Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Mistérios de Roth: Perea não está confirmado, e ala vira dúvida

Treinador pede mais tempo para definir se colombiano poderá jogar. Pico ganha espaço para reaparecer na esquerda.

O técnico Celso Roth diz que o treinamento da tarde desta terça-feira, no Olímpico, não serviu como início da definição do time do Grêmio que enfrenta o Atlético-PR no domingo. Mas não é bem assim. Ele alinhou Léo, Jean (Pereira está lesionado), Rever, Paulo Sérgio, Amaral, Rafael Carioca, Tcheco e Anderson Pico, em uma evidente idéia de escalação – com a expectativa da presença de Willian Magrão no lugar de Amaral a partir desta quarta, quando o titular volta a treinar com bola. Na prática, o treinador tenta manter o habitual mistério. O atacante Perea participou da primeira parte do treino e tem grandes chances de reassumir função no ataque, mas Roth ainda não garante.

– Perea passou 15 dias fazendo tratamento (de entorse no joelho direito). Só voltou agora. Ele está fora da condição física ideal. Ainda vamos avaliar a situação dele – diz Roth.

A presença de Anderson Pico na ala também é incerta. Ele pode reassumir a vaga que foi de Hélder nos dois últimos jogos.

– Anderson Pico vinha como titular, mas teve uma queda técnica. Hélder entrou e fez partidas interessantes, na média da equipe. Vamos definir ainda. O Pico retomou seu caminho – afirma o treinador.

Os trabalhos do restante da semana devem confirmar o Grêmio para o jogo da Arena da Baixada com Victor, Léo, Jean e Rever; Paulo Sérgio, Rafael Carioca, Willian Magrão, Tcheco e Anderson Pico; Perea e Marcel.

setembro 17, 2008 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

FOTO: Edinho e Nilmar no trator de Índio

Zagueiro dá carona inusitada aos colegas no gramado do estádio Beira-Rio.

As duas vitórias consecutivas do Inter no Brasileirão mudaram o ambiente no Beira-Rio. Na manhã desta terça, durante os trabalhos físicos no estádio, uma cena inusitada mostrou o alto astral colorado. Em uma pausa, o zagueiro Índio relembrou os tempos de motorista de trator durante a juventude no interior de São Paulo e conduziu o trator da equipe de manutenção que retirava a grama cortada de um dos campos suplementares. O volante Edinho e o atacante Nilmar subiram na carona e depois pegaram no pé do zagueiro.

setembro 17, 2008 Posted by | Internacional | , , , , , , | Deixe um comentário

Muricy Ramalho cobra Hernanes: ‘Errou muito passe. Vai ter de treinar’

Falta de jogos no período em que esteve com a seleção olímpica prejudicou principal característica do volante, afirma treinador do São Paulo.

O técnico Muricy Ramalho não poupa os jogadores do São Paulo de suas cobranças. E a bola da vez da bronca do treinador foi o volante Hernanes, que no último mês disputou as Olimpíadas de Pequim com a seleção brasileira.

Badalado e cobiçado por clubes da Europa, o atleta sempre foi alvo de elogios do comandante. Mas depois da vitória do último domingo sobre o Flamengo, o volante teve de agüentar a dura de Muricy pelos erros de passe no confronto.

– O jogador que fica muito tempo sem jogar precisa de treinamento. Ele é um volante que arma nosso time e tem de passar bem a bola. Errou muito passe e isso não pode acontecer. O futebol brasileiro mudou. Os volantes têm de armar as jogadas por causa da falta de meias – justifica o treinador são-paulino.

– O jogador pode até ir para a seleção do mundo. Se voltar sem fazer sua função, ele vai treinar. Ele jogou muito bem contra o Flamengo, mas errou esse fundamento. Isso aconteceu por causa da falta de jogo. Ele treinou lá (com a seleção), mas não jogou. Vai ter de treinar mais aqui – avisa Muricy.

setembro 17, 2008 Posted by | São Paulo | , | Deixe um comentário

Felipão reclama dos jogadores do Chelsea apesar da estréia com goleada

Técnico brasileiro deixou claro que não gostou da forma como a equipe se comportou após abrir vantagem de dois gols no primeiro tempo.

