflitos (PE), outro oponente pernambucano, o Náutico. Já o Sport, na quinta-feira anterior, dia 2, novamente joga fora de casa, desta vez no Mineirão (MG), contra o Cruzeiro, às 20h30.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 X 1 SPORT

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 27/9/2008 – 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Santiago (MG) e Wenderson Mozzer (MG)
Renda/público: R$677.363,00 / 40.812 pagantes
Cartões amarelos: Sambueza (FLA); Durval, Kássio, Andrade, Luciano Henrique e Junior Maranhão (SPT).

GOLS: Roger, 9’/2ºT (0-1); Juan, 36/2ºT (1-1); Vandinho, 44’/2ºT (2-1).

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Ibson (Vandinho, 29’/2ºT), Kleberson, Everton (Sambueza, 8’/2ºT) e Juan; Marcelinho Paraíba e Josiel (Obina, intervalo). Técnico: Caio Júnior.

SPORT: Magrão, Igor, César e Durval; Carlinhos Bala, Andrade, Junior Maranhão, Kássio (Fábio Gomes, 24’/2ºT) e Dutra; Enílton (Luciano Henrique, 31’/2ºT) e Roger (Fumagalli, 35’/2ºT). Técnico: Nelsinho Batista.

setembro 28, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Júlio César brilha e Goiás derrota o Vitória

Campo encharcado não impediu o quinto triunfo seguido da equipe goiana

Com um verdadeiro show do lateral-esquerdo Júlio César, o Goiás derrotou o Vitória por 3 a 0 neste sábado, no Serra Dourada, e conquistou seu quinto triunfo consecutivo no Brasileirão. Com o resultado, a equipe chegou aos 42 pontos na tabela e alcançou o sexto lugar. Já os baianos permanecem com 40 e caíram para a oitava posição.

A forte chuva que castigou Goiânia atrapalhou o andamento da partida. Com muitos choques, Goiás e Vitória criavam poucas chances de perigo.

Apesar da dificuldade de se jogar, a partida não era violenta. Principalmente nos primeiros 20 minutos, o Goiás dava a impressão de que decidiria o jogo pelas laterais. Vítor, em ótima fase, aparecia bem no apoio. Pelo lado do Vitória, a novidade era a presença do veterano meia Ramón no banco de reservas.

O marasmo que tomava conta do duelo foi interrompido com um belo gol do lateral-esquerdo esmeraldino Júlio César. Aos 37 minutos, o camisa 6 do Goiás aproveitou a sobra de um cruzamento na área e acertou um belo chute, de primeira, no ângulo de Viáfara, que não teve nada a fazer a não ser ficar observando a pintura desenhada pelo lateral.

O segundo tempo começou em ritmo acelerado. Logo no primeiro minuto, o meia Leandro Domingues perdeu excelente chance na frente de Harlei. O castigo pelo desperdício acabou vindo dois minutos depois.

Após receber um passe estranho, mas perfeito de Iarley, Júlio César invadiu a área e chutou cruzado, com força, na saída de Viáfara. Pouco depois, aos seis minutos, o mesmo lateral foi novamente decisivo ao cruzar com perfeição na cabeça de Paulo Baier, que nem precisou sair do chão para deslocar o goleiro do Vitória.

A partir daí, o Vitória se lançou desesperadamente ao ataque, mas nas duas melhores oportunidades que o Rubro-Negro teve, o goleiro Harlei fez belas defesas.

A lamentar para os donos da casa apenas o fato de Felipe e Paulo Baier terem levado o terceiro cartão amarelo e, por isso, não enfrentam o Fluminense na próxima quarta-feira, no Maracanã. Mas empolgada pela bela atuação do time, a torcida do Goiás nem quer pensar nisso neste momento.


FICHA-TÉCNICA

GOIÁS 3 x 0 VITÓRIA

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 27/09/2008 – 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Marco Aurélio dos Santos Peçanha (RJ) e Alécio Aparecido Lezo (MS)
Cartões amarelos: Felipe, Fahel, Paulo Baier e Ramalho (Goiás); Marco Antônio, Leonardo Silva (Vitória)
Gols: Júlio César, 37’/1ºT (1-0); Júlio César, 3’/2ºT (2-0); Paulo Baier, 6’/2ºT (3-0).

GOIÁS: Harlei; Rafael Marques, João Paulo e Ernando; Vitor, Fahel (Fernando, 23’/2ºT), Ramalho, Paulo Baier, Felipe (Thiago Feltri, intervalo) e Júlio César; Iarley (Lima, 39’/2ºT). Técnico: Hélio dos Anjos.