A demissão do português José Mourinho, técnico mais vitorioso da história do Chelsea, em 2007, mostrou que, para o bilionário russo Roman Abramovich, dono clube, mais do que ganhar, jogar um futebol vistoso é uma das suas exigências para o time. Além disso, apesar de todos os títulos, Mourinho não conseguiu conquistar um: a Liga dos Campeões da Europa , praticamente uma obsessão para o time de Londres. Então, é de se presumir que, quando a equipe estréia nessa competição, jogando em casa na capital inglesa, no Estádio Stamford Bridge, e derrota o vice-campeão francês Bordeaux por 4 a 0 , pelo grupo A da primeira fase, como aconteceu nesta terça-feira, dia 16, todo mundo ficaria feliz. Menos o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari:

– Começamos muito bem, três pontos são importantes nesta competição. Mas sabemos que cometemos muitos erros, principalmente entre os dez e os 30 minutos dos segundo tempo. Tentamos atacar com bolas longas o tempo todo, sem fazer uma boa conexão. É importante vencer. Quando você também joga muito bem, melhor. Mas é claro que não jogamos bem.
Enquanto os jogadores deixavam o estádio, Abramovich desceu da tribuna para ir ao vestiário, provavelmente para elogiar Felipão por um jogo em que todas as suas exigências foram cumpridas. O diálogo entre os dois deve ter sido interessante, com o brasileiro tentando explicar por que não merecia os elogios:
– Eles cometeram muitos erros quando tinham a bola. Quando se joga na Liga dos Campeões, é preciso trabalhar melhor a bola. Ganhar de dois, três ou quatro é a mesma coisa, são os mesmos três pontos. E, quando se quer fazer gols sem uma boa conexão, oferecem-se chances para o time adversário. No segundo tempo, estávamos ganhando o jogo e eles tinham mais posse de bola. Depois disso, controlamos mais o jogo, marcamos mais gols e o mais importante foi o resultado.

Agência/EFE Agência/EFE

Ballack entrou no segundo tempo do jogo

Além de demonstrar claramente durante o jogo sua insatisfação, gesticulando tanto à beira do campo a ponto de a transmissão da TV compilar um clipe só com suas reações, Scolari utilizou o resultado do outro jogo do grupo, em que o Roma foi derrotado pelo Cluj/ROM por 2 a 1, na capital italiana, para justificar seus argumentos.

– Nesta chave, você nunca sabe o que vai acontecer. Talvez este resultado seja um aviso para nós no próximo jogo – alertou o treinador, lembrando que sua equipe enfrenta o time romeno fora de casa, em Cluj-Napoca na próxima rodada, dia 1º de outubro – O Bordeaux joga numa formação de diamante, deu chances para nosso lateral-direito ir à frente. E o Bosingwa é muito perigoso. Talvez outros times cheguem à frente do gol com mais qualidade do que o Bordeaux, o que será perigoso para nós.

Blanc critica postura dos jogadores do Bordeaux

Para Laurent Blanc, zagueiro da seleção francesa campeã do mundo em 1998 e técnico do Bordeaux, não foi a formação, e sim a atitude de sua equipe, que permitiu o resultado:

– Estou decepcionado com a forma como perdemos hoje. Se olharmos para trás e analisarmos, é claro que o Chelsea sempre será um time melhor. Mas nós tivemos muito respeito por eles. Fomos muito medíocres em nossa atitude mental, em quanto lutamos, faltou agressividade. Muitas das chances do Chelsea nasceram de situações sobre as quais discutimos e prevemos que iriam acontecer. Os laterais deles estão jogando como pontas, é o que eles fazem toda semana no Campeonato Inglês. Como nós nos propomos a impedir isso é o que importa.

Capitão Terry explica pisada no freio do Chelsea

Se alguém pode falar em nome da equipe criticada por Felipão, o inglês John Terry, capitão do time, é o mais indicado. E ele deixou escapar que o recado foi absorvido.
– É claro que ouvimos as orientações do técnico, mas, às vezes, tomamos decisões sozinhos dentro de campo. E, ganhando o jogo da forma como estávamos e com um jogo importante pela frente, tendemos a tentar nos poupar um pouco – disse ele, usando o clássico do próximo domingo, 21, contra o Manchester United, pelo Campeonato Inglês, como justificativa para o time ficar menos com a bola por um período do segundo tempo – Mas o técnico mostrou sua insatisfação no vestiário após a partida, nós entendemos a mensagem e é algo que vamos tentar levar para as próximas partidas e tentar não repetir.

setembro 17, 2008 Posted by | Futebol Europeu | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Movimentação, gols perdidos e vitória: Vila Nova passa pelo Avaí e é vice-líder

Time catarinense, por sua vez, cai para a quarta colocação, já que o Santo André venceu o Barueri em outra partida da rodada.

Em partida eletrizante e muito movimentada, o Vila Nova venceu o Avaí por 1 a 0 nesta terça-feira e retomou a vice-liderança da Série B. A equipe goiana chega a 47 pontos, um a mais do que o terceiro colocado. A vitória também serviu para tranqüilizar os torcedores depois da goleada sofrida para o América-RN, por 5 a 1, na última rodada.

O Avaí, por sua vez, cai para quarto, já que o Santo André venceu o Barueri por 2 a 1. O time catarinense tem 45 pontos, mas o Ramalhão chegou a 46 e passou o adversário na tabela.

O jogo
Em um primeiro tempo muito equilibrado e de muita briga no meio-campo, o Vila Nova é que se deu bem. Aos 21 minutos, Fernandinho recebeu na quinta esquerda da grande área, dominou tirando do defensor e, da meia-lua, chutou de pé direito, sem chances para o goleiro adversário: 1 a 0.

Dez minutos depois, Fernandinho quase marca de novo. Depois de rebote da defesa, ele pegou a sobra e chutou muito forte de longe, obrigando o goleiro do Avaí a fazer uma grande defesa. O primeiro tempo terminou com vantagem do Vila Nova.

Na etapa final, o jogo continuou equilibrado. A primeira grande chance aconteceu aos 16 minutos, quando, após cobrança de escanteio e cabeceio para o gol, o goleiro Max, do Vila Nova, impediu que o Avaí empatasse com uma defesa espetacular, no reflexo. Aos 17, Túlio, que passou em branco, saiu de campo para dar lugar a Pedro Júnior.

Aos 19, a bola não entrou por capricho. Evando recebeu um excelente lançamento longo nas costas da defesa e chutou de primeira na saída do goleiro, tentando encobri-lo. O jogador do Avaí apenas esperava para comemorar, mas, quando a bola descaiu, ela bateu no poste direito e sobrou para a defesa do Vila Nova.

De tanto tentar, o Avaí chegou lá. Aos 26 minutos, Evando recebeu de costas para a defesa e caiu. O árbitro marcou o pênalti para o time catarinense. O próprio Evando bateu rasteiro, no canto direito de Max, que pulou para o lado certo e defendeu. A torcida do Vila Nova, presente no estádio Serra Dourada, foi à loucura e um tumulto começou.

Fora do campo, Joélson, o camisa 17 do Avaí, que tinha acabado de entrar no jogo, agrediu o jogador Alisson, do Vila Nova. Atletas dos dois times começaram a discutir muito e acintosamente. Depois, foi a vez das comissões técnicas entrarem em conflito, discutindo muito, com palavrões para ambos os lados. Quando os ânimos se acalmaram, Joélson e o técnico Silas, do Avaí, foram expulsos.

Depois do reinício da partida, o Vila Nova partiu para tentar decidir a partida. Aos 33 minutos, depois de cruzamento rasteiro da direita, Pedro Júnior meteu um foguete de pé direito e a bola explodiu no travessão antes de sair. Um minuto depois, o mesmo Pedro Júnior recebeu na pequena área, tirou do defensor e tentou chutar na saída do goleiro, mas teve seu arremate abafado por Eduardo Martini.

Mesmo com um a menos, o Avaí continuou tentando o empate, principalmente nas jogadas aéreas de bola parada. Aos 44 minutos, o goleiro Max deu um susto na torcida do Vila Nova ao ser surpreendido por uma cobrança de falta, mas conseguiu segurar a bola no reflexo. O placar acabou não sendo alterado até o fim do jogo.

setembro 17, 2008 Posted by | Vila Nova | , , | Deixe um comentário

De camisa roxa, Corinthians joga mal e fica no empate com Brasiliense na Boca

Em jogo de baixo nível técnico, Timão não passa do 1 a 1 com o ameaçado Jacaré, no Distrito Federal, e perde chance de bater recorde de vitórias

Mesmo sem jogar bem, o Corinthians deu mais um passo para garantir com antecedência o retorno à elite do Campeonato Brasileiro. Em noite de pouca inspiração com a camisa roxa, o Timão arrancou um empate por 1 a 1 com vice-lanterna Brasiliense, na Boca do Jacaré, em Taguatinga, e não conseguiu chegar à sétima vitória consecutiva na Série B. Marcinho marcou para os donos da casa no início do segundo tempo, enquanto Elias empatou logo em seguida para os paulistas.

Com o ponto obtido no Distrito Federal, o time dirigido pelo técnico Mano Menezes chega a 55 e continua com muita folga na liderança, agora tendo oito pontos a mais que o segundo colocado, o Vila Nova. Já o Jacaré chega a 24, mas segue na penúltima colocação, ainda bastante ameaçado pelo rebaixamento para a Série C em 2009.

O Corinthians volta a campo no próximo para enfrentar a Ponte Preta, às 16h, no Pacaembu, em São Paulo. O Brasiliense joga no mesmo dia e horário. A equipe faz o clássico do Distrito Federal contra o Gama, novamente na Boca do Jacaré, em Taguatinga.