VITÓRIA: Viáfara; Rafael (Adriano, 22’/2ºT), Marcelo Batatais, Leonardo Silva e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Willians, Marco Antônio e Leandro Domingues; Osmar (Robert, intervalo) e Marquinhos (Ramón, 30’/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.

setembro 28, 2008 Posted by | Goiás, Vitória | , , , | Deixe um comentário

Galo e Figueira não saem do zero no Mineirão

Atleticanos pressionaram mas não conseguiram furar defesa catarinense

Em jogo tecnicamente muito fraco, Atlético-MG e Figueirense não saíram do zero no Mineirão, em partida válida pela 27º rodada do Campeonato Brasileiro. Na base da vontade o Galo pressionou, mas o Figueira soube suportar a pressão e volta para Santa Catarina com um ponto na bagagem.

Em um primeiro tempo fraco, o Atlético-MG começou marcando em seu campo de ataque e, com isso, nos primeiros dez minutos sufocou o Figueirense. O Galo contava com um bom desempenho do atacante Marques e do lateral-esquerdo César Prates, que apareciam muito bem pelo lado direito da defesa catarinense. Foi em cruzamentos dos dois jogadores que o time mineiro teve as melhores chances do primeiro tempo. Na primeira delas, Renan Oliveira cabeceou para fora, o mesmo acontecendo com Lenilson.

Já o Figueirense, que suportou bem a pressão inicial, se arriscou muito pouco e errou muitos passes na primeira etapa. A única boa chance criada pela equipe catarinense foi através de uma cabeçada de Bruno Santos. Juninho fez boa defesa. Após a pressão imposta pelo Atlético, o jogo se equilibriou, e ficou concentrado no meio-campo, com ambas as equipes errando muito e pouco criando. Com isso, mineiros e catarinenses foram para o vestiário sem mexer no placar do jogo.

Na segunda etapa, o cenário da partida pouco mudou. As duas equipes voltaram do intervalo errando bastante e criando muito pouco. Durante toda a segunda etapa, poucas chances de gol. A primeira delas foi do Figueirense, com Wellington Amorim, que substituiu Bruno Santos no intervalo. Ele foi lançado em profundidade, mas Juninho saiu corajosamente nos pés do atacante.

Depois disso, o Atlético retomou o controle da partida e, com apoio de sua torcida, tentou sufocar o Figueirense. Entretanto, o time alvinegro continuava errando bastante, não conseguindo criar situações claras de gol. Na melhor delas, o atacante boliviano Castillo, que substituiu Lenilson, recebeu belo cruzamento de Mariano e furou a cabeçada, deixando a bola sair pela linha de fundo.

Por fim, o Atlético pressionou o time catarinense até o fim da partida, mas na base da vontade, de forma desorganizada, o que impediu o time atleticano de alcançar o triunfo. O Figueirense, por sua vez, se defendeu das investidas atleticanas e explorou os contra-ataques, só que a exemplo dos mineiros também sem sucesso.

No fim, o placar não poderia ser diferente do 0 a 0. Um resultado muito ruim para ambas as equipes. Com o ponto conquistado, o Atlético permanece na zona intermediária da tabela, na 12º colocação com 34 pontos. Já o Figueirense, na 15º colocação com 29 pontos, corre o risco de terminar a rodada na zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 0 X 0 FIGUEIRENSE

Data/hora: 27/09/08 – 18h20
Estádio: Mineirão/MG
Árbitro: Djalma José Beltrami/RJ
Auxiliares: Hilton Moutinho (RJ) e Dibert Pedrosa (RJ)
Público: 19.239 pagantes
Renda: R$92.000,00

Cartões amarelos: Cleiton Xavier 21’/1ºT, Gomes 33’/2ºT (FIG); Rafael Miranda 21’/2ºT (ATL)
Cartões vermelhos: Nenhum

Gols: Nenhum

ATLÉTICO-MG: Juninho, Mariano, Leandro Almeida, Marcos e César Prates; Rafael Miranda, Márcio Araújo (Petkovic 12’/2ºT), Serginho (Elton 26’/2ºT) e Renan Oliveira; Lenilson (Castillo 12’/2ºT) e Marques. Técnico: Marcelo Oliveira.

FIGUEIRENSE: Wilson, Alex Bruno, Gomes e Asprilla; Diogo, Magal, Cleiton Xavier, Marquinho e Alex Cazumba; Bruno Santos (Wellington Amorim Intervalo) e Ramon (Jackson 38’/2ºT). Técnico: Mário Sérgio.

setembro 28, 2008 Posted by | Atlético-MG, Figueirense | , , , , | Deixe um comentário

Tuta estraga o baile e Corinthians só empata com São Caetano

Centroavante bota água no chope alvinegro e acaba com a festa. Empate mantém série invicta, agora com 12 jogos

Jogo do Corinthians na Série B 2008 parece um musical. A começar pela Fiel que embala o time com paródias de O Rappa, de Roberto Carlos e de Tim Maia, entre outras canções. E no empate em 2 a 2 deste sábado, ante o São Caetano, em Campinas, o ritmo perdeu o compasso e o tom corintiano desafinou no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, terra do maestro Carlos Gomes. Foi o São Caetano de Tuta quem armou o samba no baile do Corinthians.