Primeiro tempo sofrível na Boca do Jacaré

Ampliar Foto Agência/Agência Estado Agência/Agência Estado

Lulinha disputa bola com adversário

Com muito pouco poder ofensivo, Brasiliense e Corinthians fizeram um primeiro tempo sonolento e de poucas oportunidades de gols. Enquanto os donos da casa sofriam por ter apenas Leandro Neto no ataque, o Timão não conseguiu ter o mesmo rendimento ofensivo com a ausência de seu “cérebro”, Douglas, suspenso. Diogo Rincón, ainda sem ritmo de jogo, pouco produziu ao lado de Lulinha.

Com esse problema, o Corinthians dependeu muito das jogadas individuais e da aproximação do volante Elias. E foi dele a primeira boa chance, logo aos dois minutos. Ele aproveitou uma saída de bola errada e, da entrada da área, bateu com perigo à esquerda do goleiro Guto. Aos dez, foi a vez de Herrera, artilheiro da equipe na Segundona, com nove gols. André Santos cruzou, mas o argentino desperdiçou ao não alcançar de cabeça.

Assim como o Timão, o Brasiliense precisou contar com a aproximação de um defensor para criar algum lance de gol. Pela direita, o lateral Patrick surgiu como a principal opção de ataque, quase marcando aos 26. Ele arriscou de fora da área, a bola bateu no gramado e quase enganou o goleiro Felipe, que espalmou no susto para fora.

Nos minutos finais, o Corinthians abandonou um pouco a postura defensiva e por muito pouco não marcou. Aos 37, André Santos bateu falta pela esquerda e Chicão cabeceou com perigo para fora na segunda trave. Quatro minutos mais tarde, novamente Elias. O volante arriscou de fora da área e Guto fez boa defesa no canto esquerdo baixo.

Marcinho marca para o Jacaré, mas Elias dá o troco

Ampliar Foto Agência/Agência Estado Agência/Agência Estado

Elias comemora gol contra o Jacaré

No segundo tempo, a defesa do Corinthians bateu cabeça, e o Brasiliense aproveitou para abrir o placar. Logo no primeiro minuto, Carlos Alberto saiu jogando errado e deu a bola de presente para Marcinho. O meio-campista invadiu a área, passou por Chicão e soltou a bomba, sem qualquer chance de defesa para Felipe: 1 a 0.

A resposta alvinegra, entretanto, foi imediata. Três minutos depois, o Corinthians chegou ao gol de empate em nova chegada de Elias ao ataque. Morais fez boa jogada pela direita, foi à lnha de fundo e cruzou rasteiro. Na entrada da área, o volante pegou de primeira, de pé esquerdo, e colocou a bola no ângulo direito de Guto.

O início movimentado, porém, só enganou a torcida presente na Boca do Jacaré. Não demorou muito para que os times voltassem a cometer os mesmos erros do primeiro tempo, principalmente no campo de ataque. Para tentar aproveitar o desespero do adversário, o técnico Mano Menezes sacou o meia Diogo Rincón para escalar o estreante atacante Otacílio Neto.

A melhor chance criada surgiu apenas aos 18 minutos. Lulinha fez boa jogada pela direita, invadiu a área e chutou rasteiro no canto esquerdo para Guto fazer ótima defesa. A resposta do Jacaré veio aos 21. Marcinho arriscou de fora da área e quase acertou o ângulo esquerdo de Felipe.

Com o passar do tempo, os treinadores aproveitaram para mexer. No Brasiliense, nem mesmo a entrada do veterano Alex Alves, ex-Botafogo e Portuguesa, serviu para que a equipe voltasse a pressionar. Já Mano Menezes reforçou a marcação com Eduardo Ramos e Wellington Saci, conseguindo o que queria: mais um ponto para recolocar o Corinthians na Primeira Divisão o quanto antes.

Ficha técnica:

BRASILIENSE 1 x 1 CORINTHIANS
Guto, Patrick, Aílson, Fábio Braz e Edinho; Coquinho, Jardel, Juninho, Marcinho (Alex Alves) e Iranildo (Fabinho); Leandro Neto (Diogo). Felipe, Denis (Eduardo Ramos), Chicão, William e André Santos; Carlos Alberto, Elias, Lulinha (Wellington Saci) e Diogo Rincón (Otacílio Neto); Morais e Herrera.
Técnico: Reinaldo Gueldini. Técnico: Mano Menezes.
Gols: Marcinho, a 1 minuto, e Elias, aos quatro minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Juninho, Jardel, Fabinho, Patrick (Brasiliense); Denis, Morais, André Santos, Lulinha (Corinthians).
Estádio: Boca do Jacaré. Data: 16/09/2008. Árbitro: Arnoldo Vasconcellos Figareja (RO). Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Marcia Bezerra Lopes Caetano (RO).

setembro 17, 2008 Posted by | Corinthians | , , , , , , | Deixe um comentário