E como uma das maiores bandas brasileiras dos anos 80, no clima do rock, o Timão mandou seu recado em poucos minutos: “Blitz, documento!” para cima do Azulão. Os canhotos Morais, André Santos e Douglas trocavam passes virtuosos e em menos de cinco minutos a equipe de Mano Menezes já havia disparado quatro chutes a gol. No entanto, como se pisasse no pé da garota dançando no baile de formatura, o maestro Douglas pisou na bola, caiu e armou um contra-ataque para o Azulão. A bola ficou no pé esquerdo de Andrezinho, que cruzou com perfeição, na cabeça de Tuta. Ele contou com a falha de William para finalizar no contrapé do goleiro Felipe.

Não demorou, entretanto, para o Corinthians responder. Se o maestro desafinou, André Santos passou a batuta para outro garçom alvinegro, Herrera. O argentino deu a sua sexta assistência no campeonato ao sair na cara do gol e tocar para Dentinho apenas empurrar para a rede. O camisa 31 chamou André Santos para dançar e ambos gingaram uma capoeira em Campinas. A Fiel cantou mais alto.

Só não contava, porém, com a volta de Tuta. Paradão, com poucos toques na bola e com categoria, o centroavante foi o tormento do capitão William neste sábado. O experiente jogador, com passagens em 19 clubes do futebol brasileiro, não dançava e nem cantava. Só mascava o seu chiclete e fazia gols. Em mais uma falha de William – que dançou com a vassoura na terra de Carlos Gomes – tomou a bola do companheiro Leonardo e fuzilou para pôr o Azulão mais uma vez na frente.

Do outro lado, quem praticamente sumia em campo era o volante Eduardo Ramos. Responsável por substituir Elias – que não toca nenhum instrumento, mas carrega o piano corintiano – o camisa 29 não conseguia manter o ritmo e a cadência do titular. Em diversos momentos do primeiro tempo, ele deixou a desejar e Cristian ficou sobrecarregado na marcação. Ramos, contudo, é especialista em cruzamentos. Como se fosse um solista, batia todas as faltas e foi com bola rolando que colocou a bola na cabeça de Herrera. Dentro da pequena área, o artilheiro corintiano fez seu décimo gol no campeonato e alcançou Tuta na tabela. Túlio, do Vila Nova- GO, segue na liderança com 21.

Quem perdeu o passo e a cabeça foi o zagueiro Chicão. Ele se irritou com o movimento do atacante Luan e resolveu revidar uma falta sofrida dentro da área. O problema é que o árbitro viu o pisão que o camisa 3 desferiu nas costelas do adversário. Foi para o chuveiro mais cedo. Alessandro, no fim do jogo, aos 47 minutos acompanhou o zagueiro e também recebeu o vermelho.

Com erros de passe, as equipes desafinaram. O último toque não saía e os meias não orquestravam as jogadas. Defasado, o Timão apenas se defendeu e o Azulão não conseguiu furar a retranca. Ao término do jogo, o São Caetano somou 37 pontos e está atrás do décimo colocado, o Ceará. Já o Corinthians, continua líder absoluto. São 62 pontos, 11 a mais que o vice-líder Vila Nova, 14 que o quinto colocado Santo André, que perdeu uma posição após a vitória do Barueri por 2 a 0 sobre o Bragantino neste sábado à noite. Na próxima rodada, o Corinthians e São Caetano jogam, respectivamente, com Marília (no sábado, às 16h) e Barueri (terça-feira, às 20h30).

FICHA TÉCNICA:
SÃO CAETANO X CORINTHIANS

Estádio: Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas
Data/hora: 27/09/2008 às 16h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Auxiliares: Giovani Cesar Canzian (SP) e Everson Luquesi (SP)
Renda e público: R$ 367.590,00 / 11.961 pagantes
Cartões amarelos: Apodi, Daniel e Tuta (SCA); André Santos (COR)
Cartões vermelhos: Chicão e Alessandro (COR)
Gols: Tuta (1-0), 8’/1ºT; Dentinho (1-1), 13’/1ºT; Tuta, (2-1), 33’/1ºT; Herrera (2-2), 12’/2ºT

SÃO CAETANO: Julio Cesar, Leonardo, Tobi e Marco Aurélio; Apodi, Glaydson, Daniel (Hernane, 30’/2ºT), Gerson (Francismar, 13’/2ºT) e Andrezinho; Luan (Finazzi, 30’/2ºT) e Tuta. Técnico: Vadão.

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, William e André Santos; Cristian, Eduardo Ramos (Carlos Alberto, 35’/2ºT), Morais e Douglas; Dentinho (Fábio Ferreira, 18’/2ºT) e Herrera (Careca, 43’/2ºT). Técnico: Mano Menezes.

setembro 28, 2008 Posted by | Corinthians, São Caetano | , , , | Deixe um comentário